Você está na página 1de 32

Doença Diverticular dos

Cólons
Prof. Eduardo Emerim
ULBRA
Definição
 Protrusão sacular da Mucosa
através da parede muscular do
Cólon

 Tipicamente com tamanho de 5 a 10


mm

 Pseudo Divertículo_Contém
somente mucosa e sumucosa
revestido por serosa.
Apresentações

 Diverticulose- Presença de
divertículo no cólon.
 Diverticulite-Inflamação de um
divertículo
 Sangramento
Tipos de Doença Diverticular
 Simples- 75%- não tem
complicações.

 Complicada- 25%
(abcessos/fístulas/obstrução/
peritonite/sepse)
 Forma Hipertônica-mais inflamação
 Forma Hipotônica- mais
sangramento
Epidemiologia
 Prevalência por Idade:
 Até 40 anos- 5%
 Até 60 anos- 30%
 Acima de 80 anos- 65%
 Prevalência por Gênero
 Até 50 anos: homens
 50-70- pouco > mulheres
 >70- mulheres
 Processo Natural do
Envelhecimento?
Epidemiologia

 Fatores Genéticos-
Controvérsia

 Tríade de Santi-
 Divertículos cólicos
 Hérnia de Hiato
 Colelitíase
Doença Diverticular em
Jovens (<40 anos)
 2 a 5% dos casos
 Mais comum em homens
 Obesos(84 a 96%)
 Sigmóide/ cólon descendente
 Mais grave?
 Maior necessidade cirurgia (50%
comparado com 30% para todos os
pacientes)
 Anderson et all-.J.R Coll Surg. Edinb. 1997
Fatores de Risco
 Dietas pobre em Fibras (RR 0.58)-
menos comum em vegetarianos
 Dieta rica em carnes vermelhas e
gorduras
 Risco reduzido com dieta rica em
fibras (celulose-Frutas e vegetais)

 Aldori et al-A prspective study of alcohol, smoking,caffeine and


the risk of syntomatic diverticular disease in men.Ann Epidemiol.
1995;5:221-8
História Natural

 Assintomático- 70%

 Diverticulite- 15 – 25%

 Sangramento-5 a 15%

 Young-Fadock et al-Current Prob Surg 2000


Fisiopatologia
 Diverticulose:
 Vasos retos- áreas onde eles
penetram---fraqueza da parede
 Herniação da mucosa e submucosa
 Pressão colônica aumentada-
segmentada-câmaras de pressão
 Sigmóide-parede com menor
diâmetro- Lei de Laplace-
Divertículos
Divertículos
Divertículos
Diverticulite

 Designa desde alterações


inflamatórias assintomáticas
até peritonite com perfuração.
 Causa:Obstrução luminal.
 Diverticulite simples:75% dos
casos
 Diverticulite complicada-25%
 (abcesso/fístula/complicações)
Diagnóstico
 Sintomas: dor abdominal em
quadrante inferior esquerdo(maioria)
 Dor à descompressão-Sugere
peritonite.
 Exame Físico:Dolorimento/massas

#Diagnóstico
Diferencial:Carcinoma/PNA/Colite
isquêmica/SII
Exames Diagnósticos:
 Hemograma-Leucocitose –VSG
elevado : inespecífico
 RX-Usualmente não específico-
Normal em 30 a 50% dos pacientes
 Pneumoperitônio- 11%
 Sinais mais comuns:Dilatação do
delgado ou cólon
 Obstrução
 Densidade de tecidos moles
sugerindo abceso
Diagnóstico

 Tomografia computadorizada
 Avalia Intestino e Mesentério
 Sensibilidade: 69 a 98%
 Especificidade- 75 a 100%
 Achados:
 Espessamento da parede
intestinal/Infiltração gordura
mesentérica/abcessos
Tomografia - achados
 Inflamação da gordura- 98%
 Divertículos -84%
 Espessamento da parede-70%
 Abcesso Pericólico: 35%
 Peritonite- 16%
 Fístula 14%
 Obstrução colônica 12%
[
 Hulnick et al- Radiology 1984;
Diagnóstico

 Outros:
 US-espessamento
 Enema- somente em casos em
que o diagnóstico está
obscuro.(Na Diverticulite)
 Colonoscopia- Relativamente
contra-indicado- Risco de
perfuração pela insuflação de ar
Complicações
Complicações
 Obstrução:
 Completa- Raro- 10% das causas de
obstrução
 Parcial:Edema/espasmo
Intestinal/alterações
Inflamatórias/Compressão por
abcessos
 Estenoses- secundária a fibrose pós
inflamatória-Diagnóstico diferencial
com neoplasias.
 *Hipertônica
Complicações:

 Abcessos:
 Sintomas: Febre/Leucocitose
em vigência de ATB, massa
 Tratamento:
 Pericólicos pequenos: 90%ATB
 Drenagem percutânea:
Tratamento escolha para
coleções bem definidas : 76%
resolução.
Complicações

 Perfuração
 Incomum
 Mais frequente pacientes
imunocompremetidos.
 Mortalidade : 35%
 Tratamento -Cirurgia
Complicações
 Fístulas:
 Mais comuns em homens.
 Imunocomprometido.
 Cirurgia abdominal prévia.
 Podem
ser:colovesical/colovaginal/
colocutânea/colointestinal.
 2% pacientes com diverticulite
complicada.
 Única
 Múltiplas: 8%
Complicações

 Fístulas
 Diagnóstico
 CT
 Enema com Bário
 Vaginoscopia
 Cistoscopia
 Fistulograma
Sangramento

Causa mais comum de sangramento


massivo.(30 a 50% dos casos)
70 a 80% casos param
espontaneamente
Associação com AINES
Mais comum cólon direito.
30% ressangram uma segunda vez
50% ressangram uma terceira vez
Sangramento
 Diagnóstico:
 Colonoscopia (30 a 40% negativa)-
permite terapêutica
 Angiografia- 1 a 1,3ml /min.
 Pode ser terapêutica)
 Cintilografia- 0,1 ml/min
 Tecnécio (rápido – meia vida curta)
 Hemácias marcadas
Sangramento

 Cirurgia:
 Indicações:
 Instabilidade hemodinâmica não
responsiva
 Transfusão de mais de 2.000 ml
(6 U)
 Hemorragia recorrente massiva
Manejo Diverticulite
 Ambulatorial:
 Dor leve/sem sintomas
sistêmicos
 -Dieta pobre em resíduos.
 Antibióticos (7 a 14 dias)
 Quinolona+metronidazol
 Sulfatrimetropim
 Observar Melhora em 48-72h
Manejo Diverticulite
 Internados-Pacientes com sintomas
sistêmicos severos
 Repouso Intestinal.
 ATB IV(Gram negativos e
anaeróbicos)
 Fluídos EV
 Analgesia –(Meperidina)
 Obs:Não administrar Morfina
 15 a 30% - Cirurgia (complicações)
Manejo Diverticulite
 Cirurgias;
 Eletivas
 1-Mais de 2 episódios de diverticulite
com hospitalização.
 2-Qualquer episódio de Diverticulite
com sintomaas obstrutivos ou com
diagnóstico diferencial entre câncer.
 Ressecção 6 a 8 semanas após
episódio agudo.
Manejo da Doença
Diverticular
 Dieta Rica em Fibras
 Formadores de Massa
 Evitar Alimentos que podem
bloquear o óstio diverticular
 Ex:milho, pipoca, nozes,
sementes(uva), amendoim...