Você está na página 1de 55

CONTABILIDADE PUBLICA E GOVERNAMENTAL

METODO DE AVALIAÇÃO

70% PROVA INDIVIDUAL.

30% EXERCICIOS EM CLASSE e EXTRA


CLASSE
CONTABILIDADE PUBLICA E GOVERNAMENTAL

BIBLIOGRADIA RECOMENTADA

ANGELICO, JOÃO. CONTABILIDADE


PÚBLICA. OITAVA EDIÇÃO.; ATLAS
2000

SLOMSKI, VALMOR. MANUAL DE


CONTABILIDADE PÍBLICA. SEGUNDA
EDIÇÃO SÃO PAULO: ATLAS, 2003
CONTABILIDADE PUBLICA E GOVERNAMENTAL
CONCEITOS

• CONCEITO
A contabilidade pública é uma Ciência que
registra, controla e estuda os atos e fatos
administrativos e econômicos operados
no PATRIMÔNIO público de uma
entidade.
CONTABILIDADE PUBLICA E GOVERNAMENTAL
CONCEITOS

• PATRIMÔNIO
Entende-se como patrimônio o conjunto de
bens, direitos e obrigações, devidamente
avaliáveis em moeda corrente.
Excetua-se dos registros da contabilidade
publica o do patrimônio, que diz respeito
aos bens de uso comum, tais como ruas,
estradas, parques, praças, entre outros.
CONTABILIDADE PUBLICA E GOVERNAMENTAL
CONCEITOS

• CLASSIFICAÇÃO
Cada fato administrativo ocorrido na entidade,
mediante documentos hábeis e legais, que
comprovem operações realizadas em
determinado período preestabelecido, deve ser
agrupado em uma mesma natureza e
característica sob determinada denominação
condizente com sua realidade, para facilitar a
leitura da informação e a característica do fato.
CONTABILIDADE PUBLICA E GOVERNAMENTAL
CONCEITOS

• CLASSIFICAÇÃO
A individualidade dos fatos se agrupa e se
organiza em “contas”, representações
sintéticas que se identificam pela natureza
em sua ordem de liquidez no lado do Ativo e
pela ordem de exigibilidade do lado do
Passivo.
CONTABILIDADE PUBLICA E GOVERNAMENTAL
CONCEITOS

• REGISTRO
Com base na classificação contábil, previamente
estabelecida por um planejamento, o registro tem
por objetivo o fato ocorrido e torná-lo,
tempestivamente ou em data futura, uma prova
em favor de entidade e de outros usuários da
informação, tais como devedores, instituições
financeiras, orgãos fiscalizadores etc... . Diversos
são os documentos de registros, sendo os mais
importantes o Livro Diario e o Razão.
CONTABILIDADE PUBLICA E GOVERNAMENTAL
CONCEITOS

• INFORMAÇÃO
É a interpretação das demostrações e
dos registros com base nas
classificações dos fatos,
transparecendo o resultado das ações
administrativas sobre o patrimonio da
entidade.
CONTABILIDADE PUBLICA E GOVERNAMENTAL
CONCEITOS

• CONTROLE
É a aplicação dos métodos de
acompanhamento dos atos, fatos e das
demostrações oriundas destes,
buscando o aperfeiçoamento e a
integridade da entidade. Sistematica de
alinhamento do processo em relação ao
fim pretendido.
CONTABILIDADE PUBLICA E GOVERNAMENTAL
CONCEITOS

• ANÁLISE
É o exame de cada parte e do todo
contabil, mediante a aplicação de
procedimentos proprios ou externos,
buscando o conhecimento da netureza
dos fatos, das proporções, da evolução
e involução dos resultados, propiciando
a tomada de decisão com eficiencia e
eficácia.
CONTABILIDADE PUBLICA E GOVERNAMENTAL
CONCEITOS

• REGIME CONTABEIS
Está expressão é utilizada para consolidar alguns
“Principios e Converções Contabéis Geralmente
Aceitos”, no tocante às premissas adotadas no
momento da escrituração contabil, a fim de
resguardar a transcrição da realidade do fato contabil.
Existem pela consagração das praticas contábeis três
tipos de regime contabil:
REGIME DE CAIXA, REGIME DE COMPETENCIA E
REGIME MISTO.
CONCEITOS
• REGIME DE CAIXA
O Regime de caixa é aquele que destaca como
receita e despesas todas as entradas e saidas de
recursos financeiros ou não, recebidos, pagos,
arrecadatos ou recolhidos, efetivamente, durante o
exercicio financeiro, independentemente de referir-
se a creditos ou a debitos de outros exercicios.
Portanto, nota-se que as despesas empenhadas,
mas não pagas, e as receitas lançadas mas não
recebidas, são automaticamente transferidas para
o exercicio financeiro seguinte.
No Brasil, é o regime adotado para receitas públicas,
CONCEITOS

• REGIME DE COMPETENCIA
Regime contábil que se destaca com as
movimentações orçamentarias pertencentes a
fatos geradores efetivamente realizados dentro
de um exercicio, com o reconhecimento e a
apropriação nesse exercicio, repercutindo
financeiramente no no exercicio seguinte.
No Brasil, é o regime adotado para a despesa
pública.
CONCEITOS

• REGIME MISTO
Regime contábil que mescla o regime de
caixa e o regime de competência para
apuração dos resultados dos exercicios.
No Brasil, a contabilidade das
instituições públicas é regida por este
regime misto, conforme a aplicação do
entendimento geral adotado com relação
ao que preceitua o Art. 35, incisos I e II
da lei n 4.320/64.
CONCEITOS

• REGIME MISTO

“Art. 35 pertencem ao exercicio financeiro:

I – As receitas nele arrecadadas: e


II – As despesas nele legalmente empenhadas,”

O primeiro inciso representa o regime de caixa,


enquanto o segundo representa o regime de
competencia.
CONCEITOS

• FATOS PERMUTATIVOS

Entende-se por fatos permutativos fatos contábeis


que alteram o valor dos bens, direitos e
obrigações, sem modificar a situação liquida do
patrimonio, fatos que denotam altarações
equivalentes nas contas de uma instituição, em
que houve, Basicamente, uma permuta de um
item da contabilidade por outro.
CONCEITOS

• FATOS PERMUTATIVOS
Ex

Aquisição de um imovel com pagamento em


cheque: houve diminuição da conta BANCO
na mesma proporção em que aumetou a
conta IMOBILIZADO, investimentos ou
inversões financeiras, conforme o caso.
CONCEITOS

• FATOS MODIFICATIVOS

Já os fatos modificativos devem ser vislumbrados


como fatos contabéis que alteram o valor dos
bens, direitos e obrigações, modificando a
situação liquida do patrimonio.
CONCEITOS

• FATOS MODIFICATIVOS
Ex:

Pagamento dos salarios dos funcionarios no


final do mês.
Há uma redução do elemento ativo “ disponivel
em Banco” e a diminuição da situação
líquida da instituição.
Também a baixa de um bem móvel por perda
representa a redução da situação
patrimonial.
CONCEITOS

• MÉTODO DE PARTIDAS DOBRADAS

O metodo de partidas dobradas foi desenvolvida no


final do seculo XV.
Emergiu-se pela necessidade De prestação de
contas patrimonial, levanto-se em conta a
entrada e saída de valores ou aumentos e
diminuições. Imbuídos nesse conceito surgiram
os termos dever e haver, que evoluiram para os
termos débitos e credito, utilizados na
atualidade.
Este método partiu da idéia de que todo recurso
investido no patrimonio é imediatamente
CONCEITOS

• MÉTODO DE PARTIDAS DOBRADAS

Consumido, aumentando ou diminuindo o


patrimonio da instituição, mediante
investimento de recurso ou sacrificio de algum
bem. Aqui surgiu a expressão: “ não existe
debito sem credito e vise-versa”.
Pode se concluir que: a todo débito corresponde
um ou mais creditos cujo valor ou somatoria se
igualam, e a todo crédito corresponde um ou
mais débitos, cujo o valor ou somatorio se
igualam.
CONCEITOS
• MÉTODO DE PARTIDAS DOBRADAS
A transação contábil pelo método de partidas dobradas é
hoje uma das maiores convenções mundiais.
Atrelados a esta convenção podemos representar a
conclusão abaixo:

CONTA DO AUMENTA A DIMINUI A


ATIVO DÉBITO CRÉDITO
PASSIVO CRÉDITO DÉBITO
PATRIMONIO LIQUIDO CRÉDITO DÉBITO
VARIAÇÕES ATIVAS CRÉDITO DÉBITO (estorno)
VARIAÇÕES PASSIVAS DÉBITO CRÉDITO (estorno)
CONCEITOS

• MÉTODO DE PARTIDAS DOBRADAS


Nas variações ativas, incluem-se as operações
resultantes da execução orçamentaria (receitas
orçamentarias e mutações patrimoniais), assim
como nas operações independentes da execução
orçamentaria, também ativas.
Nas variações Passivas, incluem-se as operações
resultante da execução orçamentaria (despesa
orçamentarias e as mutações patrimoniais), além
das operações independentes da execução
orçamentaria.
CONCEITOS

• FISCALIZAÇÃO E CONTROLE EXTERNO

Com base no ditame legal que diz:


“ Na contabilidade Pública só se pode fazer aquilo que
está devidamente pescrito em lei”

Por esse raciocinio, verifica-se a importancia de um


controle externo rigoroso feito pelo povo, por
legisladores e pelo intitulado tribunal de contas
CONCEITOS

• TRIBUNAL DE CONTAS

Os tribunais de contas são orgãos públicos com


autonomia administrativa e financeira em relação
aos três poderes (Legislativo, Executivo e
Judiciario) e funções tecnicas, com objetivo de
verificar o cumprimento real dos ditames legais
pelos entes publicos do país.
CONCEITOS

• ENTIDADES PÚBLICAS

Conceitua-se administração pública como, segundo


conceitos advindos do direito administrativo, todo o
aparelhamento preordenado à realização de seus
serviços que visa à satisfação das necessidades
coletivas.
No Brasil, a contabilidade pública é utilizada pelos três
poderes: Excutivo, legislativo e Judiciario, tanto na
administração direta, quanto na administração
indireta, no entanto, na administração indireta, a
contabilidade publica é utilizada somente nas
autarquias e fundações públicas.
CONCEITOS

• ENTIDADES PÚBLICAS

As empresas públicas e as sociedades de economia


mista, por suas caracteristicas especificamente
comerciais, empregam o que determinam a lei n
6.404/76 ou a lei das sociedades por ações,
alterada pela 11.638/07.
CONCEITOS

• TRIBUNAL DE CONTAS

Trabalho extra-classe: Individual

Pesquise e responda quais são:

1 - ) Competencias Constitucionais dos Tribunais de


contas; e

2 - ) Competencias legais dos Tribunais de contas.


CONCEITOS
PLANO PLURIANUAL

É o instrumento que expressa o planejamento do governo federal,


estadual, distrital e municipal para um período de quatro anos, iniciando-se
no segundo ano de mandato do chefe do poder executivo e terminando no
primeiro ano de mandato do chefe executivo subsequente.
Este processo objetiva garantir a continuidade dos planos e programas
instituidos pelo governo anterior.

Cada programa será apresentado no PPA com seus respectivos dados


qualitativos e quantitativos.
CONCEITOS
Programa é o instrumento da ação governamental visando à concretização dos
objetivos pretendidos, sendo mensurados por indicadores estabelecidos no
plano plurianual.

Os programas compreendem qautro modalidades:


A ) Programas finalisticos: Destinam-se a atender diretamente a demandas e
necessidades da sociedade.
B ) Programas de gestão de politicas públicas: Abrangem as ações de governo
relacionadas a formulação, coordenação, supervisão e avaliação de politicas
públicas;
C ) Programas de serviços ao Estado: Têm por finalidade a produção de bens e
serviços por instituição criada para esse fim, tendo o proprio estado como
beneficiario.
D ) Programas de apoio administrativo: reunem as ações de apoio administrativo
para suporte à implementação dos demais programas, compreendendo
principlamente custos de pessoal não passiveis de alocação direta aos
programas finalisticos ou de gestão de politicas píblicas.
CONCEITOS
CATEGORIAS DE INSTRUMENTOS DE REALIZAÇÃO DE AÇÕES

As ações governamentais correspondem, pois, aos projetos, atividades e


operações especiais estruturadas em programas:
Projetos : tem como resultado um produto que concorre para a expansão ou o
aperfeiçoamento da ação do governo, que pode ser medido fisica e
financeiramente.

Atividade: Tem como resultado um produto necesario à manutenção da ação de


governo, que normalmente pode ser medido quantitativamente e
qualitativamente.

Operações especiais: Agregam despesas às quais não se pode associar, no


periodo, a geração de um bem ou serviço.
CONCEITOS

PROGRAMAS

AÇÕES

PROJETOS ATIVIDADES OPERAÇÕES ESPECIAIS

METAS E VALORES
CONCEITOS
PREFEITURA MUNICIPAL DE CIDADE FELIZ
PLANO PLURIANUAL 2006/2009
OBJETIVO ASSEGURAR A MELHORIA DA VALORES EM R$ 1,00
ESTRATEGICO QUALIDADE DE VIDA DA RESUMO POR APLICAÇÃO
POPULAÇÃO E PROMOVER O
DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL

PROGRAMA 014 – HABITAÇÃO POPULAR DESPESAS 80.000


CORRENTES
DESPESAS DE 4.840.000
CAPITAL
TOTAL 4.920.000

INDICADORES UNIDADE INDICE INDICE RESUMO POR FONTES


DE MEDIDA RECENTE FUTURO

DÉFICIT HABITACIONAL % 7,74 4,00 01 RECURSOS 981.000


PROPRIOS

02 TRANSFERENCIA DO 0,00
ESTADO

03 TRANSFERENCIA 3.939.000
DA UNIÃO

04 OPERAÇÕES DE 0,00
CRÉDITO

05 OPERAÇÕES DE 0,00
CREDITO

TOTAL 4.920.000
CONCEITOS

COD / TIPO NOME DA AÇÃO / UNIDADE DE TOTAL 2006 2007 2008 2009 FONTES
PRODUÇÃO MEDIDA

109 P CONSTRUÇÃO DE CASA 400 960.000 960.000 960.000 960.000 01/03


HABITAÇÕES CONTRUIDA
POPULARES CASA 3.840.000
CONTRUIDA CUSTO

110 P PRODUÇÃO DE LOTE 400 270.000 270.000 270.000 270.000 01/03


LOTES URBANIZADO
URBANIZADOS LOTE 1.080.000
URBANIZADO
CUSTO

TOTAL ANUAL 4.920.000 1.230.000 1.230.000 1.230.000 1.230.000


CONCEITOS
Lei de Diretrizes Orçamentárias

É a lei que antecede a lei orçamentária, que define as metas e prioridades em


termos de programas a executar pelo Governo. O projeto de lei da LDO deve ser
enviado pelo Poder Executivo ao Congresso Nacional até o dia 15 de abril de
cada ano (8 meses e meio antes do encerramento da sessão legislativa).

No Brasil, a Lei de Diretrizes Orçamentárias - LDO tem como a principal finalidade


orientar a elaboração dos orçamentos fiscal e da seguridade social e de
investimento do Poder Público, incluindo os poderes Executivo, Legislativo,
Judiciário e as empresas públicas e autarquias. Busca sintonizar a Lei
Orçamentária Anual - LOA com as diretrizes, objetivos e metas da administração
pública, estabelecidas no Plano Plurianual.
CONCEITOS Lei de Diretrizes Orçamentárias
De acordo com o parágrafo 2º do art. 165 da Constituição Federal, a LDO:
Compreenderá as metas e prioridades da administração pública, incluindo as
despesas de capital para o exercício financeiro subseqüente;
Orientará a elaboração da LOA;
Disporá sobre as alterações na legislação tributária; e
Estabelecerá a política de aplicação das agências financeiras oficiais de fomento.
A lei de diretrizes orçamentárias - LDO define as metas e prioridades do governo
para o ano seguinte, orienta a elaboração da lei orçamentária anual, dispõe sobre
alterações na legislação tributária e estabelece a política das agências de
desenvolvimento (Banco do Nordeste, Banco do Brasil, BNDES, Banco da
Amazônia, etc.). Também fixa limites para os orçamentos dos Poderes Legislativo
e Judiciário e também do Ministério Público, além de dispor sobre os gastos com
pessoal.
A Lei de Responsabilidade Fiscal remeteu à LDO diversos outros temas, como
política fiscal, contingenciamento dos gastos, transferências de recursos para
entidades públicas e privadas e política monetária.
Integrarão ainda a Lei de Diretrizes Orçamentárias, os anexos de metas fiscais e
de riscos fiscais, estabelecidos nos §§1º e 3º do art. 4º da lei de responsabilidade
Fiscal.
CONCEITOS
Lei de Diretrizes Orçamentárias

Anexo de Metas Fiscais


O Anexo de Metas Fiscais abrangerá os Órgãos da Administração Direta, dos
Poderes e entidades da Administração Indireta, constituídas pelas
autarquias, fundações, fundos especiais, empresas públicas e sociedades
de economia mista que recebem recursos do Orçamento Fiscal e da
Seguridade Social, inclusive sob a forma de subvenções para pagamento
de pessoal e custeio, ou de auxílios para pagamento de despesas de
capital, excluídas, neste caso, aquelas empresas lucrativas que recebam
recursos para aumento de capital.
A LRF determina que no Anexo de Metas Fiscais sejam estabelecidas metas
anuais, em valores correntes e constantes, relativas a receitas, despesas,
resultados nominal e primário e montante da dívida pública, para o
exercício a que se referirem e para os dois seguintes e conterá, ainda:
CONCEITOS
Lei de Diretrizes Orçamentárias

Avaliação do cumprimento das metas relativas ao ano anterior;


Demonstrativo das metas anuais, instruído com memória e metodologia de
cálculo que justifiquem os resultados pretendidos, comparando-as com as fixadas
nos três exercícios anteriores, e evidenciando a consistência delas com as
premissas e os objetivos da política econômica nacional;
Evolução do patrimônio líquido, também nos últimos três exercícios, destacando
a origem e a aplicação dos recursos obtidos com a alienação de ativos;
Avaliação da situação financeira e atuarial;
Do regime geral de previdência social e do regime próprio dos servidores
públicos, além do Fundo de Amparo ao Trabalhador;
Dos demais fundos públicos e programas estatais de natureza atuarial;
Demonstrativo da estimativa e compensação da renúncia de receita e da margem
de expansão das despesas obrigatórias de caráter continuado.
CONCEITOS
Lei de Diretrizes Orçamentárias

A fim de dar cumprimento ao preceito da LRF, o Anexo de Metas Fiscais deve ser
composto pelos seguintes demonstrativos:
• Demonstrativo I – Metas Anuais;
• Demonstrativo II – Avaliação do Cumprimento das Metas Fiscais do
Exercício Anterior;
• Demonstrativo III – Metas Fiscais Atuais Comparadas com as Metas
Fiscais Fixadas nos Três Exercícios Anteriores;
• Demonstrativo IV – Evolução do Patrimônio Líquido;
• Demonstrativo V – Origem e Aplicação dos Recursos Obtidos com a
Alienação de Ativos
• Demonstrativo VI – Avaliação da Situação Financeira e Atuarial do
RPPS;
• Demonstrativo VII – Estimativa e Compensação da Renúncia de
Receita;
• Demonstrativo VIII – Margem de Expansão das Despesas Obrigatórias
de Caráter Continuado.
CONCEITOS
Lei de Diretrizes Orçamentárias

AULA 17/03/09
CONCEITOS
Lei de Diretrizes Orçamentárias

As diversas fases de elaboração e execução da LDO Nacional

Passo a Passo

P
roje
tode P arec
er A
utó
gra
fose
E
m e
nda
s R
ela
tório
L
ei P
relimina
r L
e is
CONCEITOS
Lei de Diretrizes Orçamentárias

PROJETO DE LEI

O projeto de LDO (PLDO) é elaborado pela Secretaria de


Orçamento Federal e encaminhado ao Congresso Nacional pelo Presidente da
República, que possui exclusividade na iniciativa das leis orçamentárias.
CONCEITOS
Lei de Diretrizes Orçamentárias

EMENDAS
Após aprovado o parecer preliminar, abre-se prazo para a apresentação de
emendas ao projeto de lei de diretrizes orçamentárias, com vistas a inserir,
suprimir, substituir ou modificar dispositivos constantes do projeto.

Cada parlamentar, Comissão Permanente do Senado Federal e da Câmara


dos Deputados e Bancada Estadual do Congresso Nacional pode apresentar
até cinco emendas ao anexo de metas e prioridades. Não se incluem nesse
limite as emendas ao texto do projeto de lei. Para essa finalidade, as emendas
são ilimitadas.

As emendas são apresentadas perante a CMO, que sobre elas emite parecer
conclusivo e final, que somente poderá ser modificado mediante a aprovação
de destaque no Plenário do Congresso Nacional.
CONCEITOS
Lei de Diretrizes Orçamentárias

RELATÓRIO

O relator deve analisar o projeto de diretrizes orçamentárias e as emendas


apresentadas, tendo como orientação as regras estabelecidas no Parecer
Preliminar, e formalizar, em relatório, as razões pelas quais acolhe ou rejeita as
emendas
CONCEITOS
Lei de Diretrizes Orçamentárias

AUTÓGRAFOS E LEIS

Após aprovado, o parecer da CMO é submetido à discussão e votação no Plenário


do Congresso Nacional. Os Congressistas podem solicitar destaque para a
votação em separado de emendas, com o objetivo de modificar os pareceres
aprovados na CMO. Esse requerimento deve ser assinado por um décimo dos
congressistas e apresentado à Mesa do Congresso Nacional até o dia anterior ao
estabelecido para discussão da matéria no Plenário do Congresso Nacional.
CONCEITOS
LOA – LEI ORÇAMENTARIA ANUAL

Projeto de Relatório Parecer Ciclo Ciclo Autógrafos


Emendas
Lei da Receita Preliminar Setorial Geral e Leis
CONCEITOS
LOA

PROJETO DE LEI

O projeto de lei orçamentária é elaborado pela Secretaria de Orçamento


Federal (SOF) e encaminhado ao Congresso Nacional pelo Presidente da
República.
CONCEITOS
LOA

RELATÓRIO DA RECEITA

Cabe ao relator da receita, com o auxílio do Comitê de Avaliação da


Receita, avaliar, inicialmente, a receita prevista pelo Executivo no
projeto de lei orçamentária.
CONCEITOS

LOA

PARECER PRELIMINAR

O parlamentar designado para ser o relator-geral do projeto de lei


orçamentária deve elaborar Relatório Preliminar sobre a matéria, o qual,
aprovado pela CMO, passa a denominar-se Parecer Preliminar.
CONCEITOS
LOA

EMENDAS

As emendas à despesa são classificadas como de remanejamento, de apropriação


ou de cancelamento.

menda de remanejamento é a que propõe acréscimo ou inclusão de dotações e,


simultaneamente, como fonte exclusiva de recursos, a anulação equivalente de
dotações constantes do projeto, exceto as da Reserva de Contingência. Com isso,
somente poderá ser aprovada com a anulação das dotações indicadas na própria
emenda, observada a compatibilidade das fontes de recursos.
CONCEITOS
LOA

EMENDAS

Emenda de apropriação é a que propõe acréscimo ou inclusão de dotações e,


simultaneamente, como fonte de recursos, a anulação equivalente de valores da
Reserva de Recursos ou outras dotações definidas no Parecer Preliminar.
CONCEITOS
LOA

EMENDAS

Emenda de Cancelamento é a que propõe, exclusivamente, a redução de


dotações constantes do projeto.
CONCEITOS
LOA

CICLO SETORIAL

O projeto de lei orçamentária anual é divido em 10 áreas temáticas, com o


objetivo de dar atenção às particularidades dos diversos temas que permeiam
a proposta, como educação, saúde, transporte, agricultura, entre outros
CONCEITOS
LOA

CICLO GERAL

Após a aprovação dos relatórios setoriais, é tarefa do Relator Geral compilar as


decisões setoriais em um único documento chamado Relatório Geral, que será
submetido à CMO.
CONCEITOS
LOA

AUTÓGRAFOS E LEIS

O parecer da CMO é submetido à discussão e votação no


Plenário do Congresso Nacional.