Você está na página 1de 22
Problemáticas Curriculares em Alunos com NEE Das adaptações Curriculares aos Currículos Escolares Próprios
Problemáticas Curriculares em Alunos com NEE Das adaptações Curriculares aos Currículos Escolares Próprios
Problemáticas Curriculares
em Alunos com NEE
Das adaptações Curriculares aos
Currículos Escolares Próprios
CIF - Classificação internacional  OMS – 2001  Modelo Social de Participação - valorização da

CIF - Classificação internacional

 OMS – 2001  Modelo Social de Participação - valorização da função social - respeito
OMS – 2001
Modelo Social de Participação
-
valorização da função social
-
respeito pela diferença “Direito à Diferença”
-
Influências : VYGOTSKI (Área de desenvolvimento Potencial);
BANDURA (Teoria da Aprendizagem Social);
CONSTRUTIVISMO (Aprendizagem Significativa)
a Classificação Internacional de Deficiências, Incapacidades e
Desvantagens, distinguindo três níveis de caracterização das pessoas
portadoras de deficiências:

da Funcionalidade, Incapacidade e Saúde

Em 1980, Philip Wood preparou para a Organização Mundial de Saúde

CIF - Classificação Internacional da Funcionalidade  Deficiência  Deficiência representa toda a alteração do corpo
CIF - Classificação Internacional da Funcionalidade  Deficiência  Deficiência representa toda a alteração do corpo
CIF - Classificação Internacional da
Funcionalidade
Deficiência
Deficiência representa toda a alteração do corpo ou da
aparência física, de um órgão ou de uma função qualquer
que ela seja. Em termos gerais, reflectem perturbações ao
nível do órgão. (aspecto médico)
Incapacidade
Reflecte as consequências das deficiências em termos de
desempenho e actividade funcional do indivíduo.
Representam perturbações ao nível da própria pessoa.
(aspecto funcional)
Desvantagem (handicap)
Diz respeito aos prejuízos sofridos pelo indivíduo devido à
deficiência ou incapacidade. Inclui aspectos referentes à
adaptação do indivíduo na sua interacção com o meio.
(aspecto social)
CIF e Interacção dos Conceitos  Interacção Incapacidade (Meio físico) Doença Deficiência Deficiência Deficiência Desvantagem Deficiência
CIF e Interacção dos Conceitos  Interacção Incapacidade (Meio físico) Doença Deficiência Deficiência Deficiência Desvantagem Deficiência
CIF e Interacção dos Conceitos
Interacção
Incapacidade
(Meio físico)
Doença
Deficiência
Deficiência
Deficiência
Desvantagem
Deficiência
(meio interno)
(meio interno)
(meio interno)
(Meio Social)
(meio interno)
Categorias Principais de DEFICIÊNCIA Categorias Principais de DEFICIÊNCIA 1. Deficiências intelectuais 2. Outras deficiências intelectuais 3.
Categorias Principais de DEFICIÊNCIA Categorias Principais de DEFICIÊNCIA 1. Deficiências intelectuais 2. Outras deficiências intelectuais 3.
Categorias Principais de
DEFICIÊNCIA
Categorias Principais de DEFICIÊNCIA
1. Deficiências intelectuais
2.
Outras deficiências intelectuais
3.
Deficiências da linguagem
4.
Deficiências da audição
5.
Deficiências da visão
6.
Deficiências dos outros órgãos
7.
Deficiências músculo-esqueléticas
8.
Deficiências estéticas
9.
Deficiências das funções gerais,
sensitivas e outras
Categorias Principais de DEFICIÊNCIA Categorias Principais de DEFICIÊNCIA 1. Deficiências intelectuais 2. Outras deficiências intelectuais 3.
Categorias Principais de INCAPACIDADE Categorias Principais de Incapacidade: 1. Incapacidades no comportamento 2. Incapacidades na comunicação

Categorias Principais de INCAPACIDADE

Categorias Principais de Incapacidade: 1. Incapacidades no comportamento 2. Incapacidades na comunicação 3. Incapacidades no cuidado
Categorias Principais de Incapacidade:
1. Incapacidades no comportamento
2.
Incapacidades na comunicação
3.
Incapacidades no cuidado pessoal
4.
Incapacidades na locomoção
5.
Incapacidades no posicionamento do corpo
6.
Incapacidades da destreza
7.
Incapacidades face a situações
8.
Incapacidades referentes a aptidões
particulares
9.
Outras restrições da actividade
Categorias Principais de INCAPACIDADE Categorias Principais de Incapacidade: 1. Incapacidades no comportamento 2. Incapacidades na comunicação
Categorias Principais de DESVANTAGEM  1. Desvantagem na orientação (capacidade do sujeito para receber os sinais
Categorias Principais de DESVANTAGEM  1. Desvantagem na orientação (capacidade do sujeito para receber os sinais

Categorias Principais de DESVANTAGEM

  • 1. Desvantagem na orientação

(capacidade do sujeito para receber os sinais do meio, assimilar

e dar-lhes resposta adequada),

2.

Desvantagem na independência física

(capacidade da pessoa ter uma existência independente),

3.

Desvantagem na mobilidade

(capacidade da pessoa se deslocar no meio),

4.

Desvantagem na capacidade de ocupação

(capacidade da pessoa para usar o seu tempo de uma forma

normal, de acordo com o seu sexo, idade e cultura)

5.

Desvantagem na integração social

(capacidade da pessoa para estabelecer e manter relações sociais

6.

Desvantagem na independência económica

(capacidade da pessoa para manter uma independência

económica normal, considerando o sexo, idade e cultura).

7.

Outras desvantagens

Prescrito Modelos de Organização Curricular Docentes como executores Concepção Desenvolvimento Curricular Execução Currículo = Programa 
Prescrito
Prescrito
Prescrito Modelos de Organização Curricular Docentes como executores Concepção Desenvolvimento Curricular Execução Currículo = Programa 

Modelos de Organização Curricular

Docentes como executores Concepção Desenvolvimento Curricular Execução
Docentes como
executores
Concepção
Desenvolvimento
Curricular
Execução

Currículo = Programa

O programa é um conjunto de instruções, é uma

previsão da organização possível, neste caso de conteúdos

ou de competências. Este serve apenas como meio para

Prescrito Modelos de Organização Curricular Docentes como executores Concepção Desenvolvimento Curricular Execução Currículo = Programa 

que as aprendizagens ocorram.

Currículo com carácter Prescritivo e Normativo

Função Instrumental das Aprendizagens

 Modelos de Organização Curricular Configuração Escola a Escola Pensar, executar, avaliar e repensar Modelo de

 Modelos de Organização Curricular Configuração Escola a Escola Pensar, executar, avaliar e repensar Modelo de
 Modelos de Organização Curricular Configuração Escola a Escola Pensar, executar, avaliar e repensar Modelo de

Modelos de Organização Curricular

Configuração Escola a Escola Pensar, executar,
Configuração
Escola a Escola
Pensar,
executar,
avaliar e repensar
avaliar e
repensar

Modelo de Flexibilização Curricular

Currículo = Projecto

Projecto é sempre um

processo adequado a um

contexto específico

Currículo Flexível e

Aberto

Função de intervenção e

apropriação

Orientações
Orientações
 Modelos de Organização Curricular Configuração Escola a Escola Pensar, executar, avaliar e repensar Modelo de

Desenvolvimento

Curricular

Flexibilidade Curricular  É a principal característica de um currículo Aberto;  É a possibilidade de:
Flexibilidade Curricular
É a principal característica de um currículo Aberto;
É a possibilidade de:
-
Reorganização da estrutura
-
Sequencialização das aprendizagens
-
Definição dos Processos de Ensino-Aprendizagem
-
Definição de modelos de Avaliação
Características/Necessidades/Expectativas
dos Alunos
Da Flexibilidade Curricular às Adaptações Curriculares Princípio Organizador Quadro – Síntese Flexibilidade Curricular Princípio Orientador Diferenciação
Da Flexibilidade Curricular às
Adaptações Curriculares
Princípio Organizador
Quadro – Síntese
Flexibilidade Curricular
Princípio Orientador
Diferenciação Pedagógica
Marco de Referência
Proposta Curricular Nacional
(Currículo Comum)
Projecto Curricular Escola
Ajustamentos
Projecto Curricular Turma
Curriculares
Adaptações Curriculares
NÍVEIS DE ADAPTAÇÃO CURRICULAR Tabela Nível Elementos curriculares Relação/Currículo Comum 1 Organização/Disposição Menor Afastamento Espaço 2
NÍVEIS DE ADAPTAÇÃO
CURRICULAR
Tabela
Nível
Elementos curriculares
Relação/Currículo
Comum
1
Organização/Disposição
Menor Afastamento
Espaço
2
Estratégias e Actividades
3
Recursos Educativos
4
Momentos, formas e critérios
de Avaliação
5
Estruturação do Tempo
6
Conteúdos
7
Objectivos Maior Afastamento
ADAPTAÇÕES CURRICULARES  Adaptações curriculares constituem um conjunto de modificações que se realizam em diversos níveis:
ADAPTAÇÕES CURRICULARES  Adaptações curriculares constituem um conjunto de modificações que se realizam em diversos níveis:
ADAPTAÇÕES CURRICULARES
Adaptações curriculares constituem um conjunto de
modificações que se realizam em diversos níveis:
-
Objectivos
-
Conteúdos
-
Recursos
-
Metodologias, actividades e estratégias
-
Critérios e procedimentos de avaliação
para atender às diferenças individuais dos alunos.
[resposta às necessidades de cada aluno]
ADAPTAÇÕES CURRICULARES  As adaptações distinguem-se em dois grupos: 1. Adaptações Metodológicas e Didácticas 2. Adaptações
ADAPTAÇÕES CURRICULARES  As adaptações distinguem-se em dois grupos: 1. Adaptações Metodológicas e Didácticas 2. Adaptações
ADAPTAÇÕES CURRICULARES
As adaptações distinguem-se em dois grupos:
1.
Adaptações Metodológicas e Didácticas
2.
Adaptações nos Conteúdos Curriculares e
no Processo Avaliativo
Adaptações Metodológicas e Didácticas aprendizagem, na avaliação e nas actividades programadas. Dizem respeito a: curriculares, sem
Adaptações Metodológicas e Didácticas aprendizagem, na avaliação e nas actividades programadas. Dizem respeito a: curriculares, sem
Adaptações Metodológicas e Didácticas
aprendizagem, na avaliação e nas actividades programadas.
Dizem respeito a:
curriculares, sem prejuízo das actividades docentes;
utilizar
diferenciação
ao
nível
de
procedimentos e instrumentos de avaliação,
necessário, sem alterar os objectivos da avaliação
conteúdo;

Incidem nos métodos, nas técnicas e estratégias de ensino-

[Não se afastam muito do Currículo Comum = Diferenciação]

-

situar alunos nos grupos com os quais possa trabalhar

melhor;adoptar métodos e técnicas de ensino-aprendizagem

específicas para o aluno, operacionalização dos conteúdos

técnicas,

-

quando

nem o seu

Adaptações Metodológicas e Didácticas - propiciar suportes de apoio físico, visual, verbal e gestual ao aluno
Adaptações Metodológicas e Didácticas
-
propiciar suportes de apoio físico, visual, verbal e gestual ao
aluno de modo a permitir a realização das suas actividades
escolares e do processo avaliativo. (O apoio pode ser oferecido
pelo professor regular, pelo professor de apoio ou pelos próprios colegas)
-
introduzir actividades individuais complementares para o
aluno alcançar os objectivos comuns aos demais colegas.
(Essas actividades podem realizar-se na própria sala de aula, na sala de
recursos ou em locais escolhidos, devendo realizar-se de forma conjunta
com os professores regulares das diversas áreas, a família ou os colegas)
-
eliminar actividades que não beneficiem o aluno ou que
restrinjam a sua participação activa e real ou, ainda, as que
ele esteja impossibilitado de executar.
Adaptações nos Conteúdos Curriculares e no Processo Avaliativo - Adequar os objectivos, conteúdos e critérios de
Adaptações nos Conteúdos Curriculares
e no Processo Avaliativo
-
Adequar os objectivos, conteúdos e critérios de avaliação,
modificando-os de modo a considerar, na sua realização, a
capacidade do aluno em relação ao proposto para os demais
colegas; Hierarquizar em função de prioridades,
determinados objectivos, conteúdos e critérios de avaliação;
-
Enfatizar objectivos respeitantes à(s) deficiência(s) do aluno
não abandonando os objectivos definidos para a sua turma,
mas acrescentando aqueles relativos às complementações
curriculares específicas, para a minimização das suas
dificuldades e desenvolvimento do seu potencial;
Adaptações nos Conteúdos Curriculares e no Processo Avaliativo - mudar a temporalidade dos objectivos, conteúdos e
Adaptações nos Conteúdos Curriculares
e no Processo Avaliativo
-
mudar a temporalidade dos objectivos, conteúdos e critérios de
avaliação de desempenho do aluno. Desse modo, deve-lhe ser
concedido o tempo necessário para o processo ensino-
aprendizagem e para o desenvolvimento das suas habilidades,
considerando a deficiência que possui.
-
introduzir conteúdos, objectivos e critérios de avaliação -
acrescentar esses elementos na acção educativa pode ser
indispensável à educação do aluno. (O acréscimo de objectivos,
conteúdos e critérios de avaliação não pressupõe a eliminação ou redução
dos elementos constantes do currículo oficial referentes ao nível de
escolarização do aluno.)
Considerações Necessárias  Antes de se proceder a qualquer tipo de Adaptações Curriculares é indispensável: •
Considerações Necessárias
Antes de se proceder a qualquer tipo de Adaptações
Curriculares é indispensável:
Estabelecer uma avaliação precisa do aluno;
Definir as suas NEE;
Analisar o currículo regular e decidir quais as NEE
que este pode ou não “cobrir”;
Definir situações educativas para atendimento
específico das NEE;
Identificar necessidades da Escola ao nível dos
recursos;
Analisar o PCT;
Currículos Específicos  Os alunos com NEE mais problemáticas e complexas que não conseguem acompanhar o
Currículos Específicos  Os alunos com NEE mais problemáticas e complexas que não conseguem acompanhar o
Currículos Específicos
Os alunos com NEE mais problemáticas e complexas que
não conseguem acompanhar o Currículo Comum,
necessitam de um percurso específico.
Neste contexto surgem 2 tipos de Currículos:
padrão os currículos do regime educativo comum, são
adaptados ao grau e tipo de deficiência;
• CURRÍCULOS ALTERNATIVOS, destinados a
proporcionarem a aprendizagem de conteúdos específicos.

CURRÍCULOS ESCOLARES PRÓPRIOS que, tendo como

CURRÍCULOS ESCOLARES PRÓPRIOS  Afastam-se do Currículo Comum  Implicam redução de disciplinas ou redução substancial
CURRÍCULOS ESCOLARES PRÓPRIOS  Afastam-se do Currículo Comum  Implicam redução de disciplinas ou redução substancial
CURRÍCULOS ESCOLARES
PRÓPRIOS
Afastam-se do Currículo Comum
Implicam redução de disciplinas ou
redução substancial de conteúdos e
objectivos no âmbito das disciplinas ou
áreas curriculares;
Podem implicar impedimentos na
aquisição de habilitações Académicas;
Podem ser complementados com
Planos de Transição para a Vida Activa
    CURRÍCULOS ALTERNATIVOS São currículos Especiais Deficiência Mental Currículos Funcionais Ausência de componentes
 

    CURRÍCULOS ALTERNATIVOS São currículos Especiais Deficiência Mental Currículos Funcionais Ausência de componentes

CURRÍCULOS ALTERNATIVOS

    CURRÍCULOS ALTERNATIVOS São currículos Especiais Deficiência Mental Currículos Funcionais Ausência de componentes

São currículos Especiais

Deficiência Mental

Currículos Funcionais

Ausência de componentes Académicas

Pretendem garantir o direito a uma vida de qualidade enfatiza-se a autonomia e a integração familiar,social e laboral.

    CURRÍCULOS ALTERNATIVOS São currículos Especiais Deficiência Mental Currículos Funcionais Ausência de componentes