Você está na página 1de 13

PRáTICAS E MODELOS DE

AUTO - AVALIAçãO DA
BIBLIOTECA ESCOLAR

Integração do Processo de Auto-Avaliação


no Contexto da Escola / Agrupamento

Formanda: Isabel Monteiro


Turma 8
“ A ligação entre a Biblioteca
Escolar , a Escola e o Sucesso
Educativo é hoje facto assumido por
Organizações e Associações
Internacionais …”
A Escola deve , por
isso :
* Conhecer o Modelo de Auto-Avaliação da BE;

* Tomar consciência do valor da integração da


BE nos conteúdos Programáticos e Educativos
da Escola;

* Tomar consciência da utilidade da BE na


aprendizagem e no sucesso dos discentes;

* Reflectir sobre o impacto da aplicação deste


Modelo.
As mais-valias da Auto-Avaliação da
BEDesenvolver
: a qualidade dos serviços da BE;

Reconhecer falhas;

Aperfeiçoar o envolvimento com todos os


órgãos escolares ;

Criar um forte impacto qualitativo na


aprendizagem e no sucesso educativo dos alunos;

Aprimorar o trabalho em equipa;

Aferir a eficácia dos serviços através de


evidências.
Constrangimentos ao papel
da BE :

Factores inerentes à sua estrutura


interna;

Factores inerentes às condições físicas e


aos equipamentos.
Como gerir a
mudança?
* Com um professor Bibliotecário liderante,
que mobilize a escola para a implementação
do Modelo;

* Com a redefinição de práticas que integrem


a BE na estratégia de ensino-aprendizagem da
escola e nas práticas de alunos e professores.
A relação com o processo de
Planeamento

* O PAA da BE deve estar integrado no PAA do


Agrupamento;
* O professor Bibliotecário deve cooperar com
todos os departamentos, trabalhando sempre em
equipa no desenvolvimento das diferentes
literacias, integrando e apoiando o
aperfeiçoamento curricular;
* O professor Bibliotecário deve ter uma posição
de inquirição das práticas de gestão e do impacto
que têm na Escola e no sucesso educativo dos
alunos;
* O professor Bibliotecário deve, acima de tudo,
ter espírito de liderança e ser comunicativo.
Processo de Auto – Avaliação
“… A liderança é essencial e
determinante no sucesso do processo
de Auto - Avaliação …”

* Este processo estende-se por um período de


4 anos, contemplando um domínio diferente
em cada ano;

* Em cada domínio devem ser definidos


indicadores nos quais se evidenciam espaços
base de intervenção;

* Para cada indicador existem instrumentos


para recolha de evidências.
Avaliar o quê?
• Domínio A – Apoio ao Desenvolvimento
Curricular;

• Domínio B – Leitura e Literacia;



• Domínio C – Projectos, Parcerias e
actividades livres e de abertura à
comunidade escolar;

• Domínio D - Gestão da BE.

O Bibliotecário deve :
• Ter capacidade de intervenção face aos
problemas identificados;
• Articular prioridades e objectivos com a
escola, os programas e projectos em
desenvolvimento;
• Desenvolver uma cultura de avaliação, gerir
as evidências recolhidas no sentido de
comunicar o valor da BE e corrigir as lacunas
identificadas;
• Articular, colaborar e comunicar em
permanência na escola.
A integração dos resultados na
auto - avaliação da escola
• Esta integração deve enquadrar-se no contexto
da escola;

• Toda a comunidade escolar deve ser chamada a


participar;

• A comunicação dos resultados da avaliação deve


fazer uso dos diferentes canais de comunicação
da BE com o exterior;

• O relatório deve ser discutido e aprovado em


Conselho Pedagógico, bem como o plano de
melhoria a ser delineado;
A integração dos resultados na
auto - avaliação da escola
• A avaliação da BE deve estabelecer ligações com
a avaliação da escola;

• O relatório de avaliação da escola deve conter


uma síntese do relatório de avaliação da BE;

• A avaliação externa da escola pela Inspecção


deve ponderar o impacto da BE na escola;

• Este processo requer sentido de ética, sendo a


mais valia a melhoria organizacional do
Agrupamento.


Conclui - se que :
• Avaliar é um acto de reflexão e de intervenção;

• Esta reflexão só faz sentido se nos levar à
mudança, à transformação e à reformulação;

• Assim, temos a hipótese de melhorar o trabalho
e progredir.