Você está na página 1de 11

A Verdadeira Religião

Ligue o som
Setembro é o mês da BÍBLIA.
Um momento privilegiado para ler a Palavra de Deus,
é na celebração com a comunidade...

As leituras de hoje nos convidam a refletir sobre a "LEI".


Deus quer a vida plena para o homem e, nesse sentido,
propõe a sua "Lei" e o modo como ela deve ser observada.
Na 1ª Leitura,
MOISÉS entrega ao Povo a Lei de Deus,
no seu discurso de despedida,
antes da entrada na Terra Prometida. (Dt
4,1-2.6-8)
- A "Lei" de Deus representa uma
sabedoria desconhecida pelos
outros povos, um meio de viver
a Aliança de amizade com Deus,
e assim chegar à Terra Prometida...

- A "Lei" de Deus é um caminho


seguro para a felicidade plena.

Por isso, recomenda ao povo que


a acolha e se deixe guiar por
ela.
Insiste também em não adulterar
a Palavra de Deus por
interesses pessoais.

* A Lei interpreta as necessidades


fundamentais do homem.
Observando-a, ele se realiza
como pessoa humana e
como criatura de Deus.
Na 2ª leitura:
SÃO TIAGO lembra:

“Sede cumpridores
da Palavra, e não
meros ouvintes…”

(Tg 1,17-18)

* O CRISTIANISMO:
- não é apenas Culto dominical,

é também vida profissional, social, familiar...


- é viver com fidelidade a Lei escrita nos Mandamentos de Deus,
nas exigências do Evangelho, nos Preceitos da Igreja,
- é viver com autenticidade a Lei escrita no coração de cada um.
A Lei que cada um tem escrita na própria Consciência...
E como é esquecida facilmente essa lei!...
No Evangelho,
temos a atitude de CRISTO
diante da Lei. (Mc 7,1-8.14-15.21-22)
- Os fariseus, que tramavam
contra a vida de Cristo,
eram profundamente exigentes
na observância externa das leis,
e se escandalizaram porque os
apóstolos não faziam os ritos
de "purificação" prescritos pela
lei e tradições, antes de comer...
- Cristo denuncia

o espírito mesquinho deles:


"Hipócritas... Este povo
me louva com os lábios,
mas o seu coração
está longe de mim”
- Cristo nos alerta que a
VERDADEIRA RELIGIÃO

não é apenas a observância


externa da Lei.

Deus não quer de nós apenas


um culto puramente exterior...
mas que corresponda
ao "Culto do coração".

Não quer uma religião que pára


no ritual, no formalismo exterior,
mas penetre o interior do
homem, para
transformar suas ações...

- Esse texto reflete a situação


vivida na Comunidade de Marcos,
devido às leis e tradições
judaicas, que deviam ser
abandonadas diante da
A LEI
um CAMINHO, não um fim.
A "Lei" tem o seu lugar

numa experiência religiosa,


enquanto sinal indicador

de um caminho a percorrer,

para realizar o projeto de Deus.


A verdadeira religião

não se resume no cumprimento


formal das "leis",
mas num processo de conversão
que leve o homem à comunhão

com Deus e a viver numa real


partilha de amor com os irmãos.
A Lei o que é para nós?
- Um TABU... um estraga prazeres,
que toleramos com dificuldade...

- Ou um CAMINHO, no qual
percorremos com alegria,
porque sabemos para onde
nos conduz com segurança?
- Nos contentamos apenas
com a PRÁTICA EXTERNA,
uma religião de tradição?
- Ou procuramos ter sempre um
coração disponível à voz de Deus
e à voz de nossa consciência?
- Temos um coração aberto
às renovações justas,
sabendo distinguir
a Lei de Deus e as Tradições,
o Perene e o Transitório?
Cristo veio
para nos libertar
de uma religião exterior,
e nos levar
a uma religião interior...
"em espírito e verdade..."

E Nós?
- Praticamos uma Religião
como a dos fariseus,
perfeita nas expressões externas,
mas vazia por dentro?
- ou a verdadeira Religião
proposta por Jesus,
onde os ritos têm o seu lugar,
mas como expressão
dum verdadeiro compromisso
com o Reino de Deus?
Aos fariseus de hoje,
Cristo continua
denunciando:

"Este povo

me honra
com
os lábios,
mas o coração
deles
está longe de mim!"

Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa