Você está na página 1de 12

PERÍCIA CONTÁBIL

Aula 2 – Conceito,
Características, Provas,
Tipos
Auditoria x Perícia

- Profª Maria Paula Merlotti - Aula 2 1


Perícia Judicial – CPC

Art. 420. A prova pericial consiste em


exame, vistoria ou avaliação.

• Parágrafo único. O juiz indeferirá a


perícia quando:

• I - a prova do fato não depender do


conhecimento especial de técnico;
• II - for desnecessária em vista de
outras provas produzidas;
• III - a verificação for impraticável.

- Profª Maria Paula Merlotti - Aula 2 2


Conceito de Perícia Judicial
Contábil
“ No Judiciário, ...., “ Serviço especializado,
com bases
provar é preciso. científicas, contábeis,
Nesse sentido, não fiscais e societárias,
basta alegar direitos. à qual se exige
formação de nível
É fundamental superior, e deslinda
transformar os fatos questões judiciais e
alegados, por meio extrajudiciais. É
da prova técnica utilizada como
elemento de prova
contábil, em certeza ou reveladora da
jurídica.” verdade em assuntos
fisco-contábeis e tem
(Martinho, pg. 20) por finalidade a
“ Peritia: demonstração de um
fato ou ato, a qual
conhecimento deve ser efetuada
adquirido pela com o maior rigor
experiência” possível e embasada
na mais pura e
genuína expressão
da verdade”
(Hoog, pg. 43/44)

- Profª Maria Paula Merlotti - Aula 2 3


Características
• Aspectos Gerais:
a. Surge de um conflito latente e manifesto
que se quer esclarecer;
b. Constata, prova ou demonstra a
veracidade de alguma situação, coisa ou
fato;
c. Fundamenta-se em requisitos técnicos,
científicos, legais, psicológicos, sociais e
profissionais; e
d. Deve materializar, segundo forma
especial, à instância decisória, a
transmissão da opinião técnica ou
científica sobre a verdade fática, de modo
que a verdade jurídica corresponda
àquela.

- Profª Maria Paula Merlotti - Aula 2 4


Características
Alguns outros aspectos, mais específicos,
também caracterizam a atuação da perícia,
sendo prudente destacar, de inicio:

a. A delimitação da matéria sobre que recai-


já que são somente aquelas matérias cuja
a apreciação dependa de conhecimento
especial do técnico;

b. A iniciativa técnica, ou seja, a absoluta


independência técnica nos processos,
métodos e análises que leva a efeito;

- Profª Maria Paula Merlotti - Aula 2 5


Características
c. A limitação de pronunciamento, ou seja, a
consonância da matéria examinada e da
finalidade do exame com a forma própria
e normalizada da espécie de laudo que
registrará a conclusão; e

d. O integral conhecimento técnico ou


cientifico da matéria, complementando
necessariamente, com conhecimentos
conexos a sua especialização e das
disposições legais e normativas aplicáveis
ao caso concreto e à própria perícia.

Fonte: Perícia contábil / Valder Luiz Palombo Alberto – 2. Ed. –


São Paulo: Atlas, 2000. - Cap. 3

- Profª Maria Paula Merlotti - Aula 2 6


Provas Admitidas na Legislação
Brasileira

1. Qual o interesse do profissional de perícia


nas demais provas?
- Interdependência entre as provas, em
algumas situações, a utilização de outras
provas dentro da prova pericial.

 Depoimento pessoal: (art 342-347 CPC)


interrogação das partes pelo juiz, classificada
como prova semiplena, não tem independência
e isenção psíquica, já a perícia recai sobre fatos
técnicos ou científicos.

- Profª Maria Paula Merlotti - Aula 2 7


Confissão: (art 348-354 CPC) admitir como
verdadeiro fato contrário a seu interesse e
favorável a outra parte/pode dar-se isoladamente
ou se ligar ao depoimento pessoal/perícia e
confissão recaem sobre o mesmo fato são
excludentes

Exibição de Documento ou Coisa: (art 359 –


CPC) a prova dos fatos pode se dar através da
exibição de documentos/prova por si só ou por
sua ausência/se exibida trará aos autos os
elementos, mas se não fará com que o juiz
admita como verdadeiros os fatos que a parte
pretendia provar.

- Profª Maria Paula Merlotti - Aula 2 8


Documento: (art 364-399 CPC) uma das provas
mais utilizadas, mas os documentos devem ser
apreciados cientificamente ou tecnicamente.

estemunho: (art 400-419 CPC) podem depor


como testemunhas quaisquer pessoas, exceto as
incapazes, impedidas e as suspeitas. A perícia
pode se valer de testemunhas.

nspeção Judicial: (art 440-443 CPC) é um ato do


juiz de examinar ou vistoriar pessoas ou coisas,
a fim de se esclarecer fato de interesse a lide.
Pode ser assistido por perito. Neste caso,
diferentemente das demais provas, a perícia
pode vir a ser elemento acessório da prova de
inspeção judicial.
Fonte: Perícia contábil / Valder Luiz Palombo Alberto – 2. Ed. –
São Paulo: Atlas, 2000. - Cap. 3

- Profª Maria Paula Merlotti - Aula 2 9


• Tipos de Perícias:

a. Judicial
b. Extrajudicial
c. Arbitral

- Profª Maria Paula Merlotti - Aula 2 10


PERÍCIA AUDITORIA
1.Executada somente por pessoa 1.Pode ser executada tanto por
física, profissional de de nível pessoa física quanto por
universitário (CPC, art. 145).E jurídica.Não tem autoridade; é
tem autoridade e independência um prestador de serviço
de juízo acadêmico concedida contratado pela empresa com
pelo juíz.Responde cível e independência e
criminalmente pelo resultado de responsabilidade cível e criminal
sua opinião. sobre a opinião.

2.A perícia serve a uma época, 2.Tende à necessidade constante,


questionamento específico, por como exemplo: auditoria de
exemplo apuração de haveres na balanço, repetindo-se
dissolução de sociedade. anualmente.

3.A perícia se prende ao caráter 3.Auditoria se prende à


científico de uma prova com o continuidade de uma gestão;
objetivo de esclarecer parecer sobre atos e fatos
controvérsias.Não se repete, é contábeis.É contínua e repetitiva.
específica.

4.É específica, restrita aos 4.Pode ser específica ou não;


quesitos e pontos controvertidos, exemplo: auditoria de Recursos
especificados pelo condutor Humanos, ou em toda empresa.
judicial.

- Profª Maria Paula Merlotti - Aula 2 11


PERÍCIA AUDITORIA
5.Sua análise é irrestrita e 5.Feita por amostragem; observa
abrangente. os atos e fatos mais significativos
pela sua relevância.

6.Objetivo do trabalho: emissão de 6.Objetivo do trabalho: emissão de


laudo pericial. parecer de auditoria, relatório de
auditoria pela orientação
preventiva ou corretiva.

7.Usuários do serviço: as partes e 7.Usuários do serviço: sócios,


principalmente a justiça. investidores, administradores.

8.As normas técnicas são: 8.As normas técnicas são:


Resolução CFC 857/99; trata das Resolução CFC 820/97; trata das
normas profissionais do perito; normas de Auditoria
Resolução CFC 585/99; trata da Independente; Resolução CFC
perícia contábil. 821/97; trata das normas de
Profissionais do Auditor
Independente; Resolução CFC
915/01; trata das normas
profissionais e sigilos; Resolução
CFC 923/02; trata da revisão
externa pelos pares.

Fonte: Prova pericial contábil: aspectos práticos & fundamentais / 2ª edição./


Wilson Alberto Zappa Hoog./Curitiba: Juruá, 2002. – pg.98 12