Você está na página 1de 9

Selênio

Estevão
Éverton
História

 O selênio (resplendor da lua) foi


descoberto em 1817 por Jöns Jacob
Berzelius que ao visitar uma fábrica de ácido sulfúrico
observou um líquido pardo avermelhado que ao ser
aquecido com maçarico, desprendia um odor fétido
característico e exclusivo do telúrio. Com
aperfeiçoamento das técnicas de análises pode-se
detectar sua presença em diversos materiais.
Abundância e obtenção

 Distribuído na crosta terrestre, encontrado na maioria das rochas e


solos em concentrações entre 0,1 e 2,0 ppm;

 Obtido como subproduto da refinação do cobre aparecendo nos


resíduos de eletrólises junto com o telúrio (5-25% Se, 2-10% Te) e
sua produção comercial se da pela queima desses resíduos através
de cinzas de soda ou ácido sulfúrico.
Propriedades e características

 O Se segue após a primeira série de transição e possui elétrons


d (Ra = 1,11Å);
 Estado de oxidação: -II, +II, +IV, +VI;
 Moderadamente reativo e queima no ar formando dióxidos;
 Formam-se selenetos;
 Combina diretamente com a maioria dos elementos, embora
com menor facilidade que o oxigênio;
 O CSe2 se polimeriza ao invés de formar duplas ligações;
Propriedades e características

 À temperatura ambiente encontra-se no estado


sólido (estrutura cristalina: hexagonal);
 Sua cor é cinzenta e apresenta brilho metálico;
 P.F= 221 °C e P.E= 685 °C e D= 4790 kg.m-3
 É insolúvel em água e álcool, ligeiramente solúvel
em dissulfeto de carbono e solúvel em éter;
 Exibe o efeito fotoelétrico. Além disso, sua
condutibilidade elétrica aumenta quando exposto à
luz. Abaixo de seu ponto de fusão é um material
semicondutor.
Alotropia e estrutura

 São conhecidas seis variedades alotrópicas:


 há quatro formas vermelhas e conhecem-se três formas
vermelhas não-metálicas diferentes, todas contendo
anéis Se8, uma forma vermelha amorfa contém cadeias
polímeras;
 duas variedades cinza que contém infinitas cadeias
espiraladas de átomos Se com fracas interações
metálicas entre cadeias adjacentes, uma forma preta
vítrea de Se existe no comércio, constituída por
grandes anéis irregulares com até 1000 átomos.
Aplicações

 O selenato de sódio se usa como inseticida , em medicina para


o controle de enfermidades de animais e, igual ao arsênio , na
fabricação de vidros para eliminar a coloração verde causada
pelas impurezas de ferro.
 O selenito de sódio também é empregado na indústria do vidro
e como aditivo para solos pobres em arsênio, e o selenito de
amônio na fabricação de vidros e esmaltes vermelhos.
 Os sulfetos são usados em medicina veterinária e shampoo
anticaspa.
Aplicações

 Dióxido de selênio é um catalisador adequado para a


oxidação, hidrogenação e dehidrogenação de compostos
orgânicos.
 A adição de selênio melhora a resistência ao desgaste da
borracha vulcanizada.
 Células fotoelétricas de selênio são utilizadas em fotômetros.
Como produzem uma pequena quantidade de corrente elétrica
ao receberem luz, dispensam o uso de pilhas ou baterias, ao
contrário de fotômetros equipados com células fotoelétricas de
silício ou sulfeto de cádmio (CdS).
Bibliografia

 Química inorgânica não tão concisa / J. D. Lee


 www.pt.wikipédia.org

Você também pode gostar