Você está na página 1de 15
I NTEGRAIS DE L INHA DE C AMPOS E SCALARES

INTEGRAIS DE LINHA DE CAMPOS ESCALARES

I NTEGRAIS DE L INHA DE C AMPOS E SCALARES
I NTEGRAIS DE L INHA DE C AMPOS E SCALARES

Equações Paramétricas de Curvas

Ao estudarmos a trajetória de um ponto móvel, geralmente, é mais conveniente estudarmos a curva usando duas equações mais simples, uma para x e outra para y, em função de uma terceira variável independente t:

x = f(t) y = g(t)

Parametrizações da curva

Equações Paramétricas de Curvas Ao estudarmos a trajetória de um ponto móvel, geralmente, é mais conveniente

do que utilizando uma única equação do tipo F(x,y)=0.

Em problemas físicos, ao considerarmos a trajetória de um ponto móvel, t é encarado como o tempo medido a partir do início do movimento.

Equações Paramétricas de Curvas Ao estudarmos a trajetória de um ponto móvel, geralmente, é mais conveniente
Um ponto P de coordenadas (x,y) traça uma curva C quando t varia em um intervalo

Um ponto P de coordenadas (x,y) traça uma curva C quando t varia em um intervalo definido.

Um ponto P de coordenadas (x,y) traça uma curva C quando t varia em um intervalo

Dados

x = f(t)

e

y = g(t)

obtemos a trajetória do ponto e também informações a respeito do sentido do movimento.

x(t) = y(t) =
x(t) =
y(t) =

Exemplos de parametrizações

1) Circunferência com centro na origem e raio a.

2) Elipse com centro na origem e com eixo maior igual a 2a e menor igual a 2b.

Exemplos de parametrizações 1) Circunferência com centro na origem e raio a . 2) Elipse com

3) Parábola

2

  • x 4 py

4) Faça um esboço da curva de equações paramétricas

x

cos

y

sen

  • 2 t

2

  • 2 t

2

3) Parábola 2 x  4 py 4) Faça um esboço da curva de equações paramétricas

Funções vetoriais e curvas espaciais

Uma função, vetorial ou função de valor vetorial, é uma

função cujo domínio

é

um conjunto

de números

e

cuja

imagem é um conjunto de vetores.

(

r x y z

,

,

)

Funções vetoriais e curvas espaciais Uma função, vetorial ou função de valor vetorial, é uma função

r f t

( ),

g t

( ),

h t

( )

Funções vetoriais e curvas espaciais Uma função, vetorial ou função de valor vetorial, é uma função
Funções vetoriais e curvas espaciais Uma função, vetorial ou função de valor vetorial, é uma função

f t i

( )

( )

g t j

h t k

( )

Funções componentes

 3 Ex . : r t ( )  t , ln(3  t ),
3
Ex
.
:
r t
( )
t
, ln(3
t
),
t
Domínio de
r 
todos os valores de t para os quais
r t
( ) está definido
D 

Curva espacial

Curva espacial O conjunto C de todos os pontos (x,y,z) do espaço para os quais x

O conjunto C de todos os pontos (x,y,z)

do espaço para os quais

x f (t) x f (t)

y g (t) y g (t)

z h(t) z h(t)

;

;

sendo f, g e h contínuas em um intervalo I e t variando em I, é

chamado de curva espacial.

As equações

;

;

São

chamadas

de

equações

chamado de parâmetro.

paramétricas

de

C

e

t

é

Curva espacial O conjunto C de todos os pontos (x,y,z) do espaço para os quais x
Podemos pensar em C como a trajetória de uma partícula cuja posição no instante t é:

Podemos

pensar

em

C

como

a

trajetória

de

uma

partícula cuja posição no instante t é:

Podemos pensar em C como a trajetória de uma partícula cuja posição no instante t é:

f (t), g (t), h(t)

Podemos pensar em C como a trajetória de uma partícula cuja posição no instante t é:

Se

r (t)

Podemos pensar em C como a trajetória de uma partícula cuja posição no instante t é:

f (t), g(t), h(t)

Podemos pensar em C como a trajetória de uma partícula cuja posição no instante t é:

então

r (t)

é o vetor posição do ponto

sobre C.

Pf (t ), g (t ), h(t )

Podemos pensar em C como a trajetória de uma partícula cuja posição no instante t é:

Uma

curva

definida

por

uma

função

vetorial

denominada lisa se

r '(t)

for contínua e

r'(t) 0

r (t)

é

  • Uma curva

que é composta

por

um número

finito de

pedaços lisos é chamada lisa por partes.

Exemplo: Parametrização de um segmento de reta com origem em um ponto A e extremidade em um ponto B.

Uma curva definida por uma função vetorial denominada lisa se r  '( t ) for

Integrais de Linha

Campo Vetorial

Qualquer função vetorial que associa um

para um ponto (x,y,z) do espaço.

  • vetor a cada ponto (x,y) do plano. Idem

Campo Escalar

Integrais de Linha Campo Vetorial Qualquer função vetorial que associa um para um ponto (x,y,z) do
  • Uma função cujos valores são números (escalares)

Motivação Integrais de Linha

De campos escalares: semelhante a

b

a

f (x)dx

, mas integramos ao

longo de uma curva C ao invés de em um intervalo [a,b].

De campos vetoriais: cálculo do trabalho realizado por uma força

 

variável

F

, para mover uma partícula ao longo de uma curva C.

Integrais de Linha Campo Vetorial Qualquer função vetorial que associa um para um ponto (x,y,z) do

Integral de Linha de Campo Escalar

Seja C uma curva plana, lisa de equações paramétricas:

x

( )

x t

ou

y

( )

y t

com a

 

t

b

r(t)

x(t)i

y(t)j

e seja z=f(x,y). Vamos admitir, apenas inicialmente, que f(x,y)0 em uma região do plano que contém a curva C.

Integral de Linha de Campo Escalar Seja C uma curva plana, lisa de equações paramétricas: x

Queremos calcular a área, diretamente abaixo da superfície z=f(x,y) e acima da curva C.

Integral de Linha de Campo Escalar Seja C uma curva plana, lisa de equações paramétricas: x

Ex.:1) Calcule

C ( x y)ds

2

2

onde C é a metade superior do círculo unitário x 2 + y 2 = 1

Ex.:1) Calcule  ( x y)ds 2  2 onde C é a metade superior do

Se C é uma curva lisa por partes, ou seja, C é a união de um

número finito de curvas lisas C 1 , C 2 , então

...

, C n e consecutivas,

C

f ( x, y)ds

C

1

f ( x, y)ds

C

2

f ( x, y)ds

 

...

C

n

f ( x, y)ds

Ex.: 2) Calcule

C

2xds

sendo C = C 1 U C 2

C 1 = parábola y=x 2 de (0,0) a (1,1) C 1 = segmento de reta vertical de (1,1) a (1,2)

Se C é uma curva lisa por partes, ou seja, C é a união de um

Ex.: 3) Um arame com o formato de um semicírculo

  • x 2 + y 2 = 1 , y 0, é mais grosso perto da base do que do

topo. Ache a massa desse arame sabendo que a densidade

em qualquer ponto é proporcional à sua distância à reta y=1.

Ex.: 3) Um arame com o formato de um semicírculo x + y = 1 ,