Você está na página 1de 8

A ARTE ESPRITA E O SEU PAPEL NA CASA ESPRITA

H um elemento, que se no costuma fazer pesar na balana e sem o qual a cincia econmica no passa de simples teoria. Esse elemento a educao, no a educao intelectual, mas a educao moral. No nos referimos, porm, educao moral pelos livros e sim que consiste na arte de formar os caracteres, que incute hbitos, porquanto a educao o conjunto dos hbitos adquiridos.
Allan Kardec, O Livro dos Espritos, q.685

1. Conceito
As Artes no sairo do torpor em que jazem, seno por meio de uma reao no sentido das idias espiritualistas.[...]

[...] matematicamente certo dizer que, sem crena as artes carecem de vitalidade e que toda transformao filosfica acarreta necessariamente uma transformao artstica paralela.
Allan Kardec Obras Pstumas A arte pura a mais elevada contemplao espiritual por parte das criaturas. Ela significa a mais profunda exteriorizao do ideal, a divina manifestao desse mais almque polariza as esperanas das almas. Emmanuel O Consolador

Trabalho artstico do Sr. Vicente Avela, a partir da descrio de Emmanuel a Chico Xavier 1984.

"A Arte Esprita uma manifestao cultural dos espritas que se propem a aliar os princpios e valores ticos e morais do Espiritismo s manifestaes artsticas em geral, por meio da arte-educao, a servio do bem e do belo. A Arte Esprita traduz os postulados espritas em seu contedo, na finalidade e na inteno que inspirou o processo criativo e na nascente do corao que se prope a servir".
Arte Esprita, FEB, 2010

2. Objetivos
A Arte Esprita tem por objetivo a divulgao da Doutrina Esprita, aliada ao entretenimento e educao, luz do Consolador prometido pelo Cristo.
Arte Esprita, FEB, 2010

A Ressurreio de Cristo Rafael (1502)

3. Em quais circunstncias empregar a Arte Esprita?


1. Na divulgao de contedo doutrinrio nas atividades de evangelizao infantojuvenil (teatro infantil, fantoches, msicas, dana, literatura infantil, jogral, etc.); 2. Nos eventos de confraternizao para harmonizar e/ou alegrar o ambiente (coral, grupos de msica, jogral/poesia); 3. Na harmonizao em palestras e eventos comemorativos (coral, grupos de msica, dana, pequenas dramatizaes, poesia, etc.); 4. Nas reunies de assistncia espiritual com algum carter comemorativo (palestra com arte, msica, declamao de poesia); 5. Nos eventos artsticos beneficentes para ajudar instituies espritas nas suas necessidades financeiras (peas teatrais, grupos de msicas, etc.); 6. Na divulgao da Doutrina Esprita para o grande pblico (cinema com temtica esprita, peas teatrais, grupos de msica, TV, Rdio, Internet, etc.); 7. Nos eventos especficos para grupos de arte para troca de experincias, tais como mostras de arte e shows artsticos; 8. Em algumas atividades da casa esprita onde possa usar-se a msica cantada ou instrumental, para fins de sensibilizao e preparao do ambiente.

Você também pode gostar