Você está na página 1de 33

Profa.

Patricia Zeni Marchiori - UFPR/DECiGI


pzeni@ufpr.br

Bibliotecas e sistemas de
informação
políticas de acervo/acesso em ambiente
virtual
III Seminário de Políticas de Preservação de Acervos
19 e 20 de junho/2001
Biblioteca Pública do Paraná - Curitiba
Sumário
 Sistemas de informação  Política de
virtuais desenvolvimento de
 Pontos críticos na relação coleções
acervo/ acesso
 Elementos a considerar
 Políticas para
– Suportes informativo- recursos digitais
documentários – aquisição
– Unidades de informação – custos/preços
– Usuários – outras considerações
– Fornecedores – comprometimento da
– Profissionais de instituição
informação  Consenso ?
Sistemas de informação
virtuais/digitais/eletrônicos

Proposta/estrutura de acesso a
recursos de informação locais e/ou
remotos, de material informativo
(referencial ou de texto inteiro)
utilizando-se a tecnologia de redes
Sistemas de informação
virtuais/digitais/eletrônicos
Organizações que oferecem recursos de informação
pessoal especializado
 selecionar
 estruturar
 oferecer acesso intelectual
 interpretar
 distribuir
 preservar a integridade
 garantir a permanência temporal de coleções de material digital

 disponibilizar de forma rápida e econômica


 estimular o uso
Sistemas
comprometidos com preservação de
suportes informativos

 bibliotecas
 arquivos
 sociedades históricas
 museus
 outrasorganizações culturais
 fornecedores de dados/informações privados
tecnologia
Sistema de informação Sistema de informação
como como
ARMAZENADOR INTERMEDIÁRIO

coleções impressas e  uso de redes e


em outros suportes documentos digitais

valordo sistema =
 valor do sistema =
acervo +
tamanho da coleção
disponibilidade de
acesso
desenvolvimento de
coleções = just in case  desenvolvimento de
coleções = just in time
Pontos críticos na relação acervo/
acesso

 garantir a credibilidade do sistema de


informação
 reordenar o orçamento
 reter (ou não) o recurso
 compartilhar o recurso
 obedecer a padrões/procedimentos
 mudar a avaliação de desempenho do sistema
 custo, tempo de resposta, pertinência e
confiabilidade
Desdobramentos

 revisão/criação de Políticas (internas e


externas)
 estruturas de gerenciamento
 para:

– coleta
– tratamento
– armazenagem
– distribuição
– conservação/preservação
Elementos a considerar

 Suportes informativo-documentários
 Unidades de informação
 Usuários
 Fornecedores
 Profissionais de informação
Suportes informativo-documentários

potencialmente
 “sociedade sem papel”
 acesso globalizado de forma online
 digitalização de documentos
 qualidade e integridade das informações
disponíveis em rede
 documento = entidade que carrega uma
informação
Suportes informativo-documentários

questionamentos
 tipos de suportes
Integridade de um “objeto/recurso digital”
– conteúdo, “fixação”, referência, proveniência e contexto
 condições de acesso
 negociação de direitos autorais
 modelos econômicos
 disponibilidade e possibilidades financeiras
 garantia da permanência da informação
 segurança, integridade

 arquivamento/preservação
Unidades de informação

potencialmente
 amplas condições de busca, acesso e
distribuição de informações
 “sinergia” de acervos
 transferência de arquivos (texto, som,
imagem...) remotamente
Unidades de informação

questionamentos
 investimento em hardware, software, redes
 acordos de compartilhamento de recursos
 formatos, padrões e procedimentos.
 qualidade da interface em rede
– interoperabilidade,
– adaptabilidade
– durabilidade
Usuários

potencialmente
prescindem da intermediação das unidades
de informação
obstáculos:
tempo & energia
filtragem & avaliação
“tradução” da demanda para o sistema
Usuários

questionamentos
usuários remotos e anônimos
serviços de referência “via rede”
modelos/interfaces de apresentação de dados
multiculturais
multilíngues
sob medida
demandas de qualidade
espaço, tempo de resposta, conveniência, segurança,
abrangência, facilidade e rapidez de acesso
Fornecedores de informação

domínio
fontes de informação
formatos
hardware e software
licenciamento
direitos autorais
Profissionais de informação

(re)definição de políticas
objetos digitais
seleção, “compra”, licenciamento, armazenamento,
conversão, distribuição, treinamento
 acordos com a indústria editorial/de informação
sistemas de informação “em rede”
mais tempo/efetivas que a Internet
redes “tipo” Internet:
canal de distribuição de informação
acesso à informação (cuidadosa avaliação)
Política de desenvolvimento de
coleções

 prática padrão em bibliotecas e outros sistemas


de informação
– declaração pública de intenções do sistema quanto à
extensão e profundidade do material que pretende
coletar, de acordo com determinadas áreas de
assunto ou formatos físicos
 instrumentos úteis na determinação da utilidade
e do propósito relativo de uma coleção, e como
instrumento para ações e propostas de
cooperação
Políticas para recursos digitais

 missão do sistema de informação


– atender às necessidades de informação do
usuário
– integrar o usuário aos produtos e serviços do
sistema
– coletar, preservar e permitir acesso às
coleções
– estabelecer uma política coerente e racional
para a aquisição de cada recurso
Políticas para recursos digitais

 recursos digitais
– coleção como “qualquer outra” ?
– critérios de seleção e guarda = coleções tradicionais =
garantia:
disponibilidade à longo prazo
preservação contra danos e deterioração
mudança de formato/material (conteúdo intelectual)
Exemplo - Digital Library SunSITE

o que é”coleção” ?
– distintos níveis de comprometimento com a
preservação
 Archived
 material hospedado que a biblioteca se compromete a
garantir o conteúdo intelectual de forma permanente.
 Served
 material hospedado. A biblioteca não se comprometeu,
ainda, com qualquer nível de preservação
Exemplo - Digital Library SunSITE

 Mirrored
 cópia de material que está hospedado em outro lugar e
que a biblioteca não se compromete a arquivar.
 Linked
 material hospedado em qualquer outro lugar e a
biblioteca apenas “aponta” sua existência. Além disto, a
biblioteca não tem qualquer controle sobre esta
informação
 a política da biblioteca pode “elevar” os materiais à
outras categorias de preservação, conforme suas
necessidades
Políticas para recursos digitais
 atores:
– curadores
– especialistas em conteúdo
– especialistas em aspectos técnicos
– parceiros
– fornecedores
 plano estratégico
 revisão da política:
 atualizaçãoem tecnologias
 aprendizagem por experiência
Políticas para recursos digitais

 definições de procedimentos para:


– recurso digital criado na instituição
– versões digitais de recursos
(reformatação/conversão)
– recurso digital adquirido pela instituição (compra ou
doação)
 licenciamento

– recurso digital que representa recurso digital


(metadado)
 que não será preservado em nenhum outro lugar
Aquisição

prioridade
– aquisição do formato digital que oferece “economia de
escala”
– quando oferece valor agregado ao equivalente em papel, tais
como:
 acesso mais rápido;
 mais conteúdo;
 mais “funcional”
 acesso mais amplo (rápido, remoto e a qualquer hora)
 compartilhamento - ubiqüidade;
 facilidade de arquivamento, substituição e preservação
Custos e preços

 recurso eletrônico
– mais barato que sua cópia impressa análoga
 a menos que haja substancial valor agregado
 fornecedores
– desencorajados a aumentar seus preços em função do
investimento em outras tecnologias e formatos
– múltiplos formatos disponíveis - pagamento único
– mobilizar-se e reagir contra a ”venda casada”
– quanto do total custo/preço é atribuído à:

(1) licenciamento do conteúdo


(2) provimento de acesso
Custos e preços

 investimento e riscos no desenvolvimento de novos produtos de


informação
– locais e os usuários para os testes e estudos-piloto
– infra-estrutura, mecanismos de disseminação de informação,
treinamento e suporte
licenças
– tamanho da comunidade que realmente usa os recursos
digitais
– real uso registrado (uso simultâneo ou licenciamento com
base em transações)
não
– no tamanho total de usuários da instituição
Outras considerações

licenciamento
• integrado com o sistema automatizado da
instituição
• não restritivo (reformatações - preservado o
conteúdo)
funcionalidade
• formato dos dados
• padronizados - documentados e multi-plataformas
Outras considerações

• instrumentos de auxílio à tomada de decisão


• análise de riscos - monitoramento de uso - modelos de
custos
• estratégias de manutenção das coleções digitais
• temporalidade - critérios instituicionais, governamentais e
dos possíveis consórcios
• registro - formato não proprietário
 versões - com a mais alta qualidade do registro
 cronograma de verificação de integridade

 cronograma de migração

• backups - online e/ou offline


• monitoramento
• sites espelho
Comprometimento da instituição
 infra-estrutura técnica
– compra, manutenção e atualização de equipamentos
– monitoramento da obsolescência de
software/hardware
– conexão em rede
 recursos financeiros
• métodos e estratégias para financiar o programa
• comprometimento a longo prazo
 recursos humanos
• contratação, treinamento e reciclagem
.
Consenso ?

grande parte dos temas e


situações aqui tratadas não
estão totalmente definidas ou
entendidas
.
Consenso ?

as políticas e encaminhamentos neste


sentido são pontos de partida em um
processo que exigirá muito mais
discussão, testes e colaboração entre
os interessados antes que seja
considerado completo.
Bibliografia consultada

 http://www.clir.org/pubs/issues/issues04.html#dlf
 Columbia University Libraries / Policy for Preservation
of Digital Resources / July 2000
http://www.columbia.edu/cu/libraries/services/preservat
ion/dlpolicy.doc
 University of California Libraries / Collection
Development Committee / May 22, 1996
dfarrell@library.berkeley.edu
 Digital Library SunSITE Collection and Preservation
Policy / c. 1996 - manager@sunsite.berkeley.edu