Você está na página 1de 19

Recuperação Paralela

PAUTA

o Leitura
o Procedimentos
o Orientações Sobre a Recuperação Paralela
o Leitura da Instrução CENP de 24-7-2009
o Análise do Quadro I ( Ficha de
acompanhamento do desempenho do aluno )
“Ninguém ignora tudo.
Ninguém sabe tudo .
Todos nos sabemos alguma Coisa
Por isso aprendemos sempre”

Freire,Paulo.
A importância do Ato de Ler.
 Recuperação Paralela 2009 – RESOLUÇÃO
Resolução SE 18, de 4-3-2009
• Dispõe sobre estudos de recuperação nas escolas da rede estadual de
ensino.

• A Secretária da Educação, considerando que:


os indicadores de aprendizagem do aluno, evidenciados nas
avaliações internas e externas, principalmente no Saresp,
demonstram a necessidade de efetiva ação para melhoria da
qualidade de ensino;
cabe à escola garantir a todos os seus alunos oportunidades de
aprendizagem, redirecionando ações significativas e diversificadas
de modo a que as dificuldades diagnosticadas sejam superadas;
a recuperação constitui-se parte integrante dos processos de ensino
e de aprendizagem, tendo como princípio básico o respeito à
diversidade de características e de ritmos de aprendizagem
dos alunos...
ORIENTAÇÕES PARA MONTAGEM E REALIZAÇÃO DO PROJETO

• Orientações Curriculares
• Material do Ler e Escrever.
Utilizar o Mapa de Sondagem do aluno para verificar:
• Hipótese de escrita;( real ).
Agrupamentos
Atividades pontuais para cada hipótese
Leitura Permanente
Acompanhamento das turmas pelo Coordenador
Portfólio da Escola

Mapa das turmas de Recuperação Paralela e Relatório final.(


data de entrega a definir)
PROCEDIMENTOS
•AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA INICIAL E DO FINAL DO
1º SEMESTRE;
•IDENTIFICAÇÃO DAS DIFICULDADES DOS ALUNOS;
•DEFINIÇÃO DAS EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM
A SEREM SUPERADAS;
•CONTEÚDOS;
•PROCEDIMENTOS AVALIATÓRIOS
PROFESSOR / Coordenador ( Anexo I )

 Identificar as dificuldades de cada


aluno,encaminhando a Recuperação
Paralela,definindo as reais necessidades de
aprendizagem apontando os conteúdos das
expectativas de aprendizagem e os
procedimentos avaliatórios a serem
adotados;
 Avaliar e registrar o desempenho desse
aluno ,verificando a permanência ou não no
projeto de recuperação.
PROFESSOR DA TURMA DE RECUPERAÇAO
§ Desenvolver atividades significativas e
diversificadas ;
§ Utilizar diferentes materiais e
ambientes pedagógicos;
§ Ter como referencial o material de apoio
fornecido pela SEE;
§ Avaliar os avanços e redirecionar seu
trabalho;
§ Participar de HTPC, dos Conselhos de
Classe .
§
 Publicado em 25/07/2009
 Legislação Estadual Instrução CENP de 24/07/2009 Altera e
complementa a Instrução Cenp de 26/03/2009
 Aos Dirigentes Regionais de Ensino, Supervisores de Ensino e Diretores das
Escolas Estaduais
 A Coordenadora de Estudos e Normas Pedagógicas, à vista da publicação da
Resolução SE Nº 41/2009, que excluiu as atividades de recuperação do
período de recesso do mês de julho, previsto pela Resolução SE Nº 18/2009,
e considerando a necessidade de orientar as equipes escolares responsáveis
pelas atividades de recuperação, na operacionalização das novas diretrizes
ora vigentes, baixa a presente Instrução, que altera, ratifica e complementa
a Instrução CENP de 26/03/2009:
 I -Do universo do público alvo
 Os estudos de recuperação paralela destinam-se, exclusivamente, aos
alunos da educação básica que cursam o ensino regular nos níveis
Fundamental ou Médio, não sendo extensivos, aos cursos de Educação de
Jovens e Adultos – EJA, nem a projetos da Pasta e outras modalidades de
ensino.
 As atividades de recuperação paralela dos alunos dos Ciclos I e II do Ensino
 O crédito de 5% ou 10% de horas/aula destinado ao desenvolvimento das
atividades de recuperação deverá ser calculado sobre o total de aulas anual
previsto nos artigos 3º e 4º da Resolução SE Nº 98/2008, para o segmento
de ensino, multiplicado pelo respectivo número de classes mantido pela
unidade escolar, incluídas, as classes de EJA presencial e de Educação
Especial.
 a) na organização de turmas, a unidade escolar contará com a carga horária
resultante do total previsto no inciso II desta Instrução, deduzidas as aulas
utilizadas, no primeiro semestre;
 b) quando a quantidade de aulas disponíveis para recuperação paralela
tenha sido totalmente utilizada ao longo do primeiro semestre e a unidade
escolar vier a comprovar necessidade dessas atividades no segundo
semestre, a Diretoria de Ensino poderá autorizar sua realização, utilizando-
se das aulas remanescentes dos créditos de outras escolas a ela
jurisdicionadas.
 III - Do início, manutenção e horário das turmas de recuperação
 a) todas as turmas de recuperação previstas para o período de
agosto a novembro do corrente ano deverão iniciar suas
atividades até 25/09/2009, observado, se necessário, o disposto
no inciso V desta Instrução, e, obrigatoriamente, encerrar em
30/11/09;
 b) as aulas das turmas de recuperação paralela de alunos dos
Ciclos I e Ciclo II do Ensino Fundamental poderão ser
desenvolvidas antes ou após o término das aulas diárias, desde
que assegurada a regularidade das demais atividades previstas
pela escola.
 IV - da manutenção dos registros no Sistema de Cadastro de
Alunos do Estado de São Paulo
 A manutenção da sistemática dos registros nesse sistema, dos
alunos das turmas de recuperação paralela, bem como o
lançamento, ao final do semestre, dos resultados alcançados
pelos alunos, continuará a se efetuar na conformidade do
disposto no inciso IV da Instrução Cenp de 26/03/2009.
 V. da atribuição de aulas
 a) Na situação de absoluta excepcionalidade, prevista no § 5º do artigo
6º da Resolução SE Nº 18/2009 alterada pelo inciso III do artigo 2º da
Resolução SE Nº 41/2009, ou seja, quando o número de aulas
disponíveis para o docente/candidato não totalize o mínimo de 10(dez)
aulas semanais, deverão ser, rigorosamente,observados os seguintes
prazos:
 1. encaminhamento à Diretoria de Ensino, pela unidade escolar, do
pedido de autorização até 14/08/2009 contendo descrição
circunstanciada da situação, em que se destaque:
 1.1. identificação da unidade escolar;
 1.2. quadro completo das aulas de recuperação já atribuídas na escola,
destacando o número e a natureza das turmas constituídas com
indicação do corpo docente responsável e respectiva
habilitação/qualificação;
 1.3. providências assumidas pela unidade escolar junto à Diretoria de
Ensino relativas à disponibilidade existente;
 1.4. quantidade, organização e composição das turmas de recuperação
paralela das aulas propostas;
 1.3. providências assumidas pela unidade escolar junto à Diretoria de Ensino
relativas à disponibilidade existente;
 1.4. quantidade, organização e composição das turmas de recuperação paralela
das aulas propostas;
 1.5. previsão do período de realização, com indicação do início e término das
aulas, do número de aulas disponíveis, bem como dos professores aos quais se
pretende atribuir as aulas de recuperação, com as respectivas
habilitações/qualificações;
 1.6. justificativa da pretendida atribuição, em documento devidamente assinado
pelo Diretor da escola, no qual se inclua o compromisso de orientar e atualizar os
professores abrangidos por essa excepcionalidade, de forma a suprir, em razão
da carga horária inferior a 10(dez) aulas semanais, as carências decorrentes da
impossibilidade de sua participação nas HTPC.
 2. análise e parecer conclusivo do Supervisor de Ensino responsável pela unidade
escolar, homologado pelo Dirigente Regional de Ensino, até 21/08/2009.

 3. envio da solicitação à Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas, pelo


e-mail cenpgabinete@edunet.sp.gov.br aos cuidados da Comissão Especial
constituída para essa finalidade, até 04/09/2009.
 4. autorização a ser concedida pela Comissão Especial, sediada na
Cenp, até 18/09/2009.
 5. efetiva atribuição e início das aulas, após concedida a devida
autorização, até 14/08/2009.
 Observação: a atribuição de aulas e o início das atividades somente
poderão ocorrer após autorização concedida pela Comissão Especial. No
caso de eventual descumprimento, a autoridade responsável
responderá pelas irregularidades assumidas.
 6. Encerrado o processo de autorização, a Diretoria de Ensino
encaminhará às respectivas Coordenadorias de Ensino e à
Coordenadoria de Estudos e Normas e Pedagógicas, relatório com as
turmas autorizadas, acompanhadas das respectivas justificativas.
 b) dada a impossibilidade do docente portador de licenciatura plena em
Pedagogia ter aulas atribuídas para exercer a docência como professor
alfabetizador no Ciclo II do Ensino Fundamental ou Médio, os
Professores Coordenadores de Alfabetização e de Língua Portuguesa
das Oficinas Pedagógicas, deverão capacitar os portadores de
licenciatura plena em Letras que vierem a se candidatar à docência
dessas aulas.
Ficamos Felizes com o retorno de vocês.
Equipe do Ciclo I.

Ficamos Felizes com o retorno de vocês.


Equipe do Ciclo I.