Você está na página 1de 75

Introdução à Astrofísica

Thyrso Villela
Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
INPE-MCT
Divisão de Astrofísica
São José dos Campos, SP

59ª Reunião Anual da SBPC, Belém, PA, 9 a 12 de julho de 2007

Introdução à Astrofísica
1. Parte 1
1. Algumas noções básicas de Astronomia

2. Parte 2
1. Telescópios no solo e no espaço
2. Observações do céu em vários comprimentos de onda

3. Parte 3
1. Nascimento, vida e morte das estrelas

4. Parte 4
1. Galáxias
2. Cosmologia: origem, evolução e estrutura do
Universo.

Terra

Sol
Terra
Sol
Terra

Sol

.

Áreas da Astronomia • Direção da fonte Astron. Fundamental Mecânica Celeste • Intensidade da emissão Astrofísica • Qualidade espectral da emissão Cosmologia .

ASTRONOMIA OBSERVACIONAL • Direção da fonte – Astronomia Fundamental – Conceito matemático de Esfera Celeste – Necessidade de um Sistema de Coordenadas Celestes .

galáxias. aglomerados de estrelas. aglomerados de galáxias e superaglomerados de galáxias) • • Cosmologia  tudo • formação.EVOLUÇÃO DA ASTRONOMIA (devido ao aumento do conhecimento científico) • Astronomia Fundamental  direção da fonte • direções dos astros no céu e sistemas de referência • marcação da passagem do tempo • Mecânica Celeste  movimento da fonte • • movimento dos corpos em sistemas planetários e estelares Astrofísica  intensidade e espectro da emissão formação. estrelas. composição química e evolução dos corpos celestes (Sistema Solar. estrutura e evolução do Universo como um todo 7 . estrutura física.

Ondas gravitacionais . Ondas eletromagnéticas 2. Neutrinos 4.Canais de informação 1. Raios cósmicos 3.

ASTRONOMIA DO SISTEMA SOLAR ALGUNS CONCEITOS .

pelo seu volume: R R ou D = 2R V = 4R3 / 3 . Para eles. o seu tamanho pode ser indicado pelo seu raio (ou diâmetro) ou.O TAMANHO DOS ASTROS • Grande parte dos astros possui a forma esférica.

O TAMANHO DOS ASTROS • Outros astros apresentam a forma aproximada de um elipsóide de revolução oblato: Achatamento b f = a-b a a Raio médio a Rm =  3 a2 b .

140 km b = 6.O TAMANHO DOS ASTROS • Para a Terra: a = 6.755 km b a .25 Rm =  3 a a2 b = 6.004 km .378.b = 21.371.356.385 km a Raio médio: 1 Achatamento: f = 298.

25 1 / 154 1 / 15.980 km 120.120 km 49.540 km 51.530 km 2.6 1 / 58.4 1 / 10.756 km 6.5 0? .104 km 12.794 km 142.2 1 / 43.300 km ACHATAMENTO a 0 0 1 / 298.O TAMANHO DOS ASTROS PLANETA DIÂMETRO Mercúrio Vênus Terra Marte Júpiter Saturno Urano Netuno Plutão 4.878 km 12.

O TAMANHO DOS ASTROS • Outros. por fim. não possuem forma definida geometricamente: a 3 valores especificam as suas dimensões máximas .

o parsec e seus múltiplos • No âmbito do Sistema Solar. utilizamos a Unidade Astronômica (UA) a . etc. milha.A UNIDADE ASTRONÔMICA • Unidades de distância que utilizamos na vida diária (metro.) e seus múltiplos não são adequadas para as distâncias astronômicas • Para as distâncias estelares utilizamos o ano-luz.

A UNIDADE ASTRONÔMICA • A Unidade Astronômica corresponde à distância média da Terra ao Sol. P Sol A a .

A UNIDADE ASTRONÔMICA • Periélio da Terra: ao redor de 3 de janeiro.597. • Afélio da Terra: ao redor de 3 de julho.000 km a . 1 A = 1 UA = 149.870 km 1 UA  150.000.

000 km 5.000 km 4.875.429.000 km 2.915.000.000 km 227.300.7233 1.1820 30.3871 0.2028 9.504.600.5388 19.000 km 778.200.000 km 0.4387 a .000 km 108.000 km 149.900.900.5237 5.DISTÂNCIAS DOS PLANETAS PLANETA Mercúrio Vênus Terra Marte Júpiter Saturno Urano Netuno Plutão DISTÂNCIA EM UA 57.0578 39.0000 1.000 km 1.800.400.400.

SEQÜÊNCIA DE TITIUS-BODE • Permite obter as distâncias médias dos planetas ao Sol em UA (de Mercúrio até Urano): 0 3 6 12 24 48 96 + 4 4 4 4 4 4 4 7 10 16 4 28 a 52 100 .

0 M ? J M V T a S .SEQÜÊNCIA DE TITIUS-BODE 4 7 10 : 10 10 10 16 10 28 10 52 100 10 10 0.7 1.2 10.0 1.8 5.6 2.4 0.

SEQÜÊNCIA DE TITIUS-BODE 1781 .W.Ceres ao Sol: 2. Piazzi descobre o primeiro asteróide: a Distância de 1.77 UA .G. Herschel descobre o planeta Urano: 96 x 2 = 192 192 + 4 = 196 196 : 10 = 19.6 Distância correta: 19.1820 UA 1801 .F.

Tombaugh descobre Plutão: 384 x 2 = 768 768 + 4 = 772 a 772 : 10 = 77.C.8 Distância correta: 30.SEQÜÊNCIA DE TITIUS-BODE 1846 .Adams e U. Galle descobre o planeta Netuno.W.C.J. Leverrier 192 x 2 = 384 384 + 4 = 388 388 : 10 = 38. na posição prevista por J.2 Distância correta: 39.4387 UA .J.0578 UA 1930 .J. G.

TEMPO-LUZ
• Utiliza-se, ainda, como unidade de
distância a distância percorrida pela
luz, no vácuo, em um certo intervalo de
tempo:
c = 299.792,458 km/s
• Tem-se, por exemplo: o segundo-luz, que é a
distância percorrida pela luz em um segundo:

a
1 s-l = 299.792,458 km

TEMPO-LUZ
• Analogamente pode-se definir o minutoluz, a hora-luz, o ano-luz e etc.
A distância média da Terra à Lua é de 384.403 km.
Em tempo-luz, teremos:
384.403 km / 299.792,458 km/s
a = 1,28 s-l

TEMPO-LUZ
A distância média da Terra ao Sol é de:

1 A = 1 UA = 149.597.870 km
Em tempo-luz, teremos:
149.597.870 km / 299.792,458 km/s = 499 s-l

a

499 s-l = (8 min 19 s) - luz

28 s Do Sol até a Terra: 8 min 19 s a De Plutão até a Terra: 5h 20 min (mínimo) .TEMPO-LUZ • O valor da numérico da distância de um astro em tempo-luz nos informa. o tempo empregado pela luz para percorrer a distância considerada: Da Lua até a Terra: 1. ainda.

TEMPO-LUZ • Diferença entre a posição geométrica e a posição observada: a .

TEMPO-LUZ • Diferença entre a posição geométrica e a posição observada: a .

TEMPO-LUZ • Diferença entre a posição geométrica e a posição observada: Posição real a Posição observada .

que efetua mapeamento dos planetas e estima com grande precisão as distâncias planetárias.TEMPO-LUZ • A medida do intervalo de tempo entre o envio e a recepção de um sinal a uma nave espacial que esteja nas proximidades de um planeta permite que se faça Astronomia por radar. a .

265” Diâmetros aparentes do Sol e da Lua:  30’ .DIÂMETRO APARENTE • Ângulo sob o qual o observador vê o diâmetro geométrico de um astro: D d  ap  ap = a D d x 206.

ASTRONOMIA DO SISTEMA SOLAR PERÍODO SIDERAL .

• Considerando-se um observador no Sol.PERÍODO SIDERAL • Intervalo de tempo necessário para que um planeta descreva a sua órbita ao redor do Sol. . é o intervalo de tempo necessário para que o planeta descreva 360º tomando-se como referência uma estrela.

PERÍODO SIDERAL SOL ESTRELA DE REFERÊNCIA .

PERÍODO SIDERAL SOL ESTRELA DE REFERÊNCIA .

PERÍODO SIDERAL SOL ESTRELA DE REFERÊNCIA .

PERÍODO SIDERAL SOL ESTRELA DE REFERÊNCIA .

PERÍODO SIDERAL SOL ESTRELA DE REFERÊNCIA .

PERÍODO SIDERAL SOL ESTRELA DE REFERÊNCIA .

PERÍODO SIDERAL SOL ESTRELA DE REFERÊNCIA .

PERÍODO SIDERAL SOL ESTRELA DE REFERÊNCIA .

PERÍODO SIDERAL SOL ESTRELA DE REFERÊNCIA .

ALBEDO • Relação entre a quantidade de radiação refletida por um astro em todas as direções e a quantidade de radiação incidente sobre ele. Radiação incidente a Ei .

ALBEDO • Relação entre a quantidade de radiação refletida por um astro em todas as direções e a quantidade de radiação incidente sobre ele. Radiação refletida ER A = a ER Ei .

ALBEDO DA TERRA Incidente: 100% Absorção 37% : Refletida Reflexão a Superfície Reflexão .

36 0.06 .ALBEDO • O conhecimento do albedo de alguns materiais permite inferir a composição das superfícies planetárias: MATERIAL Granito Lava Basalto ALBEDO a 0.18 0.

11 0.15 0.ALBEDO PLANETA ALBEDO Mercúrio Vênus Terra Marte Júpiter Saturno Urano Netuno Plutão 0.65 0.37 0.30 a .51 0.52 0.41 0.47 0.

GRAVIDADE R g = GM R2 g =a GM (R+h)2 M Em uma altitude h: .

a 0.38 0.38 2.00 0.90 1.14 0. GRAV.90 1.08 .GRAVIDADE PLANETA Mercúrio Vênus Terra Marte Júpiter Saturno Urano Netuno Plutão ACEL.53 1.06 0.

VELOCIDADE DE ESCAPE R M Em uma altitude h: Vesc =  Vesc a= 2GM R  2GM R+h .

00 59.3 23.5 21.VELOCIDADE DE ESCAPE PLANETA Vesc ( km/s) Mercúrio Vênus Terra Marte Júpiter Saturno Urano Netuno Plutão 4.30 a .20 10.4 11.5 1.2 5.5 35.

8 (mk-mi) = -5.000 log10 (x) = a ↔ 10a = x Fluxo = (Energia/s) ÷ Área ou Fluxo = Potência ÷ Área . (mk-mi) = -0.00  Fk/Fi = 39.00  Fk/Fi = 6.5 = 10-0.5 em razão-de-fluxos ● magnitude = -2.00  Fk/Fi = 10.5 log10(fluxo) + cte.75  Fk/Fi = 2.00  Fk/Fi = 100 = 10-0.00  Fk/Fi = 2.0 (mk-mi) = -1.C.00  Fk/Fi = 15.3 (mk-mi) = -3.8 (mk-mi) = -4.Escala de magnitude – Hiparco (160-125 a.): 6 classes: 1 (mais brilhante) a 6 (mais débil) obteve-se que o fluxo da classe 1 é 100× maior que o da classe 6 ● diferença negativa de 1 magnitude  2.4×-1 (mk-mi) = -2.4×-5 (mk-mi) = -10.

4 ● Canopus: -0.6 ● Acrux: 0.1 .com (mk-mi) = -0.8 Lua: -12.5 (variável!) ● Vênus: -4 (variável!) ● Júpiter: -2 (variável!) ● Marte: -2 (variável!) ● Sirius: -1.8 ● Spica: 1.1  Fk/Fi ≈ 1.1 ● Mimosa: 1.magnitudes aparentes visuais ● ● Sol: -26.3 ● Saturno: 0.3 ● Rubídea: 1.0 ● Procion: 0.6 Fonte da fotografia: http://davidmalin.4 ● Hadar: 0.0 (variável!) ● Arcturus: 0.0 ● Antares: 1.6 ● Alfa do Centauro: -0.

freqüência .Ondas eletromagnéticas • Luz • Raios Gama • Raios X • Ultravioleta • Luz branca ou visível • Infravermelho • Microondas • Ondas de rádio Energia.

altos e secos .Observatórios astronômicos no solo Telescópios ópticos e Radiotelescópios Áreas coletoras grandes Minimização dos efeitos atmosféricos Locais escuros.

ufrgs.Coletando e analisando a luz duma estrela espectroscopia Fonte: astro.br .if.

ufrgs.Espectros das estrelas: de absorção astro.br Comprimento de Onda Freqüência da Onda .if.

Espectro óptico do Sol: linhas de Fraunhofer Comprimento de Onda (Å) Espectro feito no Miniobservatório Astronômico do INPE 1 Å = 10-10 m .

Espectros de estrelas 1 Å = 10-10 m .

000 K Fotosfera 6.Atmosferas das estrelas: transição do interior ao meio externo Um eclipse total do Sol Coroa 1 milhão ºK Cromosfera 10.com .000 K Fonte da fotografia: http://davidmalin.

com .O céu noturno na visão humana Fonte da fotografia: http://davidmalin.

Plano da nossa Galáxia em diferentes comprimentos de onda Rádio (408 MHz) Hidrogênio Atômico Rádio (2. .5 GHz) Hidrogênio Molecular Infravermelho Infravermelho Médio Infravermelho Próximo Visível Raios X Raios Gama Crédito da Imagem: NASA.

Constelações e distâncias das estrelas: Cruzeiro do Sul Rubídea: 88 anos-luz  Crux: 364 anos-luz Mimosa: 353 anos-luz Terra 1 ano-luz ≈ 9.5 trilhões de km! Intrometida: 228 anos-luz Acrux: 321 anos-luz .

Cartografia do céu TheSky Soft. 64 .

As estrelas têm diferentes brilhos aparentes e cores Sirius Rigel Prócion Betelgeuse Fonte da fotografia: http://davidmalin.com .

ufrgs.Constelação de Órion Fonte: astro.if.br .

000. Vênus ou Marte & Lei dos Períodos dos planetas (P2 proporcional a d3) tg θ = Terra-Sol ÷ D D = Terra-Sol ÷ tg θ .000 km ↔ paralaxe de Mercúrio.Medindo distâncias de estrelas próximas: paralaxe distância média Terra-Sol = 1 UA ≈ 150.

Milone (INPE) .Translação da Terra em torno do Sol (fora de escala) e visibilidade do céu no decorrer do ano Virgem Balança ou Libra Escorpião Leão Câncer Touro 21/março 21/dezembro 21/junho Ofiúco Sagitário Gêmeos Áries ou Carneiro 21/setembro Peixes Capricórnio Aquário A.

As estrelas “vivem” em comunidades  Isoladas  Sol  Sistemas múltiplos  α Centauro  Aglomerados galácticos ou abertos  jovens  no plano. ou disco.SSDS M 104 . da Galáxia  Aglomerados globulares  velhos  no halo e bojo da Galáxia M 51 .

500 oC .O Sol: cor e temperatura (superficial) cor amarelada T ≈ 5.0000001 g/cm3 manchas têm 3.500 graus Celsius (ºC) 500 km de extensão densidade superficial = 0.

K-4 1 nm = 10 Å = 10-9 m = 10-7 cm .Estrelas: astros luminosos Fluxo Total Emitido = σ T4 Potência Luminosa = 4πR2 × σT4 quanto mais quente.s-1. menos luminosa e mais (infra)vermelha! σ = 5.m-2.67 × 10-8 J. mais luminosa e mais (ultra)violeta! quanto mais fria.

= 5 g/cm3 P = 50 bilhões de atm .Temperatura. Densidade e Pressão no centro das estrelas No centro do Sol. T = 10 milhões K Dens.500 bilhões de atm Estrela azul (anã). Temperatura = 16 milhões K Densidade = 150 g/cm3 Pressão = 300 bilhões de atmosferas da Terra Estrela vermelha (anã). anã amarela. = 1 kg/cm3 P = 1. T = 80 milhões K Dens.

Há outro estado: plasma degenerado.Estado(s) da matéria nas estrelas sólido ↔ líquido ↔ gasoso neutro ↔ gasoso ionizado ou plasma temperatura energia das partículas 1 g/cm3 densidade 1 ton/cm3 @ 15 milhões ºK A matéria do interior estelar pode ser MUITO comprimida (em até 1015 vezes) e ainda se comportar como um gás sem colisões. cuja densidade pode ser ainda MAIOR! .

He. densidades e pressões ALTAS das regiões centrais. há possibilidades de interação entre os núcleos atômicos. Berílio e Boro são elementos químicos primordiais! .Fonte da energia estelar: reações termonucleares Devido às temperaturas. especialmente os de Hidrogênio! Sol 4 prótons (1H) → 1 núcleo de Hélio (4He) + Energia Energia Liberada = (Diferença de Massa) × c2 H. Lítio.

a cada 1 segundo.5 No centro do Sol. são produzidos 4×1026 J de energia na forma de raios gama/X e neutrinos.Taxa de produção de energia nuclear: estrelas parecidas com o Sol Taxa ↔ Densidade × T4. . ou à explosão de 5 trilhões de bombas H (1 bomba H = 1 milhão de bombas de Hiroshima). equivalendo a uma transformação de 600 milhões de toneladas de núcleos de H em He.