Você está na página 1de 14

Demonstração do Fluxo

de Caixa e Demonstração
de Lucros e Prejuízos
Acumulados
A DLPAc é o instrumento de integração entre a DRE e o
BP. O plano de contas será adequado ao processo de
escrituração contábil.

Capítulo 08

Prof. Renato Amador


Integração das
Demonstrações
 O Plano de Contas dá origem ao BP e a
DRE
BLANÇO DEMONSTRAÇÃO DO
PLANO DE CONTAS PATRIMONIAL RESULTADO DO EXERCÍCIO

BP
BP INTEGRAÇÃO

BP DRE
ATIVO PASSIVO PL
+ Receita xxxxx

x0 x1 x0 x1 - CMV (xxx)
DRE
DRE
AC PC
- Despesas (xxx)
RLP ELP
AP PL - Impostos (xxx)

Total Total = resultado (xxx)

2 Prof. Renato Amador Cap 08


Integração
 Balanço Patrimonial
 É uma demonstração estática do Ativo, Passivo e
do Patrimônio Líquido em determinada data.
 É como se fosse tirada uma fotografia da
situação patrimonial.
 Não se observa por meio do balanço a evolução
das contas, mas sim, o saldo no início e o saldo
final do período.
 Demonstração do Resultado do Exercício
 É uma demonstração dinâmica que informa os
resultados das operações ocorridas ao longo de
determinado período de tempo.

3 Prof. Renato Amador Cap 08


Demonstração de Lucros ou
Prejuízos Acumulados
 A DLPAc é o instrumento de integração entre
a DRE e o BP.
 Apenas uma parte do lucro é distribuída para os
proprietários da empresa em forma de dividendos.
A maior parcela, normalmente, é retida na
empresa e reinvestida no negócio.
 Essa transação é evidenciada no DLPAc, antes de
ser indicada no BP.
 Da DRE extraí-se o LL;
 Transporta-se para a DLPAc para ser efetuada a
distribuição;
 O que fica retido é transportado para o BP, no grupo PL,
havendo assim, mais uma fonte de origem de recursos
para ser aplicada no ativo.
4 Prof. Renato Amador Cap 08
DLPAc com distribuição
de dividendos
BP – 31/12/20x2 DRE – 20x2 BP – 31/12/20x1
PASSIVO E PL (+) Receita PASSIVO E PL
20x1 20x2 20x0 20x1
(-) CMV
PL (=) Lucro Bruto PL
Capital Capital
Lucro Acum 200 500 (-) Despesa Lucro Acum 200
(-) Impostos
(=) Lucro Líquido
DLPAc 700
(+) Saldo 20x1 200

(+) LL – 20x1 700

(=) Lucro dispon 900

(-) Dividendos (400)


5 Prof. Renato Amador Cap 08
Integração das
Demonstrações Contábeis
 Cia. Eronite
 Balanço Patrimonial (BP)
 Demonstração do Resultado do
Exercício (DRE)
 Demonstração do Lucros e Prejuízos
Acumulados (DLPAc)
 Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC)
 Modelo direto
 Modelo indireto

6 Prof. Renato Amador Cap 08


Balanço Patrimonial
da Cia. Eronite
Ativo Ano 1 Ano 2 Passivo Ano 1 Ano 2

Circulante Circulante
Caixa 150 100 Fornecedores 300 600
Duplicatas a receber 600 900 Empréstimos bancários 400 600
Estoque 550 700 Contas a pagar 200 310
Total ativo circulante 1300 1700 Dividendos a pagar 0 90
Realizável longo prazo Total passivo circulante 900 1600
Títulos a receber 100 100 Exigível a longo prazo

Permanente Financiamentos a pagar 500 100


Investimento 400 600 Patrimônio Líquido
Imobilizado 600 600 Capital 1000 1000
Diferido 100 100 Lucros acumulados 100 310
Total do permanente 1100 1300 Total patrimônio Líquido 1100 1310
Total do ativo 2500 3100 Total do passivo 2500 3100
 Notas explicativas
 A empresa calculou dividendos à base de 30% do lucro líquido.
 O imposto de renda a pagar está incluso em contas a pagar.
7 Prof. Renato Amador Cap 08
DRE e DLPAc da Cia. Eronite
Demonstração do Resultado do Exercício –
Ano 2
(+) Receita 3000
(–) CMV (1600)
(=) Lucro Bruto 1400
(–) Despesas vendas (300)
Balanço Patrimonial
(–) Despesas administrativas (200)
PASSIVO Ano 1 Ano 2
(–) Despesas financeiras (400)
(=) Lucro Operacional 500 PL
(–) Imposto de renda (200) Capital
(=) Lucro Líquido 300 Lucro Acum 100 310
Demonstração de lucros e Prejuízos
Acumulados
(+) Lucros acumulados final ano 100
1
(+) Lucro Líquido exercício ano 300
2
(=) Subtotal 400
(–) Dividendos a serem pagos ano (90)
8 3 Prof. Renato Amador Cap 08
Caixa da Cia. Eronite – Modelo
direto
BALANÇO PATRIMONIAL
Ativo Circulante Ano 1 Ano 2

Caixa 150 100

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA – Modelo


direto
(+) Saldo no final do ano 1 150
ENTRADAS
(a) Recebimento de duplicatas 2700
(b) Novos empréstimos bancários 200 2900
SAÍDAS
(c) Pagamento de fornecedores (1450)

(d) Despesas operacionais pagas (900)


(vendas, administrativas e financ)

(e) Novos investimentos (200)


(f) Amortização de financiamentos (400) (2950)
9 Prof. Renato Amador Cap 08
Estruturação mais apropriada
da DFC – Modelo direto
 Normalmente as DFCs são agregadas em:
 Fluxo das DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA – Modelo
direto
operações
OPERAÇÕES
 Atividade
(a) Receita recebida 2700
operacional da
empresa. (c) Pagamento de fornecedores (1450) 1250
 Fluxo dos (d) Despesas operacionais pagas (900)
financiamentos (vendas, administrativas e financ)
 Financiamentos, (=) Caixa gerado no negócio 350
empréstimos, FINANCIAMENTOS
aumento de (b) Novos empréstimos bancários 200
capital.
(f) Amortização de financiamentos (400) (200)
 Fluxo dos (=) Caixa após financiamento 150
investimentos INVESTIMENTOS
 Acréscimos no (e) Aquisição de novos investimentos (200)
permanente.
(=) Resultado de caixa no período (50)
10 Prof. Renato Amador Cap 08
Comparação entre o fluxo
econômico (DRE) e o fluxo
financeiro (DFC)
CONTA DRE DFC
(+) Receita 3000 2700
(–) CMV (1600) (1450)
(=) Resultado Bruto 1400 1250
(–) Despesas operacionais (900) (900)
(=) Resultado Operacional 500 350
(–) Imposto de renda (200) –
(=) Resultado Líquido 300 350
(+) Novos empréstimos bancários – 200
(–) Amortização de financiamentos – (400)
(=) Resultado após 300 150
Financiamentos
(–) Aquisição de novos investimentos – (200)

 Até o(=) Resultado


Resultado Final o caixa é favorável.
Líquido, 300 (50)
 A liquidação de financiamentos e aquisição de novos
investimentos provocaram o déficit no caixa da empresa.
11 Prof. Renato Amador Cap 08
Caixa da Cia. Eronite – Modelo
indireto
DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA – Modelo indireto
CONTA AUMENTO/ Efeito no caixa

(+) Lucro obtido na DRE 300


(+/–) Ajustes por mudanças no capital de giro – –
ATIVO CIRCULANTE
(–) Duplicatas a receber Adia recebimento, piora o (300)
caixa
(–) Estoque Mais dinheiro saindo do caixa (150) (450)

PASSIVO CIRCULANTE
(+) Fornecedores Adia pagamento, melhora 300
caixa
(+) Contas a pagar Adia pagamento, melhora 200 500
caixa
(=) Fluxo de caixa das atividades operacionais 350
FINANCIAMENTOS
(+) Novos empréstimos Dinheiro entrando no caixa 200
bancários
(–) Amortização de Dinheiro saindo do caixa (400) (200)
12 financiamentos
Prof. Renato Amador Cap 08
Plano de contas
 É o agrupamento ordenado de todas as
contas que serão utilizadas pela
contabilidade dentro de determinada
empresa.
 O elenco de contas é indispensável para os
registros de todos os fatos contábeis.
 Deverá conter todas as contas do BP e da
DRE, detalhadas ao nível estimado de
necessidade.
 O plano de contas será adequado ao
processo de escrituração a ser adotado e
13 Prof. Renato Amador Cap 08
Plano de contas
CÓDIGO CONTA
1 Ativo
1.1 Circulante
Disponível
1.1.1 Caixa
1.1.2 Bancos conta movimento
1.1.3 .........................
2 Passivo
2.1 Circulante
2.1.1 Fornecedores
2.1.2 ICMS a recolher
2.1.3 ...........................
4 Demonstração do Resultado
4.1 Receita Bruta de Vendas
4.1.1 Vendas
4.1.2 ............................
14 Prof. Renato Amador Cap 08