Você está na página 1de 25

A CIVILIZAÇÃO

GREGA
A CIVILIZAÇÃO GREGA

 A partir do século VIII a.c., desenvolveu-se na


Península Balcânica uma das Civilizações mais
importantes da Antiguidade– A CIVILIZAÇÃO
GREGA.
 Os Arquitectos Gregos criaram estilos que são copiados até
hoje;
 Os Filósofos e os Pensadores levantaram questões e dúvidas
sobre a natureza que continuam a ser discutidas nos dias actuais;
 O Teatro também nasceu na Grécia, onde as primeiras peças
eram representadas em anfiteatros abertos;
 Foi em Atenas, uma Cidade-Estado que se fundou a primeira
democracia, isto é, o governo do povo.
Formação de cidades-estado / Pólis

A Grécia localiza-se na Península


Balcânica e é banhada a Sul pelo mar
Mediterrâneo.

As características geográficas marcaram


a sua evolução:
• Terreno muito montanhoso;
• Apresenta vales profundos e pequenas
planícies;
• Costa muito recortada e numerosos portos
naturais.

O relevo montanhoso dificultava o contacto entre as cidades, pelo que as


populações começaram a desenvolver-se isoladamente, formando
cidades-estado ou pólis, cidades com governo, leis e exército próprios.
A Pólis: Partenon

Erectéion

A pólis era constituída por:


• Acrópole, situada na parte mais alta
da cidade, era o centro da vida religiosa
e onde se encontravam os templos.
• Ágora, ou praça pública, era a parte
mais baixa da cidade, onde se
encontravam as zonas residenciais, Acrópole

administrativas e comerciais. Constituía


o centro da cidade e aí se desenvolvia a
vida política e se realizavam as trocas Apesar de viverem isoladas, as
comerciais. cidades-estado possuíam algumas
características comuns que lhes
• Zona rural, com campos, pastos e dava alguma unidade, tais como a
bosques, servia para abastecer a cidade língua, a religião, os jogos e os
de produtos agrícolas. costumes.
A colonização grega
 Os gregos expandiram-se para várias regiões do mar Mediterrâneo e do mar
Negro, fundando colónias. As razões que levaram a este movimento de
colonização foram:

 A necessidade de terras férteis para a agricultura;


 A procura de matérias-primas;
 A procura de produtos para comercializar e de mercados para vender os
seus produtos.

Entre as colónias e a metrópole mantinham-se ligações comerciais,


religiosas e culturais intensas, o que contribuiu para expandir a arte e a
cultura helénicas.
Objectivos/ Actividades

1 – Caracterizar geograficamente a Grécia;


2 – Explicar de que forma as características geográficas
contribuíram para a formação das cidades-estado;
3 – Explicar a organização da pólis;
4 – Justificar a fundação de colónias.
Atenas: recursos económicos e abertura
marítima
 Atenas transformou-se na mais rica e prospera cidade do mundo
grego para o qual contribuíram:
 Situação geográfica, perto do mar Egeu que permitiu aos atenienses
dedicarem-se, predominantemente, ao comércio marítimo;
 O comércio florescente beneficiou com a prata, oriunda das minas da
região e foi utilizada na cunhagem de moeda – dracma – que passou a
ser aceite, no comércio realizado em todo o Mediterrâneo;
 Esta prosperidade possibilitou a Atenas, assumir o papel de liderança
na união das várias cidades-estado formando a Liga de Delos, aliança
defensiva, contra as invasões dos persa.
 A agricultura era praticada, mas devido ao solo pobre,
impossibilitava que a cidade fosse auto-suficiente:
 Importavam cereais, madeiras e metais;
 Exportavam produtos artesanais, (armas, navios e cerâmicas) e
excedentes agrícolas (azeite, vinho e figos).
Sociedade ateniense
 A sociedade ateniense estava dividida em 3 grupos:

 Cidadãos: Homens livres, com mais de 18 anos de idade, com serviço


militar cumprido e filhos de pai e mãe atenienses. Somente eles possuíam
direitos políticos para participar na vida política da pólis. As mulheres e as
crianças não faziam parte do grupo dos cidadãos;

 Metecos: Eram os estrangeiros que habitavam em Atenas. Não tinham


direitos políticos e estavam proibidos de adquirir terras, mas podiam
dedicar-se ao comércio e ao artesanato. Em geral , pagavam impostos para
viver em Atenas e estavam obrigados à prestação do serviço militar;

 Escravos: Formavam a grande maioria da população ateniense. Eram


prisioneiros de guerra ou filhos de escravos. Executavam a maioria dos
trabalhos mais pesados na agricultura, nas minas e nos serviços
domésticos. Os escravos eram considerados propriedade do seu senhor,
não tinham liberdade nem direitos políticos, embora houvessem leis que os
protegiam contra excessos de maus tratos.
Objectivos/Actividades
1 – Referir as principais actividades económicas dos atenienses;
2 – Explicar a superioridade de Atenas em relação às outras cidades gregas.

A – Que poderia ela saber quando a trouxe para minha casa?


Ainda não tinha 15 anos. Até essa altura, tinha vivido sob vigilância rigorosa:
todos se esforçavam para que ela visse o menos possível, porque fizesse o
mínimo possível de perguntas.
B – Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas, orgulho e raça de
Atenas… Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas, sofrem pelos
seus maridos, poder e força de Atenas… Mirem-se no exemplo daquelas
mulheres de Atenas, geram pelos seus maridos os novos filhos de Atenas…
1 – Comparar os textos A e B e refere como era descrita a mulher ateniense;
2 – Caracterizar os grupos sociais que formavam a sociedade ateniense;
3 – Explicar a frase “Os metecos são a nossa principal fonte de rendimento”;
4 – Explicar quem eram os cidadãos em Atenas e as suas funções.
Democracia Ateniense
 Atenas foi governada por diversos sistemas
políticos:
 A monarquia: o poder pertencia ao rei e aos
nobres;
 A tirania: o poder pertencia a um único
governante que tomava todas as decisões;

Os conflitos sociais levaram Clistenes a realizar


reformas que defendiam a igualdade de direitos
políticos, entre todos os cidadãos. Esta reforma
foi concluída por Péricles dando origem à
DEMOCRACIA.
Principais órgãos da democracia
 Eclésia: Assembleia formada por todos os
cidadãos – Aprova as leis. Poder legislativo;
 Bulé: Conselho dos 500 – Prepara as leis;
 Magistrados: Poder executivo; Arcontes que
tinham funções religiosas e judiciais e os
Estrategos que comandavam o exército e
controlavam as finanças;
 Helieu: poder judicial; era um tribunal popular
que julgava os delitos mais simples;
 Areópago: Tribunal formado por antigos
arcontes e julgava os crimes mais graves.
Limites da democracia ateniense
 A democracia ateniense apresenta algumas contradições e limitações:

 Só os cidadãos podiam participar no governo da cidade;


 Existência de escravos numa forma de governo que defendia a
igualdade de direitos;
 Imperialismo exercido por Atenas através da Liga de Delos; exigia o
pagamento de tributos e não respeitava os direitos das outras cidades;
 A existência da condenação ao ostracismo e à morte;
 Limitação à liberdade de expressão; quem conspirasse contra a
democracia era condenado ao ostracismo.

Apesar de todas estas limitações a democracia ateniense foi um


exemplo de participação cívica, sendo um dos mais importantes
legados que a civilização grega nos deixou.
Objectivos /Actividades
1 – Explicar como evoluiu politicamente Atenas;
2 – Identificar os órgãos responsáveis pela elaboração e
aprovação das leis;
3 – Explicar a importância da Eclésia;
4 – A democracia ateniense, apesar de inovadora para a
época, apresenta algumas limitações. Concordas com esta
afirmação? Justifica a tua resposta;

5 – Estabelecer uma relação entre os cidadãos atenienses e os


cidadãos portugueses, na actualidade.
MITOLOGIA GREGA
Os gregos adoravam vários deuses, e representavam-
nos sob a forma humana. A religião grega era, Dionísio - Deus do vinho,
do prazer e da aventura
Apolo - Deus do Sol, das artes e portanto, politeísta e antropomórfica. Os deuses
da razão;
habitavam o monte Olimpo onde se encontravam 15
deuses. São eles:

Hades - Deus do
mundo subterrâneo
Hera - Deusa do casamento
(inferno

 Zeus - Deus do céu e Senhor do Olimpo;


Héstia - Deusa do lar;
Deméter - Deusa da agricultura;
Posêidon - Deus dos mares
Ares - Deus da guerra;
Diana – Deusa da caça
Atena - Deusa da inteligência e Hefestos- Deus do fogo;
da sabedoria;
Hermes - Deus do comércio e das
Afrodite - Deusa do amor e da beleza
comunicações.
Asclépio - Deus da medicina.
Os deuses e os heróis
Os deuses mais importantes viviam eternamente num local
chamado Olimpo. Inicialmente, essa morada localizava-se no
alto do Monte Olimpo, na Tessália. Passou depois a ser
localizada entre as nuvens, num misterioso lugar do céu, e a
palavra "Olimpo" tornou-se uma verdadeira abstracção.
Os deuses mais importantes eram: Zeus, Hera, Deméter,
Posídon, Afrodite, Atena, Ares, Hefestos, Apolo, Ártemis, Hermes
e Dionísio. Havia também um décimo terceiro deus de igual nível,
Hades, que reinava no mundo subterrâneo.

No Olimpo, os deuses passavam o tempo em maravilhosos


palácios, eternamente em festa. Comiam a ambrósia e bebiam o
néctar, alimentos exclusivamente divinos, ao som da lira de
Apolo, do canto das Musas e da dança das Careátides.
Os heróis e os jogos
 Praticavam ainda o culto dos heróis. Eram seres mitológicos considerados
pelos gregos, como seus antecessores, fundadores das cidades, às quais
davam protecção: Teseu, Épido, Perseu, Belerofonte e Hércules;
 O culto aos deuses levou à construção de grandiosos templos, nos quais
realizavam o culto religioso;
 Consideravam que os oráculos eram meios utilizados pelos deuses para se
comunicarem com eles;
 Diversos jogos periódicos eram promovidos pelos gregos em homenagem
aos deuses, como os Jogos Olímpicos, dedicados a Zeus, na cidade
Olímpia. Os Jogos Olímpicos eram praticados de quatro em quatro anos.
Durante sua realização, paravam-se as guerras e respeitavam-se como
pessoas sagradas, os seus participantes.
A ARTE GREGA
Ordem Dórica - era simples e maciça.
O fuste da coluna era monolítico e
grosso. O capitel era simples, sem
decoração.

Ordem Jónica - representava a graça


e o feminino. A coluna apresentava
fuste mais delgado e assentava numa
base decorada. O capitel era decorado
com de volutas.

Ordem Coríntia - o capitel era


decorado com folhas de acanto. O
fuste era mais estreito e decorado com
finas nervuras. Sugere luxo e
ostentação.
Partenon
Erectéion

Careátides
ESCULTURA GREGA
A estatuária grega representa os mais altos padrões já
atingidos pelo homem. Na escultura, o antropomorfismo -
esculturas de formas humanas - foi insuperável. As estátuas
adquiriram, além do equilíbrio e perfeição das formas, o
movimento.

Vénus de Milo

Orestes o vingador

Vénus
Laocoonte e seus filhos
Hermafrodita
Os principais mestres da escultura clássica grega são:

- Praxíteles, celebrado pela graça das suas esculturas, pela lânguida


pose em “S” (Hermes com Dionísio menino), foi o primeiro artista que
esculpiu o nu feminino.

Fídias, talvez o mais famoso de todos, autor de Zeus Olímpico, a


sua obra-prima e Atenéia. Realizou toda a decoração em baixos-
relevos do templo Partenon:

Míron, autor do Discóbolo

Vitória de
Discóbolo de Míron
Samotrácia
PINTURA / CERÂMICA
A pintura grega encontra-se na arte cerâmica. Os
vasos gregos são também conhecidos, não só pelo
equilíbrio de sua forma, mas também pela harmonia
entre o desenho, as cores e o espaço utilizado para a
decoração. Além de servir para rituais religiosos, os
vasos eram usados para armazenar, entre outras
coisas, água, vinho, azeite e mantimentos.
Actividades/ Manual

• A formação do cidadão;
• O Teatro

Actividades:
Manual pag. 66/67
Documento de apoio ao tema B – A herança do Mediterrâneo Antigo

Os gregos no século V a.c.

Trabalho realizado pela prof. Margarida Moreira