Você está na página 1de 9

Musicoterapia

Estágio Curricular – 2010 Gonçalo Branco


O que é a Musicoterapia?
É o uso da música e/ou dos seus elementos (som, ritmo,
melodia e harmonia), por um Musicoterapeuta qualificado
com um paciente ou um grupo de pacientes, afim de facilitar
e promover a comunicação, a inter-relação, a aprendizagem,
a mobilização, a expressão, a organização e outros objectivos
terapêuticos relevantes em ordem a responder a
necessidades físicas, emocionais, mentais, sociais e
cognitivas.

A musicoterapia propõe-se a desenvolver potenciais e/ou


restabelecer funções do individuo para que este possa
empreender uma melhor integração interpessoal e/ou
intrapessoal, e em consequência alcançar uma melhor
qualidade de vida, através da prevenção, da reabilitação ou
do tratamento. (WFMT – 1996)
O que pode fazer um Musicoterapeuta?

Os Musicoterapeutas avaliam o bem estar emocional, o bem


estar físico, as funções sociais, as habilidades comunicativas
e as capacidades cognitivas através da resposta aos
estímulos musicais; criam sessões musicais para indivíduos
ou grupos baseando-se nas necessidades do cliente através
do uso de improvisações musicais, recepção de escutas
musicais, criação de letras musicais, desconstrução da letra
musical, música e o imaginário, música e a performance
musical, e a aprendizagem através da música; participação
em equipas multidisciplinares de tratamento, efectuar
avaliações on-going, follow-up. (AMTA, 1999)
Como actua a Musicoterapia?
 Tipos de intervenção
 Verbais
 Faladas
 Cantadas
 Rítmicas

 Não Verbais
 Musicais
 Melódicas
 Harmónicas
 Para verbais (por atitudes ou gestos)
 Corporais
Diferentes Abordagens Terapêuticas
Técnicas em musicoterapia
(Activas o Expressivas e Passivas o Receptivas)

Técnicas Expressivas: Técnicas Receptivas:


 Canto em Grupo  Música como disparador
 Canto Vincular (espera-se uma reacção)
 Diálogo Sonoro  Musica como sustém

 Psicodrama Musical (para manter um estado)


 Improvisação clínica  Música com orientação

 Associação livre cantada (Levar a pessoa a…)


 Colagem musical  Imagens guiadas

 Trabalho com Canções  Estimulação de Imagens


Sensações através de Som

Possibilidades de Utilização mediante 3 perspectivas:


• A Improvisação
• O Canto
• Imaginário Musical
A Improvisação
 Implicação do sujeito numa actividade em que
existe produção musical espontânea;
 Inexistência do premeditado – resolução de
problemas
 Estabelecimento de canais não verbais de
comunicação, permitindo criar a ponte para o
verbal
 Providenciar um meio de auto-expressão
 Estimulação e desenvolvimento dos sentidos
 Promover a intencionalidade do acto e resposta
Musicoterapia & Autismo
 Melhoramento do desenvolvimento sócio-
emocional (relação através do instrumento)
 Assistência na comunicação verbal e não verbal
(produção de vocalizações & estimulação de processos de compreensão, conceptualização e
simbolismo)

 Integração de instrumentos de sopro (estimulação do


aparelho bocal)

 Encorajamento de satisfação Emocional


 Melhoramento da compreensão linguística
 Desenvolvimento do EU-criativo
A Improvisação - Métodos
 (c/ instrumentos) Improvisação com pré –
Referências
 (c/ instrumentos) Improvisação sem pré –
Referências
 Canção Improvisada
 Vocalização sem pré – Referência
 Improvisação corporal
 Improvisação conduzida
A Improvisação - Técnicas
 Imitação (empatia)
 Efeito Espelho (expressão dos mesmos sentimentos)
 Ritmo Base (acompanhar com base rítmica)
 Dialogo Musical
 Acompanhamento

Você também pode gostar