Você está na página 1de 14

AVALIAÇÃO

DE
PROFESSORES
TÓPICOS

 O Conselho Científico para a Avaliação de Professores


 O modelo de avaliação de desempenho profissional dos
professores
 Tópicos para reflexão
CONSELHO CIENTÍFICO PARA A
AVALIAÇÃO DE PROFESSORES
Missão:
Implementar e assegurar o acompanhamento e a
monitorização do novo regime de avaliação de
desempenho do pessoal docente da educação pré-
escolar e dos ensinos básico e secundário.
(Art. 134.º, 1, ECD)
CONSELHO CIENTÍFICO PARA A
AVALIAÇÃO DE PROFESSORES
Objectivos:
 Contribuir para a qualidade científica e técnico-pedagógica da
docência e, reflexamente, das aprendizagens, promovendo a
equidade, a harmonia, a coesão e a credibilidade da aplicação do
sistema de avaliação de professores.
 Ser um órgão consultivo, científica e tecnicamente consistente,
leve e operacional na acção, visando a eficácia e privilegiando a
simplicidade, a flexibilidade e a confiança.
CONSELHO CIENTÍFICO PARA A
AVALIAÇÃO DE PROFESSORES
Linhas de acção:
 Actuar numa base de confiança, de proximidade, de escuta e de
interacção com os actores educativos (escolas, associações profissionais,
centros de formação...)
 Promover o diálogo e reflexão entre vários profissionais da educação
detentores de saberes e vivências profissionais diversificadas;
 Desenvolver actividades de acompanhamento e controlo global do
processo de avaliação de professores (aferição dos padrões de qualidade,
apreciação da coerência dos resultados);
 Desenvolver actividades de orientação e regulação do sistema de
avaliação de professores.
MODELO DE AVALIAÇÃO

Processo que visa aferir os padrões de qualidade


do desempenho profissional do professor,
considerando o contexto sócio-educativo em que
se desenvolve a sua actividade.
O período normal de avaliação é dois anos.
AVALIADORES

 Pares (coordenadores de departamento/coordenadores de


conselho de docentes, conselho executivo)
 Inspectores com formação científica na área departamental
do avaliado (coordenadores de departamento/coordenadores
de conselho de docentes)
DIMENSÕES DA AVALIAÇÃO

 Vertente profissional e ética;


 Desenvolvimento do ensino e da aprendizagem;
 Participação na escola e relação com a comunidade
escolar;
 Desenvolvimento e formação profissional ao longo
da vida.
DIMENSÕES DA AVALIAÇÃO
- Items por dimensão (art. 45.º ECD) -

Vertente profissional e ética Desenvolvimento do ensino e da


- Exercício de outros cargos ou funções de aprendizagem
natureza pedagógica; - Preparação e organização das actividades
- Dinamização de projectos de investigação, lectivas;
desenvolvimento e inovação educativa e sua - Realização das actividades lectivas;
correspondente avaliação;
- Relação pedagógica com os alunos;
- Nível de assiduidade;
- Processo de avaliação das aprendizagens dos
- Serviço distribuído. alunos;
- Progresso dos resultados escolares esperados
para os alunos e taxas de abandono escolar,
tendo em conta o contexto sócio-educativo.
Participação na escola Desenvolvimento e formação
- Participação dos docentes no agrupamento ou profissional ao longo da vida
escola não agrupada e apreciação do seu - Acções de formação contínua concluídas.
trabalho colaborativo em projectos conjuntos de
melhoria da actividade didáctica e dos
resultados das aprendizagens.
MEIOS DE AVALIAÇÃO

 Auto-avaliação;
 Observação de aulas (pelo menos 3 por ano escolar);
 Análise de produtos e resultados (relatórios certificativos de
aproveitamento em acções de formação; instrumentos de gestão
curricular; materiais pedagógicos desenvolvidos e utilizados;
instrumentos de avaliação pedagógica; planificação das aulas e
instrumentos de avaliação utilizados com os alunos);
 Entrevista com o avaliado;
 Informação de terceiros (pais ou encarregados de educação dos alunos,
em condições a definir, …).
FONTES DE DADOS

 Relatórios certificativos de aproveitamento em acções de formação;


 Ficha de auto-avaliação;
 Guião de observação de aulas;
 Instrumentos de gestão curricular;
 Materiais pedagógicos desenvolvidos e utilizados;
 Instrumentos de avaliação pedagógica;
 Planificação das aulas e instrumentos de avaliação utilizados com os
alunos.
SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO
1. Cada dimensão e respectivos subgrupos são avaliados numa escala de 1
a 10.
2. A classificação por componente é atribuída em números inteiros.
3. O resultado final da avaliação do docente corresponde à classificação
média das fichas de avaliação.
4. O resultado é expresso nas seguintes menções:
 Excelente (de 9 a 10 valores);
 Muito Bom (de 6 a 8,9 valores);
 Bom (de 6,5 a 7,9 valores);
 Regular (de 5 a 6,4 valores);
 Insuficiente (de 1 a 4,9 valores).
QUESTÕES A DEFINIR

Excede claramente o padrão, constitui uma


Excelente referência de eficácia na docência
Padrões de qualidade do
desempenho profissional

Muito Bom Supera o padrão

Padrão – o que é o bom desempenho


Bom profissional nos parâmetros
estabelecidos?

Não atinge o padrão, revela dificuldades,


Regular mas pode superá-las

Não atinge o padrão, com deficiências graves


Insuficiente e comportamentos desadequados
2 TÓPICOS PARA REFLEXÃO

1. Que contributos podem ser dados para a


implementação do novo regime de avaliação do
desempenho profissional e para a concretização da
missão do CCAP?
2. Que rede de colaboração pode vir a ser estabelecida
entre os CFAE e o CCAP?
1. Domínios
2. Modalidades
3. Condições

Você também pode gostar