Você está na página 1de 15

ESTUDO DE CASO

Cerca de 60 mil veículos por dia circulam nessa avenida .Histórico Zona Oeste da Cidade de São Paulo Registros de inundações desde 1960 Capacidade de vazão bastante inferior a necessária naquela época Transtorno o população. comércio e trafego de veículos por ser uma importante artéria viária.

sendo: Aumento da capacidade do sistema existente. Incorporação de novas galerias.Tentativas de Soluções Vários estudos foram executados pela prefeitura de São Paulo. .

como por exemplo: (cabos telefônicos. Obrigatoriedade de realocação de inúmeras redes de serviços de concessionárias existente na avenida. . adutoras e coletoras de esgoto e a própria rede de coleta de águas pluviais. Transtornos nos tráfegos causados pelas obras.Problemática Soluções sempre postergadas por: Grande soma de recursos necessários. moradores locais pelo longo prazo necessário para realização da obra. Adoção de métodos executivos especiais. Transtornos no comércio. gasoduto.

Como ocorre Área de drenagem da praça é de 2. os picos de vazão dessas galerias é muito próximo. a segunda. Arnolfo Azevedo e a terceira. A soma das vazões extremas das galerias na praça atingem um pico calculado de 43 m3/s para uma chuva com período de retorno de 25 anos. cerca de 15 minutos após o inicio das chuvas. da Av. a primeira proveniente do estádio. . Com a conformação das áreas de drenagem. Pacaembu. escoando todo o volume para a galeria da Av. Risco médio de 4% de acontecer a cada ano.22 km2 Junto a praça ocorre a confluência de três grandes galerias. Rua Itatiara.

escoe para a galeria da Av. As galerias existentes não necessitariam de ampliação. Pacaembu. Localização privilegiada. surgiu a ideia de desenvolver a implantação de um reservatório que armazenasse grande parte dos volumes coletados por essas três galerias. fazendo com que assim. apenas vazões compatíveis com sua capacidade. Não provocaria interferências nas redes concessionárias . sendo assim temos: Prazo curto para execução.Solução Diante dessa problemática.

no trecho entre a praça e o memorial da América Latina. Com base nos resultados obtidos foram gerados hidrogramas de projeto.Execução Para determinar o Hidrograma. Foi feita a instalação de um pluviômetro na Praça Charles Miller e réguas limnimétricas em dois pontos da galeria. . foram realizadas campanhas hidrométricas.

Parâmetros adotados para modelo hidrológico .2 mm de precipitação total).Dados Aplicando – se a distribuição do evento de 19/2/1993 temos: Duração de chuva : 120 min TR: 25 anos (80. de acordo com a precipitação intensa da cidade de São Paulo.

4.0 h.montante . foram também estabelecidos hidrogramas alternativos para chuvas com períodos de retorno de 25 anos de duração de 1.0 h.0 h e 8.A fim de subsidiar os estudos de sensibilidade quanto ao volume a reservar. Calibração do modelo Pacaembu .

Hidrogramas de Projeto .

Planta da área de estudo .

Estudos Hidráulicos Os estudos hidráulicos tiveram como objetivos principais verificar a capacidade de vazão das galerias existentes a jusante da praça Charles Miller e determinar o volume de armazenamento necessário ao reservatório. .

Influência do reservatório no local .

Desempenho do reservatório .

Curto prazo. Controle de cheias. . Segurança e confiabilidade. Economia de 27 milhões.Conclusões: Solução econômica e ambientalmente adequada.