Você está na página 1de 52

R=PxC

•Qual é o perigo?

•Que processos naturais ou da


ação humana o estão
produzindo?

•Em que condições sua


evolução poderá produzir um
acidente?
•Qual a
probabilidade
deste fenômeno
físico ocorrer?
CONCEITOS BÁSICOS

•TALUDE NATURAL - ENCOSTA


SUPERFÍCIE NATURAL INCLINADA UNINDO OUTRAS
DUAS COM DIFERENTES POTENCIAIS GRAVITACIONAIS

TALUDE
NATURAL/
ENCOSTA
H = DIFERENÇA DE
POTENCIAL
GRAVITACIONAL
•TALUDE DE CORTE
talude natural com algum tipo de escavação
•TALUDE ARTIFICIAL
taludes de aterros diversos (rejeitos, bota-foras, etc.)

TALUDE NATURAL/ ENCOSTA

TALUDE ARTIFICIAL
(ATERRO) TALUDE DE CORTE
TALUDE DE CORTE TALUDE NATURAL

PERFIL ORIGINAL

TALUDE ARTIFICIAL
(ATERRO)
ELEMENTOS GEOMÉTRICOS BÁSICOS DO TALUDE
AMPLITUDE OU ALTURA
INCLINAÇÃO

α = ARCTAN (H/L)

AMPLITUDE (H)

α = INCLINAÇÃO

COMPRIMENTO NA HORIZONTAL
(L)
ELEMENTOS GEOMÉTRICOS BÁSICOS DO TALUDE
AMPLITUDE OU ALTURA
DECLIVIDADE

D(%) = (H/L)x100

AMPLITUDE (H)

COMPRIMENTO NA HORIZONTAL
(L)
ELEMENTOS GEOMÉTRICOS BÁSICOS DO TALUDE

DECLIVIDADE INCLINAÇÃO
D(%) = (H/L)x100 α = ARCTAN (H/L)
100% 45O
50% ~ 27O
30% ~ 17O
20% ~ 11O
12% ~ 7O
6% ~ 3O
PROCESSOS

MOVIMENTOS DE TRANSPORTE PROCESSOS EROSIVOS E


DE MASSA DE ASSOREAMENTO
AGENTE TRANSPORTANTE EROSÃO PLUVIAL,
(ÁGUA, GELO E AR) - FLUVIAL, EÓLICA, GLACIAL

ESCORREGAMENTOS: FRENTE
LIVRE DE MOVIMENTAÇÃO
(ENCOSTAS)
MOVIMENTOS GRAVITACIONAIS
DE MASSA
SEM AGENTE TRANSPORTANTE
SUBSIDÊNCIAS, COLAPSOS:
MOVIMENTOS VERTICAIS SEM
FRENTE LIVRE DE
MOVIMENTAÇÃO
ESCORREGAMENTOS

movimentos gravitacionais de massa,


DEFINIÇÃO:
mobilizando o solo, a rocha ou ambos.

escorregamento de solo
escorregamento de rocha
rastejo ou “creep”
queda de blocos
TIPOS DE PROCESSOS: desplacamento rochoso
rolamento de matacões
corridas de terra
corridas de lama
corridas de blocos
CLASSIFICAÇÕES DOS MOVIMENTOS DE MASSA
RASTEJO

VÁRIOS PLANOS DE DESLOCAMENTO (INTERNOS)


VELOCIDADES MUITO BAIXAS (CM/ANO) A BAIXAS E
DECRESCENTES COM A PROFUNDIDADE
MOVIMENTOS CONSTANTES, SAZONAIS OU
INTERMITENTES
SOLO, DEPÓSITOS, ROCHA ALTERADA/FRATURADA
GEOMETRIA INDEFINIDA
ESCORREGAMENTOS S.L. –
DINÂMICA/GEOMETRIA/MATERIAL

POUCOS PLANOS DE DESLOCAMENTO (EXTERNOS)

VELOCIDADES MÉDIAS (m/h) A ALTAS (m/s)

PEQUENOS A GRANDES VOLUMES DE MATERIAL

GEOMETRIA E MATERIAIS VARIÁVEIS


ESCORREGAMENTOS
ESCORREGAMENTOS

CONDICIONANTES NATURAIS:
características dos solos e rochas
relevo (declividade/inclinação)
vegetação
clima
nível d’água

CONDICIONANTES ANTRÓPICOS:
cortes e aterros
desmatamento
lançamento de água servida em superfície
fossas sanitárias
lixo e entulho
cultivo inadequado
A AÇÃO ANTRÓPICA – PROCESSOS TECNOLÓGICOS COMO AGENTE
INDUTOR
A AÇÃO ANTRÓPICA – PROCESSOS TECNOLÓGICOS COMO AGENTE
INDUTOR
A AÇÃO ANTRÓPICA – PROCESSOS TECNOLÓGICOS COMO AGENTE
INDUTOR
á r e a c o m c o b e r

DESMATAMENTO E
ESCORREGAMENTO
á r e a d e s m a t a
DE SOLO s u s c e t í v e l à e r
e e s c o r r e g a m e

e s c o r r e g a m e
d e s o lo
ALTURA E INCLINAÇÃO EXCESSIVAS

s o l o

s u p e r f i c i a l

i n c l i n a ç ã o
r u p t u r a e x c e s s i v a a l t u r a
e x c e s s i v a
s o l o d e
a l t e r a ç ã o

e s t r u t u r a
r e s i d u a l
ATERRO MAL EXECUTADO

a t e r r o l a n ç a d o ( f o f
s o b r e v e g e t a ç ã o

c a m i n h o s p r e f e r e n c i a i s
d 'á g u a

r u p t u r a
INFILTRAÇÃO
c h u v a DE ÁGUA

c a n a l e t a s u b d i m e n s i o n a d a
e / o u o b s t r u í d a

l a n ç a m e n t o d e
á g u a s e r v i d a
r u p t u r a s

z o n a s s a t u r a d a s
VAZAMENTO E INFILTRAÇÃO DE ÁGUA

v a z a m e n t o e m r e d e d e
a b a s t e c i m e n t o d ' á g u a

r u p t u r a

t r i n c a s

z o n a s s a t u r a d a s
FOSSAS SÉPTICAS

F O S S A s u r g ê n c i a
d 'á g u a

z o n a s d e s a t u r a ç ã o g r a d u a l
d o s o l o
ESCORREGAMENTO DE LIXO

a c ú m u l o d e

d e s l i z a m e n
l ix o e s o l o

L I X O
ESCORREGAMENTO
EM
CORTE / ATERRO c h u v a

r u p t u r a d o
c o r t e

r u p t u r a d o
a t e r r o
PROCESSOS DE MOVIMENTOS DE MASSA MAIS
COMUNS E QUE CAUSAM MAIOR NÚMERO DE VÍTIMAS

ESCORREGAMENTOS PLANARES EM SOLO

ENVOLVENDO: CORTES E ATERROS


ESCORREGAMENTOS CIRCULARES/ROTACIONAIS
Escorregamento Translacional

• São aqueles cuja a superfície de ruptura é plana. São


condicionadas por planos de fraqueza, desfavoráveis a
estabilidade, tais como: fraturas, acamamentos, contato entre
horizontes, falhas, foliações, xistosidades.
• Podem ser divididos em escorregamentos planares (em forma de
blocos, placas) e os escorregamentos em cunha (deslizamento
ao longo da interseção de duas descontinuidades).
PROCESSOS GEODINÄMICOS - CAUSAS E POSSÍVEIS
SOLUÇÕES
Movimentos Complexos

• Movimentos que envolvem uma combinação de um ou mais dos


principais tipos, sendo mais comum do que qualquer tipo de
movimento individual. As combinações mais freqüentes são:
queda e rolamento de blocos juntamente com escoamentos de
materiais grosseiros e escorregamento associado a escoamento
de solos e detritos.
QUEDAS – DINÂMICA/GEOMETRIA/MATERIAL
SEM PLANOS DE DESLOCAMENTO
MOVIMENTOS TIPO QUEDA LIVRE OU EM PLANO INCLINADO
VELOCIDADES MUITO ALTAS (VÁRIOS M/S)
MATERIAL ROCHOSO
PEQUENOS A MÉDIOS VOLUMES
GEOMETRIA VARIÁVEL: LASCAS, PLACAS, BLOCOS, ETC.
ROLAMENTO DE MATACÃO
TOMBAMENTO
PROCESSOS GEODINÄMICOS - CAUSAS E POSSÍVEIS
SOLUÇÕES
QUEDAS
QUEDAS
Tombamentos
• Rotação para frente ou para fora da encosta de uma unidade ou
várias unidades sobre um mesmo ponto. Ocorre sob ação da
gravidade e/ou forças aplicadas por unidades adjacentes ou por
fluidos em descontinuidades. Podem estar condicionados por
descontinuidades já existentes ou devido a liberação de blocos
fraturados por tensões de tração.
ROLAMENTO DE MATACÃO
ROLAMENTO DE MATACÃO
ROLAMENTO DE BLOCOS
DESPLACAMENTO/
TOMBAMENTO
DESPLACAMENTO/TOMBAMENTO
DESPLACAMENTO/TOMBAMENTO