Você está na página 1de 21

Caso Clnico

Sndrome de Churg Strauss

Acadmica de Fisioterapia : Ana Carolina Magalhes

Paciente

D.C.R., sexo masculino, 60 anos,


branco, casado, chaveiro, testemunha de
Jeov, nascido e residente em Belford
Roxo.
Recebeu diagnstico de asma h 3 anos;
Faz acompanhamento com a Pneumologia
do HSE desde ento.
Faz uso contnuo de Costicide inalatrio:
Alenia (fumarato de formoterol di-hidratado
+ budesonida)

Internao

prvia por exacerbao de


asma com alta dia 05/06 onde foi
diagnosticada a Sndrome de Churg
Strauss.

Reinterna

asma.

26/06 por nova exacerbao da

Sndrome

de Churg Strauss (Poliangeite


granulomatosa eosinofilica)
Vasculite sistmica
A sndrome de Churg Strauss uma doena
auto-imune e de etiologia indeterminada.

Barros, Antunes e Barbas (2005)

Critrios para Diagnstico


O

diagnstico diferencial deve


ser feito com asma de difcil
controle, pneumonia eosinoflica
e outras vasculites

Noth, Strek,Leff (2003)

Critrios para Diagnstico

Noth, Strek,Leff (2003)

Fases da evoluo da doena

Noth, Strek,Leff (2003)

Dia

30/06 encaminhado para o


CTI para Pulsoterapia com
metilpredinisolona.

Dia

03/07 interna na enfermaria


451.

Ao exame:
Lcido, orientado no tempo e
espao.
Dispneia aos esforos
Relata perda de fora em dimidio
D e cansao nas pernas.
Quando avaliado, apresenta grau
4 de fora em dimidio D e 5 a
esquerda. MRC 54/60
No apresenta alteraes de

Apresenta

dficit funcional nas


atividades de auto cuidado;
locomoo e transferncias. MIF
112/126
Ausculta pulmonar audvel, sem
rudos adventcios.

Exames complementares
Bipsia

de pele, colhida no dia


30/06 em leso eritematosa no
dorso do p direito.
Resultado: Infiltrado inflamatrio
perivascular acentuado, misto,
com participao de eosinfilos
frequente, alm de
extravasamento de hemcias e
alterao de parede vascular tipo
fibrinide;

Raio X

Hemograma

Informaes
complementares
Paciente

no aceita transfuso
sangunea por questes
religiosas.

Objetivos do tratamento
Manter

funcionalidade e
independncia
Estimular deambulao

Tratamento
fisioteraputico
Foram

realizadas atividades a
beira do leito inicialmente, pois o
paciente relatava dor intensa em
panturrilha direita e fraqueza em
membro superior direito.
Alongamentos
Sustentao mxima da
inspirao e expirao
associadas a movimentos de
membros superiores.

Tratamento
fisioteraputico
Paciente

relatou melhora da dor


na panturrilha e ento comeou a
deambular. Durante caminhada
de aprox. 20 m relatava cansao,
sem dispinia e sem dessaturar.

Ao exame pr alta
Fora

muscular grau 5 globalmente.


Melhora da funcionalidade, porem
ainda necessita de superviso para
deambular distancias mdias pois
ainda sente fraqueza em membro
inferior direito. MIF 122/126
Ao deambular aprox 20m, manteve
spo2 98% e FC max 105bpm.
Relatou cansao muscular grau 6 e
respiratrio 0.

Paciente

recebeu alta dia 15/07 e


continuar com
acompanhamento mensal nas
clnicas de reumatologia e
pneumologia.

Obrigada!

Você também pode gostar