Você está na página 1de 40

c  

c
FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA - FAMEMA

SCOTME ʹ SOCIEDADE CIENTÍFICA DE ORTOPEDIA, TRAUMATOLOGIA E


MEDICINA DO ESPORTE
PARTICIPANTES
Luiz Gonzaga Francisco de Assis Barros D͛ Elia Zanella - XLIII
Aniello Savareze - XLIII
Fernando Augusto - XLIII
Patrícia - XLIII
Andréia - XLIII

Março/ 2010
TIPOS DE LESÕES
TORÇÕES OU ENTORSES
!É a torção forçada de uma articulação, que estira ou rompe
seus ligamentos, mas não desloca os ossos. Os ligamentos são
estendidos além de suas capacidades.

!É a separação momentânea das superfícies ósseas ao nível da


articulação.

!Comuns nos membros inferiores (principalmente nos joelhos e


tornozelos)
LUXAÇÃO OU DESLOCAMENTO

!Chama-se luxação ao fato de 2 ossos se desarticularem.


Popularmente diz-se que eles "saíram do lugar".

!É o deslocamento da extremidade de um osso ao nível


de sua articulação
DISTENSÕES

Ocorrem em esportes que exigem esforço


muscular explosivo por um curto período de
tempo, como basquete, corrida de velocidade,
salto, futebol.
FRATURAS
cipo de lesão onde ocorre a quebra de um osso.

›  
     

2    

2   

CONTUSÕES
ão causadas por uma batida em partes moles, sem fratura.
Geralmente as partes lesadas constituem músculos, fáscias e
ligamentos.
c  
c
  c
c    

!aepouso e limitação do
movimento do punho.

!Este enfaixamento pode ser


usado em caso de contusão e
entorse.

!Em alguns casos de cirurgias


de punho, após o
procedimento cirúrgico para
evitar o edema e sangramento.

!Podem ser usados também


outros tipos de imobilizações,
como:tala luva e luva gessada.
c    
    

!mimitar a movimentação
do punho, tratamento de
inflamações, luxações e
torções no antebraço.

!Em alguns casos de


fratura de membros
superiores, usa-se a tala,
para manter o membro
fraturado em repouso,
enquanto o médico define o
tipo de tratamento.
  c  
c 
!aepouso e limitação da
movimentação do cotovelo,
também usado em casos de
contusão, torção e entorse.

!Em alguns casos de cirurgias de


cotovelo, após o procedimento
cirúrgico para evitar o edema e
sangramento.

!Podem ser usados também


outros tipos de imobilizações,
como: tala braquial
(Braquiopalmar) e braquial
gessado.
   
c   
!cratamento de
luxações de falange do
dedo, fraturas,
contusões, torção e
inflamações de
membros superiores.

!Em alguns casos de


fratura de membros
superiores, usa-se a
tala, para manter o
membro fraturado em
repouso, enquanto o
médico define o tipo de
tratamento.
 c 

!‘mobilização das
falanges do dedo.

!‘mobilização usada em
caso de fratura ou
luxações.
c   
c    

!mimitar a movimentação
do punho, tratamento de
inflamações, luxações e
torções no antebraço.

!Em alguns casos de


fratura de membros
superiores, usa-se a tala
para manter o membro
fraturado em repouso,
enquanto o médico define
o tipo de tratamento.
c    c   

!cratamento de luxações
da falange do dedo,
fraturas, contusões,
torção e inflamações de
membros superiores.

!Em alguns casos de


fratura de membros
superiores, usa-se a tala,
para manter o membro
fraturado em repouso,
enquanto o médico define
o tipo de tratamento.
     
c    

!cratamento de luxações,
fraturas de falange do
dedo, contusões, torção e
inflamações de membros
superiores.
c    

!aepouso de membros
superiores.
c   
 c 

!‘mobilização e repouso,
esta tala é usada em
fratura de úmero.

!Pode ser um
tratamento conservador
ou provisório, enquanto o
medico define o tipo de
tratamento, se cirúrgico
ou não
c    
  

!cendinite, contusões e
luxações no cotovelo, e
em alguns casos de
fratura.

! Em fratura de membros
superiores, usa-se a tala,
para manter o braço
fraturado em repouso,
em quanto o médico
define o tipo de
tratamento. Em alguns
casos pode ser um
tratamento conservador.
  

!‘mobilizar o ombro. Usa-


se esta imobilização em
luxações de ombro.
  

!aepouso e mimitação da
movimentação do ombro.

!Usa-se esta imobilização


em luxações de ombro.
 c 

!2ratura de clavícula.
   

!‘mobilização do
ombro.

!Usada em luxações de
ombro e, às vezes, em
alguns casos de fratura
de clavícula (isso
depende muito do
médico ortopedista).
  c
c 

!mimitação da caixa
torácica, de modo a
restringir a
respiração.

!É usado em fraturas
de costelas e
contusões torácicas.
  

!corcicolo e inflamações
na região cervical.
c   
 c
!2ratura, luxação ou
entorse de tornozelo.

! Neste caso o
paciente poderá pisar.

! Dependendo da
fratura o médico
ortopedista permitirá
que o paciente pise.
c   
 c

!2ratura, luxação ou
entorse de tornozelo.

! Neste caso o
paciente não pode
pisar, necessitando de
uma muleta para se
locomover.
  c
   
   
!mimitar o movimento de
extensão e flexão do
joelho, às vezes usados em
entorse, contusão e torção
de joelho.

!Em alguns casos de


cirurgias de joelho, após o
procedimento cirúrgico
pode ser usado para evitar
o edema e sangramento.

! Podem ser usados outros


tipos de imobilizações,
como: tala tubo ou tubo
gessado.
  cc 
c   
!mimitar o movimento
do tornozelo, às
vezes usados em
entorse, contusão e
torção.

!Em alguns casos de


cirurgias de
tornozelo, após o
procedimento
cirúrgico para evitar
o edema e
sangramento.
  
  c

!‘mobilizar o joelho e
tornozelo.

!Usado em fratura de
tíbia e fíbula.

!Paciente poderá pisar.


  
 c

!‘mobilização do joelho
e tornozelo, usado em
fratura de tíbia e
fíbula.

!O paciente não poderá


pisar, terá que andar
de muletas.


     

! ‘mobilização das
falanges do dedo.

!Usada em caso de
fratura ou luxações das
falanges do dedo.
  c 
c

!V     

    V 

!2ratura de tíbia, neste


caso o paciente poderá
pisar.

!Em alguns casos,


dependendo do ortopedista,
o mesmo solicitará um
aparelho gessado
inguinopodálico com salto.
c c 
 

!Entorse, luxação.

!Alguns casos de
fratura e pós
cirúrgico.
c      c 
 
!2ratura de fêmur.

! Neste caso o paciente


ficará imobilizado
esperando a cirurgia.
c 
  

!2raturas de tíbia e
patela.

!Em alguns casos a tala


será somente provisória.

!Não será um
tratamento
conservador.
c c c 
   

!‘mobilização do joelho
para limitar o movimento
de flexão e extensão do
joelho.

!É usado em caso de
contusão, entorse,
torsão, luxação e pós
cirúrgico.
c 
   

!‘mobilização do joelho,
para que não possa haver
o movimento de flexão e
extensão do joelho.

!É usado em caso de
contusão, entorse,
torção, luxação, fratura.
cambém usada em
pacientes pós cirúrgicos.
BIBLIOGRAFIA
SÍTIOS ELETRÔNICOS

http://www.sbot.org.br/
http://www.iof.com.br/int_default.php?p=artigos/art_imobilizacao
http://www.rbo.org.br/materia.asp?mt=1012&idIdioma=1

AGRADECIMENTO À EQUIPE DO AMBULATÓRIO MÁRIO COVAS DA FAMEMA,


QUE PERMITIU A CAPTAÇÃO DE IMAGENS DOS PACIENTES ATENDIDOS