Você está na página 1de 20

Acção de Formação: O Modelo de Auto-Avaliação

das BE
Formadoras: Helena Duque e Dina Mendes
Formanda: Teresa Olaio
2009-2010
O que é uma biblioteca escolar?

A biblioteca escolar é um centro de informação e


aprendizagem que tem como missão ajudar os
alunos a construir conhecimento e a desenvolver
competências no âmbito da utilização efectiva da
informação, que lhes permitam tornarem-se
cidadãos com pensamento crítico, autónomo e pró-
activo.
Modelo de Auto-avaliação: Destinatários

 Elementos do Directivo;
 Coordenadores de Departamento;
 Coordenadores de Directores de Turma;
 Equipa da BE;
 Associação de Pais;
 Associação de estudantes.
Modelo de Auto-avaliação: pertinência

A Biblioteca Escolar proporciona informação e ideias


fundamentais para sermos bem sucedidos na sociedade
actual, baseada na informação e no conhecimento. A
Biblioteca Escolar desenvolve nos estudantes
competências para a aprendizagem ao longo da vida e
desenvolve a imaginação, permitindo-lhes tornarem-se
cidadãos responsáveis.
MANIFESTO DA IFLA - UNESCO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES
O que é o Modelo de Auto-avaliação da
BE?

O modelo de auto-avaliação da BE, serve acima


de tudo para que cada escola compreenda o
impacto que as actividades realizadas pela e na
BE vão tendo no processo de ensino
aprendizagem, bem como o grau de eficiência
dos serviços consagrados e de agrado dos
utilizadores da BE.
Permite igualmente, reconhecer práticas que têm
sucesso e que deverão continuar, e permite
identificar os pontos fracos que importa
melhorar.
A auto-avaliação: conceitos
 A BE deve fazer parte integrante de modelos de ensino baseados
no construtivismo e em estratégias de inquiry basead learning;
 A BE tem como responsabilidade colaborar activamente para o
aperfeiçoamento de competências;
 O Modelo de Auto-avaliação permite atribuir valor à BE (ser um
espaço aprazível, bem apetrechado, mas também capaz de produzir
resultados que contribuam de forma efectiva para os objectivos da
escola em que se insere);
 O modelo de Auto-avaliação é um instrumento orientador à melhoria
continua da BE;
 O modelo de Auto-avaliação deve ser exequível e facilmente
integrável nas práticas da equipa da BE;
 Este modelo aponta para uma utilização flexível, com adaptação à
realidade de cada escola e de cada BE.
Modelo de Auto-avaliação: Objectivos
 Pertinência da existência de um modelo de Auto-avaliação para as
BE;
 Permite uma fiabilidade aquando do apuramento do grau de
satisfação dos utilizadores (alunos, professores, funcionários, pais e
encarregados de educação);
 Contributo da BE para as aprendizagens, para o sucesso educativo
e promoção de aprendizagens ao longo da vida;
 Permitir ter impacto em actividades no processo ensino
-aprendizagem;
 Permitir a noção de valor da BE;
 Permite desenvolver uma abordagem essencialmente qualitativa;
 Permite analisar os processos e os resultados essencialmente numa
perspectiva formativa;
 Permite identificar os pontos fracos e fortes da BE e implementar, se
for caso, de estratégias de melhoria.
Modelo de Auto-avaliação: Objectivos
Permite às escolas usufruir de um quadro referencial
para a avaliação das BE, constituindo-se como parte
integral de auto avaliação da escola;
Permite a reflexão;
Permite aferir a qualidade e acessibilidade dos serviços
prestados;
Permite a adequação da colecção e dos recursos
tecnológicos;
Modelo de Auto-avaliação: estrutura e lógica
O modelo de auto-avaliação da BE, apresenta-se
sob a forma de 4 domínios e respectivos
subdomínios:
1. Apoio ao desenvolvimento Curricular
1.1. Articulação curricular da BE com as estruturas pedagógicas e os docentes;
1.2. Desenvolvimento da literacia da informação
2. Leitura e literacias
3. Projectos, parcerias e Actividades Livres e de abertura á comunidade
3.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular
3.2. Projectos e parcerias
4. Gestão da BE
4.1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados
pela BE
4.2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços
4.3. Gestão da colecção
Modelo de Auto-avaliação: Implementação/Avaliação

A Auto-avaliação da BE é realizada em função dos


seguintes critérios e acções:

Indicadores : áreas essenciais de intervenção em cada domínio


Factores críticos de sucesso - situações, ocorrências e acções
que operacionalizam o respectivo indicador
Recolha de evidências – instrumentos de recolha de evidências
de suporte ao processo de avaliação
Estratégia de melhoria – conjunto de acções promotores da
qualidade da acção da BE em cada domínio
Modelo de Auto-avaliação: Implementação/Avaliação/Etapas

 Selecção dos domínios


 Recolha de evidencias
 Identificação do perfil de desempenho
 Registo da auto-avaliação quadro
síntese
 Divulgação dos resultados ao Órgão
Directivo/ Concelho Pedagógico e Comunidade
em geral
Modelo de Auto-avaliação: Recolha de evidências

Questionários
Aplicação a 20% do número total de professores e a10% do
número de alunos em cada nível de escolaridade.

Grelhas de observação
Aplicação a10% do número de turmas em cada nível de
escolaridade.

Critérios
- Abranger a diversidade de alunos da escola: os vários níveis de
escolaridade, as várias origens/nacionalidades; rapazes e
raparigas; alunos com necessidades educativas…
Modelo de Auto-avaliação: Domínio a avaliar em 09/010

Apoio ao desenvolvimento Curricular

Razões

 Recomendação da RBE

 Reflectir sobre a integração dos recursos da Biblioteca na actividade


lectiva

 Co-responsabilizar os órgãos e estruturas pedagógicas intermédias na


definição de metas pedagógicas conjuntas e articuladas

 Adequar a acção da BE às necessidades de aprendizagem e ensino da


comunidade.
Modelo de Auto-avaliação: Níveis de desempenho
4 - Excelente
A BE é bastante forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de grande
qualidade e com um impacto bastante positivo.

3 - Bom
A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio mas pode melhorar
alguns aspectos.

2 - Satisfatório
A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio, sendo necessário
melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo.

1 - Fraco
A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é
bastante reduzido, sendo necessário intervir com urgência.
Modelo de Auto-avaliação: Processo de implementação
Etapas para atingir o nível 4 no domínio escolhido
Articulação Curricular da BE com as estruturas Pedagógicas e
os docentes
* A BE desenvolve um sistemático de cooperação com todos os órgãos
pedagógicos de gestão intermédia da escola/agrupamento
:Departamento/Grupos disciplinares; Conselhos de Docentes/de Ano ou de
Turma.

* A BE colabora activamente com todos os docentes responsáveis pelas novas


Nível 4 áreas curriculares não disciplinares: Áreas de projecto; Estudo
Acompanhado/Apoio ao Estudo e Formação Cívica.
* A BE assegura uma importante actividade de suporte junto dos docentes
responsáveis pelos Apoios Educativos.
* A BE está plenamente integrada, através da disponibilização permanente de
espaços, recursos e actividades, no Plano de Ocupação de Tempos Escolares.
* A BE apoia eficazmente a maioria dos docentes (80% ou mais) na
concretização das actividades curriculares desenvolvidas no seu espaço ou tendo
por base os seus recursos.
* A ocupação e utilização de recursos da BE são fortemente rentabilizados pelos
docentes no âmbito da actividade lectiva.
* A BE produz e difunde uma série de bons materiais de apoio para as diferentes
actividades.
Modelo de Auto-avaliação: Processo de implementação
Etapas para atingir
Articulação
os docentes
o nível
Curricular da1BE
no domínio
com escolhido
as estruturas Pedagógicas e

* A BE apoia , na medida da sua disponibilidade, os docentes responsáveis pelos Apoios


Educativos;
* A BE apoia o Plano de Ocupação Plena dos Tempos Escolares, dando
pontualmente respostas em actividades de substituição na biblioteca;
Nível 1 * A BE colabora com alguns docentes na concretização das actividades
curriculares desenvolvidas no seu espaço;
•A ocupação e utilização de recursos da BE são razoavelmente rentabilizados
pelos docentes no âmbito da actividade lectiva;
* A BE produz alguns materiais de apoio para certas actividades;
* A BE só coopera pontualmente com alguns órgãos pedagógicos de gestão
intermédia da escola/agrupamento;
* A BE não costuma apoiar os docentes responsáveis pelas novas áreas
curriculares não disciplinares;
* A BE não desenvolve nenhum tipo de trabalho com os docentes responsáveis
pelos Apoios Educativos;
* A BE não integra o Plano de Ocupação Plena de Tempos Livres Escolares;
* A BE colabora pouco com os docentes na concretização das actividades
curriculares;
Modelo de Auto-avaliação: Etapas o Processo de aplicação

1º Preenchimento do documento referente ao Perfil da BE;

2º Selecção do domínio a avaliar;

3º Recolha de evidências (através de questionários, documentos, actas,


registos…);

4º Tratamento da informação recolhida: gestão e interpretação dos dados;

5º Identificação do perfil de desempenho;

6º Divulgação dos resultados;

7º Registo da Auto-avaliação.
Modelo de Auto-avaliação: Recursos Humanos

Para concretizar todo este processo de auto-avaliação, há


necessidade de
envolvimento de diferentes tipos de actores e utilizadores:

 Professora coordenadora da BE;

 Equipa e colaboradores da BE;

 Órgãos de gestão da escola;

 Docentes;

 Alunos;

 Todos os utilizadores da BE.


Modelo de Auto-avaliação: Comunicação dos resultados

Apresentação do relatório de Auto-avaliação e medidas para a


melhoria no Conselho Pedagógico, que deverá emitir o seu parecer.

Divulgação junto das outras estruturas da Escola.

Integração da síntese no relatório anual da Escola.

Resultados devem servir de base de trabalho para a Avaliação Externa


da escola pela IGE, cujo relatório final deverá avaliar o impacto da
BE na Escola
Modelo de Auto-avaliação: Bibliografia

“Texto da sessão”, disponibilizado na plataforma


Eisenberg, Michael & Miller, Danielle (2002) “
This Man Wants to Change Your Job”, School Library Journal.
9/1/2002 <http://www.schoollibraryjournal.com/article/CA240047.html
> [08/11/2009].
Todd, Ross (2002) “School librarian as teachers: learning outcomes and
evidence-based practice”. 68th IFLA Council and General
Conference August. http://www.ifla.org/IV/ifla68/papers/084-119e.pdf
[08/11/2009
Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares. “Modelo de Auto-
Avaliação”