Hoje somos espectadores de um grande naufrágio, não podemos só gritar, mas possivelmente lançar uma âncora de salvação. • Precisamos de conhecimento mútuo com o desejo de sair de nós para encontrar o Outro.

A nossa época pós-moderna tem as suas raízes e é bom que conheçamos donde viemos e quem somos.
O PROCESSO COMEÇOU COM A REVOLUÇÃO FRANCESA SOB O LEMA: IGUALDADE, LIBERDADE E FRATERNIDADE ILUMINISMO

Foi o pensamento que deu as ideias para as mudanças que nos acompanharam durante este dois séculos, ideias que deram bons e maus

Indicativos negativos são:
• • Excluir Deus da vida.

Ser verdade só o que pode ser demonstrado.

de ida al re ós ade A a p n id d r de mo

É o pecado de Adão e Eva

Emancipação:
• O homem é dono do seu destino, liberto de toda e qualquer dependência. • No iluminismo a luz da razão deve explicar tudo, abraçar com a razão toda a realidade, na sua totalidade.

A realidade da pós-modernidade
Ideologia:
•Presume ter a chave da ciência e quer dar sentido a toda a realidade e à vida de todos os homens. •Este sonho tão grande acaba por se confrontar com uma realidade trágica. No esforço de conduzir tudo às suas ideias procura dominar a história e a vida , assim as aventuras ideológicas conduzem-nos a formas de violência e de totalitarismo.

È o pecado de quem quer ser o maior: Caim

Aniquilamento:
•A emancipação levou a gente à guilhotina e a independência absoluta é causa de autodestruição. •Hoje o sentido da vida e das coisas está em crise. Não é só falta de sentido, mas, o que é pior, nem sequer existe o desejo de o encontrar.

A realidade da pósmodernidade

É o pecado do diluvio e da torre de Babel

O tr

s o da iunf

aras c más

Mentira em lugar da verdade
Não temos confiança na verdade que substituímos com a publicidade.

O homem não tem o gosto pela verdade. Andamos doentes da falta da paixão da verdade, não queremos o esforço de pensar.

É assim que nós pecamos
Desconfiança na justiça
... Substituímos o justo com o que nos convém.

Recusa a amar
... para confundir o vazio que nos atormenta.

Os valores de sempre
... substituídos por futilidades passageiras.

Horizontes fortes Cultura enraizada Estamos doentes pela Esperanças ausência de: verdadeiras Comunhão familiar e As consequências e a realidade do evoluir do iluminismo social Aproveitar-se
Gozar o momento presente é a única razão e motivação nas escolhas. Aproveitar o máximo com menor esforço

Contaminação
No tempo da razão e da ideologia tudo tinha valor, hoje tudo está contaminado, sujo e sem razão de existir. Em queda livre para o nada.

Frustração
O momentâneo não dá continuidade e cai-se assim na experiência do abandono e do nada. A vida não tem sentido.

É mesmo na outra margem

Tens que sair da tua maneira de ser para entrar no jogo de Jesus, para experimentar o seu olhar, o seu abraço de amizade.

O teu horizonte é sempre pequeno: o que amas, o que desejas, os teus prazeres e os teus ídolos ... Não vês um palmo à frente do nariz. Mais além há o horizonte infinito de Deus, o espaço da esperança.

No encontro com os outros ... na cara deles poderás ler a imagem de Deus. Surgirá a exigência do amor, uma personalidade fundada na gratuidade e no dom de si próprio.

Jo 4,24 – Rom 8,22 – Gal 6,15

Um cristianismo sem o compromisso da obediência é um cristianismo sem Cristo: é uma ideologia, é um mito.

A verdade é o Inocente

A verdade nunca serás um sistema lógico, um castelo de palavras

A verdade não é algo que possuímos
A verdade é Alguém que nos possui numa comunhão eterna

Mestre do Desejo
Temos que nos esclarecer: a religião cristã não é religião do tudo desvendado, do tudo manifesto. Desta presunção surgiu a ideologia, a visão totalitarista, o orgulho de tudo julgar e a maldade de condenar.
O Deus de Jesus Cristo é um Deus que quer ser encontrado no santuário da adoração e não

nas fórmulas da ideologia que pretende dobrar tudo e todos às próprias conveniências.

À revelação de Deus responde-se com a adesão à Palavra, seguindo o Verbo como discípulo.
O “SIM” da adesão nos introduzirá no

A vida pública de Jesus começa e acaba com duas grandes agonias: as tentações e o Calvário.

O que é agonia ? É estar perante uma alternativa e escolher a liberdade. Livre para existir nos outros.

“Amou até ao fim.”
É o amor pelo qual se aceita ser lançado decididamente até à morte respeitando o outro até às últimas consequências para o salvar.

A vida do cristão está centrada na pessoa de Cristo.
Jesus tem razão porque ressuscitou. Na sua ressurreição a nossa vida assume o sentido da eternidade. Anunciar o Evangelho é exactamente abrir caminhos para o que continua para além do tempo.

A caridade motiva a fadiga do viver Para um êxodo sem retorno, onde o amor e a gratuidade antecipam a vivência trinitária.

or h en da i S V O a D

Caridade aprende-se e vive-se na Eucaristia.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful