Você está na página 1de 38

INTER + AÇÃO = AÇÃO ENTRE

DOIS AGENTES
Vitadini

Situar-se no espaço-tempo. Campo de ação


comum entre os sujeitos. A ação de um
sujeito influi no desenvolvimento da ação do
outro.
Na comunicação:

Duas ou mais pessoas têm contato direto.


Mediação comum onde todos podem agir.
Sendo assim,

É o aumento do diálogo entre o emissor e o


receptor da informação televisiva através do
aprimoramento dos recursos audiovisuais.
INTERATIVIDADE ≠ INTERAÇÃO

CONTATO INTERPESSOAL X CONTATO


MEDIADO
A MÁQUINA É A FRONTEIRA ENTRE AS DUAS
PALAVRAS

A INTERAÇÃO OCORRE DIRETAMENTE ENTRE


DOIS OU MAIS ENTES ATUANTES,

JÁ A INTERATIVIDADE É NECESSARIAMENTE
INTERMEDIADA POR UM MEIO ELETRÔNICO
FEEDBACK

REATIVIDADE ≠ INTERATIVIDADE

REGISTRAR A REAÇÃO X HAVER RESPOSTA


GENUÍNA
Cinco elementos que caracterizam o sistema
como interativo:
1- Interruptabilidade: um ícone que dá autonomia ao usuário de suspender a
comunicação. Aqui, a pessoa tem liberdade de cortar ou retornar o processo de acordo
com sua vontade.

2- Granularidade (stand-by): é uma resposta que o sistema deve emitir para o usuário
após ter suspendido o fluxo de informações.

3- Degradação graciosa: quando o sistema não tem resposta para uma indagação, a
operação não pode acabar, o usuário deve ter opções de ajuda para encontrar a resposta
desejada.

4- Previsão Limitada: O sistema deve se programar para diferentes tipos de


indagações, procurando contextualizá-las.

5- Não-default: pode ser considerado como o princípio maior de liberdade na


interatividade, ou seja, nele não há barreiras que impeçam a movimentação e escolhas
do usuário dentro do sistema
Fatores fundamentais para que a
interatividade aconteça:
1. Velocidade - é o tempo em que o sistema leva para dar a resposta do
comando sugerido pelo usuário.

2. Amplitude - é um fator que diz respeito às possibilidades que o sistema


oferece para que o usuário interfira no ambiente. Ele determina o grau de
intimidade e abertura que o usuário tem com o aplicativo.

3. Mapeamento - é o elemento que vai determinar o acesso fácil do usuário


aos comandos dos aplicativos. O mapeamento possibilita a relação
homem/ambiente.
Modelo de
comunicação de
massa
X
Situações
diferentes nas
novas mídias
INTERAÇÃO SOCIAL X INTERAÇÃO TÉCNICA
(LEMOS)
 POSSIBILIDADES DE APROPRIAÇÃO E DE
PERSONALIZAÇÃO DA MENSAGEM

 A RECIPROCIDADE NA COMUNICAÇÃO

 A VIRTUALIDADE

 A IMPLICAÇÃO DA IMAGEM DOS PARTICIPANTES


NAS MENSAGENS

 A TELEPRESENÇA
EVOLUÇÃO DA
INTERATIVIDADE
Diferentes estágios que a televisão vem
proporcionando:

Nível 0: a TV em preto e branco, com apenas um ou dois canais. A


interatividade aqui, se limita à ação de ligar ou desligar o aparelho, regular
volume, brilho ou contraste. Com dois canais, só resta apenas acrescentar a
possibilidade de mudar para outra emissora.

Nível 1: aqui aparece a TV em cores e outras opções de emissoras. O controle


remoto vai permitir que o telespectador possa zappear, isto é, navegar por
emissões e pelas mais diversas cadeias de TV, instituindo uma certa autonomia
da “telespectação”. O zapping é assim um antecessor da navegação
contemporânea na Web.
EVOLUÇÃO DA
INTERATIVIDADE
Nível 2: é o estágio em que alguns equipamentos juntam-se à televisão,
como: o vídeo, as câmaras portáteis ou as consoles de jogos eletrônicos. Isso
permite que o telespectador se aproprie do objeto TV, tendo a oportunidade de
ver vídeos ou jogar, e das emissões, gravando e assistindo o programa na
hora que quiser. Aplica-se aqui uma temporalidade própria e independente do
fluxo das mesmas.

Nível 3: neste nível aparecem sinais de uma interatividade com definições


digitais. O público pode interferir no conteúdo emitido a partir de telefone, fax
ou e-mail.

Nível 4: é a chamada “televisão interativa”. Possibilita a participação do


telespectador no conteúdo por meio da rede telemática, em tempo real. O que
permite a escolha de ângulos e câmeras, e etc.
NOS DIAS
DE HOJE
- Fantástico (vídeos) EXEMPLOS:
- Intercine (escolhe filme)

- Jogo de futebol (manda comentários)

- Pânico (super leilão)

- Jornal Hoje (tema da reportagem)


REATIVO
COM A TV
DIGITAL
“As novas tecnologias têm possibilitado
transformações significativas na posição
de quem recebe os produtos
jornalísticos, fazendo com que
extrapolem a noção única de 'receptor',
para assumir uma posição atuante e
participativa frente aos meios de
comunicação, que deixam de ser
centralizados e unidirecionais.”

~ Lidiane Ramirez
TV DIGITAL
- Além de quantitativa, as mudanças são
qualitativas.

- O formato da mensagem foi alterado, além de


textos; imagens, sons, fotografias, etc, podem ser
enviados aos veículos.

- A produção e veiculação de notícias não está


totalmente nas mãos do receptor, mas os telejornais
conseguem dar maior cobertura às pautas do
cotidiano
TV DIGITAL
A TV interativa também recebe denominações de
acordo com os tipos de serviços disponíveis:

Enhanced TV: consiste na disponibilização de informações


adicionais à programação da televisão. Os dados são enviados
juntamente com o sinal de vídeo, podendo ou não ser
acessados.

Individualized TV: muitas vezes classificadas como Enhanced


TV, estas aplicações oferecem uma experiência personalizada a
quem assiste TV. O termo engloba aplicações que permitem ao
usuário a escolha de ângulos de câmera e a possibilidade de
visualizar replays de cenas.
TV DIGITAL
Personal TV: é usado para aplicações de PVR (Personal Vídeo
Recorder), que é o gravador digital de vídeo. A função consente
receber dados da programação, atuando em conjunto com Guias
Eletrônicos de Programação, de forma a permitir a gravação de
programas.

Internet TV: aplicações de e-mail, chat, navegação Web, enfim,


serviços de Internet aplicados para a televisão.

Play TV: são aplicativos de vídeo-game na TV. Jogos multiusuários e


monousuários fazem sucesso em computadores e consoles e se
espera que essa mesma performance se repita na TV Interativa.

Banking & Retail TV: são aplicações de banco e comércio eletrônico


aplicadas para a televisão. Já as aplicações de comércio eletrônico
pela TV, também chamadas de t-commerce, possibilitam desde uma
simples requisição de catálogo até a compra efetiva do produto.
TV DIGITAL
Educational TV: são aplicações voltadas para a educação,
seja ela para ensino fundamental, médio ou superior.

Community TV: aqui estão os serviços de interesse


comunitário, como votações e veiculação de informações.

Global TV: designa o acesso, sob demanda, à programação


internacional com tradução automática de idiomas.
TV DIGITAL
IMPACTOS DA NOVA TECNOLOGIA:

- Mais acesso ao conteúdo

- Mais conteúdos oferecidos, com novos formatos

- Conteúdo mais dinâmico

- Novos caminhos para educação e saúde

- Desafios para chegar a toda a sociedade

- Reformulação do mercado
ENHANCED TV

Figura 1. Menus presentes na demonstração de interatividade em TV Digital


ENHANCED TV

Figura 2. Opção de complemento da reportagem exibida


ENHANCED TV

Figura 3. Diagrama de funcionamento da demonstração


ENHANCED TV

Figura 4. Controle Remoto – Mapa de Interação


 INTERATIVIDADE É ASSUNTO DA MODA

 OBJETO DE ESTUDO AINDA EM CONSTITUIÇÃO,


ONDE OS ESTUDIOSOS DISCORDAM NAS IDEIAS

 CARACTERÍSTICAS INÉDITAS

 AINDA NÃO POSSUI UM CONCEITO PRECISO E


UNÂNIME DE SUA SIGNIFICAÇÃO

 É COMO SE FOSSE UM DESDOBRAMENTO OU


UMA ADAPTAÇÃO DO TERMO INTERAÇÃO
Referências:
• - Valdecir Becker _ TV Digital e a Interatividade: Impacto na
sociedade

• - Anais do I Simpósio de Comunicação e Tecnologias Interativas

• - Lidiane Ramirez _ O telespectador multimídia: as implicações do


jornalismo participativo no telejornalismo

• - Deisy Fernanda, Kellyanne Alves e Pedro Nunes _ Conceitos de


interatividade e suas funcionalidades na TV digital

• - Fernando Crocomo _ TV Digital interativa

• - Luciana Mieiniszuh _ Considerações sobre interatividade no


contexto das novas tecnologias