Você está na página 1de 124

Túnel de Vento de Ensino e Pesquisa do ITA

São José dos Campos, Fevereiro de 2003


Informaçõe Gerais
O túnel de vento de pesquisa do ITA é parte de um projeto de inovação tecnológica,
com as se guintes características:

• Instituições financiadoras: FAPESP e EMBRAER,


• Objetivo geral: Incrementar a produtividade e a confiabilidade de ensaios
aerodinâmicos.
• Duração: 3 (três) anos
• Custo total: US $ 3.2 milhões.

Execução do projeto:
• IAE – ASA-L
• ITA – Div. de Eng. Aeronáutica
• USP-SC – Depto. de Aeronáutica
• EMBRAER – Depto. Aerodinâmica
Informações Adicionais
Projeto liderado por: Depto. de Aerodinâmica do ITA.
Colaboração: ASA-L (IAE) e EMBRAER.

• Duração total: Inicio: Setembro de 2001;


Fim: Fevereiro de 2002.
• Fabricação e montagem de grande parte do túnel de vento:
Responsável: empresa TECSIS,
Duração: Jan. 2002 – Jan. 2003
Custo: R$ 250.000,00
Financiamento: FAPESP.
• Obras de infra estrutura no Anexo ao Laboratório Prof. Feng (ITA):
Responsável: empresa FREIRE ROSA
Duração: Abril - Novembro de 2002
Custo: R$ 150.000,00
Financiamento: EMBRAER.
• Fabricação de parte do túnel de vento e detalhes, não considerados inicialmente:
Responsável: equipe do Laboratório Prof. Feng
Financiamento: ITA.
Características do Túnel de Vento
O túnel de vento de pesquisa do ITA é do tipo circuito aberto, constituído por:
Difusor de
Câmara de tranquilização Seção de testes Ventilador expansão rápida

Bocal de entrada Contração Difusor anterior Difusor posterior Câmara


Amortecedora

Dimensõe Gerais: Escoamento na Seção de Testes:


•Comprimento total = 40 m • Velocidade máxima = 80 m/s (280 km/h)
• Largura máxima = 4 m • Número de Mach = 0,23
• Altura máxima = 4,6 m • Número de Reynolds = 4,7 x 106 / metro
• Nível de turbulência = 0,05%
Dimensões da Seção de Testes:
• Comprimento = 4 m Ventilador:
• Altura = 1 m • Potência = 200 hp
• Largura média = 1, 28 m • Rotação = 890 rpm
• Controle de velocidade - contínuo
Bocal de Entrada

Bocal de Entrada Bocal de entrada projetado


com configuração especial

Justificativa:
Grandes dimensões do túnel de
vento, relativas ao prédio do Anexo
ao Laboratório Professor Feng

Modelo do prédio

Nova configuração do bocal feita com


auxílio de um modelo em escala 1:10
Câmara de Tranquilização
Colméia e Tela
Câmara de tranquilização

Telas

Telas

FUNÇÃO:
Retificar o escoamento admitido pelo bocal

Elementos Retificadores:
• colméia - 1 Colméia
• telas - 3
Contração

OBJETIVO: Acelerar o escoamento Câmara de Ensaio

Razão de Contração = 10:1

NOTA: A contração termina no


interior da câmara de ensaio.

Contração – Vista externa

Projeto da contração

Trabalho conjunto:
ITA
Vista interna EMBRAER
Seção de Testes

Contração

Seção de testes

Na seção de testes
• Instalação de modelos
• Medidas de parâmetros do fluxo de ar.

Altura: 1,00m Veloc. max. = 280 km/h.


Largura: 1,28m
Comprimento: 4,0m. Re = 4,7 x 106 (por metro)
Modelo
M = 0,23
Seção de Testes
Rapidez e baixo custo
Requisito Vista lateral
na implementação de
de projeto
experimentos

Na superfície lateral esquerda: 3 janelas


Na superfície lateral direita: 1 janela
Na superfície superior: 3 janelas
Na superfície inferior: 1 janela

Vista superior

Bloco de concreto

Usado para apoiar:

• Balança aerodinâmica
• Sistema de posicionamento
• Outros
Seção de Testes
Detalhes:
• Cantos da seção de testes são suavizados
• Na parte central, lâmpadas ( normais ou
ultra-violetas) foram instaladas

NOTA: úteis durante ensaios de Lâmpadas


visualização do escoamento.

Painéis de vidro instalados


• Nas 3 janelas da superfície lateral e
• Nas 3 janelas da superfície superior

Objetivo: visualização do modelo e


implementação de métodos óticos
• Velocimetria a laser (LDV) e
Paineis de vidro
• PIV
Difusores e Ventilador
constituído por
Difusor
duas partes

Função do difusor:
Recuperar parte da
potência gasta
Difusor posterior

Ventilador

Difusor anterior

Posição do ventilador

Reduz o
comprimento do difusor
Difusor Anterior
O difusor anterior liga o final da
Seção transversal final
seção de testes com o ventilador.

Seção transversal inicial – retangular:


Altura = 1m
Largura = 1,36m
Seção transversal final – circular:
Diâmetro = 2,14m
Comprimento = 8,36 m

Seção transversal inicial

Transição da seção transversal

Adaptação suave do ventilador

vista interna do transição da forma


difusor anterior da seção transversal
Ventilador

Função Gerar um fluxo de ar constante


no interior do túnel de vento

Amortecedor
Características do Ventilador:

• Potência = 200 hp
• Vazão nominal = 98 m3/s
• Rotação nominal = 890 rpm
• Diâmetro = 2,10 m
• Comprimento = 3,50 m
• Pás no rotor = 8
• Aletas retificadoras = 9

Rotor c/ 8 pás “Spinner” do


(feito em material composto) rotor
Ventilador
ventiladores refrigeração do motor elétrico
auxiliares (2) do ventilador principal.

Circuito do ar refrigerante:
Entrada Saída

Duto p/ refrigeração Abertura p/ exaustão ventiladores

Carenagem
Ventilador
O ventilador do túnel de vento pesa 3,5 toneladas e é apoiado sobre um bloco de concreto

Para minimizar a transmissão da 4 iso-amortecedores


vibração, gerada pelo ventilador
anel de borracha (junta flexível)

Difusor anterior ventilador

Inversor de freqüência

Controle da velocidade
do escoamento

Resolução = 1 rpm Variação da rotação


junta flexivel amortecedor
Difusor Posterior
Redução adicional da
Função
velocidade do fluxo de ar
NOTA: A transformação da seção
Características geométricas: transversal é feita para facilitar e baratear a
Seção transversal final construção de elementos do túnel à jusante
quadrada, com 2,83m de aresta
Seção transversal inicial
circular, φ = 2,14m Ventilador
Comprimento = 7,5m

Difusor Posterior

Seção transversal final


Difusor de Expansão Rápida

Funções:
1. reduzir o valor perdido da
energia cinética do
escoamento

2. reduzir as perdas nos


defletores, localizados no
elemento a jusante.

NOTA: A expansão rápida


reduz o comprimento do
difusor e, com isto, o custo
de fabricação.

Final do difusor Difusor de Câmara amortecedora


posterior expansão rápida dos efeitos do vento
Câmara Amortecedora dos Efeitos do Vento Atmosférica
OBJETIVO: reduzir as flutuações do escoamento na seção de testes, causadas pelas variações
de velocidade e direção do vento atmosférico.
Esta câmara é feita de alvenaria,
com as seguintes dimensões: Escoamento é
Largura = 4 m 24 aletas diretoras
defletido p/ cima
Altura = 3,5m
Comprimento = 3,5 m.
Paredes externas da
Aletas diretoras câmara amortecedora

Porta de acesso à
câmara amortecedora
Câmara de Ensaio
OBJETIVO: Viabilizar a introdução de sondas Câmara de Ensaio
no fluxo de ar que passa pelo modelo

pressão no interior valor inferior à


da seção de testes. pressão ambiente.

=
pressão no interior Câmara de ensaio
da câmara de ensaio. deve ser estanque
Seção de testes

Câmara de Ensaio Ante-câmara


OBJETIVO: Permite a admissão na
câmara
de ensaio durante um experimento
É constituída por:
• 2 portas estanque e
• 2 dispositivos de equalização de pressão.

Pressão na Câmara de ensaio


Ante-câmara pressão na ou
ante-câmara
=
Pressão ambiente.
Câmara de Ensaio
Cabine de Controle
Cabine de controle
OBJETIVO: Ambiente controlado,
onde são centralizadas as atividades de
controle e medida

Características:
•Construída c/ divisórias isoladoras de ruído
•Temperatura controlada
•Bancada
•Prateleira
Prateleira superior
Apoiar:
• equipamentos para condicionamento dos sinais
• monitor de TV e vídeo cassete

Apoiar:
• Painel de controle do túnel de vento
• Micro computador, usado para:
1. Aquisição de dados e
2. Controle do experimento Bancada
Câmara de Ensaio
temperatura estabilizada Ar condicionado aparelho tipo “split”, devido
na câmara de ensaio c/ 18.000 BTU. ao problema da estanqueidade

Ar condicionado
Vedação p/ manter
Caixas de passagem
estanqueidade

Permite a entrada na seção de ensaio de:


• cabos para energia elétrica,
• cabos para telefone e
• cabos de rede de computadores

Quadro de força

Distribuição de três circuitos elétricos:


• para a iluminação,
• para as tomadas (110 e 220 v) e
• para alimentar um equipamento de
velocimetria a laser (LDV).
Câmara de Ensaio

Ar comprimido
Sistema de ar comprimido constituído por:
• Tubo com 2 polegadas de diâmetro
• Reservatório
Volume = 10 m3
Pressão = 28 atm. (400 psi)
• Válvulas controladoras de pressão
• Válvula controladora de vazão e
• Mangueiras flexíveis

Sistema de refrigeração de fonte laser:


• Torre de refrigeração (foto ao lado),
• Bomba hidráulica, com potência de 3/4
cv
• Tubulação de PVC, apropriada para fluxo
de água quente
NOTA: A fonte laser faz parte de um
Torre de refrigeração equipamento de velocimetria a laser (LDV).
Vista Geral do Túnel de Vento
Região Interna
Câmara de ensaio
.

Entrada da ante-câmara
Bocal de entrada

Câmara de
tranquilização

Contração
Vista Geral do Túnel de Vento
Região Externa
Anexo Lab. Prof. Feng
. Câmara
Amortecedora

Difusor
anterior
Difusor
Ventilador
expansão rapida
Difusor posterior
Obras de Infra-Estrutura do
Túnel de Vento de Pesquisa do ITA

Região Externa

Região Interna
Obras na Região Externa do
Anexo ao Laboratório Prof. Feng
Atividades :
• Construção de um piso de concreto p/ suportar a parte externa do túnel de vento

• Construção de uma estrutura metálica p/ suportar a cobertura p/ o túnel de vento

• Construção de um bloco de concreto p/ suportar o ventilador do túnel

• Construção de câmara usada p/ minimizar os efeitos do vento atmosférico

• Instalação de telhas de amiantro e de telhas metálicas, nas laterais do vão


coberto, de maneira a proteger o túnel contra chuva de vento.

• Instalação de sistemas auxiliares: (i) energia elétrica, (ii) iluminação e (iii)


tubulação de água p/ refrigeração e sua conexão com a torre de refrigeração
Região Externa do Anexo ao Laboratório Prof. Feng
NOTA: As duas partes do difusor (anterior e posterior) e o
ventilador serão instaladas na região mostrada na foto abaixo
Parede externa do Anexo
ao Lab. Prof. Feng

Sistema de ventilação
do Lab. Prof. Feng

Torre de Refrigeração

Abertura p/ passagem
do difusor
Construção do Piso de Concreto
NOTA: Foram usadas uma série de estacas p/ fazer a fundação
do piso de concreto

Parede externa do Anexo


ao Lab. Prof. Feng

Ferragem p/ construção do piso


Construção do Piso de Concreto

Fronteira da região externa


do Lab. Prof. Feng

Caixa d’água da
Torre de Refrigeração
Instalação de tubulação do Sistema de Refrigeração
NOTA 1: Foram utilizados tubos de PVC apropriados p/ água quente (aquaterm).
NOTA 2: A tubulação foi embutida no piso de concreto

Tubulação p/ água fria

Tubulação p/ água quente


Construção da Estrutura Metálica p/ Suporte do Telhado

Colunas metálicas p/ a
sustentação do telhado

Telhas usadas p/ cobertura


da parte externa do túnel
Construção da Estrutura Metálica
e da Câmara Amortecedora

Colunas metálicas p/ a
sustentação do telhado

Paredes externas da
câmara p/ minimização
do vento atmosférico

NOTA: Na câmara p/ minimização dos efeitos do vento atmosférico o fluxo de ar


gerado no túnel é defletido para cima, através de aletas direcionadoras
Construção da Estrutura Metálica
e da Câmara Amortecedora
NOTA: As vigas foram soldadas às colunas metálicas

Vigas metálicas p/ a
sustentação do telhado

Câmara amortecedora dos


efeitos do vento atmosférico
Construção da Estrutura Metálica
e da Câmara Amortecedora

Vigas metálicas p/ a
sustentação do telhado

Face lateral do
Lab. Prof. Feng
Câmara amortecedora dos
efeitos do vento atmosférico
Construção da Estrutura Metálica
e da Câmara Amortecedora
Viga transversal p/ a
sustentação do telhado

Câmara amortecedora dos


efeitos do vento atmosférico
Construção da Estrutura Metálica
e da Câmara Amortecedora
Viga transversal p/ a
sustentação do telhado
Câmara amortecedora dos
efeitos do vento atmosférico

Mureta p/ minimizar a
entrada de chuva e proteção
do túnel de vento
Construção da Câmara Amortecedora
Colunas de concreto da Parede central da
câmara amortecedora câmara amortecedora

Ajuste fino do eixo do túnel de


vento p/ o posicionamento do
bloco de concreto p/ suportar o
ventilador

NOTA: A parede central da câmara amortecedora tem a finalidade de fixar


as aletas diretoras do fluxo de ar, as quais são feitas de metal
Construção do Bloco de Concreto
NOTA: Este bloco tem a finalidade de suportar as cargas
geradas pelo ventilador do túnel de vento

Parede p/ a proteção dos


equipamentos eletrônicos de
controle do ventilador

Ferragem do bloco de
concreto

Forma do Bloco de concreto


Construção do Bloco de Concreto

Parede p/ a proteção dos


equipamentos eletrônicos de
controle do ventilador

Câmara amortecedora

Forma e ferragem do
bloco de concreto
Construção do Bloco de Concreto

Hastes de ferro Chapas p/ fixação dos


amortecedores do ventilador

Bloco de concreto

NOTA 1: As 4 hastes de ferro NOTA 2: As 4 chapas nos cantos do bloco


funcionam como dispositivo de são usadas p/ fixar os amortecedores do
segurança p/ o caso de falha ventilador. Estas chapas foram chumbadas
dos suportes do ventilador no bloco de concreto
Colocação das telhas na região externa
Telhas fixadas à
estrutura metálica

Câmara amortecedora dos


efeitos do vento atmosférico

Porta da câmara
amortecedora

NOTA1: A porta na câmara amortecedora permite o acesso ao ventilador do túnel


de vento, através do difusor posterior.
NOTA 2: Esta porta também tem a finalidade de permitir a limpeza da câmara amortecedora.
Construção da Câmara Amortecedora
NOTA: As duas colunas e a viga da câmara amortecedora tem a finalidade de
fixar uma peça metálica, que une o difusor posterior à câmara amortecedora

Viga de concreto que une


as duas colunas da câmara
amortecedora

Construção de superfície
curva p/ deflexão suave do
fluxo de ar do túnel
Construção da Câmara Amortecedora

Acabamento

Superfície Curva p/
orientação do fluxo de ar

Porta de acesso
Região Externa do Anexo ao Laboratório Prof. Feng

Vista Geral

Cobertura do túnel

Abertura p/
acoplamento do difusor

Bloco de concreto

Câmara
amortecedora
Região Externa do Anexo ao Laboratório Prof. Feng
Acabamento geral da obra

Cobertura do túnel

Abertura p/
acoplamento do difusor

Bloco de concreto

Escada da câmara
amortecedora
Detalhe da Abertura p/ Acoplamento do Difusor
Aparelhos de ar
condicionado

Moldura da abertura p/
Bloco de concreto
acoplamento do difusor

NOTA: A moldura da abertura p/ acoplamento do difusor tem a finalidade de garantir


a vedação desta abertura após a montagem do túnel de vento
Montagem do Túnel de Vento de Ensino e Pesquisa do ITA
(Região Externa)
Roberto M. Girardi

Região Externa

Região Interna

São José dos Campos, Janeiro de 2003


Montagem da Parte do Túnel de Vento
Localizado na Região Externa

Atividades Realizadas :
• Montagem do difusor anterior (constituído por 3 partes)

• Montagem do difusor posterior (constituído por 3 partes)

• Montagem do ventilador do túnel de vento

• Fabricação do difusor de expansão rápida

• Instalação das aletas diretoras no interior da câmara de amortecimento dos


efeitos do vento atmosférico

• Instalação de sistemas auxiliares: (i) Equipamento eletrônico p/ controle do


ventilador, (ii) ventiladores p/ refrigeração do motor principal e (iii) vedação da
câmara de ensaios
Recebimento e Armazenamento das Partes do Difusor
Transporte das Partes p/ Área de Montagem
Parte do difusor Fachada do lab. Prof. Feng

Por ocasião do início da montagem, estas partes foram transportadas, com auxílio de
uma empilhadeira, para a área na região externa ao Anexo do Lab. Prof. Feng
Posicionamento dos Suportes dos Difusores

Abertura p/ acoplamento do difusor

Difusor anterior

Base do ventilador

Difusor posterior
Posicionamento dos Suportes dos Difusores

Difusor posterior

Suporte do ventilador

Difusor anterior
Montagem do Difusor Anterior
Primeira parte do
difusor anterior

O difusor anterior é
constituído por 3 partes.

Abertura na seção de
ensaios para passagem
do difusor
Flange p/ acoplamento
c/ a seção de testes
Montagem do Difusor Anterior
Difusor anterior:
Primeira parte

Difusor anterior:
Segunda parte

Pés ajustáveis
Montagem do Difusor Anterior
Nas fotos apresentadas pode-se
visualizar a variação da seção
transversal ao longo do difusor
anterior.
Difusor anterior:
Terceira parte Difusor anterior:
Segunda parte

Equipe da empresa Tecsis foi a


responsável pela montagem de
todo o túnel de vento.
Montagem do Difusor Anterior
NOTA: Seção transversal do final
A montagem do difusor anterior é concluída. do difusor anterior é circular -
Ventilador deve ser ajustado de
maneira suave.
Montagem do Difusor Posterior

Transporte das 3 partes do difusor


posterior para a área de montagem

Difusor anterior:

Difusor posterior:
Primeira parte
Montagem do Difusor Posterior

Característica Geométricas: Difusor posterior:


Primeira parte
Seção transversal inicial
circular (φ = 2,10 m)
Seção transversal final
quadrada, Aresta = 2,85 m
Comprimento = 8,36 m.

Difusor anterior:

Difusor posterior:
Segunda parte

NOTA: Posicionamento feito com auxílio de uma empilhadeira.


Montagem do Difusor Posterior

Difusor posterior, com


duas partes posicionadas

Linha utilizada p/ localização


do eixo do túnel de vento
Montagem do Difusor Posterior
Transporte da terceira parte
do difusor posterior
Difusor posterior:
Terceira parte

Abrigo do gerador de gases do


Laboratõrio de Propulsão

Caminhão Munk
Montagem do Difusor Posterior
Difusor posterior:
Segunda parte

Suporte da terceira parte

Difusor posterior:
Terceira parte
Montagem do Difusor Posterior

Difusor posterior:
Terceira parte

Suporte da terceira parte


do Difusor posterior

Transporte do
conjunto
Montagem do Difusor Posterior

Manobra para posicionamento


da terceira parte do difusor
posterior

Difusor posterior:
Terceira parte
Montagem do Difusor Posterior
Difusor posterior
totalmente montado e pré-
alinhado.
Suporte da terceira parte
Difusor Posterior:
Primeira parte

Difusor posterior:
Segunda parte

Difusor posterior:
Terceira parte do Terceira parte
difusor posterior
Montagem do Ventilador

O ventilador foi projetado e construído


pela empresa TECSIS

Amortecedor
Características:

• Potência = 200 hp
• Vazão nominal = 80,4 m3/s
• Rotação nominal = 890 rpm
• Diâmetro = 2,10 m
• Comprimento = 3,50 m
• Pás no rotor = 8
• Aletas retificadoras = 9

Rotor c/ 8 pás “Spinner” do


(feito em material composto) rotor
Montagem do Ventilador
Aletas retificadoras (9)

Motor do
ventilador

Carenagem
do motor

Eletroduto p/ acionamento
Dutos p/ ventilação e controle do motor
Montagem do Ventilador
Ventilador na área em frente
ao laboratório Prof. feng

Transporte para a
área de montagem

Caminhão munk
Montagem do Ventilador

Manobras para a retirada do


ventilador do caminhão munk

Difusor anterior:

Ventilador

Difusor posterior:
Segunda parte
Ventilador
Montagem do Ventilador
Ventilador ao lado do bloco de concreto
Difusor anterior Difusor posterior

Carcaça do ventilador

Amortecedores
Montagem do Ventilador
Ventilador sendo posicionado NOTA:
sobre o bloco de concreto Peso do Ventilador = 3,5 ton.

Ventilador
Difusor posterior

Difusor anterior:

Amortecedores
Montagem do Ventilador
Detalhes da fixação do ventilador sobre o bloco de concreto.

Haste de segurança Estrutura do


ventilador

Suporte do ventilador Bloco de concreto


(amortecedor)

Função dos amortecedores – Reduzir vibração transmitida para a seção de testes


Montagem do Ventilador
Ajustes finais e alinhamento do ventilador com o eixo do túnel de vento.

Difusor anterior

ventilador

Difusor posterior

NOTA: Os pés ajustáveis dos suportes são usados para o alinhamento


Montagem do Ventilador
Difusor anterior Vão p/ colocação de Difusor posterior
junta flexivel

Câmara amortecedora

Suportes do ventilador ventilador


(amortecedores)
Difusor anterior junta flexivel

Montagem do Ventilador

Função da junta flexível

Minimizar a
transmisssão da vibração
gerada no ventilador

Para a seção de testes,


através do difusor anterior.

Suporte do ventilador
(amortecedor) ventilador
Montagem do Ventilador
junta flexivel
Difusor anterior

Tela de proteção
ventilador

Evitar que as pás do Em caso de falha


Função da tela
ventilador sejam danificadas estrutural do modelo.
Montagem do Ventilador
Flange de acoplamento do difusor
anterior com a seção de testes

Vista frontal do ventilador


posicionado no túnel

Cabine de controle

Vista traseira do ventilador


posicionado no túnel de vento
Montagem das Aletas Diretoras da
Câmara Amortecedora dos Efeitos do Vento Atmosférica

Função de reduzir as flutuações do escoamento na seção de


testes, causadas pelas variações de velocidade e direção
do vento atmosférico.
Paredes externas da
câmara amortecedora
Aletas diretoras

Porta de acesso à
Parede interna câmara amortecedora
Montagem das Aletas Diretoras da
Câmara Amortecedora dos Efeitos do Vento Atmosférica
Função das aletas diretoras

Defletir o escoamento no
interior do túnel para cima
Aletas diretoras

Parede interna

As aletas diretoras são arcos


de circunferência:
comprimento = 1m
largura = 2 m
Paredes externas Parede interna
Construção do Difusor de Expansão Rápida
Câmara amortecedora dos
Difusor posterior
efeitos do vento atmosférico
Seção transversal quadrada:
Largura = 4,0 m
Aresta = 2,85 m
Altura = 3,50 m
Difusor de
Expansão rápida
Telhas de alumínio

Final do difusor
posterior
Início da câmara
amortecedora
Construção do Difusor de Expansão Rápida

Este difusor foi projetado e construído pela equipe do ITA

Quadro fixado na
câmara amortecedora

Estrutura p/
superfície superior

Estrutura p/
superfície lateral
Telhas de alumínio
Construção do Difusor de Expansão Rápida

Ajuste e fixação de chapas de ferro com 3 mm de


espessura na estrutura de cantoneiras

Quadro fixado na
câmara amortecedora

Chapa da
superfície superior

Aletas diretoras
Estrutura p/
superfície lateral
Construção do Difusor de Expansão Rápida

Quadro apoiado no
difusor posterior

Quadro fixado na
câmara amortecedora

Final do difusor
posterior

Chapas da
superfície lateral
Construção do Difusor de Expansão Rápida
Difusor de expansão rápida construído e pintado com tinta anti-ferrugem.

Final do difusor Vão entre as Difusor de


posterior partes do túnel expansão rápida
Construção do Difusor de Expansão Rápida
Região interna do difusor de expansão rápida,
pintado com tinta anti-ferrugem (cor vermelha).

Difusor de
Chapa p/ expansão rápida
fechamento do vão

Difusor posterior
Construção do Difusor de Expansão Rápida
Vista interna do túnel de vento.
Em amarelo o difusor posterior e o ventilador
Em vermelho o difusor de expansão rápida

Chapa p/ fechamento
Difusor posterior
do vão

Difusor de
expansão rápida

Parte da equipe responsável pela construção do difusor de expansão rápida.


Construção do Difusor de Expansão Rápida

Vista externa do
difusor de expansão rápida,
totalmente acabado

Difusor de
expansão rápida

Chapa p/ fechamento do
Difusor posterior vão entre os difusores
Montagem de Dispositivos Auxiliares
No interior do gabinete Ventilador Gabinete c/
eletrônicos

Controle da rotação do ventilador


inversor de freqüência

Difusor anterior:

Eletroduto p/ os cabos de
alimentação do ventilador
Montagem de Dispositivos Auxiliares

O ventilador é alimentado com:


tensão = 440 V (trifásico)
corrente = 269 A.

Eletroduto p/ os
cabos de controle
Inversor de
freqüência

O controle da rotação é feito


da câmara de ensaios

Eletroduto p/ os cabos de
alimentação do ventilador
Montagem de Dispositivos Auxiliares
Caixa de ligação
dos cabos de força Dispositivos de segurança
evitam o aumento excessivo de
temperatura no motor do
ventilador do túnel

ventiladores

Dois ventiladores auxiliares


promovem a refrigeração do
motor do ventilador
do túnel de vento.

Abertura p/ exaustão
do ar de refrigeração
Montagem de Dispositivos Auxiliares

Molde de isopor

Moldura
Difusor anterior metálica Material composto

NOTA 1: A abertura para a passagem do difusor foi selada com material


composto
NOTA 2: Moldura de metal pressiona uma tira de borracha na fronteira do
material composto.
Vista Geral da Região Externa do Túnel de Vento

Câmara amortecedora dos Laboratório Prof. Feng


efeitos do vento atmosférico Prédio Anexo

Difusor posterior Ventilador Difusor anterior


Montagem do Túnel de Vento de Ensino e Pesquisa
do ITA
(Região Interna)
Roberto M. Girardi

Região Externa

Região Interna

São José dos Campos, Janeiro de 2003


Montagem da Parte do Túnel de Vento
Localizado na Região Interna

Atividades Realizadas :

• Recebimento e armazenagem das partes do túnel de vento

• Montagem da seção de testes

• Montagem da contração (constituída por 2 partes)

• Montagem da câmara de tranquilização (constituída por quatro módulo)

• Montagem do bocal de entrada


Recebimento e Armazenamento das Partes do Túnel de Vento

Parte da Contração

Partes da Câmara
de tranquilização

Suporte da contração
Montagem da Seção de Testes
Câmara de ensaio

Suporte da seção de testes

Piso falso da
câmara de ensaio

Bloco de concreto para suportar


uma balança aerodinâmica
Montagem da Seção de Testes

A seção de testes do túnel de


vento é inserida na câmara de
ensaio, através da abertura para
o acoplamento da contração.

Seção de testes

Seção de testes

Características geométricas:
• Altura = 1 m
• Largura inicial = 1,20 m
• Largura final = 1,36 m.
• Comprimento = 4,0 m
Câmara de ensaio
Montagem da Seção de Testes

Seção de testes Inserção da seção de teste


para o interior da
câmara de ensaio.

Seção de testes

Difusor anterior

Suporte da seção de testes

Abertura para passagem


da contração
Montagem da Seção de Testes

Câmara de ensaio

Difusor anterior

Seção de testes

Fixação no suporte
Montagem da Seção de Testes
Requisito do projeto Janela
da seção de testes Vista lateral lateral direita

Facilitar e baratear a
montagem de experimentos.

Vista superior

Janelas da superfície
lateral esquerda

Janelas na
superfície superior

Janela na sup. inferior


Montagem da Seção de Testes

Câmara de ensaio

Janela
lateral direita

Bloco de concreto

Piso falso da
seção de ensaio

Bloco de concreto
Montagem da Seção de Testes

Dobradiça da janela
Janelas da superfície lateral esquerda
possuem dobradiças na parte superior,
de maneira a facilitar o acesso ao
interior da seção de testes

Janelas de vidro Suporte da seção


de testes

Janelas de vidro permitem:


1. Visualização do escoamento
2. Implementação de tecnologia
laser (PIV e LDA)
Montagem da Seção de Testes

Cabine de controle

Janelas de vidro

Janela metálica

Janela da superfície
lateral direita
Montagem da Seção de Testes

Abrigo para lâmpadas

Cantos da seção
de testes

Janela metálica da
superfície inferior
Montagem da Seção de Testes

Cabine de controle Prateleira superior

Piso falso da Seção de testes


câmara de ensaios

Interior da cabine de controle


Bancada
Montagem da Contração
Contração –
A contração foi construída em Primeira parte
duas partes e tem:
1. Razão de áreas de 10:1
2. Comprimento = 4,98 m

Contração
Seção de testes

Câmara de Ensaios:
região externa

Câmara de Ensaios:
região interna
Montagem da Contração

Contração:
primeira parte

Contração:
Vista interna

Contração:
Segunda parte

Entrada da
ante-câmara
Montagem da Contração

Cantos Vão entre as partes


suavizados da contração

Contração: Contração:
Contração:
Segunda parte primeira parte
Vista interna
Montagem da Contração

Ventilador

Seção de testes

Cantos metálicos

Contração:
Vista interna

Região final da contração


Montagem da Contração
Material composto
Vista interna da
câmara de ensaio

Vista externa

Vedação da abertura para


adaptação da contração na
câmara de ensaio.
Isopor usado como molde para
fabricação de superfície de
material composto
Montagem da Contração
Moldura metálica pressiona uma
borracha para garantir a vedação da
abertura para adaptação da
contração na câmara de ensaio.

Fronteira
Moldura metálica

superfície de material composto


Montagem da Câmara de Tranquilização

4o módulo
Montagem da Câmara de Tranquilização
3o módulo

4o módulo
Montagem da Câmara de Tranquilização
3o módulo

2o módulo 4o módulo
Montagem da Câmara de Tranquilização
1o módulo 3o módulo

2o módulo 4o módulo
Montagem da Câmara de Tranquilização
Câmara de tranquilização:
vista interna

Contração

Vigas longitudinais Suporte na forma


de cavalete
Montagem da Câmara de Tranquilização
Vista externa
Vista interna

Suporte tipo cavalete

Viga transversal
do suporte

Portas de inspeção
Montagem da Câmara de Tranquilização

Colméia e tela

A retificação do escoamento é feito na


câmara e tranquilização através de:
• 1 colméia
• 3 telas
Primeiro elemento retificador
(colméia e tela)
Montagem da Câmara de Tranquilização
Emenda da colméia Vigas longitudinais Instalação da colméia
e sua moldura na câmara
de tranquilização

Câmara de
tranquilização

Vigas longitudinais

Função

Manter unidos os
módulos da câmara de
tranquilização
Montagem da Câmara de Tranquilização

Telas
Instalação dos elementos retificadores na
câmara de tranquilização

Colméia e Tela

Câmara de tranquilização:
Vista lateral

Telas
Montagem do Bocal de Entrada
A forma do bocal de entrada foi
desenvolvida especialmente.
Motivo

Minimizar a interferência do
laboratório sobre o escoamento
admitido pelo túnel de vento.

Bocal de entrada
parcialmente montado
Montagem do Bocal de Entrada
Superfície inferior
Minimização da interferência
com o piso do laboratório

Minimização da interferência
com o teto do laboratório Superfície superior
Montagem do Bocal de Entrada

Vista frontal do bocal de


entrada totalmente acabado

Vista de trás do
bocal de entrada

Câmara de tranquilização
Vista Geral do Túnel de Vento
(Região Interna)

Bocal de entrada Câmara de tranquilização Contração


Vista Geral do Túnel de Vento
(Região Interna) Câmara de
Ensaio

Entrada da Câmara de
Bocal de entrada
câmara de ensaio tranquilização

Você também pode gostar