Você está na página 1de 157

Curso de Gramática

prof. Lilian Bernardes


Mal / Mau
a) Mau: Antônimo de bom (adjetivo)

Ex.: Ela escolheu um mau momento para


chegar

b) Mal: Antônimo de bem (advérbio)

Ex.: A menina foi mal nas provas


Onde /Aonde/donde
- Aonde: Movimento
.
Ex.: Aonde você vai?

- Onde: Estaticidade

Ex.: Onde estão os meninos?

- Donde: Origem.

Ex.: Donde você provém?


Sessão/Seção/Secção/Cessão
a) Sessão: horário determinado.
Ex.: Iremos a uma sessão de cinema

b) Seção / Secção: repartição,


departamento.
Ex.: Compramos o chocolate na Seção de
doces.
Ex.: Encontramos a Secção da Lacta na
Seção de doces

c) Cessão: Verbo Ceder


Ex.: Ele fez a Cessão de seus imóveis.
Ao encontro / De encontro

a) Ao encontro: a favor de (Substituir)


Ex.: Aquelas atitudes vão ao
encontro do que eles pregavam.

b) De encontro : contra (Substituir)


Ex.: Sua atitude veio de encontro
ao que eu esperava.
Ao Invés de / Em vez de

a) Ao invés de: ao contrário de (Substituir)


Ex.: Ao invés do que relatou, todos
aplaudiram.

b) Em vez de: em lugar de (Substituir)


Ex.: Em vez de ficar parado, prefiro
andar.
Acerca de / cerca de / Há cerca de
a) Acerca de : a respeito de (Substituir)
Ex.: Não falava acerca de problemas.

b) Cerca de : aproximadamente (Substituir)


Ex.: Os alunos ficaram cerca de mil metros.

c) Há cerca de : tempo decorrido


Ex.: Maria retornou há cerca de 5 anos.
Obs.: Há pode significar existem
Ex.: Há cerca de mil pessoas ali.
Tampouco / Tão pouco
a) Tampouco: também não (advérbio)
Ex.: Não trouxe os instrumento, tampouco deu
satisfação.

b) Tão pouco: Advérbio de intensidade.


Ex.: Ela tem tão pouco dinheiro

Dica:
Haja vista : Tendo em vista .
Ex.: Haja vista o ocorrido, ele se atrasou.
Obs.: Só existe esse sentido essa locução .
À – toa/ À toa
À – toa: inútil. (adjetivo)
Ex.: Paulo era uma pessoa à-toa

Obs.: Pode também ser usado no plural.


Ex.: Maria e João eram pessoas à – toas.

À toa : inutilmente. (advérbio)


Ex.: Caminhava à toa pelas ruas.
Os porquês
Por que: a- Início de uma interrogativa direta.
Ex.: Por que você não veio?

b-Quando podemos Substituir pela expressão “por que motivo”.


Ex.: Gostaria de saber por que você não veio.

c-Quando podemos Substituir por “pelo qual” e suas variantes.


(Pronome Relativo)
Ex.: Avenidas por que atravessamos são movimentadas.

Por quê : ocorre no final de perguntas e orações.


Ex.: Você não veio por quê?
Nem Maria sabe por quê.
Porque: usamos em respostas e pode indicar explicações ou
causa. (conjunção explicativa)

Ex.: Volte logo, porque o lanche será servido.(explicação)


Ex.: Não entrei porque estava com medo. (causa).

Obs.: Substitui por “pois” ou “para que” Ex.: Chegou tarde


porque perdeu o ônibus. / Ex.: Trabalhou o dia todo porque
as dúvidas fossem tiradas

Porquê: Substituir por a razão , a causa é um (substantivo).


Vem sempre precedido de artigo.

Ex.: Quero saber o porquê de tanta aflição.


Regras Práticas
Emprego do “são / ção / ssão”
nd compreender compreensão
“s” rt divertir diversão
rg emergir emersão

gred agredir agressão


“ss ced exceder excesso
tir demitir demissão
mir imprimir impressão

to atento atenção
“ç duzir produzir produção
ter manter manutenção
Emprego do “x” e do “ch
Usa-se “x”:
a) depois do ditongo:
feixe, caixa, ameixa, faixa, caixote

b) depois do “en” inicial:


enxame, enxoval, enxurrada, enxada,
enxaqueca, enxotar, enxofre, enxugar.

Exceções: encher e seus derivados.


charco encharcar
chouriço enchouriçar
o
c) Depois de “me” inicial
mexer, mexicano, mexerica, mexilhão

d) Palavras do inglês de forma aportuguesada,


trocam-se o “sh” por “x”.

e) Palavras de origem tupi.


Emprego do “g” e do “j”
Usa-se “g”
a) Palavras terminadas em “gem”:
Imagem / coragem / ferrugem / bagagem / vertigem /
garagem

Cuidado: viagem (substantivo) – viajem (verbo)

b) Palavras terminadas em “ágio / égio / ígio / ógio / úgio “:

pedágio, colégio, vestígio, relógio, refúgio.

c) Palavras derivadas de outras já grafadas com “g”:


faringe faringite
gesso engessa
massagem massagista


Usa-se “j”

a) Palavras de origem tupi são escritas com “j”


biju, jacaré, jaguar, etc.
Exceção: feita a palavra Sergipe

b) Verbos terminados em “jar” são escritos com “j”, em todas


as formas verbais

viajar, engajar, esbanjar, sujar, trajar, etc.

c) Palavras derivadas de outras terminadas em “j”


loja lojista
sarja sarjeta
enrijecer rijo
varejo varejista
Prosódia
É a parte da gramática que estuda a correta
pronúncia das palavras, levando em conta sua
sílaba tônica.
Ex.: rubrica e não rubrica
nobel e não nobel
ínterim e não interim
Acentuação Gráfica
Acento prosódico – Acentuação da fala
Acento gráfico – acentuação da escrita

Sílaba Prosódica ou Sílaba Tônica

Oxítonas : última sílaba tônica Ex.: Café, ruim.

Paroxítonas: penúltima sílaba tônica Ex: fácil,


hífen
Proparoxítonas : antepenúltima sílaba tônica
Ex.:médico, etíope
Regras de acentuação gráfica:
1-
A) Acentuam-se as oxítonas terminadas
em:

a (s) / e (s) / o (s) / em (ens)

Ex.: Ananás, taubaté, cipó, alguém


Obs: não acentuamos oxítonas terminadas
em:
i (s) e u (s)
Paroxítonas/Proparoxítonas
B) Não se acentua as C) Acentuam-se todas
paroxítonas terminadas em: proparoxítonas sem
exceção.
A(s) / E(s) / O(s) / EM(ens)
Ex.: lâmpada,
Qualquer outra terminação, protótipo, década.
pode ser acentuada, inclusive
as terminadas em ditongo.

Ex.: ganância, silêncio, férias,


etc...
2- Acentuam-se os monossílabos tônicos
terminadas em:

a(s) /e(s) / o(s).


Ex: há, pé, dá(s)

Os terminados em i(s) e u(s) não são acentuados


graficamente.
Ex: cru, lar, tu.
3- Acentuam-se os ditongos abertos terminados
em:

éi(s), éu(s), ói(s).


Ex: idéia / chapéu / dói.

Obs: Os ditongos fechados não são acentuados.


Ex: Camafeu
Rei /Apoio
4) Hiato
Acentuamos graficamente o “ i ” e o “ u ”
tônicos dos hiatos quando formarem sílabas sozinhos
ou seguidos de “ s ”.

Ex.: saída / saíste / saúva / balaústre.

Obs.: Não acentuamos graficamente esses hiatos se


vierem seguidos de outra letra diferente de “ s ” ou “
nh ” na sílaba posterior.

Ex.: Raul / ainda / rainha


Acento diferencial
1)-CREDELEVE
Crer Derivados
crê
crêem Crer
Dar
3ª. P.S. descrê
dê 3ª. P.Pl. descrêem
dêem
Ler
Ler 3ª. P.S. relê

lêem 3ª. P.Pl. relêem

Ver Ver
vê / vêem 3ª. P.S. provê
3ª.P.Pl. provêem

Acento diferencial
2) Ter e vir :
recebem o acento na terceira pessoa do plural
Ter Vir
3ª. P.S. tem vem
3ª. P.Pl. têm vêm
Derivados:
Ter Vir
3ª P.S. retém intervém / provém
3ª P.Pl. retêm intervêm / provêm

Dicas:
- o verbo prover deriva do verbo ver (significa -> tomar providência
/ socorrer)
- o verbo provir deriva do verbo vir (significa -> proceder / originar
–se)
3) Levam acento diferencial de intensidade para diferenciá-las
das preposições as seguintes palavras:

Por (preposição) / Pôr (verbo)

pelo (a) (preposição)


pélo (a) (verbo)
Pêlo (a) (substantivo)

Para (preposição) / Pára (verbo)

polo (substantivo) (ave)


pólo (pólo norte / pólo sul)

Pôde (Pretérito perfeito do indicativo) / Pode (Presente do


Indicativo)

Apoio (substantivo) / Apóio (verbo)


Dicas
Verbos acompanhados dos pronomes oblíquos.
Amá-la vendê – la
(oxítonas) (oxítonas)
Dividi-la repô-la
(oxítonas) (oxítonas)
Contribuí-la
(hiato)
ANÁLISE MORFOLÓGICA
- Classe de Palavras
- Classe Gramatical

Variáveis ou flexíveis Invariáveis ou inflexíveis

Artigo Advérbio
Substantivo Preposição
Adjetivo Conjunção
Numeral Interjeição
Pronome
Verbo
Artigo
Emprego:

1-Ambos: Usamos artigo entre ambos e o substantivo.


Ex.: Ambos os professores estão corretos.

2-Todo : (pronome Indefinido) emprega-se o artigo


indicando idéia de inteiro..
Ex.: Ele falou todo o tempo
3-Todos / todas (no plural) : sempre virão seguidos de
artigo, exceto se houver palavra que os exclua ou
numeral não seguido de substantivo.

Ex.: Todos os carros quebraram


Todos estes carros quebram
Todas duas chegaram agora

4- Não unimos preposição + artigos quando este faz


parte do nome de revistas, jornais, obras, etc.
Ex.: Escreveram a notícia em “ O Estado de São Paulo”.
SUBSTANTIVO
Classificação:

a ) Comum : aplica-se a todos os seres de uma


mesma espécie.
Ex.: Aluno, país, jornal, etc.
b) Próprio : aplica-se a um só ser de uma
mesma espécie.
Ex.: Paulo, Jornal da Tarde, Brasil, etc.
c) Concreto : o que se aplica a seres que têm existência
própria ou que nossa imaginação representa:

Real : Existe fisicamente.


Ex.: pedra, ar, luz, som, sombra, etc.

Imaginário : Existe em nossa imaginação.


Ex.: fada, bruxa, lobisomem, fantasma, saci,
etc.

d) abstrato: Indicam sempre sentimentos, qualidades e


ação.
Ex.: amor, ódio, fé, dor, etc.
g) Simples : formado por um só elemento.
Ex.: couve, pombo, tempo, etc.

h) Composto : formado por dois ou mais


elementos.
Ex.: Couve – flor, pombo – correio,
passatempo, etc.

i) Coletivo: o que se aplica a uma coleção


ou agrupamento de seres de uma mesma
espécie.
Ex.: Cardume, esquadrilha, etc.
(muitos peixes) (muitos aviões).
e) Primitivo: o que dá origem a outra palavra.
Ex.: pedra, leite, ferro, etc.

f) Derivado : o que se origina de um


primitivo.
Ex.: pedreiro, leiteiro, ferradura, etc.
Gênero dos Substantivos
Uniforme: apresenta uma única forma quanto ao gênero.

Classifica-se em:

• Comum de dois: O gênero é indicado pelo uso do


determinante.
Ex.: o mártir: a mártir
o intérprete: a intérprete
o agente: a agente
b) Sobrecomum: apresenta gênero definido, servindo
para ambos os sexos.
Ex.: o carrasco / a criança / o cônjuge / o pão – duro.
c) Epicenos: é o substantivo que apresenta
gênero definido, servindo para ambos os sexos
dos animais, plantas e frutas.

O gênero é indicado pelas palavras macho ou


fêmea.
Ex.: a girafa macho / a girafa fêmea
a barata macho / a barata fêmea
o tatu macho / o tatu fêmea

outros: a andorinha, a águia, a avestruz, a cobra,


o jacaré, a onça, o sabiá, o tigre, etc.
Dicas:
Os substantivos anjos, diabo, fantasmas,
fera, monstro e vampiro, não podem ser
tomados por sobrecomuns, uma vez que
representam, símbolos, e não
propriamente seres os quais se
possa atribuir sexo.
Gênero dos Substantivos
Biformes: apresentam duas formas quanto ao gênero.
Ex.: elefante / elefanta
professor / professora
aluno / aluna

Heterônimos ou Desconexos

Apresenta alteração no radical na formação do gênero:

marido – mulher
padrasto – madrasta
pai – mãe
patriarca – matriarca
veado – cerva
Bode – cabra herói – heroína
genro –nora imperador – imperatriz
homem – mulher
embaixador / embaixatriz judeu – judia
europeu – européia maestro – maestrina
galo – galinha marajá – marani
guri – guria perdigão – perdiz
peru – perua
rei – rainha
réu – ré
Plural dos substantivos compostos
Regra Geral :

• Substantivo + Substantivo

Os dois são variáveis.

Couve – flor = couves – flores

Obs.: Se o 2º elemento for um tipo do 1º elemento,


apenas o 1º elemento vai para o plural:
Bananas – prata ou bananas – pratas
- ( as duas formas estão corretas)
2) Numeral + Substantivo
Os dois são variáveis.
primeiro – ministro / primeiros-ministros

3) Substantivo + Adjetivo
Os dois são variáveis.
Amor – perfeito = amores - perfeitos
4) Preposição + Substantivo
Apenas o substantivo é variável.
Contra – ataque = contra – ataques

5) Advérbio + Adjetivo
Apenas o adjetivo é variável.
Abaixo – assinado = abaixo – assinados

6) Prefixo + Substantivo
Apenas o substantivo é variável.
Co – autor = co – autores
Regras Especiais
1) Preposição no meio da palavra:

- Só o primeiro elemento será variável


pé – de – moleque = pés – de – moleque
pão – de –ló = pães – de - ló
café – com –leite = cafés - com – leite

2) Palavras repetidas ou onomatopaicas


- Só o ultimo elemento é variável
corre – corre = corre – corres
bem – te - vi = bem - te – vis
b) Ações Múltiplas:

conta-gotas = os conta-gotas

b) Nome de rezas só o último elemento vai para


o plural.:
ave - maria = ave-marias
salve – rainha = salve-rainhas
3) Guarda:

c)Guarda + substantivo:

guarda-louça = guarda-louças

b) Guarda + adjetivo:

guarda-florestal = guardas-florestais
Grau dos Substantivos
Aumentativo e diminutivo

Forma analítica: (usamos adjetivo)

Aumentativo: Corpo Grande


Diminutivo: Corpo pequeno / corpo minúsculo

Forma Sintética: (usamos sufixos)

Corpão / Corpúsculo
Dicas:

1) Muitas vezes o substantivos no aumentativo


expressa desprezo ou caçoada, sendo assim um
aumentativo pejorativo ou depreciativo

Mulheraça, gentalha, etc


2) Muitas vezes o substantivo no diminutivo expressa,
carinho, ternura, afeto, ou então, desprezo, antipatia.

a) carinho = filhinho, mãezinha, etc


b) Sentido pejorativo = livreco, papelucho, etc.

3) Cuidado com falsos aumentativo e diminutivos, pois


na verdade estão no grau normal.

Portão, lingüeta, florão


Número do Adjetivo

Os adjetivos simples seguem as mesmas regras da


flexão numérica dos substantivos.

Homens burguês / homens burgueses


Animal veloz / Animal velozes
Obs: Quando as cores tiverem a função de adjetivo,
deverão ser flexionadas acompanhando o substantivo a
que se referem.

Quando as cores tiverem a função de substantivo,


ficarão invariáveis.

Ex. Saia azul = Saias azuis


(subst.) (adjetivo)
Saia laranja = Saias Laranja
(subst.) (subst.)
Os adjetivos compostos sofrem flexão apenas no
último elemento.

Ex.: Jornais luso - brasileiros


Escolas médico – cirúrgicas

Obs.: 1- Quando o adjetivo composto indicar cor, se


o último elemento for um substantivo esse fica
invariável.

Ex.: Fardas verde - Oliva


Carros amarelo – canário
Obs.: 3- raios infravermelhos -flexiona
ultravioleta – não flexiona

Obs.: 4 - O adjetivo composto


surdo – mudo - flexiona os dois
elementos.

Ex.: rapazes surdos – mudos


Locução Adjetiva

Preposição + Substantivo

Aves da noite = aves noturnas


(prep.) + (substantivo) / (adjetivo)
Pronome

Palavra que substitui ou acompanha o nome.


a) Pessoais: retos, oblíquos e de tratamento
b) Possessivos:
c) Demonstrativos
d) Indefinidos
e) Interrogativos
g) Relativos
Pronomes Pessoais

Retos
1ª p.s. EU
2ª p.s. TU
3ª p.s.. ELE, ELA
1ª p.pl. NÓS
2ª p.pl. VÓS
3ª p.pl. ELES, ELAS
Oblíquos
Átonos Tônicos

ME MIM, COMIGO
TE TI, CONTIGO
SE, LHE, O, A SI, CONSIGO
NOS NÓS, CONOSCO
VOS VÓS, CONVOSCO
SE, LHES, OS, AS SI, CONSIGO
EMPREGO DOS PRONOMES PESSOAIS

1 – EU / MIM e TU / TI : os pronomes Eu e tu (somente


esses) não podem vir regidos de preposição em função de
complemento, devendo ser empregado mim e ti
respectivamente

Ex.: Empreste o livro para mim.


Prep

Este livro é para ti.


Prep.
Não há mais nada entre mim e Ti.
Prep.

O escritório não podia ficar sem você e mim.


Prep.

No entanto, em função de sujeito devemos empregar


Eu e Tu.

Ex.: Empreste o livro para eu ler.


suj.
2) me, te, se, nos, vos = Pronomes Reflexivos

3) si, consigo = pronomes reflexivos

4) se = pronome reflexivo recíproco


5) Verbos terminados em - r, s, z = lo (s), la (s).

Ex.: Quero enviar um telegrama.


Quero enviá-lo.
Anteontem fiz um exame médico.
Anteontem fi-lo.

6) Verbos terminados em: am, em, õe.


Ouçam - na
Peguem – no
Propõe – no
EMPREGO DOS PRONOMES
POSSESSIVOS

1) O pronome possessivo pode causar


ambigüidade de sentido:

Ex.: Encontrando-se com Júlia, Paulo fez


comentários sobre seus exames.

Minha tia mora numa casa e seus


fundos dão para o mar.
Para evitar duplo sentido, usam-se
as formas dele (s) dela (s) de
você ou do senhor, ou
transforma-se a frase.

Ex.: Encontrando-se com Júlio, Paulo


fez comentários sobre os exames
dele ou dela.

Os fundos da casa de minha tia


estão voltados para o mar
• 2) O possessivo pode indicar
aproximação.

• Ex.: Ele tinha seus trinta anos

• 3) Os pronomes pessoais me, te,


nos, vos, lhe, podem ter função
de possessivo:
Ex.: Levaram – me os
sapatos

• Ex.:Rasgaram - lhe as camisas
• PRONOMES DEMONSTRATIVOS
Espacial
1 – este : para indicar algo próximo da 1ª pessoa (quem
fala)
esse : para indicar algo próximo da 2ª pessoa (com quem

se fala).

aque le : para indicar algo próximo da 3ª pessoa (de


quem
se fala)
Ex.: Esta pasta que tenho nas mãos não é minha.
Essa pasta que você tem nas mãos não é sua.
Textual
2 – este : mais próximo na frase.
aquele: mais distante na frase.

Ex.: fala-se em acabar com os


automóveis no centro da cidade,
para dar lugar aos ônibus. Em
verdade, não há lugar nem para
estes, nem para aqueles.
(= ônibus) (=
automóveis)
este : vai ser dito
esse: já foi dito

Ex.: transmitimos estas


recomendações: apertar os cintos e
não fumar.

Só posso lhe dizer isto: nada somos.


Essa tua pergunta tinha muita
malícia.
• 5 – o (s), a(s) = aqueles(s),
aquela(s), aquilo.

• Ex.: Não entendo o que o


professor diz.

• (= aquilo)

• Dos alunos, o Paulo foi o


que teve melhor nota.
(= aquele)
PRONOMES INDEFINIDOS
São os pronomes que se aplicam às 3
pessoas gramaticais, quando consideradas
de um modo vago e indeterminado .
algum alguns
nenhum nenhuns
todo todos
outro outros
muito muitos
pouco poucos
certo certo
vários vários
tanto tantos
quanto quantos
qualquer quaisquer
PRONOMES RELATIVOS

Referem-se de modo geral, a um


termo anterior chamado
antecedente.

Que / Quem / Cujo / Onde / Qual


Como .

• 1) Que : = o qual / os quais
• refere-se a a qual / as quais
• pessoas ou
• coisas

Ex.: O homem que cumprimentei
é assessor do presidente.
Obs.: Uso da preposição antes do
pronome relativo que.
Ex.: Havia reclamações x que nos
prejudicavam.

Havia reclamações de que


desconfiávamos.

Havia reclamações com que


concordávamos
2) Qual : usado para evitar duplo
sentido:

Ex.: Não conheço o pai do garoto o


qual se acidentou.
• .
3) Quem : refere-se a pessoas e sempre
antecedido de preposição.
Ex.: O Papa a quem mais admiro é Paulo
VI.
V.T.I
Ex.: O Papa de quem mais gosto é Paulo
VI
V.T.I
Ex.: João Paulo II é o Papa a quem mais
conheço.

V.T.D
4) cujo (a) (s) : sempre exprimem
Posse.

Ex.: Esta é a árvore cujas folhas


caem inexplicavelmente.

Antecedente + cujo + posterior

Obs.: Cujo concorda com o posterior e


não se usa artigo após o pronome
5) ONDE : em que, no qual

Ex.: Este é o vilarejo onde passei


minha infância. (= em que, no
qual)
6) QUANTO (S), QUANTAS (S) : têm
sempre como antecedente os
pronomes indefinidos TODO, TODA,
TUDO.

Ex.: Fez tudo quanto foi possível.


Pron. Pron.
Ind. Rel.

Ex.: Bebia toda a água quanta lhe


davam.
• 7) COMO tem sempre como
antecedente as palavras modo,
maneira, forma e equivale a pelo
qual.

Ex.: Já acertamos o modo como
haverei de lhe pagar.

• Contaram-me a maneira como você
se comportou na festa.
Pronome

SUBSTANTIVO: substitui um substantivo


ADJETIVO: refere-se a um substantivo

Ex.: prendi teu cachorro, mas não o


maltratei.
Pron. Pron.
Adj. Subst.

Trouxe o meu material e ninguém


percebeu
Pron. Pron.
Adj. Subst..
COLOCAÇÃO PRONOMINAL

Pronomes oblíquos átonos (o, a, os, as,


lhe, lhes, me, te, se, nos, vos).
Podem ocupar três posições:

1) Próclise: antes do verbo.

Ex.: Isto me interessa.

Uso obrigatório:
a) Diante de palavras ou expressões
negativas
b)Diante de advérbios
c) Pronomes:
Indefinidos
Demonstrativos
Relativos

d) Conjunções Subordinativas e
substantivas.

e) Nas Orações:
Interrogativas diretas
Exclamativas
Optativas
• 2) Mesóclise : No meio do verbos que
estão no futuro do presente ou futuro do
pretérito do indicativo.

• Ex.: Convidar-me – ão para a cerimônia


• Convidar-me – iam para a
cerimônia

• Obs.: A mesóclise é obrigatória desde que


não haja palavra atrativa de próclise.
• Ex.: Não me convidarão para a
Cerimônia.
• Não me convidaram para a
3) Ênclise : depois do verbo.

Ex.: entregaram-me as mercadorias

a) Com o verbo no Imperativo


Afirmativo
b) Com o verbo no Gerúndio

Cuidado: Nunca iniciamos orações com


pronome oblíquo átono.
PRONOMES OBLÍQUOS ÁTONOS
NAS LOCUÇÕES VERBAIS

a) Verbo principal no particípio :


O pronome deverá ficar depois do
verbo auxiliar.
Caso haja palavra atrativa, deverá
ficar antes do verbo auxiliar.
Ex.: Havia-lhe contado a verdade.
Não lhe havia contado a
verdade.
Cuidado:

É errada a colocação do pronome


oblíquo
átono depois de um particípio
b) Verbo principal no infinitivo ou no
gerúndio.
Se não houver palavra atrativa, coloca-
se o pronome oblíquo após o verbo
auxiliar ou principal.

Ex: Quero lhe dizer a verdade


Quero dizer lhe a verdade
Ia-lhe dizendo mentiras
Ia dizendo-lhe mentiras
Obs: Caso haja palavra atrativa,
coloca-se o pronome antes do verbo
auxiliar ou depois do verbo principal.
VERBO
Variável em: Pessoa
Número
Tempo
Modo
Voz

 
Os verbos exprimem: Ação
Estado
Fenômeno
 
Flexões Verbais
- Pessoa: 1ª / 2ª / 3ª
- Número: singular e Plural
- Tempo: presente / pretérito e futuro
- Modo: indicativo (certeza)
subjuntivo (dúvida)
imperativo (ordem)
 
- Voz: Ativa
Passiva
Reflexiva

Tempo e conjugação
Indicativo :
Presente

- Perfeito
Pretérito - Imperfeito
- Mais que
perfeito

Futuro - Presente
- Pretérito
Subjuntivo : Presente

Pretérito Imperfeito
 
Futuro
Imperativo :

Afirmativo

Negativo
Estrutura Verbal
 

a) Radical: am / vend / part

 
b) Vogal temática: ar (1ª
conjugação)
er (2ª conjugação)
ir (3ª conjugação)
•  
c) Desinência: modo e tempo
 
d) Desinência: número pessoa

Ex: Am á vamos
↓ ↓
Radical + vogal
temática

Tema
Ex: Amá va mos
↓ ↓
Desin. Desin.
(modo/tempo) / (número /
pessoa)
Classificação
• 1) Regular: não apresentam alteração
no radical
•  
• Ex: Amar / Beber / Partir
•  
• 2) Irregulares: apresentam alteração
no radical ou terminações
•  
• Ouv ir:
Radical

• Presente do Indicativo
•  
• Eu ouço
Estar
Terminação
 
Presente do indicativo
 
Eu estou
Tu estás
Ele está
3) Anômalos: durante a conjugação
apresentam radicais diversos.

Ex: ser, ir

Ex: Eu sou Nós vamos


Ele era Nós íamos
Eu fui Nós fomos
4) Defectivos: não trazem a conjugação completa,
isto é, não têm algumas pessoas ou, ás vezes
tempos inteiros.
Precaver
Presente do Indicativo Presente do
subjuntivo
 
Eu ________________
Tu ________________
Ele ________________
Nós precavemos
Vós precaveis
Eles________________

 
Obs: Acompanham o precaver os verbos:
Reaver / falir / ressarcir / adequar / etc.
Abolir
 
Presente do Indicativo Presente do
subjuntivo
 
Eu _____
Tu aboles
Ele abole
Nós abolimos
Vós abolis
Eles abolem
 
Obs: Acompanham o abolir os verbos:
Feder / puir / soer / viger
↓ ↓ ↓
(desgastar) (ter por hábitos) (ter vigor)
 
Banir / colorir / demolir / exaurir / extorquir.
5) Abundantes: são aqueles que
apresentam mais de uma forma
geralmente no particípio.
 
Regular (ado / ido) – usamos
auxiliares ter e haver.

Ex: A mãe tinha enxugado o bebê.


 
Irregular – (sem desinência no
particípio) - usamos auxiliares ser e
estar.
• Dicas:

• No português contemporâneo,
observa-se a utilização do particípio
irregular mesmo acompanhado dos
auxiliares ter e haver, com os verbos
pagar, ganhar e gastar

• Ex: O publicitário havia gasto vultosa


quantia e já tinha pago as dívidas
quando tudo ocorreu.
Obs.: Verbos auxiliares – utilizados para
conjugar outros, podem ser auxiliares
temporais e auxiliares modais.
 
Auxiliares Temporais: formam os
tempos compostos e são: ter e haver
Ex: Eu tinha partido
Maria há de chegar
 
Auxiliares Modais: formam a voz
passiva e as locuções verbais são: ser,
estar, andar (estado),
parecer, permanecer, ficar, continuar,
torna-se, etc.
IMPERATIVO

ORDEM
Eu faço - faça -

Tu fazes Faze tu faças Não faças tu

Ele faz Faça você Faça Não faças


você
Nós fizemos Façamos nós Façamos Não façamos
nós
Vós fazeis Fazei vós Façais Não façais
vós
Eles fazem Façam vocês Façam Não façam
vocês
Obs.: Verbo Pronominal
 
É o utilizado sempre com o pronome
átono. Pode ser pronominal essencial
ou acidental.
 
Ex: essenciais: queixar-se, arrepender-
se, dignar-se, suicidar-se, apaixonar-
se, etc.
 
Ex: acidentais: matar-se, pentear-se,
atribuir-se, levantar-se, sentar-se.
CORRELAÇÃO
Imperfeito do subjuntivo > futuro do
pretérito do indicativo

Ex: Se eu viajasse amanhã, ficaria feliz.


( Oração condicional)
 
Futuro do subjuntivo > futuro do
presente do indicativo
 
Ex: Quando eu viajar, ficarei feliz.
(Oração Temporal)
•  
•  
Forma rizotônica:
 
Quando o acento tônico cai na raiz verbal
Ex: am-o , am-as, am-a.
 
 
Forma arrizotônica:
 
Quando o acento tônico cai na raiz
terminação (vogal temática)
Ex: am-amos , am-ais.
ADVÉRBIO
Lugar: aqui, ali, cá, lá, acolá, além, longe, perto, dentro,
adiante, defronte, onde, acima, abaixo, atrás, algures(=em
algum lugar), alhures(=em outro lugar), nenhures(= em
nenhum lugar), em cima, de cima, á direita, á esquerda, ao
lado, de fora, por fora, etc.
 
Tempo: hoje, ontem, anteontem, amanhã, atualmente,
brevemente, sempre, nunca, jamais, cedo, tarde, antes,
depois, logo, já, agora, ora, então, outrora, ai, quando, á
noite, á tarde, de manhã, de vez em quando, ás vezes, de
repente, hoje em dia, etc.

 
Modo: bem, mal, assim, depressa, devagar, rapidamente,
lentamente, facilmente, (e a maioria dos terminados em –
mente) ; ás claras, ás pressas, á vontade, á toa, de cor, de
mansinho, de cócoras, em silêncio, com rancor, sem medo,
frente a frente, face a face, etc.
 
Afirmação: sim, decerto, certamente,
efetivamente, seguramente, realmente,
sem dúvida, por certo, com certeza, etc.
 
Negação: não, absolutamente, tampouco,
démodé algum, de jeito nenhum, etc.
 
Intensidade: muito,pouco,mais, menos,
ainda, bastante, assaz, demais,bem,
tanto, deveras, quando, quase, apenas,
mal, tão, de pouco, de todo, etc.
 
Dúvida: talvez, quiçá, acaso, porventura,
provavelmente, etc.
•  
LOCUÇÕES ADVERBIAIS
 
Veja alguns exemplos:
 
às vezes às escuras
às claras às cegas
às tontas às pressas
Vez por outra de tempo em
tempos
De onde em onde de qualquer
modo
ANÁLISE SINTÁTICA
Frase Nominal: sem verbo.

  Ex. Fogo! Socorro! Curva Perigosa! Etc.


 
Frase Verbal: com verbo.
 Oração : é o enunciado organizado em torno
de um verbo.

Ex. A distância alimenta o sonho.

•  
PERÍODO: é o enunciado que se
constitui de duas ou mais orações.
 
 
Ex. Casou-se com um
alfaiate que morreu tempos depois,
deixando-lhe uma filha.
 
 
Simples: uma só oração – oração
absoluta.
Composto: duas ou mais orações.
PERÍODO SIMPLES DA
ORAÇÃO
1- TERMOS ESSENCIAIS E INTEGRANTES DA ORAÇÃO
 
SUJEITO: É O SER DE QUEM SE DECLARA ALGUMA
COISA.

a) Simples: apenas só núcleo.


 
Ex. O barulho era intenso
Alguém esteve aqui.
Quem gritou?
 
b)Composto: dois ou mais núcleos.
 
Ex. Duas laranjas e uma banana sobraram
na geladeira.
c) Oculto

termos elípticos , subentendido


( reconhecido pela desinência
verbal).
 
  Ex. Viajaremos amanhã
 
e) Inexistente: ou Oração sem sujeito
(Verbos impessoais).
 
1))Haver (=existir)

Ex. Há muitos problemas no país.


Pode haver muitos problemas
no país.
 
Verbos ( fenômenos meteorológicos )
2) Verbos ( fenômenos
meteorológicos )

Ex. Anoitecia silenciosamente.


Ventou o dia todo.
 
3) Ser, estar , fazer , ficar, etc.
( Tempo ou fenômenos
atmosféricos).
  Ex. É noite, tudo se
sabe.
Está esfriando.
PREDICAÇÃO VERBAL

INTRANSITIVO:
Não precisa de complemento.

Ex. O sonho acabou.


Os frutos despencaram
da árvore
•  
Transitivo:

VERBO TRANSITIVO DIRETO: precisa de um


complemento sem preposição. (OBJETO
DIRETO).

Ex. Eu faço o meu momento.


Eu quero uma casa no campo.
 
 
VERBO TRANSITIVO INDIRETO: precisa de um
complemento com preposição. (OBJETO
INDIRETO).
 
Ex. O cidadão não confia em
seus políticos
CUIDADO:

Não pensar que todo


verbo seguido de preposição
possuirá objeto indireto. O
objeto completa o sentido do
verbo e não indica circunstância.

Ex. Penso em você.


Moro em São Paulo.
 
VERBO TRANSITIVO DIRETO E
INDIRETO: necessita de dois
complementos.

(Objeto direto e indireto).

 
Ex. O jornal dedicou uma página ao
episodio.

Oferecemos flores à noiva.


 
CUIDADO: os verbos, quanto à
predicação, não possuem
classificação fixa imutável. Essa
classificação deve ser feita no
contexto em que eles ocorrem.
 
Ex. O cego não vê.(VI)
O cego não vê o
obstáculo.(VTD)

Deram doze
horas.(VI)
VERBO DE LIGAÇÃO

Expressa um estado físico ou psicológico,


estabelece ligação entre o sujeito e o
predicativo do sujeito.
 
Ex. Os alunos estão
entusiasmado.
No céu a lua permanece
indiferente.
A crisálida vira borboleta.
PRONOMES PESSOAIS
OBLÍQUOS
O(s), A(s) - LO(s), LA (s)
- NO (s), NA (s) = OBJETO
DIRETO

Ex. A companhia entregou os bujões


em casa.
(OD)
A companhia entrega-os em casa
.
(OD)
LHE, LHES = OBJETO INDIRETO

Ex. Comunico a V.Sa. o novo


endereço.
(OI)

Comunico-lhe o novo endereço.


(OI)
ME, TE, SE, NOS, VOS = OBJETO
DIRETO E INDIRETO. (dependendo
do verbo).
Ex. Recebeu os convidados
atenciosamente.
(OD)
Recebeu-me atenciosamente.
(OD)
Ex. Trouxe para os funcionários um
presente.
(OI)
Trouxe-me,te,nos,vos um
MIM, TI, SI, ELE(a), NÓS,VÓS =
OBJETO INDIRETO

Ex. O professor pediu aos jovens


silêncio.
(OI)
O professor pediu a mim, a ti, a
ele, a nós, a vos silêncio.
(OI)
PREDICATIVO DO SUJEITO
E DO OBJETO
• PREDICATIVO DO   SUJEITO: o
elemento que faz  parte do predicado
e que atribui uma qualidade ou
estado ao sujeito.
•  
• Ex. A balsa chegou lotada
• As crianças estavam com
fome.
• Recebi emocionado o
troféu
• PREDICATIVO DO OBJETO: o
elemento que faz parte do predicado
e que atribui uma qualidade, estado
ou condição ao objeto direto ou
indireto.( Não faz parte do objeto
direto e indireto).
•  
• Ex. O juiz declarou o réu
inocente.
O povo elegeu- o líder
da revolta.
COMPLEMENTO NOMINAL
É a expressão precedida de preposição
que completa o sentido do
substantivo, adjetivo ou advérbio.
Ex. Os ecologistas protestaram contra
a queima da floresta.

Subst. CN

Ex. Sua resposta foi ofensiva ao


• Ex. A oposição votou
favoravelmente ao governo.
Advérbio CN

APOSTO
• É o termo que explica, resume,
enumera ou especifica (sem preposição)
um outro termo da oração (subst.).
Normalmente vem separado por
pontuação.
•  
• Ex.O Guarujá, a pérola do Atlântico,
continua lindo.
• Suj. aposto
vl Ps
VOCATIVO
Termo exclamativo que serve para
chamar(ou falar com) uma pessoa, um
animal ou um ser personificado. O
vocativo não se liga a nenhum termo da
oração.
 
Ex. Jesus, orai por nós.
Orai por nós, Jesus!
Orai, Jesus, por nós.
CRASE
Em português, ocorre a crase quando
o termo anterior exigir a preposição
“a” e o termo posterior admitir o
artigo “a” ou “as”
(a + a (s)) = à (s).
 
Ex.: Eu me referi (a) (a) diretoria.
Fui (a) (a) catedral.
Eu me referi à diretoria.
Fui à catedral.
Sempre ocorre crase:
 
a) Na indicação do número de horas,
desde que, trocando-se esse número
por meio-dia, obtenha-se ao meio
dia.
 
Ex.: Chegou à uma hora em ponto
(ao meio-dia).
Sai às quatro horas (ao meio-
dia).

Mas: Estou aqui desde as sete


b) Diante da expressão “à moda” ou “à
moda de”, mesmo que a expressão
fique subentendida.
 
Ex.: Fez um gol à Pelé. (à moda de)

Possui um estilo à Machado de


Assis. (à moda de)

Comi pizza à moda portuguesa.


c) Nas expressões adverbiais
femininas.
 
Ex.: Chegaram à noite (às pressas, à
sombra, à disposição, etc.).
 
d) Ocorre crase com os pronomes
demonstrativos aquele(a)(s), aquilo,
desde que o termo antecedente exija
preposição “a”.
 
Ex.: Assisti àquele acidente.
e) Diante de nomes de lugares
femininos. Com esses vocábulos que
designam lugar, pode ou não ocorrer
a crase, uma vez que alguns deles
aceitam o artigo “a”, ao passo que
outros o repelem. Veja: para
verificarmos se um nome de lugar
aceita artigo, empregamos o verbo
vir. Caso ocorra a combinação “da”,
haverá crase. Se Obtivermos apenas
a preposição “de”, claro que não
ocorrerá a crase.
 
Obs.: se o nome de um lugar que
repele o artigo vier determinado,
passará a aceitá-lo e,
conseqüentemente, haverá crase.
 
Ex.: Vou à Santos antiga.

(Venho da Santos antiga).


f) Nas locuções femininas prepositivas
e conjuntivas.
 
Ex.: O rio passa à beira da estrada.

Ele fica à disposição do


motorista.

À medida que íamos, voltávamos


Nunca ocorre crase
a) Diante de palavras masculinas.

Ex: Fiz referência a filmes antigos


b) Diante de verbos.

Ex: Estou disposto a trabalhar

c) Diante de expressões formadas por


palavras repetidas.
 Ex: ficamos frente a frente.
d) Diante de pronomes que repelem o
artigo (pronomes em geral).
Exceção feita à: dona, senhora,
senhorita, mesma e própria.
  Ex: Dirijo-me a Vossa Senhoria.
Dirijo-me a ela.
Fiz alusão a todos.

Exceção: Fiz alusão à dona Odete /


senhora / senhorita.
Isto interessa à mesma pessoa.
Isto interessa à própria
e) Quando a preposição “a” estiver
acompanhando substantivo no plural,
não ocorre crase:
 
Ex: Refiro-me a pessoas interessadas
Falava a pessoas elegantes.

Falava às pessoas elegantes.


(falava a + as pessoas elegantes =
às)
 
f) Diante das palavras terra e casa
Palavra terra:
Chão firme: não ocorre a
crase
Ex: Os passageiros chegaram a
terra . (chão firme)

Obs: Se a palavra terra vier


especificada, a crase será
obrigatória.
Ex: Os passageiros
chegaram à terra almejada.
Palavra casa:
Lar, moradia: não ocorre
a crase.
Ex. Voltamos cedo a casa.
.
 
Obs: Se a palavra casa vier
especificada, a crase é obrigatória.
Ex. Voltamos à casa de João.
• g) Diante dos artigos indefinidos
uma(s).
•  
• Ex: Eles não devem se submeter
a uma avaliação.
•  
• h) diante de Nossa senhora e de
nome de santos.
•  
• Ex: Quando morreu, deixou sua
herança a nossa senhora
Crase Facultativa
a) Diante de nomes de pessoas do
sexo feminino:

Ex: Ele fez referência a (à) Sandra.


 
b) Diante dos pronomes possessivos
femininos:

Ex: Obedeço (à) minha irmã.


 
c) Depois da preposição até:

Ex: Fomos até a (à) feira.


 
d) Nas locuções adverbiais de
instrumento.

Ex: O pai saiu sem fechar a porta a (à)


chave.
 
PONTUAÇÃO
VIRGULA
• a) Separa elementos de uma
comunicação.
• Ex.: O quarto tinha uma cama, uma
cadeira, uma mesinha de cabeceira.

• b) Separa o vocativo.
•   Ex.: Guarde as armas, Rodrigo!

•  
c) Separa o adjunto adverbial
antecipado.
 Ex.: Um dia, na sala, ele me puxou a
barra do paletó e me fez examinar
seu dedo machucado.
 
d) Isola o nome do lugar das datas.
  Ex.: São Paulo, 26 de setembro de
1987.

e) Aposto.
A Vírgula entre Orações
 
a) Separa orações coordenadas
assindéticas.
 Ex.: Saiu, voltou, sentou.
 
b) Separa orações coordenadas
sindéticas.
 Ex.: Saia, ou pegará muito trânsito.
 
c) Marca inversão de orações
subordinadas.
Não se usa vírgula entre
a) Sujeito e predicado.
 Ex.: Os rapazes chegaram.
 
b) Verbo e seus complementos.
 Ex.: O rapaz estudou matemática.
 
c) O nome e o complementou nominal.
 Ex.: A mulher tinha necessidade de
dinheiro.
 
d) O nome e o adjunto adnominal.
 
Ex.: Aquela mulher brasileira será
homenageada.
•  
• Ponto
• empregado para indicar o final de
uma frase declarativa, que pode ser
período simples ou composto.
•  Ex.: Lembro-me dele.
Meu filho foi embora e eu não o
conheci.

• a) É empregado nas abreviaturas.
•  
• Ex.: A.C., E.U.A., etc.
• Ponto e Vírgula
• a) Separa orações coordenadas
quando uma delas já tiver vírgula no
seu interior.
•  
• Ex.: Não estava magra, estava
transparente; era impossível que não
morresse de uma hora para outra.
• b) Separa orações que se opõem
quanto ao sentido.
•  
• Ex.: Uns gritavam; outros
silenciavam.
•  
Doi s po nto s

d) Citação

Ex.: Este meu filho, chamou-me e disse:


Fica comigo só um pouquinho, pai.

b) Enumeração

Ex.: Os economistas clássicos falavam em quatro


fatores de produção: terra, capital, energia e trabalho.
c) Esclarecimento
 
Ex.: Estava muito magro: perdeu 20
dos 60 quilos que tinha.
•