Você está na página 1de 33

Redes de fibra

óptica
• Fibra óptica é um filamento de vidro ou de materiais
poliméricos com capacidade de transmitir luz. Tal
filamento pode apresentar diâmetros variáveis,
dependendo da aplicação, indo desde diâmetros
ínfimos, da ordem de micrómetro (mais finos que um fio
de cabelo) até vários milímetros.

• A fibra óptica foi inventada pelo físico indiano Narinder


Singh Kapany. Há vários métodos de fabricação de fibra
óptica, sendo os métodos MCVD, VAD e OVD os mais
conhecidos.
como Funciona

• A transmissão da luz pela fibra segue um princípio


único, independentemente do material usado ou da
aplicação: é lançado um feixe de luz numa extremidade
da fibra e, pelas características ópticas do meio (fibra),
esse feixe percorre a fibra por meio de reflexões
sucessivas.
• A fibra possui no mínimo duas camadas: o núcleo e o
revestimento. No núcleo, ocorre a transmissão da luz
propriamente dita. A transmissão da luz dentro da fibra é
possível graças a uma diferença de índice de refracção
entre o revestimento e o núcleo, sendo que o núcleo
possui sempre um índice de refracção mais elevado,
característica que aliada ao ângulo de incidência do
feixe de luz, possibilita fenómeno da reflexão total.
• As fibras ópticas são utilizadas como meio de
transmissão de ondas electromagnéticas (como a luz)
uma vez que são transparentes e podem ser agrupadas
em cabos. Estas fibras são feitas de plástico ou de vidro.
O vidro é mais utilizado porque absorve menos as ondas
electromagnéticas. As ondas electromagnéticas mais
utilizadas são as correspondentes à gama da luz
infravermelha.
• O meio de transmissão por fibra óptica é chamado de
"guiado", porque as ondas electromagnéticas são
"guiadas" na fibra, embora o meio transmita ondas
omnidireccionais, contrariamente à transmissão "sem-
fio", cujo meio é chamado de "não-guiado". Mesmo
confinada a um meio físico, a luz transmitida pela fibra
óptica proporciona o alcance de taxas de transmissão
(velocidades) elevadíssimas, da ordem de dez elevado à
nona potência a dez elevado à décima potência, de bits
por segundo (cerca de 1Gbps), com baixa taxa de
atenuação por quilómetro.
• Mas a velocidade de transmissão total possível ainda
não foi alcançada pelas tecnologias existentes. Como a
luz se propaga no interior de um meio físico, sofrendo
ainda o fenómeno de reflexão, ela não consegue
alcançar a velocidade de propagação no vácuo, que é
de 300.000 km/segundo, sendo esta velocidade
diminuída consideravelmente.
• Cabos fibra óptica atravessam oceanos.

• Usar cabos para conectar dois continentes separados


pelo oceano é um projecto monumental. É preciso
instalar um cabo com milhares de quilómetros de
extensão sob o mar, atravessando fossas e montanhas
submarinas.
• Nos anos 80, tornou-se disponível, o primeiro cabo fibra
óptica intercontinental desse tipo, instalado em 1988, e
tinha capacidade para 40.000 conversas telefónicas
simultâneas, usando tecnologia digital.

• Desde então, a capacidade dos cabos aumentou.


Alguns cabos que atravessam o oceano Atlântico têm
capacidade para 200 milhões de circuitos telefónicos.
Vantagens

• Em Virtude das suas características, as fibras ópticas


apresentam bastantes vantagens sobre os sistemas
eléctricos:

• - Dimensões Reduzidas
• - Capacidade para transportar grandes quantidades de
informação ( Dezenas de milhares de conversações
num par de Fibra);
• - Atenuação muito baixa, que permite grandes
espaçamentos entre repetidores, com distância entre
repetidores superiores a algumas centenas de
quilómetros.

• - Imunidade às interferências electromagnéticas;


• - Matéria-prima muito abundante;
• - Custo ainda elevado de compra e manutenção;
Aplicações
• Uma característica importante que torna a fibra óptica
indispensável em muitas aplicações é o facto de não ser
susceptível à interferência electromagnética, pela razão
de que não transmite pulsos eléctricos, como ocorre
com outros meios de transmissão que empregam os fios
metálicos, como o cobre. Podemos encontrar aplicações
do uso de fibra óptica na medicina (endoscopias por
exemplo) como também em telecomunicações em
substituição aos fios de cobre.
Tipo de fibras
• Monomodo:
– Permite o uso de apenas um sinal de luz pela fibra.
– Dimensões menores que as fibras ID.
– Maior banda passante por ter menor dispersão.
– Geralmente é usado laser como fonte de geração de
sinal.
• Multimodo:
– Permite o uso de fontes luminosas de baixa
ocorrência tais como LEDs (mais baratas).
– Diâmetros grandes facilitam o acoplamento de fontes
luminosas e requerem pouca precisão nos
conectores.
– Muito usado para curtas distâncias pelo preço e
facilidade de implementação.
FDDI
• O padrão FDDI (Fiber Distributed Data Interface) foi
estabelecido pelo ANSI (American National Standards
Institute) em 1987. Este abrange o nível físico e de
ligação de dados (as primeiras duas camadas do
modelo OSI).
• A expansão de redes de âmbito mais alargado,
designadamente redes do tipo MAN (Metropolitan Area
Network), são algumas das possibilidades do FDDI, tal
como pode servir de base à interligação de redes locais,
como nas redes de campus.
• As redes FDDI adoptam uma tecnologia de transmissão
idêntica às das redes Token Ring, mas utilizando,
vulgarmente, cabos de fibra óptica, o que lhes concede
capacidades de transmissão muito elevadas (em escala
até de Gigabits por segundo) e a oportunidade de se
alargarem a distâncias de até 200 km, conectando até
1000 estações de trabalho.
• Estas particularidades tornam esse padrão bastante
indicado para a interligação de redes através de um
backbone – nesse caso, o backbone deste tipo de redes
é justamente o cabo de fibra óptica duplo, com
configuração em anel FDDI, ao qual se ligam as sub-
redes. FDDI utiliza uma arquitectura em anel duplo.
FOIRL
• A norma FOIRL (Fiber Optic Inter-Repeater Link) foi
publicada em 1989 pelo IEEE, com
• o objectivo de permitir a ligação de segmentos Ethernet
remotos até uma distancia de 1000 m.a
• especificação original permitia apenas a ligação de dois
repetidores, e os fabricantes. Modificaram o sistema
para permitir ligar mais segmentos, bem como estações
de trabalho. Essas
• mudanças foram incorporadas na norma 10BASE-F,
descrita a seguir, que veio para substituir o
• FOIRL.
• 10 BASE FL uma versão actualizada do padrão FOIRL
• 100 BASE FX 100 Mbit/s Ethernet sobre fibra óptica.
Usando fibra óptica multimodo 62,5 microns têm o
limite de 400.
• 1000 BASE SX um GBIT/s sobre fibra.
• 1000 BASE LX um GBIT/s sobre fibra . Optimizada para
distâncias maiores com fibra mono-modo.
10 BASE FL
Topologia física em estrela comprimento máximo(sem
repetidores) de 2000m 4 repetidores no máximo
1 máquinas por segmento, no máximo cabo de fibra óptica
com conectores ST uso em backbones e sistemas
terminais.
100 BASE-FX
• 100BASE-FX é uma versão da Fast Ethernet com fibra
óptica. É usado uma luz infra vermelho (NIR) com
comprimento de onda de 1300 nm transmitida por duas
vias de fibra óptica, uma para recepção (RX) e o outro
para transmissão (TX). O comprimento máximo da fibra
é de 400 metros (1.310 ft) para conexões half-duplex
(para ter certeza que colisões podem ser detectados) ou
2 quilómetros (6.600 ft) para Full-duplex usando o cabo
de fibra óptica multimodo.
Para distâncias mais longas é necessário o uso de
fibra óptica monomodo. 100BASE-FX usa a mesma
codificação da rede 100BASE-TX que é 4B5B e NRZI.
100BASE-FX pode usar os conectores do tipo SC, ST,
ou conectores de MIC com SC que é a opção mais
usada.
1000 BASE-SX

• Nesta tecnologia entra o uso de fibras ópticas nas redes,


e é recomendada nas redes de até 550 metros. Ela
possui a mesma tecnologia utilizada nos CD-ROMs, por
isso é mais barata que a tecnologia 1000baseLX, outro
padrão que utiliza fibras ópticas.
• Ela possui quatro padrões de lasers. Com lasers de 50
mícrons e frequência de 500 MHz, o padrão mais caro, o
sinal é capaz de percorrer os mesmos 550 metros dos
padrões mais baratos do 1000BaseLX. O segundo
padrão também utiliza lasers de 50 mícrons, mas a
frequência cai para 400 MHz e a distância para apenas
500 metros. Os outros dois padrões utilizam lasers de
62.5 mícrons e frequências de 200 e 160 MHz, por isso
são capazes de atingir apenas 275 e 220 metros,
respectivamente. Pode utilizar fibras do tipo monomodo
e multimodo, sendo a mais comum a multimodo (mais
barata e de menor alcance.
1000BASE-LX
1000BASE-LX

• Esta é a tecnologia mais cara, pois atinge as maiores


distâncias. Se a rede for maior que 550 metros, ela é a
única alternativa. Ela é capaz de atingir até 5km
utilizando-se fibras ópticas com cabos de 9 mícrons.
• Caso utilize-se nela cabos com núcleo de 50 ou 62.5
mícrons, com frequências de, respectivamente, 400 e
500 MHz, que são os padrões mais baratos nesta
tecnologia, o sinal alcança somente até 550 metros,
compensando mais o uso da tecnologia 1000baseSX,
que alcança a mesma distância e é mais barata.
ATM
ATM - o modo de transferência assíncrono

• ATM (Asynchronous Transfer Modo,) ou seja modo de


transferência assíncrono) é uma tecnologia de rede
recente, que, contrariamente Ethernet, token ring, e
FDDI, permite transferir simultaneamente sobre uma
mesma linha dados e da voz.
• ATM foi posto ao ponto ao CEM. Contrariamente às
redes sincrónicas (como as redes telefónicas) onde os
dados são emitidos de maneira sincrónica ou seja que a
banda concorrida é repartida (multiplexado) entre os
utilizadores de acordo com um corte temporal, a rede
ATM transfere os dados de maneira assíncrona, o que
significa que o transmite logo que puder.
• Enquanto que as redes sincrónicas não emitem nada
quando um utilizador não tem nada a emitir, a rede ATM
vai utilizar estes brancos para transmitir outros dados,
garantindo assim melhor uma banda concorrida!
• De mais, as redes ATM emitem unicamente pacotes sob
a forma de células de um comprimento de 53 bytes (5
bytes de rubrica e 48 bytes de dados) e compreendendo
identificadores que permitem conhecer designadamente
a qualidade de serviço (QOS, Quality Of Service). A
qualidade de serviço representa um indicador de
prioridade dos pacotes de acordo com o débito actual da
rede.
• ATM permite assim transferir dados à uma velocidade
que vai de 25 Mbps mais de 622 Mbps (é previsto
mesmo obter mais 2Gbps sobre fibra óptica). Os
equipamentos necessários para redes ATM caros, estes
são utilizados essencialmente pelos operadores de
telecomunicação sobre linhas longa distância.
• Trabalho elaborado:

Elsa Ribeiro