Você está na página 1de 29

Ensino Superior

Matemática Básica
Unidade 7 – Função Exponencial
Amintas Paiva Afonso
Função Exponencial
R R f ÷ :
Definição
R
Domínio
( ) | | · + = , 0 Im f
Imagem
( )
x
a x f =
1 0 = < a
*
+
R
( ) ( ) · + = , 0 Im f
( ) R f D =
Função Exponencial
( )
x
x f 2 =
x
1
2
3
4
...
..
x
x
y 2 =
2 2
1
= = y
4 2
2
= = y
8 2
3
= = y
16 2
4
= = y
x
y 2 =
y
1 2 1 ÷ 2 ÷
3 ÷
x
1
2
4
0
Representação Gráfica
Função Exponencial
( )
x
x g
|
.
|

\
|
=
2
1
x
1 2 2 ÷
y
1
4
0
1 ÷
2
Representação Gráfica
Função Exponencial
1 > a
Crescente
1 0 < < a
e Decrescent
( )
x
x f 2 =
1
2
1 ÷ 2 ÷ 3 ÷
x
y
1
2
4
( )
x
x g
|
.
|

\
|
=
2
1
0
Função Exponencial
Representação Gráfica
1
x
1,5
x
2
x
4
x
10
x
0,25
x
0,5
x
Equação Exponencial
32 2 =
x
81
9
1
=
|
.
|

\
|
x
171 3 3 3
1 1 2
= ÷ +
+ ÷ + x x x
0 9 3 10 9 = + · ÷
x x
Equação Exponencial
k x a a
k x
= · =
32 2 =
x
5
2 2 =
x
5 = x
( )
4 2
3 3 =
÷
x
4 2
3 3 =
÷ x
81
9
1
=
|
.
|

\
|
x
4 2 = ÷ x 2 ÷ = x
Equação Exponencial
63 9 3 3
1 2 1 2
= ÷ +
÷ + x x x
( ) 63 3
3
3
3 3
2
2
2
= ÷ + ·
x
x
x
63 3
3
3
3 3
2
2
2
= ÷ + ·
x
x
x
y
x
=
2
3
63
3
3 = ÷ + y
y
y
3
189 3 9 = ÷ + y y y
189 7 = y
27 = y
3 2
3 3 =
x
2
3
= x
Equação Exponencial
2 2 4 = ÷
x x
( ) 0 2 2 2
2
= ÷ ÷
x
x
( ) 0 2 2 2
2
= ÷ ÷
x x
y
x
= 2
1
1
÷ = y
1 2 ÷ =
x
1 = x
0 2
2
= ÷ ÷ y y
2
2
= y
2 2 =
x
Inequação Exponencial
32 2 ) >
x
a
81
9
1
) s
|
.
|

\
|
x
b
64 , 0 8 , 0 )
2
<
+ x
c
0 9 3 10 9 ) s + · ÷
x x
d
Inequação Exponencial
k x
a a >
32 2 >
x
5
2 2 >
x
5 > x
( )
2 1
9 9 s
÷
x
2
9 9 s
÷x
2 s ÷ x
2 ÷ > x
1 , > > a se k x
1 0 , < < s a se k x
81
9
1
s
|
.
|

\
|
x
Inequação Exponencial
1 ÷ > x
64 , 0 8 , 0
2
<
+ x
100
64
8 , 0
2
<
+ x
100
64
8 , 0
2
<
+ x
10
8
8 , 0
2
<
+ x
8 , 0 8 , 0
2
<
+ x
1 2 > + x
Inequação Exponencial
y
x
= 3
1
1
= y
0 9 10
2
s + ÷ y y
9
2
= y
9 1 s s y
0 9 3 10 9 s + · ÷
x x
( ) 0 9 3 10 3
2
s + · ÷
x x
x
1
– – –
+ +
9
+ +
9 3 1 s s
x
2 0
3 3 3 s s
x
2 0 s s x
Inequação Exponencial
1
2 3
2
>
+ ÷ x x
x
1 0 1 0 0
2
> ¬ > ¬ = x
1 1 1 1 1
0
> ¬ > ¬ = x
Verificação se 0 ou 1
são soluções
F
V
{ } 1
1
= S
Inequação Exponencial
1
2 3
2
>
+ ÷ x x
x
0 2 3
2
x x
x x
>
+ ÷
C =
2
S
1 0 < < x
0 2 3
2
s + ÷ x x
1
1
= x 2
2
= x
x
1
– – –
+ +
2
+ +
2 1 s s x
Como
1 0 < < x
Supondo que
Inequação Exponencial
1
2 3
2
>
+ ÷ x x
x
0 2 3
2
x x
x x
>
+ ÷
Supondo que
2
3
> ¬ x S
1 > x
0 2 3
2
> + ÷ x x
1
1
= x 2
2
= x
x
1
– – –
+ +
2
+ +
2 1 > s x ou x
Como 1 > x
Inequação Exponencial
1
2 3
2
>
+ ÷ x x
x
Solução da inequação será
{ } 2 /
3
> e ¬ x R x S
3 2 1
S S S S =
C ¬
2
S
{ } 1
1
¬ S
{ } 2 1 / > = e = x ou x R x S
Exemplo 1
Uma aplicação da função exponencial – 1.º Exemplo
Considere uma população de bactérias em um meio nutriente
homogêneo. Suponha que colhendo amostras da população em
certos intervalos de tempo fique determinado que a população dobra
a cada uma hora. Se o número de bactérias no instante t for p(t),
onde t é medido em horas, e a população inicial for de p(0) = 1000
bactérias, então:
Após 1h ÷ p(1) = 2.p(0) = 2.1000 = 2000;
Após 2h ÷ p(2) = 2.p(1) = 2.2.1000 = 2
2
.1000 = 4000;
Após 3h ÷ p(3) = 2.p(2) = 2.2
2
.1000 = 2
3
.1000 = 8000;
Após th ÷ p(t) = 2.p(t-1) = .... = 2
t
.1000 = 2
t
.1000.
Exemplo 1
 Portanto, a função exponencial para este caso é definida por:
p(t) = 2
t
.1000.
 Assim, se quisermos saber de quanto será a população de
bactérias após 10 horas, basta substituir 10 na equação:
p(10) = 2
10
.1000 = 1024.1000 = 1.024.000 bactérias.
 Por outro lado, se a pergunta for: quanto tempo levará para a
população de bactérias chegar 128.000? Basta substituir p(t) por
128.000 e encontrar o valor de t.
128.000 = 2
t
.1000 ÷ 128.000/1000 = 2
t
÷ 2
7
= 2
t
,
portanto, t = 7 horas.
Exemplo 2
A importância do número “e”
 Dentre todas as bases possíveis para uma função exponencial, há
uma que é mais conveniente.
 Essa escolha leva em conta o coeficiente angular da reta tangente
ao gráfico da função exponencial.
 O que desejamos é um coeficiente angular exatamente m = 1, pois
facilitaria muito cálculos futuros.
 Para obtermos um coeficiente angular m = 1 para a reta tangente
à função exponencial, a base mais conveniente é o número “e”.
 O gráfico da função y = e
x
fica entre os gráficos das funções y = 2
x
e y = 3
x
.
Exemplo 2
Gráfico de y = e
x

Coeficiente angular: m = 1
Exemplo 2
Quem é “e”?
n
n
n
e
|
.
|

\
|
+ =
· ÷
1
1 lim
Empréstimo de R$ 800,00 para pagar depois de 3 meses, à
taxa de 5% am.
tempo (meses)
Montante (R$)
1
y = 800 (1,05)
t
y = 800 (1 + 0,05 . t)
2 3
882
880
920
840
800
926
Exemplo 3
Exemplo 4
Crescimento da Indústria do turismo nos últimos 50 anos.
tempo (ano)
T
u
r
i
s
t
a
s

i
n
t
e
r
n
a
c
i
o
n
a
i
s

(
e
m

m
i
l
h
õ
e
s
)

60 65 70
360
480
240
120
75 80 85 90 95
y = a
x
a > 1
Exemplo 5
Crescimento da população brasileira nos últimos 35 anos.
tempo (ano)
P
o
p
u
l
a
ç
ã
o

b
r
a
s
i
l
e
i
r
a

(
e
m

m
i
l
h
õ
e
s
)

70 80 90
169,1
185
166,1
90
99
y = 90 000 000 (1,018)
t
05
y = k.a
x
a > 1
Exemplo 6
Depreciação de 15%, a cada ano, de um veículo com valor de
R$ 35 000,00.
tempo (ano)
V
a
l
o
r

d
o

v
e
í
c
u
l
o

(
R
$
)

1 2 3
29 750
35 000
25 287
21 494
y = 35 000 (0,85)
t
y = k.a
x
0 < a = 1
Proposta de Atividades Práticas
 A empresa e o lucro L(t) = 3000 (1,5)
t

 A população de uma cidade P = P
0
.e
i.n

 A planta cresce A = 40 (1,1)
t

 A máquina desvaloriza D = K (0,8)
t

 O líquido e seu PH
 O terremoto e a escala Richter
 A escala temperada da música e Bach