Você está na página 1de 10

A SEMANA DE ARTE

MODERNA
PROF. CERLON NATIVIDADE DE
MOURA
O MODERNISMO
 No Brasil, o termo identifica o movimento
desencadeado pela Semana de Arte
Moderna de 1922, a qual exprimia no
campo das artes as transformações que se
passavam na sociedade brasileira na
década de 1920. De 11 a 17 de fevereiro
daquele ano, conferências, recitais de
música, declamações de poesia e
exposição de quadros, realizados no
Teatro Municipal de São Paulo apresentam
ao público as novas tendências das artes
do país. Seus idealizadores rejeitam a arte
do século XIX e as influências estrangeiras
do passado. Defendem a assimilação das
estéticas internacionais para mesclá-las
com a cultura nacional, o que dá origem a
uma arte vinculada à realidade brasileira.
Com o livro Carnaval (1919), Manuel Bandeira
inaugura a poesia moderna no Brasil. Os Sapos ,
poema desse livro, é escolhido como expoente literário
na Semana de Arte Moderna de 1922
Catálogo da Semana de Arte
Moderna de 1922, desenhado por
Di Cavalcanti
Mário de Andrade e Osvald de Andrade, dois dos
principais organizadores da Semana de Arte Moderna
de 1922, realizada no teatro municipal de São Paulo
(foto abaixo) e grandes nomes do modernismo
brasileiro
 A ruptura com os tradicionais
padrões que predominavam na
cultura brasileira custou aos
modernistas severas críticas e
muitas das apresentações do
evento foram severamente
vaiadas
 "Este movimento, pois, é uma
manifestação da mais desabusada
improbidade artística de que há memória,
um verdadeiro estelionato, praticado por
sujeitos que, simples aprendizes
desastrados, reles imitadores ou
descovados plagiadores, pretendem
intrujar o público dizendo-se gênios
autênticos, originais, livres e pessoais...
Como se tem visto, a senhorita Malfatti
desconhece por completo harmonia, cor e
perspectiva, conseqüências lógicas do
desenho, cujos enigmas só agora está
tentando decifrar."
Pauci Vero Electi, A Gazeta, São Paulo, 22 de fevereiro de 1922
Depois da Semana de Arte Moderna, Oswald de Andrade elabora o
Manifesto Antropofágico, em que defende que o artista brasileiro
deveria "deglutir" as vanguardas européias e transformá-las em arte
nacional.
Abaixo, os quadros “Antropofagia” e “Abapuru” , “A Negra” e
“Operários” de Tarsila do Amaral
CARACTERÍSTICAS DO
MODERNISMO BRASILEIRO
 ANTROPOFAGIA CULTURAL:
Aproveitamento criterioso da cultura
estrangeira para a constituição de uma
cultura brasileira original
 Valorização da linguagem brasileira
 Reforço da relação entre cultura e nação
 Critica ao domínio das oligarquias rurais
 Afirmação de uma cultura essencialmente
brasileira
 Intensificação dos estudos sobre o folclore
e a cultura popular
A BOBA, QUADRO DE ANITA MALFATI, EXPOENTE DO
MOVIMENTO MODERNISTA NO BRASIL