Você está na página 1de 31

Instituto de Ciências da Saúde

Curso – Fisioterapia
Disciplina: Citologia – Aulas 03 e 04

BASES MACROMOLECULARES DA
CONSTITUIÇÃO CELULAR

Professor MSc Carlos Henrique de Freitas


I - Bases da vida
•Átomos: CHON
•Substâncias:
b1) Inorgânicas: não contém carbono (C) e são
encontradas em fontes naturais. Ex: água e sais
minerais (Ca, P, Fe, Na, K, etc).
b2) Orgânicas: contém C e são encontradas
apenas ligadas a seres vivos (células e tecidos).
Formam macromoléculas que são polímeros
constituídos pela repetição de monômeros. Ex:
carboidratos ou glicídios; lipídios; proteínas;
ácidos nucléicos e vitaminas.
II – Substâncias inorgânicas constituintes das
células e suas funções:

c) Água:
Molécula:

Ilustração: Junqueira & Carneiro (2005).


As substâncias podem ser: hidrofílicas ou
hidrofóbicas.
Características e funções:
- Solvente universal;
- Suporte ás reações químicas (dispersante e
reagente - metabolismo);
- Compõe a maior parte da matriz extracelular e
fluídos do corpo (plasma sangüíneo, líquido
sinovial, líquor, humor aquoso, etc);
- Alto calor específico, latente e de vaporização
(controle térmico);
- Capilaridade (fluidez);
- Etc.
b) Sais minerais: podem ser encontrados
dissolvidos sob a forma de íons (Na+, K+ Ca++, Cl-)
ou imobilizados (CaHPO4, CaCO3, hidroxiapatita).
Outros exemplos e funções:

Paulino (1998)
III – Substâncias orgânicas:

a) CARBOIDRATOS: são moléculas formadas por carbono


associado a átomos de hidrogênio e oxigênio.
São divididos em:

1) Monossacarídeos: são carboidratos formados de uma


molécula cuja fórmula geral é:

Cn (H2O)n Onde: n= 3 – 7

Exemplos mais importantes:


•Pentoses: Desoxirribose e ribose;
•Hexoses: glicose, frutose e galactose.
2) Dissacarídeos: formados pela união de duas
moléculas de monossacarídeos com a perda de
uma molécula de água. Exemplos: sacarose,
maltose e lactose.

3) Polissacarídeos: formados pela união de três ou


mais moléculas de monossacarídeos. Síntese por
desidratação.
Exemplos: amido (centenas de glicoses, reserva
energética vegetal); glicogênio (reserva energética
animal). Estruturais: heteropolímeros como as
glisaminoglicanas que formam proteoglicanas e
glicoproteínas.
Monossacarídeos e dissacarídeos:

Arms & Camp (1995)


Amido e
glicogênio.

Arms & Camp (1995)


do glicogênio:
Esquema plano

Ilustração: Junqueira & Carneiro (2005).


b) Lipídios : compostos orgânicos extraídos de
células e tecidos por solventes orgânicos apolares
(éter, clorofórmio e benzeno).
São divididos em:

•Lipídios de reserva nutritiva: são as gorduras


neutras, formadas de ésteres de ácidos mais o
glicerol ou glicerina, formando os triglicerídeos
(álcool). Ocorrem comumente nos adipócitos.

2)Lipídios estruturais: são componentes das mem-


branas celulares (m. plasmática, carioteca, retículo
endoplasmático, lissosomos, etc). São complexos
formados de uma extremidade polar (hidrofílica) e
uma longa cadeia apolar (hidrofóbica).
Formação de um triglicéride:

Arms & Camp (1995)


Exemplos: Fosfoglicerídeos que formam a m.
plasmática e outras (fosfatidilcolina,
fosfatidiletanolamina). Esfingolípidios que
formam a bainha de mielina do tecido nervoso.
Glicolípidios e cerebrosídeos encontrados nos
tecidos nervosos. Colesterol: presente nas
membranas das células animais reduzindo sua
fluidez.
Arms & Camp (1995)
Fosfolipídios e
a membrana
plasmática:

Amabis & Martho (2001)


c) PROTEÍNAS: são longas cadeias formadas por
polímeros de aminoácidos (> 80 aa).

Suas funções gerais são:

 Compor a estrutura básica das células e


orgânulos;
 Atuar no metabolismo: enzimas;
 Defesa do organismo: imunoglobulinas.

Exemplos: actina e miosina, elastina, colágeno,


hemoglobina, albumina, etc.
- Estrutura das proteínas: o aminoácido

Paulino (1998)
Ilustração: Junqueira & Carneiro (2005).
dos 20

existentes.
- Moléculas

aminoácidos
Ilustração: Junqueira & Carneiro (2005).

Ligação peptídica

molécula de proteína.

Amabis & Martho (2001)


e
estrutura secundária da
- Estrutura
terciária
(funcional) da
molécula de
proteína.

Ilustração: Junqueira & Carneiro (2005).


protéica:
renaturação
- Desnaturação e

Ilustração: Junqueira & Carneiro (2005).


-Estrutura quaternária: fibrilas de colágeno for-
madas pela agregação de tropocolágeno (abaixo).

Ilustração: Junqueira & Carneiro (2005).


- Filamentos de queratina:

Ilustração: Junqueira & Carneiro (2005).


A ação enzimática das
proteínas –
Mecanismo de chave
fechadura:

E+S ES E+P

Onde:

Ilustração: Junqueira & Carneiro (2005).


E = enzima
S = substrato
P = produto
Doenças por falta de enzimas: fenilcetonúria,
galactosemia, doença de Tay-Sachs, etc.

As imunoglobulinas (Ig) ou anticorpos são


proteínas globulares de alto peso molecular
fabricadas pelos linfócitos B, que são as
principais células de defesa do organismo.
Exemplos: IgA, IgG, IgM, IgE, etc.
c) Ácidos nucléicos:
 Ácido desoxirribonucléico – DNA;
 Ácido ribonucléico - RNA.
Estrutura: Nucleotídeo

Ilustração: Junqueira & Carneiro (2005).


Bases púricas e pirimídicas:

Ilustração: Junqueira & Carneiro (2005).


-Molécula: RNA

Funções gerais:

-Executar as informações
contidas no DNA, através
da tradução (síntese de
proteínas).

Ilustração: Junqueira & Carneiro (2005).


Tipos:

- r-RNA: ribossômico;
- m-RNA: mensageiro;
- t-RNA: transportador.
-Molécula: DNA

Funções gerais:

- Controlar todas as ativi-


dades celulares através da
síntese dos diferentes
tipos de RNAs que serão
traduzidos em proteínas e

Ilustração: Junqueira & Carneiro (2005).


enzimas no citoplasma.

-Também tem a capacida-


de de autoduplicar-se,
portanto é hereditário.
- O modelo da dupla-fita (α- hélice)
do DNA- Watson & Crick (1953):

Ilustração: Junqueira & Carneiro (2005).


O DNA
também se
desnatura!
Principalmente
nas ligações
Fotomicrografia: Junqueira & Carneiro (2005).

AT!
e) Vitaminas:
conhecidas como
“aminas vitais” tem
composição
química variada,
podendo atuar
como cofatores
enzimáticos e em
diversas outras
funções. Veja a
tabela:

Amabis & Martho (2001)