Você está na página 1de 21

Resistência de Materiais

Gisele Duarte Caboclo, M. C.


giselecaboclo@yahoo.com.br

Aula 4
Problemas estaticamente
indeterminados
• Em alguns problemas as forças internas não
podem ser determinadas apenas com as
equações da estática

• Considerações geométricas do corpo


Exemplo 2.02

Uma barra de comprimento L e área da secção transversal


A1, com módulo de elasticidade E1, foi colocada dentro de um
tubo de mesmo comprimento L, mas de área de secção
transversal A2 e módulo de elasticidade E2. Qual é a
deformação da barra e do tubo, quando uma força P é
aplicada por meio de uma placa rígida?
• Da geometria do problema:
P1 L P2 L
δ1 = δ2 =
A1 E 1 A2 E 2
• A deformação nas duas barras devem ser iguais
P1 P
= 2
A1 E 1 A2 E2

A1 E1 P A2 E2 P
P1 = P2 =
A1 E1 + A2 P2 A1 E1 + A2 P2

• A deformação das barras pode ser calculada por


qualquer uma das equações
Exemplo 2.03

A barra AB de comprimento L e secção transversal


de área constante é presa a suportes indeslocáveis
em A e B antes de ser carregada. Quais são os
valores das tensões em AC e BC, devido à aplicação
da carga P no ponto C?

R A + RB = P
A deformação da barra
deve ser nula: δ = δ1 + δ 2 = 0

P1 L1 PL
δ= + 2 2 =0
AE AE

P1 = R A P2 = − RB

RA L1 − RB L2 = 0

Utilizando a eq. 1 e a
última eq.:
PL2 PL1
RA = RB =
L L

Podemos calcular as tensões nas partes AC e BC


dividindo P1=RA e P2=RB, respectivamente, pela área
Método da superposição

• Uma estrutura é estaticamente indeterminada


quando estiver ligada a mais suportes do que o
necessário para manter seu equilíbrio

• O número de equações a determinar é maior que


o número de equações de equilíbrio

• Estrutura superabundante ⇒ Força desconhecida


Exemplo 2.04

A barra de aço é presa


a dois apoios fixos A e
B. Determinar as
reações nestes apoios
quando se aplica o
carregamento
indicado.
• Reação em B ⇒ superabundante (retira-se o apoio
e deixa-se o carro livre nesta extremidade).
• RB será uma força desconhecida
Pi Li
A barra é dividida em quatro partes . δ =∑
Da equação temos a i Ai Ei

deformação δ F

P1 = 0 P2 = P3 = 600 x103 N P4 = 900 x103 N

A1 = A2 = 400 x10 −6 m 2 A3 = A4 = 250 x10 −6 m 2

L1 = L2 = L3 = L4 = 0,150m
PL  600 x103 N 600 x103 N 900 x103 N  0,150m
δF = ∑ i i = 0 + −6 2
+ −6 2
+ −6

2 
i Ai Ei  400 x10 m 250 x10 m 250 x10 m  E
1,125 x109
δF =
E

Para a determinação de δ R devido à RB,


divide-se a barra em duas partes e
escreve-se:
P1 = P2 = − RB

A1 = 400 x10 −6 m 2 A2 = 250 x10 −6 m 2


L1 = L2 = 0,300m

P1 L1 P2 L2 1,95 x103 RB
Para o cálculo da deformação, δ= + =−
AE AE E
temos:
Como a deformação da barra deve ser
igual a zero:
δ = δF +δR = 0

Levando os valores de δ F e δ R, na equação


anterior, temos: 1,125 x109 (1,95 x103 ) RB
δ= − =0
E E
Dessa última expressão calcula-se o
valor de Rb
Rb = 577 x10 N = 577kN
3

A reação de RA no apoio superior e é obtida


do diagrama de corpo livre da barra. Tem-
se então:
∑F v = 0; RA − 300kN − 600kN + RB = 0

RA = 900kN − RB = 900kN − 577 kN = 323kN


Exemplo 2.05

Calcular as reações em A e B, na barra do


exemplo anterior supondo que existe uma
distância de 4,5mm entre a barra e o apoio B,
quando o carregamento é aplicado. Adotar
E=200GPa.
• Considerar como superabundante o apoio em B
• Calcular as deformações δ F e δ R
• A barra pode ser alongada, logo sua deformação
não é nula (δ =4,5mm)

δ = δ F + δ R = 4,5 x10 −3 m

Utilizando os valores de δ F e δ R que foram


calculados no exercício anterior na equação
acima, e lembrando que E=200GPa:
1,125 x109 (1,95 x103 ) RB −3
δ= 9
− 9
= 4,5 x10
200 x10 200 x10
Essa expressão nos leva ao valor de RB

RB = 115,4 ×103 N = 115,4kN

A reação no apoio A é obtida do diagrama de corpo


livre da barra:

∑F v = 0; RA − 300kN − 600kN + RB = 0

RA = 900kN − RB = 900kN − 155,4kN = 785kN


Um poste de concreto armado de 1,5m de
comprimento tem seis barras de aço de 22mm de
diâmetro. Sabendo-se que Es=200GPa e que
Ec=20GPa, determinar a tensão normal no concreto
quando uma força axial de 900kN é aplicada ao
poste.
Pc L Ec Acδ
Pc= Força axial no poste δ= Pc =
Ac Ec L
de concreto
Ps= Força nas seis varas Ps L Es Asδ
δ= Ps =
de aço As Es L

δ
P = Pc + Ps = ( Ec Ac + Es As )
L
δ P
ε= =
L Ec Ac + Es As
π 2
As = 6 d s = 1,5 ⋅ 3,14 ⋅ ( 22 x10 ) = 2279,64 x10 −6 m 2
−3 2

4
Ac = ( bxh ) c − As
( )
= 250 x10 −3 ⋅ 250 x10 −3 − 2279 x10 −6 = 0,06m 2
L = 1,5m
− 900 x103
ε= = −543, 47 x10 −6

( 20 x109 ⋅ 0,06) + ( 200 x109 ⋅ 0,00228)


σ s = Esε = 200 x109 ⋅ ( − 543,47 x10 −6 ) = −108694kPa
σ s = Esε = 20 x109 ⋅ ( − 543,47 x10 −6 ) = −1089,4kPa
Uma placa rígida transmite ao bloco composto da
figura uma força axial centrada P=385kN.
Determinar as tensões normais: a) na placa interna
de aço; b) nas placas externas de alumínio.
Placa interna de aço
Placa rígida
Placa de
alumínio

200mm

50mm
20mm
30mm
20mm
Pb= Carga axial na placa
interna de aço
Pa= Carga nas placas de
alumínio Pb L Eb Abδ
δ= Pb =
Ab Eb L

Pa L Ea Aaδ
δ= Pa =
Aa Ea L

δ
P = Pb + Pa = ( Eb Ab + Ea Aa )
L

δ P
ε= =
L Eb Ab + Ea Aa
Ab = (30mm) x(50mm) = 1500 x10 −6 m 2
Aa = 2.(20mm).(50mm) = 2000 x10 −6 m 2

− 385 x103
ε= −6 −6
= 0,002
(105 x10 x1500 x10 + 70 x10 x 200 x10 )
9 9

σ b = Ebε = 105 x109 x0,002 = 210 MPa


σ a = Eaε = 70 x109 x0,002 = 140MPa

Você também pode gostar