Você está na página 1de 1

8 CONGRESSO DE EDUCAO AGRCOLA SUPERIOR

07 a 11 de Outubro de 2013 - Cascavel, Paran, Brasil

ADUBAO NITROGENADA NO CULTIVO DA LINHAA DOURADA (LINUS USITATISSIMUM)


Reginaldo Ferreira Santos, Nelson Zornitta, Reinaldo Aparecido Bariccatti, Marinez Carpiski, Marlise Aparecida dos Santos.

INTRODUO
A linhaa (LinumusitatissimumL.) pertence a Famlia Linaceae, consiste de 9 gneros e 150 espcies. Para a aplicao de nitrognio na cultura necessrio, avaliar as doses a serem utilizadas, pois o excesso de nitrognio pode reduzir os teores de acares e vitamina C favorecendo a proliferao de pragas e doenas (MARSCHNER, 1995). Dados atuais mostram que a produo de massa seca e a distribuio de biomassa tambm dependem de nutrio com nitrognio (DIEPENBROCK e PORKSEN 1992). Nesse sentido, o trabalho teve como objetivo avaliar o comportamento da cultura da linhaa a variao de doses de nitrognio em condies de cultivo na regio Oeste do Paran.

MATERIAL E MTODOS
O experimento foi conduzido em rea experimental pertencente a UNIOESTE em Cascavel, Paran, Brasil. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com seis doses de nitrognio (0, 112,5, 225, 337,5, 450 e 562,5 kg ha-1) na forma de uria, com cinco repeties. A unidade experimental foi composta de 13 linhas de 2,5 m de comprimento com espaamento entre linhas de 0,40m e suas respectivas bordaduras. Os dados coletados foram: altura de planta, nmeros de hastes, de cpsulas, de flores e rea foliar. Os resultados obtidos foram submetidos anlise de varincia e a interao entre os fatores bem como suas mdias foram comparadas atravs do teste de Tukey a 1 e 5% de probabilidade de erro, com a utilizao do pacote estatstico Assistat verso 7.5 beta (Silva e Azevedo, 2002).

Observando o comportamento dos dados apresentados na Figura 1, com exceo da varivel nmero de haste de planta, que no sofreu influncia da aplicao de nitrognio, em funo possivelmente da alta variabilidade das amostras. De acordo com Almeida et al. (2000) as respostas aplicao do N podem ser afetadas por qualquer tipo e nvel de estresse. Van Raij (1991), por ser um elemento afetado por uma dinmica complexa devido ao ciclo da cultura, ao sistema radicular, cultivar utilizada, s condies de clima e situao do solo no local de semeadura, como, por exemplo, cultura anterior, teor de matria orgnica, compactao do solo, textura e irrigao, o que permite respostas diferenciadas de um ano para outro at mesmo na prpria rea.

RESULTADOS E DISCUSSO
Nas figuras a seguir pode ser observado o comportamento das variveis biomtricas de crescimento determinados no perodo de florescimento.

CONCLUSES
Responde positivamente a fertilizao de N. Aps ser suprida sua necessidade, passa a apresentar decrscimo nas variveis analisadas, com exceo do nmero de hastes.

Você também pode gostar