Você está na página 1de 23

Regimes“Tudo no Estado, nada contra o Estado,

Totalitáriosnada fora do Estado.” (Mussolini)


Regimes Totalitários
 Surge no período entre-guerras na
Europa (1918/1939);
 Forma de organização do Estado com
um regime político onde todo o poder se
concentra nas mãos de um pequeno grupo
de pessoas ou partido único;
 Baseado na extensão do poder do
Estado a todos os níveis e aspectos da
sociedade
- Estado Total controle total
sobre a sociedade
 Ocorre apenas em “sociedades de
massas”
- uso dos meios de comunicação de
massa
Totalitarismo
 É um regime político baseado na extensão do poder do Estado a
todos os níveis e aspectos da sociedade. Sendo assim, inserido na
“sociedade de massas”, não existindo até então antes do século
XX;
 Considera-se como resultado da incorporação do Estado por um
Partido (sendo esse único e centralizador), ou da extensão natural
das Instituições estatais.Resulta-se pelo fato de extremismos
ideológicos e uma paralela desintegração da sociedade civil
organizada;
 Na história dos Regimes Totalitários, há dois que nos chamam a
atenção por serem considerados paradigmas, são eles o regime de
Adolf Hitler (Alemanha) e Josef Stalin (URSS).
Repercussão do Totalitarismo na
Espanha e Portugal:

ESPANHA:
 Grande Depressão da década de 1930;
 Liberalismo e as formas liberais de capitalismo;
 Movimentos Fascistas e comunistas repercutindo no mundo;
 Espanha, exemplo notável;
 Apoio à Francisco Franco e ao movimento comunista mundial;
 Frustração generalizada

PORTUGAL:
 Crise econômica;
 Em 1928, Salazar foi convidado para organizar as finanças da
República Portuguesa desenvolvendo o processo;
 1933 o Estado Novo Português, seguiu as tendências fascistas
Etimologia
 A idéia de Totalitarismo como poder político “total” através do
estado foi formulada em 1923 por Giovanni Amendola que criticou o
Fascismo Italiano como um sistema fundamentalmente diferente das
ditaduras convencionais. O termo depois ganhou conotações positivas
nos escritos de Giovanni Gentile, o principal teórico de Facismo. Ele
usou o termo "totalitário" para se referir à estrutura e metas do novo
estado. O novo estado deveria dispor sobre a "representação total da
nação e a orientação total das metas nacionais". Ele descreveu o
totalitarismo como uma sociedade em que a ideologia do estado teria
influência, se não poder, sobre a maioria de seus cidadãos;
 O conceito de Totalitarismo surgiu nos anos 1920 e 1930. A visão de
que ele foi elaborado somente depois de 1945 é freqüentemente e
equivocadamente visto como parte da propaganda anti-soviética durante
a Guerra Fria.
Gênese e contexto histórico
 Foi ainda no decorrer da Primeira Guerra Mundial que começou a nascer
o Totalitarismo, fenômeno político que marcou o século XX. Com a
necessidade de direcionar a produção industrial para as demandas geradas
pela guerra, os governos das frágeis democracias liberais européias tiveram
de se fortalecer, acumulando poderes e funções de Estado, em detrimento do
poder parlamentar, para agilizar as decisões importantes em tempos de
guerra. Quando voltasse a paz, dizia-se, esses poderes seriam retornados à
distribuição democrática usual. Mas não foi isso que aconteceu. O Estado
com executivo forte e legislativo debilitado que se constituiu durante a
Primeira Guerra acabou sendo a semente do modelo de Estado autoritário
que surgiria na década seguinte;
 Das várias monarquias parlamentares européias em 1914 (Reino Unido,
Itália, Espanha, Holanda, Bélgica, Dinamarca, Suécia, Noruega, Sérvia,
Bulgária, Romênia, Grécia, Áustria-Hungria e outras), só a britânica
terminou o século sem ter passado por uma ditadura de inspiração fascista.
Principais características do
Regime Totalitário

 Nacionalismo extremado (xenofobia)


 Totalitarismo NAZISMO:
 Militarismo - Racismo
 Anticomunismo - Expansionismo
 Antiliberalismo
 Unipartidarismo
 Culto ao líder
 Propaganda governamental
 Educação dirigida
Características
divergentes
Totalitarismo de Esquerda Totalitarismo de Direita

 Abolição da propriedade  Forte apoio da burguesia


privada; industrial;
 Coletivização obrigatória  Corporativismo nas relações
dos meios de produção agrícola de trabalho e tutela estatal sobre
e industrial; as organizações sindicais ;
 Supressão da religião da  Fundamentação ideológica
esfera política ; em valores tradicionais (étnicos,
 Tem como base o culturais, religiosos)
socialismo.  Forte apoio da religião.
 Tem como base o capitalismo.
Características
comuns
 Regime de partido único (e um partido de massas);
 Centralização dos processos de tomada de decisão no núcleo
dirigente do Partido;
 Burocratização do aparelho estatal;
 Intensa repressão a dissidentes políticos e ideológicos;
 Culto à personalidade do líder do Partido e do Estado;
 Patriotismo, ufanismo e chauvinismo exacerbados ;
 Intensa presença de propaganda estatal e incentivo ao patriotismo
como forma de organização dos trabalhadores;
 Censura aos meios de comunicação e expressão;
 Paranóia social e patrulha ideológica;
 Militarização da sociedade e dos quadros do Partido;
 Expansionismo.
Nazismo
 Regime político de caráter autoritário que se
desenvolve na Alemanha durante as sucessivas crises
da República de Weimar (1919-1933).;
 Baseia-se na doutrina do nacional-socialismo,
formulada por Adolf Hitler (1889-1945), que orienta
o programa do Partido Nacional-Socialista dos
Trabalhadores Alemães (NSDAP);
 Em 1933, Hitler chega ao poder pela via eleitoral,
sendo nomeado primeiro-ministro com o apoio de
nacionalistas, católicos e setores independentes.
 A população não tinha o mínimo de liberdade;
 O estado era submetido às ordens do “Fuhrer”
(guia), Adolf Hitler, que exigia obediência a todos os
cidadãos;
 Os suspeitos opositores do regime, eram enviados
para campos de concentração.
Fascismo
 Regime político de caráter autoritário que surge na
Europa no período entre-guerras (1919-1939).
 Originalmente é empregado para denominar o regime
político implantado pelo italiano Benito Mussolini, no
período de 1919 a 1943.
 Tem como principais características:
- o Totalitarismo, que subordina os interesses
do indivíduo ao Estado
- o Nacionalismo, que tem a nação como forma
suprema de desenvolvimento
- o Corporativismo, em que os sindicatos
patronais e trabalhistas são os mediadores das relações
entre o capital e o trabalho
 O fascismo nasce oficialmente em 1919, quando
Mussolini funda, em Milão, o movimento intitulado
Fascio de Combatimento, cujos integrantes, os camisas
pretas (camicie nere), opõem-se à classe liberal.
Outras formas:

Regimes semelhantes surgem em


outros países.
 na Alemanha (1933-1945), com
Hitler , nasce o nazismo ;
 na Espanha (1939-1975), com o
general Francisco Franco , surge o
Franquismo;
 em Portugal (1929-1974), com o
então primeiro-ministro António de
Oliveira Salazar, desenvolve-se o
Salazarismo;
 no Brasil, o Fascismo acompanha o
Estado Novo (1937-1945).
Stalinismo
 Ditadura burocrática do regime de partido único;
 Centralização dos processos de tomada de decisão no núcleo
dirigente do Partido;
 Burocratização do aparelho estatal;
 Intensa repressão a dissidentes políticos e ideológicos;
 Culto à personalidade do(s) líder(es) do Partido e do Estado;
 Intensa presença de propaganda estatal e incentivo ao patriotismo
como forma de organização dos trabalhadores;
 Censura aos meios de comunicação e expressão;
 Coletivização obrigatória dos meios de produção agrícola e
industrial;
 Militarização da sociedade e dos quadros do Partido.
Maoísmo
 Grande Marcha – 100 mil
homens caminham 965 mil km
durante 1 ano;
 Voluntarismo - “vontade do
povo”;
 Tomada do poder com o a
instauração da guerra civil e apoio
da maioria da população;
 Execução dos “inimigos do
povo” em praça pública;
 “Reeducação” do imperador
deposto.
URSS e China
 1917 – Revolução Russa
 URSS queria a expansão do ideal socialista;
 1949 – A China se torna comunista;
 A China recebe acessória técnica, científica e financeira da URSS;
 1953 – Morre Stálin e assume Nikita Kruchev;
 “Doutrina da coexistência pacífica” ( desestalinização);
 1956 – URSS se nega a apoiar o programa nuclear chinês;
 1960 – URSS se nega a continuar assessorando a China;
 A liderança de Moscou sobre o mundo socialista começa a ser
contestada;
 URSS é acusada de ser superpotência imperialista;
 1972 – Richard Nixon visita a China.
Cartaz soviético comemora a "amizade e
cooperação entre os povos soviético e chinês",
representando os líderes totalitários Josef Stalin e
Mao Tse Tung apertando as mãos.
Ex- Ditador da Uganda - Idi Amin Dada (1925-2003)

 1971 - Assumiu o poder em um golpe militar, tornou-se um


ditador que violava os direitos humanos;
 1951 à 1960 - o converteram em Campeão de Box (categoria
peso,pesado)
1962 - independência do país;
 1966 - tornou-se Chefe do Exército;
 1971 à 1979 - iniciou rapidamente a arbitrariedade como estilo de
governo, durou 8 anos de regime brutal;
 1972 - expulsou cerca de 40 mil asiáticos, descendentes de
imigrantes do Império Britânico na Índia;
 1975 - foi recebido pelo Papa João Paulo VI como Chefe em
exercício da Organização da Unidade Africana;
 1976 - foi notícia internacional; rompeu relações diplomáticas
com o Reino Unido;
 1979 - fora exilado na Tanzânia; com a queda, abandonou seu país
e fugiu para Líbia;
 2003 - aos dias 16 de agosto, sua morte; sem permissão para voltar
ao seu país, é sepultado na cidade de Jeddah, na Arábia Saudita.
A Propaganda Totalitária
 Foi essencial para, num primeiro momento, a conquista das massas e
arregimentar em torno de si uma enorme quantidade de simpatizantes;
 A propaganda totalitária é própria de um ambiente político específico, ou seja,
ela existe em um modelo de Estado específico, em um regime político específico;
 Decorre da fusão da ideologia com a política;
 A propaganda totalitária é uma espécie de propaganda política. Apresenta-se
como técnica de comunicação persuasiva cujo objeto específico é a propagação e a
construir a uniformização da ideologia na sociedade, conduzindo os interesses do
partido;
 Foram também apontadas semelhanças entre a propaganda totalitária e a
propaganda comercial de massa que se desenvolvia nos Estado Unidos naquele
início de século, utilizando argumentos cientificistas para suas afirmações
justificando a supremacia de suas próprias razões;
 A propaganda no totalitarismo é, portanto, um instrumento de dominação à
disposição dos detentores do poder. Não é o único. Ela é utilizada em conjunto
com outros (por exemplo, o terror, o partido único), possibilitando a dominação
total (da sociedade e do Estado).
po v o
Sloga
n :
é s n a d a, o
u n ã o
“T
d o . . . ”
é tu
PROPAGANDA COMUNISTA PROPAGANDA FASCISTA
O Fascismo espanhol “ varrendo o lixo
comunista”, auxiliado por outras
potências.