Você está na página 1de 13

Associação de Ensino Superior e Tecnológico do Piauí-

AEST
Faculdade de Saúde, Ciências Humanas e
Tecnológicas do Piauí- NOVAFAPI

TELEATENDIMENTO
FISIOTERAPÊUTICO

Acadêmica: Manuella Simplicio Viana de Carvalho


Orientador: Prof. João Luiz Vieira Ribeiro
INTRODUÇÃO
 O teleatendimento fisioterapêutico ou telereabilitação é um serviço que oferece
ao paciente assistência a sua doença, tendo a possibilidade de ser oferecido
em sua casa, a qualquer distância de grandes centros de saúde, sem
necessidade do deslocamento do paciente ou da presença, nem sempre
possível, do fisioterapeuta.

 Diante da formação do fisioterapeuta no século XXI é importante utilizar os


benefícios da tecnologia para promover a saúde no Brasil e diminuir as
distâncias físicas.

 Esta monografia descreve o estado da arte da telefisioterapia, baseando-se na


abordagem do tema pela literatura especializada mundial, através da definição
dos principais conceitos envolvidos, descrevendo as principais aplicações já
realizadas em teleatendimento fisioterapêutico e mostrando em que serviços
essas experiências já foram realizadas no mundo.
REVISÃO DE LITERATURA
 2.1 FISIOTERAPIA: UMA CIÊNCIA MODERNA
• Ciência que utiliza os meios físicos e naturais na promoção da saúde,
prevenção de doenças e reabilitação dos indivíduos, com o objetivo de
proporcionar sua manutenção ou reintegração das atividades cotidianas.

• Antiguidade:
- Preocupação com as pessoas que apresentavam as chamadas
“diferenças incomôdas”.
- Desejava eliminá-las através de recursos, técnicas, instrumentos e
procedimentos.

• Idade média:
- Interrupção no avanço dos estudos e da atuação na área da saúde.
- O corpo humano passa a ser considerado algo inferior.
REVISÃO DE LITERATURA
• Renascimento:
- Preocupação com o tratamento e os cuidados com o organismo lesado e
manutenção em organismos são.

• Industrialização :
- Surgiram e proliferaram-se novas doenças como as epidemias de cólera e
tuberculose pulmonar.

• Final do século XX:


- Fisioterapia passa a fazer parte da chamada “Área da Saúde” tendo seus
recursos e formas de atuação quase que voltadas exclusivamente ao
atendimento do indivíduo doente.

• Atualmente:
- Preocupação da fisioterapia com a prevenção, promoção e manutenção da
saúde, além da reabilitação e reintegração social do indivíduo.
REVISÃO DE LITERATURA
 2.2 TELEMÁTICA

• A telemática é a aplicação de serviços à distância com a utilização


de recursos da telecomunicação e da informática, podendo ser
especificadamente utilizada na área da saúde com o intuito de
promoção de saúde, controle de doenças e instrução ao paciente
ou comunidade.

• A telereabilitação é uma nova área emergente da Fisioterapia, que


facilita a implementação de programas de tratamento, devido à
diminuição do número de visitas ao domicílio normalmente
realizadas pelo fisioterapeuta e o complemento às terapias
efetuadas na clínica. É um serviço focado no paciente, realizado em
casa e que oferece assistência à sua doença, podendo este
também ser responsável por parte da sua reabilitação.
OBJETIVOS
 Geral:

• Descrever o estado da arte do teleatendimento fisioterapêutico na


literatura especializada mundial.

 Específicos:

• Definir os conceitos vigentes na literatura sobre o teleatendimento


fisioterapêutico;

• Descrever as aplicações atualmente citadas na literatura,


utilizadas no teleatendimento fisioterapêutico;

• Listar as atuais experiências descritas na literatura em


teleatendimento fisioterapêutico.
METODOLOGIA

 A pesquisa realizada foi uma revisão de literatura desenvolvida nas


bases de dados da BVS, classificadas como saúde geral: Lilacs,
Scielo, Medline, Cochrane, sobre artigos publicados no período de
1995 a 2008. Utilizou-se como unitermos para a busca dos artigos:
telemedicina + fisioterapia; reabilitação + fisioterapia e telemática,
em três idiomas: português, inglês e espanhol.

 Os 13 artigos incluídos no estudo foram avaliados através da leitura


sistemática buscando-se retirar de seus textos: os principais
conceitos empregados no teleatendimento fisioterapêutico; as
descrições das principais aplicações fisioterapêuticas usando a
telemática; as experiências já implantadas em teleatendimento
fisioterapêutico no mundo. Após coletados, os dados foram
avaliados de forma qualitativa, buscando avaliar o estado da arte da
telefisioterapia como é visto pela literatura atual.
RESULTADOS E DISCUSSÃO
 Nos 13 artigos avaliados, encontrou-se, como principais termos
usados na área, a listagem descrita no QUADRO I.
TERMOS ARTIGOS
Telereabilitação 8
Videoconferência 7
Telemedicina 4
Reabilitação em casa 2
Realidade Virtual 2
Terapeuta móvel 2
Tecnologia da informação 2
Tecnologia remota 1
Tecnologia da videoconferência 1
Tecnologia de assistência 1
Terapias da reabilitação 1
Monitorização à distância 1
Telereabilitação Multiplicada 1
Telemática 1
Telesaúde 1
Recuperação Funcional 1
RESULTADOS E DISCUSSÃO
 Aplicações

• Primeira:
- Baseia-se no diagnóstico da mobilidade funcional domiciliar e no
treinamento do exercício de mobilidade (mobilidade da cozinha,
transição entre locais, entrar/sair de casa) em tempo real, com
acompanhamento do exercício de mobilidade nas dependências da
residência do paciente.

- No início e no fim de cada acompanhamento, o fisioterapeuta


interage diretamente com o paciente em seu domicílio, inicialmente
para o diagnóstico ergonômico e ao final para a avaliação da
orientação e treinamento monitorado. Durante todo o
desenvolvimento do tratamento foi mantida uma comunicação
contínua entre o fisioterapeuta, no centro de saúde, na
universidade, e o paciente, em sua residência.
RESULTADOS E DISCUSSÃO
 A outra aplicação, de monitoramento por realidade virtual,
encontra-se descrita em cinco artigos diferentes de um
mesmo grupo de pesquisadores. Nas suas experiências
fizeram aplicações com 6 indivíduos (uma mulher e cinco
homens) entre 8 meses e quatro anos de pós-trauma,
utilizando exercícios simulados de punho e tornozelo.
Durante a sessão, o terapeuta avalia o desempenho do
paciente e também modifica o exercício atual, ou os
seguintes, conforme os dados fornecidos pelo
equipamento (luva ou tornozeleira) ao sistema
computadorizado.
RESULTADOS E DISCUSSÃO
 Experiências

• A primeira aplicação tem apenas uma experiência com um grupo de 13


adultos com idade média entre 42 e 79 anos ao qual haviam sido
prescritas cadeiras de roda. Nesta experiência foram excluídos os
pacientes com prejuízo cognitivo e aqueles cuja expectativa de vida
era menos de 6 meses, conforme informação médica.

• A segunda experiência encontrada, foi realizada no laboratório de


Nova Jersey como projeto-piloto em indivíduos na fase crônica de pós-
trauma. Os pacientes participaram de um regime de treinamento de 12
sessões por quatro semanas. Durante as primeiras três semanas do
estudo, o terapeuta e um assistente do terapeuta estavam no local
com o paciente. A telerreabilitação foi iniciada durante a 4ª semana de
treinamento.
CONCLUSÕES FINAIS

 O teleatendimento fisioterapêutico ou telereabilitação é um serviço


focado no paciente, realizado em casa e que oferece ao paciente
assistência à sua doença, sendo este um elemento importante na
sua própria reabilitação. Portanto, através das inovações
tecnológicas o fisioterapeuta pode oferecer novas possibilidades de
atenção aos pacientes com diversos tipos de deficiências motoras.
Como vimos, já existem aplicações e experiências que podem vim
a se tornar realidade no dia-a-dia, como o uso da monitoração para
adaptação ergonômica de pacientes com deficiências físicas e
monitoração de exercícios fisioterapêuticos de manutenção em
acompanhamento ambulatorial, usando recursos de realidade
virtual.
OBRIGADA !!!!!