Você está na página 1de 27

Indicadores Demográficos

 Natalidade: número total de nascimentos ocorridos numa


dada região, num determinado período de tempo.

 Mortalidade: número total de óbitos ocorridos numa dada


região, num determinado período de tempo.

 Crescimento natural ou saldo fisiológico: diferença


entre a natalidade e a mortalidade.
Calcula-se utilizando a seguinte fórmula: CN=N-M

A variação da população depende do número de


nascimentos e do número de óbitos.

A população aumenta quando o número de pessoas que


nascem é superior ao número de pessoas que morrem.
Taxa de natalidade:
número de nados-vivos
(nascimentos) por cada mil
habitantes.

Taxa de Mortalidade :
número de óbitos por cada
mil habitantes.

Taxa de crescimento
natural: diferença entre a
taxa de natalidade e a taxa
de mortalidade.

O crescimento natural pode ser:


- positivo (natalidade > mortalidade);
- nulo (natalidade = mortalidade);
- negativo (natalidade < mortalidade).
Taxa de Mortalidade Infantil: é
o número de óbitos de crianças Óbitos < 1 ano
TMI = X 1000
com menos de um ano, por cada Nº nascimentos
mil nascimentos.

Esperança média de Vida: é o


número médio de anos que cada
indivíduo tem probabilidade de
viver.

Índice de Fecundidade: é o
número médio de filhos por cada
mulher em idade fértil (dos 15 aos
49 anos).

Índice de Renovação de Para que haja renovação


Gerações: é a capacidade de de gerações é necessário
renovação de uma população. que cada mulher fértil
tenha pelo menos, em
média, 2,1 filhos.
Distribuição da Taxa de Natalidade
 O continente africano, o Sul da Ásia e a América Latina, onde
predominam os países em desenvolvimento, possuem as taxas de
natalidade mais elevadas;

 A Europa, a Rússia, a América do Norte, a Austrália e o Japão, que


pertencem ao conjunto dos países desenvolvidos, registam as taxas de
natalidade mais baixas.
O Comportamento da Natalidade
Enquanto que nos países
desenvolvidos a taxa de
natalidade tem vindo a descer
drasticamente, apresentando, hoje
em dia, valores a rondar os 10%0,

Nos países em
desenvolvimento as, pelo
contrário, as taxas de natalidade
continuam bastante elevada,
apresentando recentemente uma
ligeira tendência para a
diminuição. Ainda assim, a
média ronda os 35 – 40%0.
Factores explicativos
Natalidade elevada (associada aos países em desenvolvimento):

- Tradição de famílias numerosas;


- Casamento precoce (entre os 15 e os 18 anos);
- Os filhos podem ser importantes para ajudar no trabalho familiar;
- A religião contesta o uso de contraceptivos e o recurso ao aborto;
- O analfabetismo dificulta o acesso à informação sobre planeamento familiar;
- A prática da poligamia.

Natalidade baixa (associada aos países desenvolvidos):

- A idade tardia do casamento;


- Melhoria do nível de vida e maior preocupação com a educação dos filhos;
- Entrada das mulheres no mercado de trabalho;
- Desejo de realização pessoal e profissional dos casais;
- Planeamento familiar e generalização do uso de contraceptivos;
-A redução das taxas de nupcialidade e o aumento das taxas de divórcio.
Distribuição da Taxa de Mortalidade
- É mais baixa na América do Norte e do Sul, na Europa, e na Oceânia.

- É mais elevada no continente africano e em alguns países asiáticos,


que registam as maiores taxas de mortalidade.
O Comportamento da Mortalidade
Nos países desenvolvidos, a taxa de
mortalidade começou a diminuir logo
após à ocorrência da revolução
industrial nos finais do século XVIII,
devido a uma melhoria considerável
das condições de vida da população.
Nestes países, a tendência aponta para
um aumento das taxas de mortalidade
decorrentes do envelhecimento da
população.

Nos países em desenvolvimento, as


taxas de mortalidade só começaram a
diminuir a partir de 1900, devido à
ajuda internacional. Ainda assim,
existe um número considerável de
países (sobretudo africanos) que
apresentam elevadas taxas de
mortalidade.
Factores explicativos
Mortalidade elevada (associada aos países pobres):

- Deficiente assistência médica;


- Deficiência das infra-estruturas de saneamento básico;
- Escassez de alimentos e fome;
- Guerras e conflitos sociais;
- Catástrofes naturais e epidemias;

Mortalidade baixa (associada aos países desenvolvidos):

- Boa assistência médica;


- Boas condições sanitárias;
- Existência de uma alimentação equilibrada;
- Proibição do trabalho infantil;
- Elevado nível de vida das populações.
Distribuição da Taxa de Crescimento
Natural
 A taxa de crescimento natural é muito elevada em África, no
Sul da Ásia, no Médio Oriente e numa parte significativa da
América Latina.

 Isto deve-se a taxas de natalidade elevadas e de taxas de


mortalidade baixas, o que origina um elevado crescimento.

 A taxa de crescimento natural é muito baixa na América do Norte,


na Europa no Norte e centro da Ásia.

 Esta situação resulta de uma taxa de natalidade baixa e de


uma taxa de mortalidade baixa, o que resulta num
crescimento natural baixo.
A Taxa de Mortalidade Infantil

 É mais baixa na América do Norte, na Europa e na Oceânia, com


valores abaixo dos 10%0.
 É mais elevada em alguns países asiáticos e africanos, que registam
as maiores taxas de mortalidade infantil, nalguns casos, superiores a
100%0.
Factores Explicativos
Nos Países Desenvolvidos a TMI é baixa devido a:

- Melhoria na alimentação da mãe e do recém-nascido;


- Desenvolvimento da medicina preventiva;
- Melhoria das condições de higiene;
- Os partos são assistidos em maternidades ou hospitais;
- Alargamento das campanhas de vacinação;
- Melhor assistência durante a gravidez e no parto.

Nos Países em Desenvolvimento a TMI é elevada devido a:

- Deficientes condições de assistência materno-infantil;


- Alimentação insuficiente e pobre em nutrientes;
- Fracas condições de higiene;
- Os partos são realizados em casa, assistidos por pessoas sem
qualquer qualificação para o efeito e sem o mínimo de condições de
higiene;
- Inexistência de campanhas de vacinação;
- Inexistência de assistência médica durante a gravidez e no parto.
Esperança Média de Vida

• Tem aumentado em todo o mundo como consequência da diminuição


da mortalidade;
• É mais elevada nos países desenvolvidos, EUA, Europa e Oceânia,
chegando a atingir os 80 anos;
• É menor nos países em desenvolvimento, sobretudo do continente
africano, pois as condições de vida ainda são más nestes países; nestes
países a EMV é inferior a 55 anos.
Diferenças entre os Sexos
Na maioria dos países a esperança média de vida
das mulheres é superior à dos homens, no
entanto, os países do Médio Oriente e do Sul da Ásia
são uma excepção, devido ao estatuto inferior da
mulher na sociedade.

Razões que justificam a EMV superior das mulheres:

 Os homens são mais sujeitos a determinadas doenças devido ao


tabagismo e ao consumo de álcool;
 Os homens têm mais acidentes de trabalho pois desempenham
profissões de maior risco;
 As mulheres têm mais cuidados com a alimentação e saúde;
O índice de Fecundidade
Os Países Desenvolvidos
Europa
América do Norte
Japão
Oceânia

BAIXA FECUNDIDADE
Inferior a 2,1 filhos/mulher

NÃO HÁ RENOVAÇÃO DE
GERAÇÕES
Os Países em
Desenvolvimento
África
Sul da Ásia
Médio Oriente

ELEVADA FECUNDIDADE
Superior a 4 filhos/mulher

A RENOVAÇÃO DE GERAÇÕES
ESTÁ ASSEGURADA

Que não é acompanhado pelo aumento das infra-


estruturas básicas (escolas, hospitais, habitações,
emprego, etc)
QUARTOS DA MORTE - CHINA