Coquetel Anti-HIV

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA DISCENTES: FRANCISCO MACEDO, JÉSSICA SANTANA E JÉSSICA SANTOS DISCIPLINA: CLÍNICA ODONTOLÓGICA V

Seu mecanismo de ação se dá basicamente através da infiltração do vírus HIV nas células do sistema imunológico.    Na prática do cirurgião-dentista. os procedimentos realizados são complexos e o expõem à riscos ocupacionais: RISCO BIOLÓGICO.Introdução  O HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana. . Coquetel de drogas: uma maior sobrevida e uma melhor qualidade de vida para o indivíduo.

Situações de exposição sexual em que a sorologia do parceiro é conhecida. .Indicação para uso do Coquetel  Situações de exposição sexual em que a sorologia do parceiro é desconhecida.   Exposição ocupacional a materiais biológicos.

3% Após uma exposição mucocutânea e sangue contaminado: risco de 0.    Após um acidente percutâneo: o risco de soroconversão de 0. o risco é pequeno. . Com relação aos acidentes de trabalho. mas concreto. a depender da gravidade do acidente além da carga viral do paciente.09% .Contaminação em Odontologia  Os estudos indicaram que não existem casos de transmissão do vírus HIV por aerossóis resultantes da atividade clínica odontológica.

Contaminação em Odontologia  Um tratamento profilático pode ser realizado após um acidente de trabalho. .    lâminas .  perfurocortantes. Melhor forma de lidar com os acidentes ocupacionais é a prevenção: manuseio cuidadoso de agulhas.

Indinavir. Efavirenz. Nelfinavir. Ritonavir. Didanosina (ddI). Saquinavir . Nevirapina o  o Inibidores da Protease: Amprenavir. Zalcitabina (ddC). Zidovudina(AZT)  Inibidores Não Nucleosídeos da Transcriptase Reversa: Delavirdina.O Coquetel  o Inibidores Nucleosídeos da Transcriptase Reversa: Abacavir. Estavudina (d4T). Lamivudina (3TC).

O Coquetel  o Inibidores de fusão: Enfuvirtida  o Inibidores da Integrase: Raltegravir .

Profilaxia Pós Exposição  A indicação ou não da profilaxia com anti-retrovirais baseia-se na avaliação criteriosa do risco de transmissão do HIV e também na toxicidade das medicações.  QUIMIOPROFILAXIA EXPANDIDA: Combinação de AZT + 3TC + IP (nelfinavir ou indinavir/r) Exposições com risco elevado de transmissão pelo HIV. • • .  • • QUIMIOPROFILAXIA BÁSICA: Combinação de zidovudina com lamivudina (AZT + 3TC) Exposições com risco conhecido de transmissão pelo HIV.

150mg) Indinavir . .800 mg 3x ao dia (cap.200 mg 3x ao dia (cap. Duração de 4 semanas. O ideal é que seja nas primeiras 2 horas após a exposição. Avaliar introdução de terapia até no máximo 1 a 2 semanas nos acidentes graves. Observações sugerem que até 48 horas após o acidente a profilaxia possa ainda ser eficaz. 200 ou 400mg).Profilaxia Pós Exposição Posologia AZT . 100mg) 3TC .150 mg 2x ao dia (cap.

Lamivudina: anemia. enxaqueca. náusea. fadiga e indisposição. dispepsia. seios. fraqueza/fadiga. diarreia.Efeitos Adversos   Zidovudina: anemia e granulocitopenia. baixa contagem de hemácias. dor/inchaço abdominal. aumento de gordura em locais como pescoço. disfunção renal. problemas cardíacos.  . pancreatite. mal estar. febre ou calafrios. diarreia. vômitos. abdômen e costas. anorexia e/ou diminuição do apetite. tontura. inflamação do pâncreas. inflamação dos rins. cefaléia. náusea. Indinavir: reações alérgicas.

Lorazepam. Codeína. Temazepam. sedação prolongada). Naproxeno. com potencial para reações adversas graves e com risco de morte (depressão respiratória. Indometacina.  Indinavir  Administração do Indinavir concomitante com ansiólíticos (Diazepam. Cimetidina. Triazolam. Cetoprofeno. Oxazepam. Esses medicamentos alteram o metabolismo da Zidovudina. Zolpidem) pode originar uma inibição competitiva do metabolismo destes medicamentos.Interação Medicamentosa  Zidovudina  pode interagir com: Aspirina. . Lorazepam. Morfina. Midazolam.

pois esta forma apresenta álcool na sua composição.  . gerando uma interação com o Metronidazol. Deve-se cuidar apenas com a administração conjunta de Metronidazol e Lamivudina (na forma de solução oral).Interação Medicamentosa  Lamivudina  Não possui nenhuma interação medicamentosa de interesse cirúrgico odontológico.

por colocar o profissional diretamente em contato com material biológico contaminado. As chances de se contrair HIV após uma exposição ocupacional são muito pequenas e se o uso da medicação após a exposição for corretamente seguido são praticamente zero.   .Considerações Finais  O risco de contaminação do cirurgião-dentista no atendimento a pacientes HIV/AIDS ocorre principalmente através de acidentes ocupacionais que envolvam materiais perfuro-cortantes. O cirurgião-dentista deve ter conhecimento dos efeitos colaterais e das interações medicamentosas em que os medicamentos do coquetel estão envolvidos.

Storpirtis... L. 20.Referências  ANDRADE E.   SBARDELOTTO. v. p./mar. 281-289. Tratamento Odontológico em Pacientes HIV/AIDS. CORRÊA E. et. n.M. 1. Departamento de Ações Programáticas. 279-286. 2009. 2006. Rev. n. Brasília: Ministério da Saúde. Departamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis. p. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences vol. Odonto Ciência.al.49. G. 1. n. 2013. v. 2004. v. AIDS e Hepatites Virais. L. SOUZA. n. p. jan.. Secretaria de Assistência a Saúde. 40.. Brasília: Ministério da Saúde. V. jan. Condutas pós-exposição ocupacional a material biológico na odontologia.M. 24-60. Ministério da Saúde. Ver. 13. B. 2005. Atividade anti-retroviral e propriedades farmacocinéticas da associação entre lamivudina e zidovudina. S. 2008.D. SP.J. Bauru. Odontologia (ATO). Ministério da Saúde.. Exposição a materiais biológicos. Protocolo para atendimento cirúrgico Odontológico de pacientes soropositivos. Cad. GARCIA. 42. P.C. BLANK. BRASIL.  .   BRASIL. Secretaria de Atenção a Saúde. Saúde Pública. 2.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful