Você está na página 1de 4

DENNCIA ESPONTNEA(art.

138 do
CTN)

Art. 138. A responsabilidade excluda pela denncia


espontnea da infrao, acompanhada, se for o caso, do
pagamento do tributo devido e dos juros de mora, ou do
depsito da importncia arbitrada pela autoridade
administrativa, quando o montante do tributo dependa de
apurao.

Pargrafo nico. No se considera espontnea a denncia


apresentada aps o incio de qualquer procedimento
administrativo ou medida de fiscalizao, relacionados com
a infrao.

Smula 360 do STJ - O benefcio da denncia espontnea


no se aplica aos tributos sujeitos a lanamento por
homologao regularmente declarados, mas pagos a
destempo.

Obrigaes acessrias e denncia espontnea

Anistia (Art. 180 a 182 do CTN)

Art. 180. A anistia abrange exclusivamente as


infraes cometidas anteriormente vigncia da lei
que a concede, no se aplicando:

I - aos atos qualificados em lei como crimes ou


contravenes e aos que, mesmo sem essa
qualificao, sejam praticados com dolo, fraude ou
simulao pelo sujeito passivo ou por terceiro em
benefcio daquele;

II - salvo disposio em contrrio, s infraes


resultantes de conluio entre duas ou mais pessoas
naturais ou jurdicas.

Anistia (Art. 180 a 182 do CTN)

Art. 181. A anistia pode ser concedida:


I - em carter geral;
II - limitadamente:
a) s infraes da legislao relativa a determinado tributo;
b) s infraes punidas com penalidades pecunirias at determinado
montante, conjugadas ou no com penalidades de outra natureza;
c) a determinada regio do territrio da entidade tributante, em
funo de condies a ela peculiares;
d) sob condio do pagamento de tributo no prazo fixado pela lei que
a conceder, ou cuja fixao seja atribuda pela mesma lei autoridade
administrativa.

Art. 182. A anistia, quando no concedida em carter geral,


efetivada, em cada caso, por despacho da autoridade administrativa,
em requerimento com a qual o interessado faa prova do
preenchimento das condies e do cumprimento dos requisitos
previstos em lei para sua concesso.

Pargrafo nico. O despacho referido neste artigo no gera direito


adquirido, aplicando-se, quando cabvel, o disposto no artigo 155.

Remisso (Art. 172 do CTN)

Art. 172. A lei pode autorizar a autoridade administrativa a


conceder, por despacho fundamentado, remisso total ou
parcial do crdito tributrio, atendendo:

I - situao econmica do sujeito passivo;

II - ao erro ou ignorncia excusveis do sujeito passivo,


quanto a matria de fato;

III - diminuta importncia do crdito tributrio;

IV - a consideraes de eqidade, em relao com as


caractersticas pessoais ou materiais do caso;

V - a condies peculiares a determinada regio do territrio


da entidade tributante.

Pargrafo nico. O despacho referido neste artigo no gera


direito adquirido, aplicando-se, quando cabvel, o disposto no
artigo 155.

Você também pode gostar