Você está na página 1de 16

O trabalho escravo no

Brasil: I Parte
• Escravidão indígena
–Inicio
–Colonização;
–Coleta do pau-brasil;
–Escambo - Troca por produtos
que não produziam
– Locais: Nordeste e São Paulo
(que persistiu até início do séc.
XVII);

Histórico:
• Jesuítas (Catequização);
• Senhores (Bandeirantes)
• Transição para mão de obra africana:
• Dificuldades na escravização:
epidemias em 1562 matando 60 mil
índios
• Falta de habilidade técnica para
agricultura
• Custo de aquisição mais alto

Tipos de escravização
• Plantio de cana-de-açúcar em
condições favoráveis: aceitação na
Europa, clima e solo apropriados e
região próxima da Europa
• Comércio com África favoreceu
captura de escravos pelos
portugueses
• Alianças com chefes tribais
africanos - escambo

Escravidão Negra
• Escravidão já era uma instituição
conhecida na África - ponderar entender x
justificar
• Igreja se posiciona contra a escravidão do
índio
• Maioria do Congo-Angola
• Ver mapa golfo do Guiné
• Uso da guerra para a captura
• Mudança de perspectiva no estudo: deixa
de ser uma instituição econômica mas
culturalmente e socialmente também
Escravidão Negra
Engenhos - plantação e
moagem da cana
Minas - extração de ouro
Fazendas de Café

Principais locais do uso da mão de


obra escrava negra
• Unidade Básica de
resistência de escravos
• Desgaste do regime servil

Quilombos:
O mais importante quilombo do período colonial
chegou a concentrar mais de 20 mil negros,
fugitivos das fazendas da região que se
negavam a obedecer às ordens dos senhores
brancos. Ocupando uma extensa área entre
Pernambuco e Alagoas, Palmares se constituiu
numa confederação de mocambos -
aldeamento de escravos evadidos - organizada
sob a direção de um chefe guerreiro. Zumbi,
que substituiu Ganga-Zumba depois deste
assinar um acordo com o governador Pedro de
Almeida, foi o maior líder da resistência.

Quilombo dos Palmares


– Em Palmares, além de escapar da escravidão, os negros
refugiados tentavam recuperar suas raízes culturais. Eles
plantavam, criavam porcos e galinhas e até produziam
excedentes agrícolas, e essa fartura de alimentos lhes
possibilitou resistir aos ataques das autoridades coloniais
durante cerca de 100 anos - de 1590, quando surgiram
as primeiras notícias dos ajuntamentos, a 1694, quando
o quilombo foi destruído. Zumbi, ferido, escapou do
ataque e continuou a resistência, mas foi traído por seu
homem de confiança e morto no ano seguinte.
Decepado, sua cabeça foi enviada a Recife e exposta em
praça pública. Com sua morte sepultou-se o sonho de
liberdade daqueles ex-escravos. A abolição da
escravatura no Brasil só ocorreria em 1888.

Quilombo dos Palmares


• Institucionalização da figura do
capitão-do-mato
• Definição de quilombo como qualquer
ajuntamento composto de alguns
poucos escravos fugitivos
• Tolhido, já no nascedouro, a formação
de comunidades rebeldes com as
proporções de Palmares

Por que só o Quilombo dos


Palmares?
•A partir de fim do século XVII
=> o sistema escravista
brasileiro passou a escorar-se
em uma estreita articulação
entre tráfico transatlântico de
escravos bastante volumoso e
número constante de alforrias.
• Por quê?

Tráfico de Escravos
• escravidão não deve ser definida como um
status, mas sim como um processo de
transformação de status que pode prolongar-se
uma vida inteira e inclusive estender-separa as
gerações seguintes. O escravo começa como um
estrangeiro [outsider] social e passa por um
processo para se tornar um membro [insider].
Um indivíduo, despido de sua identidade social
prévia, é colocado à margem de um novo grupo
social que lhe dá uma nova identidade social. A
estraneidade [outsidedness], então,é sociológica
e não étnica.

Definição de Escravidão:
• Atrelamento da produção brasileira
aos centros mercantis do Norte da
Europa
• Articulação do tráfico de escravos
entre África e Brasil.
• Em 1580 e 1620, quando o
crescimento acelerado da produção
brasileira ultrapassou todas as outras
regiões abastecedoras do mercado
europeu.

Passos para a consolidação do


tráfico:
• Mais de mil cartas de alforrias
examinadas, houve uma proporção
constante de duas mulheres libertadas
para cada homem.
• Outra constatação é que os privilegiados
do ponto de vista estatístico foram os
escravos nascidos no Brasil, isto é, os
crioulos e, sobretudo, os pardos: este
grupo constituiu 69% do universo das
alforrias, contra apenas 31% de africanos
libertados.

Pesquisa:
Enviam-se os escravos para o trabalho
longo ao nascem do sol. A frescura da
manhã parece-lhe seres muito mais
desagradável, do que o grande calor do
dia, eles ficam entorpecido até que o calor
do sol, erguendo-se, os queime com o
calor dos seus raios.
Expansão Marítima
Descobrimento do Brasil
Organização Administrativa na colônia
Funções da colônia para a Metrópole
Relações luso-indígenas
Matriz Africana
Escravidão

Material sobre escravidão no blog:


http://historianoeinstein.blogspot.com

Matéria do Provão