P ROJETO : P OSICIONADOR

DE PLACA FOTOVOLTÁICA

COM MEDIDOR DE LUMENS

I NTRODUÇÃO
A Energia elétrica tornou-se imprescindível à humanidade. Ela está atrelada ao desenvolvimento socioeconômico e é umas das formas mais convenientes de energia. Em localidades afastas das cidades e das linhas de transmissão, por vezes, torna inviável a entrega de energia elétrica nessas comunidades. Por via disto, o uso de sistemas alternativos proporciona o crescimento socioeconômico a essa população. Destarte, em vista de sistemas alternativos geradores de energia elétrica para comunidades isoladas têm-se destaque em duas formas: eólica e solar. A implantação de torres de geração eólica fica limitada a comunidades onde o vento tem força suficiente para fazer com que as hélices girem e produzam energia elétrica. Por outro lado, a utilização da energia solar está condicionada a ambientes onde há incidência forte de radiação solar e alta insolação.

De acordo com o mapa Solarimétrico do Brasil [2], a região da Amazônia Ocidental possuí, em média anual de potencial de radiação solar de 16 MJ/m².dia (terceiro maior do país), podendo chegar a 20 MJ/m².dia durante o ano. A insolação média anual está entre 4 e 7 horas. Não existiam estações de medição de radiação no estado de Rondônia. Existem diversos modos de se aproveitar a energia solar [3], dentre eles temos a heliotérmica (conversão da irradiação em calor e do calor em energia elétrica), fotovoltaica (painel constituído de material semicondutor que devido a incidência da luz solar gera energia elétrica), solar térmica (aproveitamento do calor vindo da energia solar) e arquitetura solar (energia solar passiva).

Objetivando a conversão direta e simples da energia solar em elétrica, os painéis fotovoltaicos mostram-se como a melhor opção. Cabe discussão o impacto ambiental fornecido pelo uso das placas fotovoltaicas. As placas possuem fatores ambientais favoráveis a sua utilização, sendo a forma de geração de energia elétrica menos agressiva conhecida pelo homem. Dentro destes fatores, merecem destaques a não modificação do equilíbrio térmico terrestre, emissão evitada de gases de efeito estufa e de gases ácidos, dispensa a necessidade de transporte de combustível, a não formação de represas e a preservação do equilíbrio ecológico local. Através dela, algumas etapas importantes do processo de geração de eletricidade por usinas termelétricas são eliminadas [4], como a produção, transporte e armazenamento de combustível fóssil utilizado nas turbinas. O único impacto está relacionado com a sua produção e o seu descarte depois de 30 anos de vida útil.

Devido ao alto custo de implantação e o baixo retorno dos investimentos com energia solar, o Brasil ainda não possuí nenhum sítio de produção de energia elétrica via energia solar [5], tendo somente sistemas isolados. Não obstante, devido ao fator supracitado, não existem planos para criação de usinas à energia solar. Para melhorar a relação custo-benefício das placas, tem sido realizados estudos e projetos de automação das mesmas. Para ter um aproveitamento melhor da radiação solar é necessário que a incidência dos raios solares seja perpendicular às placas fotovoltaicas. No entanto, devido ao movimento diário do sol em relação à Terra, esta eficiência tende a diminuir. Nos últimos anos, tem sido realizados estudos e projetos de automação das placas fotovoltaicas, objetivando o aumento da eficiência desse sistema.

Com isso foi possível observar uma eficiência de até 38% em relação às placas fixas. foi proposto por [6] um projeto onde uma estrutura mecânica permitia a movimentação de placas solares em dois eixos.Em 2006. O próprio calor altera as propriedades do material de suporte dos painéis solares. Sensores detectam a variação de temperatura entre as áreas de sol e sombreadas do painel solar para verificar a necessidade de movimentação. foi desenvolvido por [7] um sistema de movimentação sem a necessidade do uso de motores e nem de sistema de controle. . O grande empecilho está no alto custo de implantação. No ano de 2008. que auxiliaram na localização do sol e de um controlador PID para posicionar o painel. porém teve dificuldade em controlar a velocidade angular dos motores. O dispositivo foi inspirado na forma como as plantas acompanham o movimento do Sol ao longo do dia. fazendo com eles se movimentem. O projeto apresentou um bom resultado. com auxilio de motores de toca-fitas e Light Dependent Resistors (LDR).

sustentável ecologicamente. Através deste sistema embarcado busca-se obter o máximo aproveitamento da radiação solar nos painéis.Em busca de um sistema que seja viável economicamente. estamos desenvolvendo um sistema embarcado de posicionamento automático para módulos fotovoltaicos de baixo custo utilizando motores de corrente contínua. . aumentando a potência fornecida por meio da posição que fornecer a maior relação lumens-tensão. de fácil implementação e com uma eficiência energética maior.

. Levantar dados das condições climáticas. para utilização da energia elétrica em comunidades isoladas e em busca de melhorar a relação custo-benefício desse aproveitamento. como temperatura e quantidade de lumens para utilização de placas fotovoltaicas na cidade de Porto Velho – RO. movendo-se nos ângulos azimute e vertical.O BJETIVO Fazer uma análise quantitativa de energia elétrica fornecida em uma placa fotovoltaica estática e comparar com uma placa fotovoltaica dinâmica controlada por um sistema microprocessado com dois graus de liberdade.

na figura 03 a relação ângulotensão para a placa com carga de 28 Ohms e. na figura 04 a relação ângulo-lumens é mostrada. sendo que na figura 02 é mostrada a relação ângulo-tensão para a placa sem carga. através de um luxímetro. foram realizadas simulações com um painel solar modelo KC80. coletar a quantidade de lumens recebidos pelo painel. que fora mantido em paralelo à placa. para verificar a viabilidade do projeto. 652 mm de largura e 56 mm de espessura. Kyocera medindo cerca de 976 mm de comprimento. Na segunda etapa. A primeira etapa consistia em mensurar a tensão da placa sem carga e concomitantemente. . As medições foram segmentadas em duas etapas.M ETODOLOGIA Como parte inicial da pesquisa. Os dados encontram-se dispostos em forma de gráficos. foi realizado o procedimento para mensurar a quantidade de tensão fornecida pela placa. estando a mesma sujeita a uma carga padrão de 28 Ohms.

A figura 01 mostra o fluxograma de controle dos motores. foi projetada uma estrutura de suporte para os painéis fotovoltaicos em que nela seja permitida a movimentação em dois eixos. Para efetuar o controle do ajuste foi montado um sistema embarcado baseado no microcontrolador PIC 16F877A da Microchip. determina se há a necessidade de se efetuar uma rotação e o sentido da rotação. O sistema embarcado consiste em 4 sensores Light Dependent Resistor (LDR) que são ligados em um arranjo resistivo de forma a se obter a queda de tensão em um determinado LDR.Para protótipo. Após a verificação dos sensores o microcontrolador esperava vinte segundos para que os motores sejam acionados. Para o ajuste do conjunto são empregados motores de corrente contínua. determinação essa para que a placa solar fizesse movimentos desnecessários devido à uma sobra momentânea. Esta análise é feita em comparação as posições leste e oeste que determinam a movimentação do motor de azimute e os sensores nas posições norte e sul determinam a rotação do motor vertical. Essa diferença de potencial encontrada no LDR é transmitida ao microcontrolador que com base em nos dados internos. . recolhidos durante o dia e programados.

Para protótipo. determinação essa para que a placa solar fizesse movimentos desnecessários devido à uma sobra momentânea. Após a verificação dos sensores o microcontrolador esperava vinte segundos para que os motores sejam acionados. O sistema embarcado consiste em 4 sensores Light Dependent Resistor (LDR) que são ligados em um arranjo resistivo de forma a se obter a queda de tensão em um determinado LDR. Para efetuar o controle do ajuste foi montado um sistema embarcado baseado no microcontrolador PIC 16F877A da Microchip. Essa diferença de potencial encontrada no LDR é transmitida ao microcontrolador que com base em nos dados internos. . Esta análise é feita em comparação as posições leste e oeste que determinam a movimentação do motor de azimute e os sensores nas posições norte e sul determinam a rotação do motor vertical. foi projetada uma estrutura de suporte para os painéis fotovoltaicos em que nela seja permitida a movimentação em dois eixos. Para o ajuste do conjunto são empregados motores de corrente contínua. recolhidos durante o dia e programados. A figura 01 mostra o fluxograma de controle dos motores. determina se há a necessidade de se efetuar uma rotação e o sentido da rotação.

.

M ODELO M ECÂNICO DE R ASTREAMENTO .

D IMENSIONAMENTO D O M OTOR D E PASSO  De acordo com a curva característica: .

63 A .94 A Corrente 1: 2.00129 Hz 𝑃1 𝐼2 𝐼1 Corrente 2: 3.166e-4 Hz Potência Máxima 1: 14.PARÂMETROS O BTIDOS DA C URVA C ARACTERÍSTICA Potência Máxima 2: 20 W 𝑃2 Velocidade 2: 4.54 W Velocidade 1: 0.

S ENSOR P IRÁNOMETRO CUSTO ELEVADO!!! .

.

S ENSOR P IRELIOMETRO CUSTO ELEVADO!!! .

LDR  pireliometro. ponte H. . piránometro.PLANEJAMENTO Projeto Previsto  Projeto Executado  Utilizava-se os seguintes sensores:   Substitui-se os sensores por:   de temperatura.

RESULTADOS .

.

TENSÃO A VAZIO .GRÁFICO DE ÂNGULO VS.

COM USO DA CARGA Â NGULO DE 28 Ω .G RÁFICO TENSÃO VS .

GRÁFICO DE LÚMENS ÂNGULOS VS . .

M ATERIAIS DO PROJETO UTILIZADO .

E SQUEMA G ERAL .

C IRCUITO G LOBAL .

C IRCUITO L ÓGICO Função de disparo de “acordar” o PIC. Isto acontecerá quando estiver amanhecendo e as resistências internas do LDR estiver em nível alto. . devido ao período noturno.

C IRCUITO P ONTE H Contém duas pontes H para os dois motores de ângulo e altura. .

e no semiciclo negativo carrega o segundo capacitor. no semiciclo positivo irá carregar o primeiro capacitor. vd 4 . pois ao ter um sinal de pulso de 12V.C IRCUITO D OBRADOR DE T ENSÃO PV D200 PV 1N4007 D100 vd 1N4007 8 U100 Q DC 3 7 R100 100 VCC R C500 R200 10k 5 CV C100 220u 220u C200 10u 2 GND TR TH 6 1 555 C300 220u C400 10n O funcionamento de dobrar a tensão é possível através de dois capacitores. assim totalizará no dobro da tensão fornecida pela fonte inserida.

#use delay(clock=4000000) #FUSES NOWDT //Sem Watch dog. obigatório! #device adc=10 // Define que será usado o converosr A/D //com 10 bits de resolução. evitando reset #FUSES XT //Crystal de oscilação igual a 4MHZ #FUSES PUT //Tempo de início do PIC #FUSES NOPROTECT //Codigo sem proteção de leitura. B3(PIC16) or B5(PIC18) // used for I/O #FUSES NOCPD //No EE protection #use fast_io(a) // Controla port A #use fast_io(b) // Controla port B #use fast_io(c) // Controla port C #use fast_io(d) // Controla port D #use fast_io(e) // Controla port E . software livre! #FUSES NOLVP //No low voltage prgming.C ÓDIGO EM LIGUAGEM C NO PIC16F877A #include <16F877A.h> //O PIC utilizado. Pode ser utilizado de 8 bits também.

int32 contagem6=0./************************************************************* variaveis globais *************************************************************/ float valor_adc1. valor_adc2. valor_adc4.0989. int32 contagem2=0. valor_adc3. int32 contagem3=0.voltage1. int32 contagem4=0. int32 contagem1=0. float vmin=0. int32 contagem5=0.voltage3. int32 contagem8=0.voltage2.voltage4. . int32 contagem7=0.

// desliga interrupção } . // Faz pino c6 ter saída alta disable_interrupts(int_ext).C ÓDIGO EM LIGUAGEM C NO PIC16F877A /*********************************************************** Interrupção Externa ***********************************************************/ #int_ext // Servirá para 'acordar' o pic quando este estiver no modo sleep void externa() { output_high(pin_c6).

// Faz o timer 0 começar a partir de 131 ( timer 0 vai de 0 à 255) SETUP_TIMER_2 (T2_DIV_BY_16. com pre scale de 1 SETUP_ADC_PORTS(AN0_AN1_AN2_AN3_AN4).255. em 255. Interrupção global ligadas enable_interrupts(int_ext).1). Interrupção externa ligada while(true) { .C ÓDIGO EM LIGUAGEM C NO PIC16F877A /*********************************************************** Rotina Principal ***********************************************************/ void main() { setup_timer_0(rtcc_internal|rtcc_div_32). // Clock do conversor dividido por 8 enable_interrupts(global). // Ajusta timer2 com clock dividido por 16. // Define quais portas do tris A serão entradas analógicas SETUP_ADC(ADC_CLOCK_DIV_8). // Ajusta timer 0 com o clock //interno e dividido por 32 set_timer0(131).

// Faz com que todas a portas do TRIS D fique como saída. // Faz com que todas a portas do TRIS C fique como saída. . set_tris_e(0x00). set_tris_c(0x00). set_tris_b(0x01). // Faz com que a porta RB0 seja entrada e as outras sejam saídas para o TRIS B. // Faz com que todas a portas do TRIS A fique como entrada. set_tris_d(0x00).C ÓDIGO EM LIGUAGEM C NO PIC16F877A set_tris_a(0xff). // Faz com que todas a portas do TRIS E fique como saída.

onde Vfundo de escala é a tensão máxima de entrada no pic (5V) e n=10 que é a resolução do conversor. delay_us(200).Cada porta tem seu canal do conversor (0 à 4). voltage1=(valor_adc1*5. .C ÓDIGO EM LIGUAGEM C NO PIC16F877A /*********************************************************** Aqui é onde o valor de tensão adiquirida pelas entradas AN0 à AN3 tem seu valor lido pelo controlador. set_adc_channel(1). Após cada valor convertido para digital através da equação Valorlido* Vfundo de Escala/[(2^n)-1]. Para cada canal escolhido o pic espera 200 us e atraves do comando read_adc() esse valor passa a ser armazenado em uma variável definida anteriormente no código. ********************************************************/ SET_ADC_CHANNEL(0). valor_adc1= read_adc(). Valor convertido é armazenado onde depois será feita comparações entre eles.0)/1023. delay_us(200). delay_us (200).

0)/1023. delay_us(200). valor_adc3=read_adc(). delay_us(200).0)/1023. SET_ADC_CHANNEL(3). delay_us(200). voltage2=(valor_adc2*5. voltage4=(valor_adc4*5. . delay_us(200).valor_adc2=read_adc(). SET_ADC_CHANNEL(2).0)/1023. delay_us(200). valor_adc4=read_adc(). voltage3=(valor_adc3*5.

output_low(pin_d6)./*********************************************************** Compara Valor convertido e armazenado em voltage 1 e voltage 2 e com base nisso o microcontrolador toma a decisão de quais portas ficaram em estado alto ou baixo ***********************************************************/ if (voltage1<voltage2) { // Caso condição assim satisfeita contagem1++. output_low(pin_e2). Contagem2 é zerada(necessário para que a condição se repita n vezes) setup_ccp1(CCP_OFF). // desliga PWM 1 // Sequência de Pinos em estado baixo. output_low(pin_b3). Contagem1 é incrementada contagem2=0. . output_low(pin_b6).

aproximado 10 %) } } else if (voltage1>voltage2) { // Caso condição assim satisfeita contagem2++. . Contagem1 é zerada(necessário para que a condição se repita n vezes) setup_ccp2(CCP_OFF). output_low(pin_d6). // desliga PWM 2 // Sequência de Pinos em estado baixo. o que em tempo o pic "espera" entre 20 à 30 segundos { output_high(pin_c7). Contagem2 é incrementada contagem1=0.if(contagem1==2000) // Caso contagem1 seja 2000. // Pino C7 em estado Alto setup_ccp2(CCP_PWM). // PWM 2 Ligada set_pwm2_duty(12). // Porcentagem do duty Circle da onda PWM gerada ( parte da onde que fica em alto . output_low(pin_e2).

output_low(pin_b3). o que em tempo o pic "espera" //entre 20 à 30 segundos { output_high(pin_b6). output_low(pin_c7). if(contagem2==2000) // Caso contagem1 seja 2000. aproximado 10 %) } } else if(voltage1==voltage2) { . // PWM 1 Ligada set_pwm1_duty(12). // Porcentagem do duty Circle da onda PWM gerada ( parte //da onde que fica em alto . // Pino B6 em estado Alto setup_ccp1(CCP_PWM).

setup_ccp1(CCP_OFF). output_low(pin_c7). output_high(pin_b3). //Contagem1 é zerada contagem2=0. //Contagem2 é zerada // Todos os pinos estão em estado baixo output_low(pin_b6).// Caso condição assim satisfeita contagem1=0. setup_ccp2(CCP_OFF). } .

output_low(pin_b5). } . output_low(pin_e2). output_low(pin_d6). output_low(pin_c4). contagem4=0./********************************************************** Compara Valor convertido e armazenado em voltage 2 e voltage 3 e com base nisso o microcontrolador toma a decisão de quais portas ficaram em estado alto ou baixo a explicação das linhas é basicamente a mesma de cima. porém nessa não há PWM **********************************************************/ if (voltage3<voltage4) { contagem3++. if(contagem3==2000) { output_high(pin_b4).

if(contagem4==2000) { output_high(pin_b5). output_low(pin_d6). output_low(pin_c4). output_low(pin_b4).} if (voltage3>voltage4) { contagem4++. contagem3=0. output_low(pin_e2). } .

} else if(voltage3==voltage4) { contagem3=0. contagem4=0. } . output_high(pin_c4). output_low(pin_b4). output_low(pin_b5).

contagem6++. output_low(pin_c7)./************************************************************* Nesse caso quando a condição é satisfeita o Pic esperará por volta de 4 minutos para que ele entre em modo sleep os if's das contagens 5 à 7 não estão em uso. contagem7++. if(contagem5==2000) { . Contagem 8 determina o tempo de para que o pic entre em sleep *************************************************************/ if ((voltage1<=vmin && voltage2<=vmin) && (voltage3<=vmin && voltage4<=vmin)) { output_low(pin_b4). contagem8++. contagem5++. output_low(pin_b6).

} } } } . } if(contagem8==27000) { sleep().output_high(pin_d6). } if(contagem6==6000) { output_low(pin_d6). } if(contagem7==25300) { output_low(pin_e2). output_high(pin_e2).

00 100.ORÇAMENTO Produto PIC16F877A Barra de pinos Cristal de 4Mhz Placa fenolite Quantidade 1 1 2 1 Preço R$ 14.50 3.00 2.64 2.00 50.00 Painel Solar LDR MOSFET CI 555 1 4 8 1 Empréstimo 24.00 Bateria Estrutura Motores de teste Outros 2 1 2 - Empréstimo 250.50 40.00 .00 48.

no entanto para a alimentação do sistema é necessário um gasto de energia que diminui essa eficiência. . os resultados preliminares mostram que existe uma melhora considerável com a placa em movimentação e que. a região estudada mostra-se como uma região que merece atenção em estudos posteriores para implantação de sítios de para produção de energia elétrica via energia solar devido ao índice de radiação.   Apesar de um protótipo em desenvolvimento. como pressuposto pelo mapa solamétrico do Brasil.CONCLUSÃO  Após a análise dos resultados obtidos quanto a tensão e a quantidade de Lúmens ao longo do dia entre uma placa fixa e uma placa que acompanha o movimento do sol foi possível notar uma maior eficiência energética da placa móvel. quantidade de horas do dia e as grandes áreas disponíveis para a construção de grandes empreendimentos. Conclui-se então que o desenvolvimento de um sistema de automação para as placas fotovoltaicas aumenta o rendimento das mesmas. insolação. o qual poderá ser corrigido com estudos posteriores.

P LANOS F UTUROS  Inicialmente é contribuir para as pesquisas do Grupo de Pesquisa de Modelagem de Sistemas Elétricos(GPMSE). também para as redes inteligentes (smarts grid) e o principal . . para um desenvolvimento sustentável e realizar estudo de caso em residências.

Ministério de Minas e Energia.br/noticias. Plano Nacional de Energia 2030 – 9 Outras Fontes.construtoraandradejunior.R EFERÊNCIAS http://www. Recife: Ed. 2. . Brasília: MME : EPE. 2007. Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético e Empresa de Pesquisa Energética.php? noticia_id=644 1. Tiba. et al. Universitária da UFPE. 2000.isr.com.html http://www. C.uc.pt/~torrado/rel/final/Psolar. Atlas Solarimétrico do Brasil: Banco de Dados Terrestres.

6. . 8. 2004. UFMG. et alii. Ferreira: Controle de Direcionamento de um Painel Solar. E. Ciência Moderna. Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético e Empresa de Pesquisa Energética. J. Rio de Janeiro: Ed. 7. Kudo. 2006. F. Fontes Alternativas de Energia no Brasil. Matriz Energética Nacional 2030. D. R. Rio de Janeiro: Ed. J. Ciência Moderna. D. Tolmasquim. C. M.5. Ministério de Minas e Energia. T. M. Pereira. Energia Solar Térmica em: Fontes Alternativas de Energia no Brasil. 2007. Fortes. Brasília: MME : EPE. 2004. LECI I.

Painéis solares acompanham Sol sem uso de motores usando liga bimetálica.com.inovacaotecnologica. [Online] Disponível em: http://www.br/noticias/n oticia.9. Inovação Tecnológica.php?artigo=paineis-solares-acompanham-solsem-uso-de-motores-usando-ligabimetalica&id=010115080926 .

Agradecemos a sua atenção! .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful