Você está na página 1de 31

Design Gráfico

Histórico
•Estilo Vitoriano
1820 até final do séc. XIX
Inglaterra, Estados Unidos e França

-variações exageradas de peso e tamanho tipologias


- uso de contornos em grande quantidade
(molduras extravagantes e carregadas de afrescos)
- utilização de todos os espaços
- elementos decorativos em abundância
- ornamentação
- gde qtdade de tipos muito ornamentados
•Artes e Ofícios
entra em declínio a partir de 1890
Inglaterra

- resgate da estética medieval


- dos manuscritos, iluminaras, incunábulos góticos
- admiração pelo antigo
- não se preocupa com o realimo das imagens
- pobreza estética x produção industrial (guildas)
•Art Nouveau
1890
Paris, Berlim e Viena

- início do design moderno


- marcado pelo ornamento útil
- unifica decoração, estrutura e planejamento
- posters - artes aplicadas, artes clássicas,
comunicação de massa, processos de impressão
- tipologias que são ornamentadas para integrar
- da tipologia e xilogravura para a cromolitografia
- Secessão - ornamento geometrizado
•Os primeiros modernismos
começo séc. XX
Europa

-sistema monárquico para democracia, comunismo e


socialismo
- progresso tecnológico: automóveis, aviões, jornais,
revistas, cinema, avanço da fotografia, rádio
Cubismo - 1909
- novos ângulos de visão
- abstrações geométricas
- colagem
- montagem
- letras como elementos plásticos
- bidimensão
- rompe com a representação e a forma tradicionais
Futurismo
- enaltece a velocidade, o ruído dos automóveis e
enaltece a guerra
- utiliza uma grande quantidade de tipos
- rompe com o simétrico
- utiliza imagens sobrepostas
- letras e palavras como imagens
- traduz o movimento graficamente
- não existe regras para divisão do espaço
Dadaísmo
- anarquia / caos
- irreverência
- humor
- chocante
- busca chamar a atenção
- inconsciente - Surrealismo - simbolismo /sobreposições
- Ilustrações
- arte comercial - impulsos de padronização visual
- criação de formatos e fórmulas - ident. visual
- Peter Behrens - AEG
- distribuição geométrica e modular
- tipologia - Behrens - Antiqua
- uso de 2 ou 3 cores
- fotos e ilustrações objetivas
- centralização de elementos
- tipo de trabalho chamado Plakastil
- posters simples
- saturação de mensagens

- Sachplakat poster objeto


- econômico visualmente
- direto e objetivo
- letras bold negrito
- mensagem clara
- imagens de simples compreensão
Construtivismo Russo e De Stijl
- simplificar e padronizar

Construtivismo Russo
- fotomontagens / sobreposição
- conceitos integrados entre palavra e imagem
- slogans visuais
- El Lissitzki
- formas geométricas
- uso do vermelho e preto
Construtivismo Russo e De Stijl
- simplificar e padronizar

De Stijl
- rigorosa precisão na divisão do espaço
- assimetria
- retangularidade
- cores primárias
- linhas negras
- soluções simples
- nova legibilidade da tipologia
Bauhaus
- em 1919 Escola de Artes e Ofícios de Weimar
- integração das artes clássicas e aplicadas

- cria-se um novo código de valores visuais


- clareza e legibilidade tem prioridade em rel. a estética
- apenas letras minúsculas e geométricas
- teoria da cor
- numerais grandes
- fontes sem serifa - Universal - A Nova Tipografia
import.foto - área de bco - linhas obliquas e verticais
padroniz papéis DIN - rejeita ornamentos - formas design
Art Deco
- primeiro estilo moderno das massas

- agradava ao público e fazia parte do gosto popular


- uso de ornamentos - formas geométricas, fios, etc
Estilo Internacional
- associado Suiça - Alemanha
- não é um período - 1920 a 1960

- clareza e ordem
- diagramação assimétrica
- alinhamentos pela esquerda
- utilização do grid
- letras univers, helvética e derivadas
- destaques de parágrafos com linhas em branco
- formas iguais globalizaria as diferenças mundiais
- IBM 1956 IBM Design Guide

- coerência visual potencializam padronização


- conceitos integrados entre palavra e imagem
- 1977 Unigrid normatizam os parques Estados Unidos
- folhas abertas ou com dobras pré-estipuladas
- tarjas superiores com’os nomes dos parques vazados
- organização horizontal de mapas, ilustrações e textos
- tipologias padronizadas
- grades coordenando a diagramação do layout

- 1960 - revistas grandes e circulação ampla:


Esquire, Fortune, Vogue, Harper’s Bazar
- Encolhem formato 25,5x33,4 para 21x27,5
- evitar clichês visuais e interpretar o lugar comum
de maneira inesperada
- curiosidade e inteligência do espectador para
completar o sentido - Nova Publicidade

- sai da manipulação da imagem e passa a simular


o mundo real de forma glamorosa - Dir. Arte - EUA

- 1965 - Design gráfico como profissão especializada


PRINT
Communication Arts Art Directors
AIGA - Instituto Americanod e Artes Gráficas
ICOGRADA - Conselho Internacional

- Movimento dos olhos sobre um design - Lab. Design


•Design pós-modernista
todas as práticas contemporâneas que não estejam
baseadas na rigidez bauhausiana

-rompe com a previsibilidade e assepsia


- retornam os elemetnos decorativos
- fragmentar imagens e trabalhar com camadas
- mistura de corpos estilos e tamanhos na mesma
palavra
- inclusão de ruídos
- espaçamentos aleatórios
•Revivalismo e vernacular
Nova York - 1954 - Push Pin Studio
estilos vitorianos, art nouveau e art decó

- estilo com cores luminosas


- molduras exageradas e sinuosas
- formas pesadas
- justaposições palavra
•New Wave e Punk
início dos anos 1970 - Wolfgang Weingart

-acreditavam que o Estilo Internacional estava


esgotado
- expandir parâmetros
- layout mais solto e menos linear
- blocos de texto uns sobre os outros
- linhas e barras com diversas espessuras
- os espaços e letras são tratados informalmente
- novos ângulos além dos retos
- perde-se o alinhamento ancorado
- sobrepor camadas de foto, textos, texturas
•New Wave e Punk

Punk
- o ruído, o feio, o não -design
- estilo das ruas londrinas, drogas e rebeldia
- letras e imagens recortadas de jornais, máquinas de
escrever, letras feitas a mão, sem preocupação com
a ordem e o acabamento.
•Desconstrução e Academia de Arte
Cranbook
a partir de 1978 - noções pós-estruturalistas
forma da letra não interfere na significação
uso da tipografia como mera representação fonética
do texto

-caracterização do texto escrito como representação


menor
- Derrida compara o texto falado e escrito
reconhecendo que não existe imparcialidade
- Compara a moldura de um quadro:ela denuncia o
vazio ou a intensidade da obra na mesma proporção
que parece se auto-apagar.
•Grapus, Memphis, Neville Brody e Retro

Grapus
- final de 70 na França - cooperativa de designers PC
- segmento cultural

- visual amador e um tom brincalhão


- textos caligráficos ou com rabiscos
- ilustrações infantis
- fotografias ägredidas” por borrifos, cortes, riscos
- satiriza o design
•Grapus, Memphis, Neville Brody e Retro

- retrabalhou o e
Neville Brody
stilo Punk e o tornou mais comercial
•Grapus, Memphis, Neville Brody e Retro

Memphis
- grupo italiano

- pluralismo, ecletimso e hedonismo


- texturas, superfícies, cores, elementos geométircos
de forma divertida e descontraída
- a função é secundária
- o apelo decorativo se sobrepõe a informação
-
•Grapus, Memphis, Neville Brody e Retro

Retro
- é uma técnica, muito utilizada a partir de 1985
- recorrer a estilos do passado
•A Revolução Digital
- em final de 1985
- Apple - Macintosh

- o designer da criação até o processo de finalização


- mais liberdade para cores, texturas, imagens,
distorções, fusões, novas tipolofias, a estética do
pixel e do bitmap,etc
- Emigre - com elem. gráficos experimentais
sem projeto gráfico, grid - marco contemporâneo
-legibility (alto modernismo) e readbility (pós)
•David Carson

- Neo-Dada
- despreocupação com a clareza
- surf e rock

- a atitude é mais importante que a leitura


- designer gráfico x artista gráfico
- rompe com o legibility completamente
- revista Ray Gun
- flexibilização e trangressão
- leitor interpreta e não lê
- destrói, reconstrói e renomeia
•A nova simplicidade

- “bagunça” visual reflexo da linguagem da tv, vídeo


e das ruas
- less is more
- clareza e racionalidade

- estética simples mas conceitos mais complexos


•Políticas de estilo
- atende a interesses de ordem econômica
- manifestação de valores, conceito, fantasias de um
determinado tempo e lugar
- design gráfico cambiante - flexível mutante

- d.moderno é: assimétrico, retangular, grid, tipos


sem serifa, hierarquiza informações, legibilidade
- d. pós moderno é: eclético, retro, incluui o ruído,
privilegia a atitude em detrimento da informação, é
mais caótico e desordenado

- MTV, revistas BIG, Matiz, Ray Gun, relógios


Swatch
Criação idependente de estilos

Qualquer problema visual tem um número infinito


de soluções, que muitas delas são válidas, devem ser
retirados do assunto abordado e o designer não deve
ter um estilo pré concebido.

O designer gráfico é um inventor de linguagens


utilizando todos os elementos da linguagem visual
em todas as suas expressões