Você está na página 1de 24

A ESTRUTURA DA

PRIMEIRA SESSÃO
DE TERAPIA
Beck.J. Terapia Cognitiva-
teoria e prática.
Cap. 3
Metas da sessão inicial
 Estabelecer confiança e rapport;
 Socializar o paciente na terapia cognitiva;
 Educar o paciente sobre o seu transtorno, sobre
o modelo cognitivo e sobre os processos de
terapia;
 Regularizar as dificuldades do paciente e
instaurar a esperança;
Estruturação e educação
 As metas gerais da estruturação e da
educação vão gerar esperança,
impulsionar o processo de aprendizagem,
melhorar a eficácia da terapia e ajudar o
paciente a desenvolver habilidades de
enfrentamento eficazes
Estabelecimento de metas
 O estabelecimento de metas ensinam o
paciente o valor de estabelecer alvos
específicos e mesuráveis para a
mudança.
 O estabelecimento de metas é realizado
no final da 1ª sessão, quando já se
avaliou os principais problemas, pontos
fortes e recursos do paciente e começou
a construir o empirismo colaborativo.
Metas da sessão inicial

 Extrair (e corrigir, se necessário) as


expectativas do paciente com a terapia;
 Coletar informações adicionais sobre as
dificuldades do paciente;
 Utilizar essas informações para
desenvolver uma lista de metas.
Estrutura para a sessão inicial

 Estabelecer a agenda;
 Fazer checagem de humor, incluindo escores
objetivos;
 Revisar brevemente o problema presente e
obter uma atualização (desde a avaliação);
 Identificar problemas e estabelecer metas;
Estabelecimento de agenda
 O estabelecimento da agenda é utilizado
para estruturar cada sessão.
 Os tópicos da agenda se relacionam
diretamente com as metas gerais da
terapia.
 Os tópicos da agenda são específicos e
mensuráveis.
Estabelecimento da agenda
 Os tópicos da agenda podem ser
abordados em uma única sessão.
 Os tópicos da agenda contêm um objetivo
atingível.
Estrutura para a sessão inicial

 Educar o paciente sobre o modelo cognitivo;


 Identificar as expectativas do paciente em
relação à terapia;
 Educar o paciente sobre o seu transtorno;
 Estabelecer a tarefa de casa;
 Prover o resumo;
 Obter o feedback.
Estabelecendo o roteiro da
sessão
 Comentar que é necessário
o estabelecimento de um
roteiro de cada sessão.
 Questionar como o
paciente tem se sentido, o
que o levou à terapia, o que
gostaria de realizar, quais
são alguns de seus
problemas e o que ele
espera da terapia.
Estabelecendo o roteiro da
sessão
 Questionar o que ele sabe sobre terapia
cognitiva.
 Perguntar se o paciente quer acrescentar
algo no roteiro, e se surgir algo durante a
sessão, que ele informe ao terapeuta.
 Estabelecer o roteiro é rápido e objetivo.
 A tarefa de casa objetiva fazer o paciente
pensar o tópico de uma situação que deseja
colocar no roteiro da sessão.
Verificação de humor
 Após estabelecer o roteiro da sessão, o
terapeuta verifica o humor do paciente.
 Aplicação dos inventários de Beck.
(Inventário Beck de depressão, Inventário
Beck de Ansiedade e escala Beck de
Desamparo).
Revisão do problema
 Na sessão seguinte, o terapeuta revisa
brevemente o problema presente, pedindo
que o paciente atualize-o.
 Ajudar a focalizar e separar os problemas em
segmentos mais manejáveis.
 Questionar o que o paciente gostaria que
fosse diferente em sua vida.
 Ajudar ao paciente especificar em termos
comportamentais o que suas vontades
significam .
Revisão do problema
 Pedir ao paciente para fazer uma lista de
metas (escrita), colocar data.
 Pedir ao paciente para verificar se ele
gostaria de acrescentar mais alguma meta
a lista.
 Pedir ao paciente para ele ter um caderno
de terapia.
Educando o paciente sobre o
modelo cognitivo
Educando o paciente sobre o
modelo cognitivo
 É importante questionar ao paciente como
seus pensamentos influenciam as suas
emoções, solicitando exemplos. Pedir que
descreva a situação como estivesse ocorrendo
no momento.
 Pedir que o paciente relate e escreva, além de
palavras, também as imagens que lhe vêm à
mente, o terapeuta o orienta que os
pensamentos automáticos podem aparecer de
muitas formas e modalidades sensoriais
diferentes.
Expectativas para a terapia
 O terapeuta cognitivo deve esclarecer que
esse tipo de terapia é ordenado e
racional, e que os pacientes melhoram
porque entendem a si mesmos melhor,
resolvem problemas e aprendem
fundamentos que eles mesmos podem
aplicar.
Educando o paciente sobre o
seu transtorno
 O terapeuta deve esclarecer o transtorno
(seus sintomas, o funcionamento) para o
paciente e mostrar que pode ajudá-lo.
 Textos e folhetos sobre o transtorno
podem ajudá-lo (biblioterapia).
Resumo final da sessão
 O resumo final une e reforça os pontos
importantes da sessão.
 À medida que a terapia avança, o
terapeuta encoraja o paciente a resumir a
sessão.
Exemplo de relatório de
terapia
 O que você vivenciou hoje que é
importante lembrar?
 Houve qualquer coisa que incomodou
você em relação à terapia hoje? Se
houve, o que foi?
 O que você deseja abordar na próxima
sessão.
Estrutura de uma sessão: fase
inicial do tratamento
1. Cumprimentar o paciente.
2. Realizar uma avaliação dos sintomas.
3. Estabelecer a agenda.
4. Revisar a tarefa da sessão anterior.
5. Conduzir o trabalho da TCC com os itens da agenda.
6. Educar o paciente sobre para o modelo cognitivo
(conceitos e métodos básicos da TCC.
7. Revisar os pontos chaves, Dar e solicitar feedback e
encerrar a sessão.
Estrutura de uma sessão: fase
intermediária do tratamento
1. Cumprimentar o paciente.
2. Realizar uma avaliação dos sintomas.
3. Estabelecer agenda.
4. Revisar a tarefa da sessão anterior.
5. Conduzir o trabalho da TCC com os itens da agenda.
6. Programar nova tarefa de casa.
7. Revisar os pontos chaves, feedeback e encerrar a sessão.
Estrutura de uma sessão:fase
final do tratamento
1. Cumprimentar o paciente.
2. Realizar uma avaliação dos sintomas.
3. Estabelecer agenda.
4. Revisar a tarefa da sessão anterior.
5. Conduzir o trabalho da TCC com os itens da agenda.
6. Trabalhar na prevenção de recaída; preparar para o
término da terapia.
7. Programar nova tarefa de casa.
8. Revisar os pontos chaves, Dar e solicitar feedback e
encerrar a sessão.
Métodos Psicoeducativos
 Oferecer mini-aulas.
 Prescrever um exercício na sessão.
 Usar um caderno de notas de terapia.
 Recomendar leituras.
 Apresentar a TCC por meio de
computador.

Você também pode gostar