Você está na página 1de 32

Introdução à

Atenção Básica de
Saúde - ABS

CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL SÃO
CAMILO – CEPROSC
Enfª. Renata Sales

Saúde Pública
Conjunto de ações e serviços de caráter
sanitário que tenham como objetivo prevenir ou
combater patologias ou quaisquer outros
cenários que coloquem em risco a saúde da
população.

Saúde Coletiva
A saúde coletiva consiste em um movimento
sanitário de caráter social que surgiu no SUS,
esse movimento é composto da integração das
ciências sociais com as políticas de saúde
pública.

Política Nacional de Atenção
Básica - PNATB
 Norteada

pelos princípios do SUS;
 Missão: Estruturação do sistema de saúde,
considerando a dinamicidade existente em cada
região para garantir aos usuários o acesso a
serviços de média e alta complexidade
necessários para a resolução de seus problemas;
 Conceito: um conjunto de ações de saúde, no
âmbito individual e coletivo, direcionadas à
promoção da saúde, à prevenção de agravos, ao
tratamento, à reabilitação e à manutenção da
saúde.
 Execução: Federal + Estado + Município

 Manter as bases de dados nacionais. . regulação e avaliação da atenção básica.Responsabilidades das esferas gestoras em atenção básica  FEDERAL:  Elaborar as diretrizes da PNAB.  Ordenar a formação de RH.  Propor mecanismos para a programação. controle.  Cofinanciar o SAB.

 Regular as relações intermunicipais.  Coordenar a execução das políticas de qualificação de RH em seu território. Estadual:  Acompanhar a implantação e execução das ações de AB em seu território.  Cofinanciar as ações de AB.  Auxiliar na execução das estratégias de avaliação da AB em seu território. .

 Municipal:  Definir e implantar o modelo de AB no seu território.  Avaliar o desempenho das equipes de AB sob sua supervisão.  Alimentar os sistemas de informação.  Contratualizar o trabalho em AB. .  Cofinanciar as ações de AB.  Manter a rede de UBS em funcionamento.

. A Saúde da Família constitui uma estratégia para a organização e fortalecimento da Atenção Básica como o primeiro nível de atenção à saúde no SUS. a qualificação e reorientação das práticas de saúde embasadas na Promoção da Saúde.ABS organizada pela estratégia SAÚDE DA FAMÍLIA  Possibilita   a organização do Sistema Municipal de Saúde para contemplar os pontos essenciais de qualidade na Atenção Básica. Procura o fortalecimento da atenção por meio da ampliação do acesso.

.

Princípios da ESF  DESCRIÇÃO DE CLIENTELA: Definição precisa do território de atuação. compreendendo segmento populacional determinado.  TERRITORIALIZAÇÃO: Mapeamento da área. . priorizando solução dos problemas.  PLANEJAMENTO BASEADO NA REALIDADE LOCAL: Programação das atividades segundo critérios de risco à saúde.  DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO DE SAÚDE DA POPULAÇÃO: Cadastramento das famílias e dos indivíduos. gerando dados que possibilitem a análise da situação de saúde do território.

Características do processo de trabalho INTERDISCIPLINARIDADE: Trabalho interdisciplinar. compromisso e respeito. . integrando áreas técnicas e profissionais de diferentes formações. COMPETÊNCIA CULTURAL: Valorização dos diversos saberes e práticas na perspectiva de uma abordagem integral e resolutiva. possibilitando a criação de vínculos de confiança com ética. VINCULAÇÃO: Participação na dinâmica social das famílias assistidas e da própria comunidade.

 INTERSETORIALIDADE: Trabalho intersetorial. . PARTICIPAÇÃO SOCIAL: Participação da comunidade no planejamento.  FORTALECIMENTO DA GESTÃO LOCAL: Apoio a estratégias de fortalecimento da gestão local. execução e avaliação das ações. voltados para a promoção da saúde. integrando projetos sociais e setores afins.

Estratégia Saúde da Família .Técnicos em enfermagem .Cirurgião-Dentista .Médico .Agentes comunitários de saúde .Auxiliar de consultório dentário e/ou Técnico de higiene dental .ESF  Composição Básica: .Enfermeiro .

.Equipes de Saúde O trabalho de equipes da Saúde da Família é o elemento-chave para a busca permanente de comunicação e troca de experiências e conhecimentos entre os integrantes da equipe e desses com o saber popular do Agente Comunitário de Saúde.

e estas passam a ter co-responsabilidade no cuidado à saúde. 4 mil habitantes. Cada equipe se responsabiliza pelo acompanhamento de. . no máximo. sendo a média recomendada de 3 mil habitantes de uma determinada área.

caracterizando-se: como porta de entrada de um sistema hierarquizado e regionalizado de saúde. permanente e de qualidade. nas residências e na mobilização da comunidade. . por prestar assistência integral.A atuação das equipes ocorre principalmente nas unidades básicas de saúde. sob a sua responsabilidade. por ter território definido. com uma população delimitada. por realizar atividades de educação e promoção da saúde. por intervir sobre os fatores de risco aos quais a comunidade está exposta.

ACS O Programa de Agentes Comunitários de Saúde é hoje considerado parte da Saúde da Família. .  b) ligados a uma unidade básica de Saúde da Família como membro da equipe multiprofissional.  Os agentes comunitários de saúde podem ser encontrados em duas situações distintas em relação à rede do SUS:  a) ligados a uma unidade básica de saúde ainda não organizada na lógica da Saúde da Família.

Valorização dos Profissionais O MS reconhece e valoriza a formação dos trabalhadores como um componente para o processo de qualificação da força de trabalho no sentido de contribuir decisivamente para a efetivação da política nacional de saúde. .

 Essa concepção da formação busca caracterizar a necessidade de elevação da escolaridade e dos perfis de desempenho profissional para possibilitar o aumento da autonomia intelectual dos trabalhadores. domínio do conhecimento técnico-científico. de exercitar a criatividade. de ter consciência da qualidade e das implicações éticas de seu trabalho. de interagir com os usuários dos serviços. . capacidade de gerenciar tempo e espaço de trabalho.

 Tuberculose e Hanseníase.  Saúde do Adolescente: Sexualidade / DST’s.  Visita Domiciliar.  Saúde Bucal.  Saúde do Trabalhador.  Hiperdia.  Saúde da Mulher: Pré-natal / Prevenção.Programas e Serviços  Saúde da Criança: Puericultura.  Saúde do Homem.  Saúde do Idoso. .  Planejamento Familiar.

 Elaboração do Plano Nacional de Reorganização da HAS e DM (HIPERDIA) pelo MS.  Realiza acompanhamento e tratamento sistemático.O controle da HAS e DM  Doenças não transmissíveis.  É um programa de caráter preventivo. .

Atenção à Saúde da Criança  PAISC é o conjunto das ações básicas de saúde que visam assegurar a integridade na assistência prestada à criança no seu processo de desenvolvimento e crescimento. . reduzindo a morbidade das menores de 5 anos.

a fim de favorecer o seu processo geral de seu crescimento e desenvolvimento.Atenção à Saúde do Adolescente  PROSAD visa promover a assistência integral à saúde do adolescente.  Busca redução da morbimortalidade e os desajustes individuais e sociais. .

.  Ampliar. qualificar e humanizar a atenção integral à saúde da mulher no SUS. sem discriminação de qualquer espécie. especialmente por causas evitáveis. em todo ciclo de vida e nos diversos grupos populacionais.  Contribuir para a redução da morbimortalidade feminina no Brasil.Atenção à Saúde da Mulher  Atenção Integral a Saúde da Mulher  Promover a melhoria das condições de vida e saúde das mulheres brasileiras.

.Atenção à Saúde do Homem  Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem tem a finalidade de promover ações de saúde que contribuam significativamente para a compreensão da realidade singular masculina nos seus diversos contextos socioculturais e político-econômicos.

.Atenção à Saúde do Idoso  Programa de Assistência Integral à Saúde do Idoso: além de ofertar a assistência integral ao idoso. ele enfatiza o envelhecimento saudável e ativo e fortalece o protagonismo das pessoas idosas no Brasil.

assim como atuar na promoção de saúde. tratamento e reabilitação de doenças e agravos. a partir do conhecimento da realidade do indivíduo e sua família in loco.Visita Domiciliar  Constitui um instrumento de atenção à saúde que possibilita. da terapêutica e do profissional. . fortalecer os vínculos do paciente. prevenção.

 Educação em saúde. dentro da AB.Atenção à Saúde Bucal  Brasil sorridente.  Prevenção e manutenção. .

. em toda a sua rede de serviços. estão obrigadas a garantir a mulher. ao homem ou ao casal.Planejamento Familiar A Lei estabelece que as instâncias gestoras do SUS em todos os seus níveis. assistência a concepção e contracepção como parte das demais ações que compõem a assistência integral a saúde.

reduzir mortalidade. realizar diagnóstico precoce incentivar a adesão do tratamento. a e .  Objetivos: diminuir a incidência.Atenção à Hanseníase e Tuberculose  Doenças transmissíveis.

Núcleo de Apoio à Saúde da Família . . compartilhando as práticas em saúde nos territórios sob responsabilidade das Equipes de SF no qual o NASF está cadastrado.NASF O NASF deve ser constituído por equipes compostas por profissionais de diferentes áreas de conhecimento. para atuarem em conjunto com os profissionais das Equipes Saúde da Família.

Fonoaudiólogo. . Assistente Social. Fisioterapeuta. e Médico Psiquiatra) vinculado de 08 a 20 Equipes Saúde da Família. Fisioterapeuta. Nutricionista. Farmacêutico. Médico Pediatra.  NASF 2: mínimo 3 profissionais de nível superior de ocupações não-coincidentes (Assistente Social. Fonoaudiólogo. Nutricionista. Terapeuta Ocupacional. Profissional de Educação Física. NASF 1: mínimo 5 das profissões de nível superior (Psicólogo. Profissional da Educação Física. Médico Ginecologista. fica vedada a implantação das duas modalidades de forma concomitante nos Municípios e no Distrito Federal. Farmacêutico. Psicólogo. vinculado a no mínimo 3 Equipes Saúde da Família. e Terapeuta Ocupacional).

Obrigada! .