Você está na página 1de 14

O Modelo de Auto-Avaliação

das Bibliotecas Escolares


no contexto do Agrupamento
de Carrazedo de Montenegro
Síntese

1. O Papel e Mais-valias da Auto-Avaliação da BE.

2. O Processo e o Necessário Envolvimento do Agrupamento de Escolas.

3. A Relação com o Processo de Planeamento.

4. A Integração dos Resultados na Avaliação do Agrupamento de Escolas.


 Papel e Mais-Valias da Auto-Avaliação da BE
O Modelo de Auto-Avaliação é entendido como um importante
instrumento pedagógico.

O Modelo de Auto-Avaliação pretende:


 Orientar as escolas, apresentando sugestões de actuação e
indicando caminhos possíveis;
 Avaliar o impacto da BE na aprendizagem dos alunos e no seu
sucesso educativo.
 Avaliar a eficácia e qualidade da BE, na prossecução dos objectivos
da Escola.
Papel e Mais-Valias da Auto-Avaliação da BE

 Identificar os pontos fortes (sucessos / práticas positivas) e os pontos


fracos (fracassos) da BE, consolidando os primeiros e alterando os
segundos.
 Aferir as modificações que as práticas da / com a BE despoletaram nas
atitudes, valores e saberes dos utilizadores;
 Fazer reflectir e reajustar as práticas da BE, com vista a uma melhoria
continuada.
Papel e Mais-Valias da Auto-Avaliação da BE
 Recolher de forma estruturada evidências, o que permitirá ajuizar e
retirar linhas de orientação do processo.

 Dar a conhecer ao Agrupamento os resultados alcançados, as


práticas e potencialidades da BE.

É importante determinar o grau de cumprimento da missão e dos


objectivos da escola, partilhando os resultados obtidos, sempre com vista à
melhoria e ao sucesso do serviço prestado.
 O Processo e o Necessário Envolvimento da
Escola
O Modelo de Auto-Avaliação contempla quatro domínios a avaliar (de A
a D), estando prevista a sua distribuição por quatro anos lectivos.

Momentos do Processo

1º Dar a conhecer o Modelo (sua estruturação funcional) ao Conselho


Pedagógico.

2º Escolher um domínio a avaliar nesse ano lectivo


- da responsabilidade do professor bibliotecário e da equipa da BE
- resultante de uma decisão fundamentada

- discutida com o órgão de gestão


O Processo e o Necessário Envolvimento da
Escola

3º Recolher evidências, gerir e interpretar a informação retirada.

4º Gerir as evidências ao nível da escola (Agrupamento).

5º Identificar o nível de desempenho em que a BE se insere.

6º Comunicar os resultados da avaliação (fazendo uso dos diferentes

meios de comunicação da BE com o exterior)


O Processo e o Necessário Envolvimento da
Escola
7º Discutir o relatório de avaliação em Conselho Pedagógico.

8º definir um plano de melhoria para a BE, em articulação com os

objectivos educativos da escola (Agrupamento).

9º Integrar a síntese de avaliação da BE no relatório da avaliação da

escola, de modo a que seja sujeito à avaliação externa.


O Processo e o Necessário Envolvimento da
Escola
Envolvimento do Agrupamento

a)Director / órgão de gestão: coadjuvar o processo, desde o 1º


momento; discutir com o professor bibliotecário o domínio a escolher
para avaliação; divulgar a importância da BE junto da Comunidade
Escolar e aglutinar vontades e acções.

b)Professor Bibliotecário e equipa da BE: Comunicar e gerir o


processo, sabendo enfrentar os desafios chegados com a mudança,
que obrigam à redefinição de novas práticas.
O Processo e o Necessário Envolvimento da
Escola
c) Professores, alunos e E.E.: Colaborar na recolha de evidências.

d) Conselho Pedagógico: Analisar os resultados apresentados e contribuir


para a criação de um novo e melhorado plano de actuação.
 A Relação com o Processo de Planeamento
É fundamental criar a consciência de que todo este processo
implica um envolvimento das diferentes estruturas da escola.
 Ter conhecimento dos documentos regulamentares do Agrupamento.
 Dar conhecimento do processo de auto-avaliação em Conselho
Pedagógico.
 Estabelecer um trabalho de parceria efectiva com o Director.
 Pesquisar informação junto dos professores, alunos e funcionários.
 Participar nas reuniões das diferentes estruturas organizativas da
escola.
 Integração dos Resultados na Avaliação do
Agrupamento

 O processo de auto-avaliação deve enquadrar-se no contexto da


escola e ter em conta as diversas estruturas com as quais se torna
necessário interagir.
 É imperioso que se elabore um relatório, que dê conta das práticas
positivas (pontos fortes) e dos pontos fracos e que se contemple,
igualmente, propostas de alteração e melhoria.
 O relatório dos resultados de avaliação da BE deve ser analisado e
discutido em Conselho Pedagógico.
Integração dos Resultados na Avaliação do
Agrupamento
 Da discussão em Conselho Pedagógico deverá resultar a

delineação de um novo plano para melhoria dos resultados.

 A síntese da avaliação da BE deverá ser incluída no relatório de

avaliação da escola.

 A referida síntese deverá ser verificada, aquando da Avaliação

Externa, pela inspecção para que se avalie o impacto da BE na

escola e que este aspecto conste do relatório final da Avaliação

Externa da Escola.
O Modelo de Auto-Avaliação pretende desenvolver uma
abordagem essencialmente qualitativa, orientada para uma análise
dos processos e dos resultados, numa perspectiva formativa,
permitindo identificar as necessidades e as fragilidades com vista à
melhoria. (in Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar, Novembro 2009)

Cristina Magalhães