Eleição

Bispo Ildo Mello
Eleição
1. Examinaremos as Escrituras de um modo geral para obter
uma visão mais abrangente do assunto.
2. Depois, trataremos da questão da eleição em Rm 9-11
3. Paralelo entre Romanos 9 e a Parábola das Bodas
Eleição
Primeira Parte
Panorama Bíblico
Eleição é um tema fundamental para a compreensão do plano de
redenção humana que percorre as Escrituras Sagradas do começo ao
fim.
Teria Deus escolhido um povo
em detrimento dos demais?
Questão de um seminarista?
4
Padrão das 4 narrativas de Gênesis 3-11
Pecado
Original
Caim Dilúvio Babel
Descrição
do pecado
Discurso Castigo Graça
Eleição de Israel
A escolha de Abraão:
Em favor de todas as famílias da terra (não é exclusivista)
Deus está escolhendo a linhagem da qual descenderá o Cordeiro
de Deus que tira o pecado do mundo

Gênesis mostra José como um canal de benção para todas as
nações.
A eleição de Abraão não significa a eleição pessoal de cada
judeu (Rm 2.28-29; 9.6)
Os judeus tropeçaram na pedra de tropeço (Rm 9.32)
Israel e Igreja
O remanescente de Israel (Rm 9.27)
Gentios enxertados na mesma Oliveira (Rm 11.17-24)
Co-herdeiros e membros do mesmo corpo (Ef 3.6)
“também sois descendentes de Abraão, e herdeiros segundo
a promessa” (Gl 3.28-29).
“raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de
propriedade exclusiva de Deus” (1Pe 2.4-10, ver Ex 19.5-6)
De ambos os povos fez um (Ef 2.11ss)
Verdadeiro israelita é aquele que possui o Messias
Missão do Povo Escolhido
A Igreja é este “mistério de Deus” (Ef 5.32), que engloba
todos os povos, formando um “só corpo”, com “um só Senhor”
(Ef 4.4 e 5).
Continuidade como povo de Deus em missão mundial (Gn
12.3)
“Ide, fazei discípulos de todas as nações” (Mt 28.18-20),
“E ser-me-eis testemunhas em Jerusalém, Judéia, Samaria e
até nos confins da terra” (At 1.8).
Pentecostes e o fenômeno reverso de Babel!
A Igreja triunfará!
“É necessário que o Evangelho seja primeiramente pregado
para todas as nações, só então virá o fim” (Mt 24.14).
Nós apressamos o retorno de Jesus através do cumprindo de
nossa missão (At 1.8; Mt 28.19,20, 2 Pe 3)
“nação” ou "nações” aparece + de 20 vezes em Apocalipse.
Redimidos de todas as nações adoram ao Senhor (5.9; 7.9)
com o cântico “Rei das nações” (Ap 15.3,4).
As promessas feitas a Abraão se cumprem no seu
descendente que é Cristo e em seu Corpo, que é a Igreja!
Calvinistas Arminianos
Deus escolhe também indivíduos
para a salvação?
Afirmam que só os
escolhidos são
incondicionalmente
agraciados por Deus com a
capacidade de crer e aceitar
o Evangelho.
Os demais são abandonados
à sua condição de perdição.
Sustentam que Deus é amor e
deseja a salvação de todos os
homens (1Tm 2.4; 2 Pe 3.9)
Deus capacita todos os homens
a responderem positivamente,
mas não os obriga a isto.
Fé e arrependimento são as
condições para a salvação.
Graça Preveniente
"E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim" (Jo
12:32)
Tal atração não é do tipo irresistível e fatal
É possível resistir a graça e ação do Espírito Santo de
convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo
 “Homens de dura cerviz, e incircuncisos de coração e ouvido, vós
sempre resistis ao Espírito Santo; assim vós sois como vossos
pais” (At 7.51).
“se, hoje, ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração”
(Hb 3.15)
Eleição Condicional
os que creem tornam-se os indivíduos eleitos, sob a condição
de permanecerem firmes nesta fé
"Portanto, irmãos, empenhem-se ainda mais para consolidar
o chamado e a eleição de vocês, pois se agirem dessa forma,
jamais tropeçarão" (2Pe 1:10; ver também: 1Co 9:27).
"É perseverando que vocês obterão a vida" (Lc 21:19; Mt
24.13).
"pois passamos a ser participantes de Cristo, desde que, de
fato, nos apeguemos até o fim à confiança que tivemos no
princípio" (Hb 3:14).
Deus nos escolheu em Cristo
Ef 1.3 diz respeito a eleição corporativa da Igreja em Cristo.
A Igreja foi escolhida em Cristo antes mesmo da fundação do
mundo, predestinada a santidade.
A Igreja estava inclusa na escolha de Abraão: "Em ti serão
benditas todas as famílias da terra" (Gn 12.3).
A promessa foi feita a Abraão e ao seu descendente que é
Cristo, O Eleito por excelência, do qual toda a eleição é
derivada e dependente.
Cristo é o Messias de Israel, os que são de Cristo pertencem
ao verdadeiro Israel.
O Destino
da Igreja e dos membros
O destino da Igreja é certo
"as portas do inferno não prevalecerão contra a ela" (Mt 16.18)
visão Apocalíptica de João (7.9-17; 14.1-5)
"como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa
semelhante, mas santa e inculpável" (Ef 5.27)
Mas o destino dos indivíduos não está definido:
"Mas agora ele os reconciliou pelo corpo físico de Cristo,
mediante a morte, para apresentá-los diante dele santos,
inculpáveis e livres de qualquer acusação, desde que continuem
alicerçados e firmes na fé, sem se afastarem da esperança do
evangelho" (Cl 1.22-23).
Conclusão
A eleição de indivíduos para a salvação está condicionada a
sua associação e permanência no Corpo Eleito de Cristo que
é a Igreja.
Deus conhece os que irão crer e perseverar em sua fé.
Neste pré-conhecimento é que se baseia a predestinação
individual.
"porquanto aos que de antemão conheceu, também os
predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim
de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos" (8.29)
“Eleitos segundo a presciência de Deus Pai” (1Pe 1.2).
Eleição é como o navio...
A eleição corporativa é como um navio (Igreja) a caminho do
seu destino final (a santificação e a Nova Jerusalém).
Cristo é escolhido para ser o comandante deste navio.
Todos são chamados, mas escolhidos são apenas aqueles
que perseveram em confiar no Comandante.
A eleição só é experimentada na união com o Comandante
Predestinação tem a ver com o porto de destino deste navio e
com o destino final que Deus tem preparado para aqueles
que permanecem nele.
Todos são convidados e ninguém precisa ficar de fora!
Eleição
Segunda Parte
Romanos 9-11
Romanos 9-11 - Intrudução
Justificação pela fé continua em destaque (9.30-31; 10.11-17)
Evangelho = poder para salvação de judeus e gentios (1.16)
Deus não faz acepção de pessoas (2.11)
Ele é Deus não somente de judeus, mas também de gentios (3.29)
Abraão era um gentio incircunciso quando foi chamado, tendo sido
justificado por fé (4.11).
Os herdeiros da promessa não são os da lei, nem os filhos
naturais, mas, sim, os espirituais (4.11-17).
Ninguém será justificado por obras (3.20), mas por meio da fé
(3.22).
Ineficácia da Lei e da circuncisão
Paulo havia demonstrado a ineficácia de tudo
aquilo que era motivo de orgulho para os judeus:
 ser filho natural de Abraão
a circuncisão
e a lei
Considerou refugo para ganhar a Cristo (Fp 3.8).
"A circuncisão não têm efeito algum, mas sim a fé
que atua pelo amor" (Gl 5:6).
Os judeus acusam Paulo
Acusações:
renegar o seu próprio povo
 ensinar que as promessas de Deus feitas a Israel não
eram confiáveis.

Questões:
Teria Deus se esquecido de suas promessas feitas a
Israel?
Tais promessas não deveriam necessariamente terem de
se cumprir no Israel nacional?
Paulo inicia sua defesa
manifestando sua tristeza em ver a grande maioria de seus
compatriotas rejeitando o Messias, e, também demonstra um
amor sacrificial por seu povo (v. 3),
Reconhecendo Israel como povo escolhido por Deus, que
teve o privilégio de receber a glória, as alianças, a lei, o culto
e as promessas, sendo a raiz da qual descende o Cristo!
As promessas feitas a Israel não irão se
cumprir? (9.6-13)
“E não pensemos que a palavra de Deus haja falhado, porque
nem todos os de Israel são, de fato, israelitas” (v.6)
Abraão teve 2 filhos, mas apenas Isaque herdou a promessa
(9.7)
Isaque teve 2 filhos, mas apenas Jacó foi escolhido para ser o
patriarca do povo de Israel (9.11-13)
A maioria dos filhos de Israel pereceu no deserto (Hb 3.11s)
Apenas 7 mil não se dobraram a Baal (11.4; 1Rs 19.18).
”o remanescente é que será salvo” (9:27).
Eleição Corporativa
O povo foi eleito, mas não os judeus individualmente (9.6).
A salvação não se dá por descendência natural de Abraão
(9.7)
e nem tampouco através da lei (9.31,32 e 10.3,4).
Os judeus devem crer no Messias para serem salvos,
tornando-se parte do remanescente de Israel (Gl 6.16)
A Igreja é a Continuidade do Israel
de Deus
é a continuidade daquele povo de propriedade exclusiva de
Deus (1Pe 2.9, 10)
congregando, em um só Corpo, judeus e gentios crentes em
Cristo (9.25-26; Ef 2.11-22)
Há um só Deus, um só Senhor, e um só rebanho (Jo 10.16)
uma só Oliveira (Rm 11.17-24)
As promessas feitas a Israel estão se cumprindo em Cristo e
em sua Igreja!
“Amei a Jacó, porém me aborreci
de Esaú” (9.13)
Os calvinistas interpretam este texto como se Deus realmente
tivesse odiado a Esaú e a todos os não eleitos de modo
totalmente arbitrário.
Tal conclusão entra em choque direto com os textos que
declaram que “Deus é amor”
e entra também em flagrante conflito com o caráter de Deus
revelado em Jesus Cristo.
Significado de “aborreci” (9.13)
um repúdio relativo:
"Se alguém vem a mim e não aborrece a seu pai, e mãe, e
mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs e ainda a sua própria vida, não
pode ser meu discípulo" (Lc 14.26).
Foi o próprio Esaú quem desprezou o seu direito de
primogenitura, perdendo assim o privilégio de ser o pai da
linhagem da qual nasceria o Salvador do Mundo.
Não se trata aqui de salvação
Não se trata aqui de salvação ou perdição pessoal ou dos
descendentes.
Mais tarde, observamos que Esaú foi misericordioso para
com o seu irmão.
Seria isto um sinal da graça de Deus sobre sua vida?
Em todo caso, não podemos afirmar que tenha perdido a sua
alma.
Muitos ou alguns de seus descendentes podem ter exercido
fé em Deus a semelhança do Pai Abraão.
E, quanto a Israel, muitos de seus filhos se desviaram após
outros deuses.
Presciência de Deus como base da
eleição e reprovação
Através do profeta Obadias, Deus esclareceu o real
motivo de sua ira contra os Edomitas:
"Por causa da violência feita a teu irmão Jacó, cobrir-te-á a
vergonha, e serás exterminado para sempre… tu não devias
ter olhado com prazer para o dia de teu irmão, o dia da sua
calamidade; nem ter-te alegrado sobre os filhos de Judá, no
dia da sua ruína; nem ter falado de boca cheia, no dia da sua
angústia… não devias ter parado nas encruzilhadas, para
exterminares os que escapassem; nem ter entregado os que
lhe restassem no dia da angústia." (Ob 1.10-14).
Presciência de Deus como base da
eleição e reprovação
"porquanto aos que de antemão conheceu, também
os predestinou para serem conformes à imagem de
seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre
muitos irmãos" (8.29)
“Eleitos segundo a presciência de Deus Pai” (1Pe
1.2).
Jacó e Esaú
representam Israel e Edom
O indivíduo Esaú jamais serviu ao indivíduo Jacó (9.12).
O que Paulo quer demonstrar aqui é que a rejeição atual
de boa parte dos descendentes de Abraão não é apenas
possível, como já havia ocorrido no passado, como se vê
no caso de Esaú e seus descendentes.
Não basta ser descendente físico de Abraão, é preciso ser
descendente espiritual.
Raabe e Rute tornaram-se filhas da promessa pela fé.
“Terei misericórdia de quem me
aprouver ter misericórdia” (9.15)
Calvinistas afirmam que Deus ama e tem misericórdia
apenas dos eleitos.
Mas Paulo afirmou que Deus tem misericórdia de todos
(11.32).
Misericórdia para com todos os que o invocam (10.11).
“O Senhor é bom para todos, e as suas misericórdias
estão sobre todas as suas obras” (Sl 145.9)
Deus é livre para estabelecer a fé como a condição para a
salvação de judeus e gentios.
"Não depende de quem quer ou de quem corre,
mas de usar Deus a sua misericórdia” (9.16)
a conclusão dos calvinistas é de que Deus usa de
misericórdia apenas para aqueles que ele escolheu de
antemão salvar.
Tal interpretação contradiz os textos que afirmam que
“Deus não faz acepção de pessoas” (At 10.34 e Rm 2.11)
Deus ama a todos (Jo 3.16)
Todos podem ser salvos!
Jesus “é a propiciação pelos pecados de todo o mundo”
(1Jo 2:2).
“Porque: “a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder
de serem feitos filhos de Deus; a saber: aos que creem no
seu nome” (Jo 1.12).
Porque: “todo aquele que invocar o nome do Senhor será
salvo” (Rm 10:13).
Todos são convidados!
Porque Jesus, "o Unigênito do Pai, cheio de graça e de
verdade", estendeu este sincero convite as multidões: “Se
alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome
a sua cruz e siga-me" (Mc 8:34)
"Vinde a mim, todos os que estais cansados e
sobrecarregados, e eu vos aliviarei" (Mt 11.28).
“Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a
todos os homens, educando-nos para que, renegadas a
impiedade e as paixões mundanas, vivamos no presente
século, sensata, justa e piedosamente” (Tt 2.11-12).
Expiação Universal
Porque Deus não tem prazer na morte do ímpio, pois seu
desejo é que se converta e viva (Ez 18.23).
Porque Deus “deseja que todos os homens sejam salvos e
cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (1Tm 2.4)
"o qual a si mesmo se deu em resgate por todos" (1Tm 2.6).
“não quer que ninguém se perca, senão que todos venham a
arrepender-se” (2Pe 3.9).
Jesus "provou a morte por todos" (Hb 2.9).
“Não faças perecer por causa da tua comida aquele por
quem Cristo morreu” (Rm 14.15).
O coração endurecido de Faraó
(9.17,18)
Paulo usa a figura de faraó para retratar Israel.
Assim como faraó, através da dureza de seu coração, serviu
como um instrumento para o Êxodo milagroso do povo de
Israel, produzindo a glória de Deus por toda a terra, assim
também a dureza de coração de Israel propiciou a redenção
dos gentios (11.11).
O coração endurecido de Faraó
(9.17,18)
Não é dito que Deus endureceu o coração de Faraó desde a
eternidade.
Tal endurecimento é melhor compreendido como a entrega
da pessoa a si mesma: "Por isso também Deus os entregou
às concupiscências de seus corações" (Rm 1:24a).
Lembremos que antes do relato do Êxodo dizer que Deus
endureceu o coração de faraó, por 5 vezes é dito que foi o
próprio faraó quem foi endurecendo o seu próprio coração de
maneira gradativa (Ex 7.13; 7.22; 8.15; 8.32; 9.7).
O coração endurecido de Faraó
(9.17,18)
Paulo sabe que os judeus aceitam com facilidade o fato do
endurecimento do coração de faraó, mas que não
reconhecem que a mesma incredulidade que levou a rejeição
de faraó também está levando a rejeição dos judeus.
O povo uma vez favorecido e liberto das garras de faraó,
deixa de ser favorecido quando se desvia da fé de Abraão e
segue o erro, a obstinação e a incredulidade de faraó.
Deus endurece a quem quer. E Ele quer endurecer aqueles
que endurecem a si mesmos.
O coração endurecido de Faraó
(9.17,18)
Portanto, “se, hoje, ouvirdes a sua voz, não endureçais o
vosso coração” (Hb 3.15).
É bom observar que a citação do endurecimento de Faraó
tem a ver com o seu papel histórico como líder da nação
Egípcia no conflito com a nação de Israel e não diz respeito a
sua salvação pessoal.
Vasos de ira e vasos de
misericórdia
Dupla predestinação?
No final do capítulo 11, Paulo fala sobre a possibilidade de
salvação dos rejeitados e de perdição dos que se encontram
salvos, em decorrência da atitude de fé e não de uma prévia
eleição.
É por isto que Paulo enfatiza a relevância da pregação do
Evangelho para a salvação de todos os que creem:
"Pois não há distinção entre judeu e grego, uma vez que o
mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o
invocam. Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor
será salvo. Como, porém, invocarão aquele em quem não
creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E como
ouvirão, se não há quem pregue?" (10.12-15).
Vasos de ira
Paulo não usa a expressão "vasos de ira" para
discorrer sobre predestinação, mas para falar da
rejeição temporária de Israel por conta de sua
incredulidade, o que, de certa forma, favoreceu a
salvação dos gentios, contribuindo assim para os
propósitos divinos.
Deus não nos destinou para a ira (1Ts 5.9).
Deus não criou ninguém para a perdição, nem nós,
nem o povo de Israel e nem mesmo os ninivitas
(Jn 4.11).
Vasos de ira
"Ou desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e
longanimidade, ignorando que a bondade de Deus é que te
conduz ao arrependimento? Mas, segundo a tua dureza e
coração impenitente, acumulas contra ti mesmo ira para o dia
da ira e da revelação do justo juízo de Deus, que retribuirá a
cada um segundo o seu procedimento: a vida eterna aos que
perseverando em fazer o bem procuram glória, honra e
incorruptibilidade; mas ira e indignação aos facciosos, que
desobedecem à verdade e obedecem à injustiça. Tribulação
e angústia virão sobre a alma de qualquer homem que faz o
mal, ao judeu primeiro e também ao grego; glória, porém, e
honra, e paz a todo aquele que pratica o bem, ao judeu
primeiro e também ao grego. Porque para com Deus não há
acepção de pessoas." (Rm 2.4-11).
Vasos de ira podem ser
transformados em vasos de honra
Gentios crentes são adotados como “filhos da promessa”,
enquanto os “filhos da carne” são rejeitados por conta da sua
incredulidade (9.8 cf 11.17).
Agora, tal rejeição não é, de maneira alguma, determinista,
fatalista ou definitiva, mas apenas contingencial
Paulo fala da esperança que tem na conversão de judeus,
pelo menos de alguns mais (11.14)
“Eles também, se não permanecerem na incredulidade, serão
enxertados; pois Deus é poderoso para os enxertar de novo”!
(11.23).
Vasos de ira podem ser transformados em vasos de honra:
“Se alguém se purificar dessas coisas, será vaso para honra,
santificado, útil para o Senhor e preparado para toda boa
obra” (2Tm 2.21).
Gentios eram filhos da ira, mas...
Os gentios crentes que, anteriormente, eram “filhos
da ira”, se tornaram “filhos da promessa” (Ef 2.3-6).
Advertência aos vasos de honra
Aos que Paulo chamou de "vasos de misericórdia"
preparados de antemão para a glória (9.23, 24), ele adverte:
“Considerai, pois, a bondade e a severidade de Deus: para
com os que caíram, severidade; mas, para contigo, a
bondade de Deus, se nela permaneceres; doutra sorte,
também tu serás cortado” (Rm 11.22).
"Mas esmurro o meu corpo e faço dele meu escravo, para
que, depois de ter pregado aos outros, eu mesmo não venha
a ser reprovado" (1Co 9:27).
Tal esforço de Paulo para não ser reprovado não faria o
menor sentido se ele acreditasse que sua alma já estivesse
predestinada para a salvação.
Advertência aos vasos de honra
Portanto, para Paulo, o destino das pessoas não está
traçado.
Enquanto o destino do Povo de Deus está definido "todo o
Israel será salvo",
o destino dos indivíduos está condicionado a fé no Messias
que lhes permite fazer parte deste Israel de Deus.
Sendo portanto, necessário estar em Cristo pela fé, e nele
permanecer fiel até o fim (Jo 15.1-6; Mt 24.13 e Ap 2.26).
A fé vem pela pregação e não pela
eleição incondicional (10.17)
Ainda que Paulo afirme que os judeus "tropeçaram na pedra
de tropeço" (9.32),
Ele ainda trabalhava e orava para ver a salvação de mais
judeus (10.1; 11.14, cf 1Co 9.20-27),
O endurecimento de Israel não é definitivo (11.25).
Os ramos cortados podem voltar a ser enxertados caso
abandonem a incredulidade (11.20-24).
E é por isto também que Paulo ensina que "a fé vem pela
pregação" e não pela eleição incondicional (10.17).
A fé vem pela pregação e não pela
eleição incondicional (10.17)
De outra sorte, toda pregação seria vã, pois seria
desnecessária para aqueles que são eleitos, e inútil para os
destinados a perdição.
E a exortação para salvar e arrebatar as almas que estão à
caminho do fogo da perdição (Jd 1.23) seria totalmente
descabida,
pois, segundo o calvinismo, as almas dos eleitos jamais
estariam sujeitas ao risco do fogo do inferno e a dos não
eleitos jamais poderiam ser salvas e arrebatadas do fogo
para o qual estão inexoravelmente destinadas.
Eleição Condicional dos indivíduos
A eleição individual está condicionada a fé em Cristo.
Quando Paulo discorre sobre como a salvação se processa
na vida dos indivíduos, ele sempre diz que se dá por
intermédio da fé (Rm 9.30-31 cp. 10.11-17).
Não existem indivíduos definitivamente eleitos para salvação,
a não ser da perspectiva da presciência divina (Rm 8.29).
Os ramos naturais, que foram cortados por sua incredulidade,
podem voltar a ser enxertados se vierem a crer, e os que,
atualmente, creem podem vir a ser cortados se derem lugar a
incredulidade (11.20-24).
Eleição Condicional dos indivíduos
Enquanto é garantido que a Igreja será apresentada santa e
inculpável diante de Deus (Ef 5.27),
os membros precisam continuar alicerçados e firmes, sem se
afastarem da esperança do evangelho, para poderem garantir
sua participação no destino glorioso da Igreja (Cl 1.22-23).
Em 1 Coríntios 10, Paulo usa o exemplo histórico de Israel
como exemplo para a Igreja. Ele diz que, embora todos os
israelitas tenham experimentado a graça libertadora de Deus,
a maioria apostatou-se da fé e pereceu no deserto. "Aquele
que está em pé, cuide para que não caia" (1Co 10.12,
compare com Rm 11.22).
"Todo o Israel será salvo" (11.26)
Tal esperança tem a ver com a salvação de "alguns" mais até
que se complete a plenitude do número de judeus que serão
salvos, do mesmo modo como ele aqui também fala da
plenitude dos gentios "... veio endurecimento em parte a
Israel, até que haja entrado a plenitude dos gentios. E, assim,
todo o Israel será salvo" (11.25b, 26a).
"Todo o Israel será salvo" (11.26)
“todo Israel” = "todo o remanescente de Israel"
Apenas um remanescente fiel de Israel será salvo (9:27 cf Is
10.22).
“Todo o Israel” significa a plenitude da Igreja que é composta
por judeus e gentios que serão salvos em Cristo (Ef 2.11-22)
Pois a Igreja é o Israel espiritual de Deus (Gl 6.16)
e povo de propriedade exclusiva de Deus (1Pe 2.9),
O salão do grande banquete estará cheio (Mt 22.10)!
Eleição para uma missão
Saul e Salomão foram eleitos para serem reis de Israel, mas,
tudo indica, que acabaram apostatando-se da fé.
Jesus escolheu 12 para a função de apóstolos, mas o
Iscariotes...
Os judeus foram escolhidos para desempenhar um papel
histórico. No início de Romanos 9, Paulo reconhece o valor do
papel de Israel no projeto de Deus, mas sem que isto
implicasse em eleição ou predestinação para a salvação, pois
mais adiante é dito que foram cortados por sua incredulidade.
Observe que a eleição para missão é a que Paulo está
destacando quando escreve: “Deles é a adoção de filhos; deles
é a glória divina, as alianças, a concessão da lei, a adoração no
templo e as promessas. Deles são os patriarcas, e a partir deles
se traça a linhagem humana de Cristo, que é Deus acima de
tudo, bendito para sempre! Amém.”(Rm 9.4-5)
Indivíduos são escolhidos para colaborarem
com o plano de Deus para Israel:
Os patriarcas são escolhidos para darem início a este povo
(Ne 9.7; Rm 9.7, 13).
Moisés é escolhido para ser um veículo de libertação e de
formação e organização de Israel (Sl 106.23),
Governantes gentios foram escolhidos para cumprir o plano
divino na vida da nação de Israel, como Faraó (Rm 9.17) e
Ciro (Is 45.1).
Eleição
Terceira Parte
Paralelo entre Romanos 9 e a Parábola das Bodas
(Mt 22)
Romanos 9
e a Parábola das Bodas
A Parábola das Bodas (Mt 22.1-14) também fala da rejeição
de Israel não por conta de predestinação, mas por pura
incredulidade.
O rei não predestinou quem iria participar definitivamente da
festa.
Os convidados originais deixaram de participar por não
cumprirem a condição de aceitarem o convite, por desprezo
e, em alguns casos, até por ódio e maldade (22.3,5 e 6).
Romanos 9
e a Parábola das Bodas
O convite foi insistente, mesmo após a recusa inicial: "E
enviou ainda outros servos" (v. 4).
"Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas
os que te foram enviados! Quantas vezes quis eu reunir os
teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo
das asas, e vós não o quiseste!" (Mt 23.37).
Romanos 9 e a Parábola das
Bodas
Então, o convite foi estendido a todos, sem exceção, "bons e
maus" (v. 10), pois é um convite da graça (Is 55.1; Mt 11.28 e
Rm 5.8) .
A Sala do Banquete ficou repleta de convidados!
Algo comparável aquela tal plenitude de salvos de que Paulo
também fala em Romanos 11.25,26 e que vemos também
futuramente realizada na visão de Apocalipse 7.9.
As vestes nupciais
As vestes aqui simbolizam a justiça divina não apenas imputada como
também comunicada. Ou seja, não apenas a justificação, mas também a
santificação sem a qual ninguém verá o Senhor (Hb 12.14).
Por exemplo, o Pai abraça ao Filho Pródigo, que se encontra em
farrapos, sujo e arruinado, mas graciosamente lhe oferece um bom
banho, roupas novas, sandálias para os pés e um anel de filho! O filho
deve receber o banho, as roupas e tudo o mais que o pai lhe oferece
para andar de modo digno e apropriado.
Além do perdão, Deus está oferecendo a todos um novo coração (Ez
36.26) e a graça de se tornarem participantes da natureza divina (2Pe
1.4), para serem feitos filhos de Deus (Jo 1.12).
O convidado deve despir-se de sua velha e surrada vestimenta (Cl 3.8),
para vestir a nova que lhe é oferecida: "mas revesti-vos do Senhor Jesus
Cristo e nada disponhais para a carne no tocante às suas
concupiscências" (Rm 13.14).
Romanos 9 e a Parábola das
Bodas
As Palavras de Paulo aos judeus que rejeitaram o Evangelho
estão em perfeita sintonia com o tema que estamos tratando:
"Então Paulo e Barnabé lhes responderam corajosamente:
'Era necessário anunciar primeiro a vocês a palavra de Deus;
uma vez que a rejeitam e não se julgam dignos da vida
eterna, agora nos voltamos para os gentios'" (At 13:46).
Romanos 9
e a Parábola das Bodas
Todos foram chamados, mas, escolhidos foram apenas os
que receberam o convite com fé.
Estes não exerceram fé porque foram previamente
escolhidos, mas foram escolhidos por terem exercido fé a
ponto de atenderem apropriadamente ao convite nos termos
estabelecidos pelo Rei.
Romanos 9
e a Parábola das Bodas
Ambos os textos falam da rejeição de Israel (Mt 22.3-6; Rm
9.31 e 32; 11.20).
Ambos apontam a incredulidade como causa de tal rejeição
(Mt 22.3,5,6; Rm 9.31,32; 10.3,4,16,17,21 e 11.20).
Ambos os textos tratam do tema da eleição, estabelecendo a
fé como a condição para estar e permanecer na comunidade
escolhida para as Bodas do Filho (Mt 22.3-6,11; Rm 9.30-31
cp. 10.11-17).
 Tanto em um texto como em outro, vemos que a fé de cada
indivíduo não é uma decisão falsa onde tudo já teria sido
decidido de antemão pelo ser supremo (Mt 22.3; Rm 9.33;
10.4,8,11,16-21).
Romanos 9
e a Parábola das Bodas
Em ambos, o destino dos convidados não está previamente
definido (Mt 22.3,5, 11 e 14; Rm 11.20-23).
Ambos os textos falam da bondade e também da severidade
de Deus (Rm 11.22; Mt 22.4,7,9,13).
O convite foi feito a todos (Mt 22.9; Rm 10.18)
Deus usou de misericórdia para com todos (Mt 22.3,4,9 e 14;
Rm 11.32);
"Pois não há distinção entre judeu e grego, uma vez que o
mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o
invocam" (Rm 10.12; Mt 22.9 e 14).
Romanos 9
e a Parábola das Bodas
A Parábola conta que aqueles que recusaram o convite
receberam mais que uma oportunidade (Mt 22.4; Rm 10.21),
e Paulo ensina que se os judeus "não permanecerem na
incredulidade, serão enxertados; pois Deus é poderoso para
os enxertar de novo" (Rm 11.23, cp. Rm 10.1).
Ambos os texto falam que "nem todos obedeceram ao
Evangelho" (Mt 22.3-6; Rm 10.16), tal recusa não foi por
predestinação, falta de oportunidade ou incapacidade, mas,
simplesmente, porque "não quiseram" (Mt 22.3; Rm 11.21).
Ambos os textos também falam do severo juízo de Deus
sobre os incrédulos que desprezam a sua graça (Mt 22.7,13;
Rm 11.10, 20-22).

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful