Você está na página 1de 58

Tumor de pele Cérvico-facial

Carcinoma Epidermóide (CEC)

Disciplina de Cirurgia Plást. Reconstrutora,


Setor de Tumores da Cabeça e Pescoço

Prof. Dr. Cláudio Eduardo de Oliveira Cavalcanti


Tumor de pele
CEC - Epidemiologia

 Responsável por 25% das morte nos ca. de pele


 Primeiro descrito em limpadores de chaminés, em
conseqüência do benzopireno
 O tempo de latência para tumores ocupacionais é
de 20 a 25 anos
Tumor de pele
CEC - Epidemiologia
Tumor de pele Cérvico-facial
CEC - Epidemiologia

 Hidrocarbonetos policíclicos aromáticos são


potentes fotosensibilizadores
 Uso oral de arsenicais, ação sistêmica na pele,
pulmão e fígado
 Em pacientes imunosuprimidos, por transplante
renal e linfoma crônico
 Nesses pacientes os tumores são mais agressivos
 Em transplantados o risco é de 20x a 25x
Tumor de pele Cérvico-facial
CEC - Epidemiologia
F. predisponentes:
• Raios UV, cicatrizes de queimaduras (úlcera de
Marjolin), em áreas de trauma crônico, inflamação
crônica, ceratose actínica, psoríase ou eczema,
fístulas de osteomielite, úlcera pós flebite e
tabagismo, hidrocarbonetos policíclicos aromáticos
(benzopireno), pesticidas e o uso de arsenicais
• Radiodermites crônicas, lupus eritematoso dicóide,
e úceras crônicas, transplantes
Tumor de pele Cérvico-facial
CEC - Epidemiologia
Tumor de pele Cérvico-facial
CEC - Epidemiologia

F. predisponentes:
Raios ultravioleta (UVB = 280 nm a 320nm
 Freqüente na face, cabeça e pescoço
Tumor de pele Cérvico-facial
CEC - Epidemiologia

• Sexo: > masculino

• Idade: > 50 anos, raramente abaixo de 30 anos


Tumores de pele Cérvico-faciais
CEC - Patologia

Zona de fusão embriológica:


glabela, posterior a asa nasal, borda da asa nasal,
canto interno do olho, junção columela/lábio
superior e sulco nasogeniano, prega nasogeniana
Tumor de pele Cérvico-facial
CEC - Patologia

Trígono da Face
 Tem a base voltada para os olhos
e o ápice para o lábio inferior

 Lábios e comissura labial


 Columela
 Glabela
 Asa, dorso e porção lateral do nariz
 Pálpebras superior e inferior, canto interno e externo
Tumor de pele Cérvico-facial
CEC - Epidemiologia
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Patologia
Zona “H”:
lábio superior, nariz, região orbicular, região
zigomática, pré-auricular e retro-auricular, da
têmpora até ângulo da mandíbula
Tumor de pele Cérvico-facial
CEC - Epidemiologia
 zona H
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Patologia

Invasão
 Penetra até as estruturas como cápsula,
fáscias, músculos, pericrôndrio, periósteo,
daí dissemina-se lateralmente
Disseminação
 Vasos sanguíneos e nervos, segue uma rota
Tumor de pele Cérvico-facial
CEC - Epidemiologia
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Patologia

Infiltração perineural:

lesões agressivas, recidivantes e tendência para


metástase ganglionar (regional)
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Patologia
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Patologia
Classificação

• Bem diferenciado – verrucoso e baixo grau


• Moderadamente diferenciado
• Indiferenciado– ausência de queratina, células
alongadas, acantótica (adenóide) e mucinoso
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Patologia
Riscos de recorrência local
 Localização
 Tamanho > 2cm
 Grau de infiltração
 Diferenciação histológica
 Envolvimento prineural
 Imunosupressão 20x a 25 x
 Tumor já recidivado, 25%
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Patologia
Metástase
• Risco: Crescimento rápido, tu. > 2cm, espessura de
6mm, tu. Recorrente, em pacientes imunossuprimidos,
• Tumores localizados no pavilhão, columela, nariz e
vermelhão
• 3 a 30%; depende da localização e espessura
• Local ou regional para linfonodos
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Patologia
Metástase
• Lesões profundas e maiores que 2cm de extensão -
risco de 5 a 10% (Pode meta. em 12 meses)
• Não está indicado o esvaziamento cervical
profilático!?
• Quando positivo, esvaziamento radical (funcional
ou modificado), seguido de radioterapia
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Patologia
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Patologia
Metástase
 Tumores associados a processos degenerativos ou
secundários a inflamação, são de alto risco
 Em osteomielite, 31% de meta.
 Irradiação, 20% meta.
 Cicatriz, 18% meta
Tumor de pele Cérvico-Facial
CEC – Lesão Pré-Maligna
• Ceratose actínica
• Progride para ca. de 0,1% a 10%.
• Mais de 10 lesões, 14% de probabilidade de
desenvolver ca.
• Algumas ceratoses são em forma de hiperceratose ou
corno cutâneo
• É o maior predisposição para desenvolver Ca.
• Queilite actínica é a forma da ceratose actínica no lábio
inferior
Múltiplos primários
Tumores de boca e reconstrução
Patologia

Queilite Actínica
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Clínica
Doença de Bowen
 Considerado Ca. in situ
 Pode ao longo de anos evoluir para Ca invasivo
 Pode resultar de irradiação ionizante, UV, ingestão
de arsênico
 Lembra a psoríase, eczema, ceratose actínica (<
0,5cm)
 O tempo do início da lesão para o seu diagnóstico
é de 5 a 8 anos
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Clínica
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Clínica
• Lesão papular, eritematosa, ulcerada, com crosta,
hiperceratótica, sangra com facilidade
• A maioria ocorre no pavilhão auricular, couro cabeludo,
lábio (2° mais comum) e pescoço, Lesão ulcerada, com ou
sem crosta, infiltrativa ou vegetantes

• Pode ser dolorosa


Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Clínica
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Clínica
Tumor de Pele Cérvico-Facial
CEC - Clínica
Tumores de pele cérvico-faciais
CEC - Diagnóstico

• Clínico

• Histológico:
Biópsia incisional ou excisional
Tumores de pele cérvico-faciais
CEC - Diagnóstico
Tumores de pele Cérvico-faciais
CEC – Diagnóstico diferencial

• Ca. Basocelular
• Ceratose seborréica
Tumores de pele Cérvico-faciais
CEC - Tratamento

• Cirurgia
• Radioterapia
• Quimioterapia local e sistêmica
• Terapia com laser
Tumor de Pele Cérvico-facial
(CEC) – Diagnóstico histológico

Biópsia incisional ou excisional


• A principal forma do diagnóstico definitivo
• Menores que 1 cm remover completamente
• 67% B. excisional com margem escassa,
recidiva
• 19% a 33% recidivam com margens
comprometidas
Tumores de pele Cérvico-facial
(CEC) - Tratamento
• Cirurgia
• Radioterapia
• Laser
• Quimioterapia local e sistêmica
Tumores de pele Cérvico-facial
(CEC) - Tratamento

• Imunomodulador - Interferon intra lesional


• Terapia fotodinâmica (PDT)
Tumorde pele Cérvico-facial
(CEC) - Tratamento
Cirurgia
• Tratamento padrão
• Margem – Realiza-se 1,0cm de rotina
• Margens comprometidas – recidiva de 67%
• Margens escassa – recidiva de 19% a 33%
• Fechamento primário ou reconstrução cicatrização
dirigida e/ou com enxertos de pele de reg. abdominal
inferior.
Tumorde pele Cérvico-facial
(CEC) – Tratamento antigo
Tumor de pele Cérvico-facial
(CEC) – Tratamento antigo
Tumorde pele Cérvico-facial
(CEC) - Tratamento
Tumorde pele Cérvico-facial
(CEC) - Tratamento
Tumores de pele Cérvico-facial
(CEC) - Tratamento
Radioterapia
• Lesões iniciais e superficiais, os resultados são
iguais aos da cirurgia
• Evita mutilação e perda da funcionalidade
• Em recidivas não pode ser irradiada novamente
Tumores de pele Cérvico-facial
(CEC) - Tratamento

Laser (CO2, dióxido de carbono)


 Tumores in situ
 Excelente cicatrização
 A porção abaixo das estruturas foliculares
não são atingidas
Tumores de pele Cérvico-facial
(CEC) - Tratamento

Quimioterapia local e sistêmica

 Local - 5-fluouracil (5-FU)


 Sistêmica – pouco sensível
Tumores de pele Cérvico-facial
(CEC) - Tratamento

Imunomodulador

 Creme de Imiquinod a 5% - estimula a


produção de Interferon alfa (IFN), 1,2,5,6 e
8
 Lesões pequenas e superficiais
Tumor de pele Cérvico-facial
(CEC) - Tratamento
Terapia fotodinâmica (PDT)

 Utiliza-se o ácido 5- aminolevulínico


 É seletivamente absorvido pelas células malignas
aplica-se fonte de laser
 Pode se ver as margens do tumor ou cec em ceratose
seborréica
 Indicado para as lesões superficiais
 Indicado pelo princípio do “campo de cancerização”.
Promissor
Tumores de pele Cérvico-facial
(CEC) - Prognóstico
 Recidiva em menos de 5 anos

 Cirurgia convencional - 2,8%


 Radio terapia - 5,3%
Tumores de pele Cérvico-facial
(CEC) - Prognóstico
 Recidiva maior que 5 anos

 Radio terapia - 8,7%


 Cirurgia convencional – 10,1%
Tumores de pele Cérvico-facial
(CEC) - Prognóstico

• São tumores com grandes invasões locais e


possibilidade de disseminar-se
• Resistente a reoperações e radioterapia
• Tumor > 2cm 5% a 10% de metastáse
• Tumor > 5cm- 25% de metastáse
• Tumor > 10cm- 50% de metastáse
Tumor de pele Cérvico-faciais
(CEC) - Prognóstico
• Lesões nasal e da orelha tendem a recidivar em 3
anos
• Localizadas no 1/3 médio da face
Tumores de pele Cérvico-faciais
(CEC) - Prevenção

• Evitar raios solares (UV) após as 9h e antes das


16h
• Usar chapéu
• Cobrir os braços e pernas
• Filtro solar: fator de proteção > 15
Tumores de pele Cérvico-faciais
(CEC) - Prevenção
Tumores de pele Cérvico-faciais
CEC - Prognóstico
Tempo de recidiva:
Em 2 anos – 75%; em 5 anos – 95%

Invasão perineural:
Recorrência em 47% e metástase em 34,8% dos
casos; fazer radioterapia.
Tumores de pele Cérvico-faciais
CEC - Prognóstico

Pior prognóstico:
Lesão de 1/3 médio da face; invasão perineural,
estruturas profundas; metástase; > 2 cm; pouco
diferenciada
Em 5 anos, sobrevida de 26,8%, após metástase