Você está na página 1de 28

Mercado de Trabalho e Gênero Transformações e Permanência

Jurema Brites

Universidade Federal de Santa Maria(UFSM)

Grupo de Estudos e Pesquisa de Gênero, Corpo e Saúde (Gepacs)

Tebas- Linha de Pesquisa Gênero, Trabalho e Políticas da Intimidade

Gênero Transformações e Permanências

aFeminilização do trabalho

bProfissões de prestígio e de precariedade

C Trabalho doméstico- continuidades e mudanças D) Proteção e Desproteção legal

População Economicamente Ativa IBGE – PME 2012

 

Homens

Mulheres

  • 1993 60,4%

 

39,6%

  • 2003 56,5%

 

43,5%

  • 2011 53,9%

 

46, 1%

Distribuição da população ocupada, por grupos de idade, segundo o sexo (%) – (2011)

Homem

Mulher

2011

2011

  • 10 a 14 anos

0,2

  • 10 a 14 anos

0,2

  • 15 a 17 anos

1,6

  • 15 a 17 anos

1,4

  • 18 a 24 anos

16,9

  • 18 a 24 anos

16,8

  • 25 a 39 anos

61, 0

  • 25 a 39 anos

65,9

  • 50 anos ou

22,9

  • 50 anos ou

20,9

mais

mais

Mulheres em Profissão de Prestígio

 

2004

Medicina

54%

Arquitetura

42, 3%

Advocacia

40%

Magistratura

34%

Engenharia

14%

Fonte:MTE- Rais 1993 e 2004 apud Bruschini , 2007

Mulheres em Profissões Precarizadas

Serviço doméstico

 

17%

Comércio

e

16,8%

reparação

Educação,

saúde

e

16,7%

serviços sociais

Fonte: Tabela 10 Anuário das Mulheres-2011 PNAD, IBGE, DIEESE

Continuidades, Crises e Reestruturação - trabalho reprodutivo e cuidado

TRANFORMAÇÕES

Nas famílias, na demografia, nas relações

amorosas,

inter-geracionais,

entre

 

os

sexos

,

no

Estado,

no mercado,

e

na

economia social

RE-ESTRUTURAÇÕES

Aumenta a demanda e diminui o número de pessoas dispostas a realizá-lo de forma desinteressada, mesmo no seio da família

CONTINUIDADES

Feminilização das Atividades de Cuidados

Trabalho Doméstico

Trabalho

domestico

é

central

para

compreender

ontologicamente e epistemologicamente o dimensões do trabalho das mulheres e da meninas.

O trabalho doméstico (IN)visibilizado

é uma forma

mascarada de trabalho produtivo, de obtenção de

mais-valia (Dalla Costa)

Na estrutura heteronormativa, no interior dos lares, o trabalho doméstico é um campo social no qual relações de gênero, de raça e classe são negociados (Pen-Chia Lan)

Trabalho Reprodutivo

O

trabalho

físico,

mental e

emocional

necessário

para

a

geração, criação e socialização

de crianças,

assim

como

a

manutenção de casas e pessoas

-

da

infância

(Colen)

até

a

velhice.

Trabalho Doméstico no Brasil

200

 

9

 

6, 7 milhões de trabalhadora

 

61,6% negras

 

69,3% não possuem CTP

 

30, 1% contribuintes da Previdência

 

58 horas semanais de trabalho (9,6h dia)

 

R $ 386,45 média salarial

Ambiguidade Afetiva

A

manutenção

hierárquico

que

do

o

sistema

serviço

doméstico desvela é reforçado por

uma ambigüidade afetiva entre os

empregadores

 

sobretudo

 

as

mulheres

e

as

crianças

e

as

trabalhadoras domésticas

Edilene - senhora de sabores e amores

Quem cabe no coração da Elisa?

Diversidade e Desigualdade

No

Brasil

modos

e

uma

formas

familiares, marcadas

multiplicidade

de

de

organizações

por

diferentes

configurações de classe, religião, etnicidade, região, meio rural-urbano, sexualidade e gênero

Importante ser cauteloso ao buscar um denominador comum para significados da família, da infância, da maternidade

Reprodução Estratificada

Interconecção

de mulheres com

organização familiar, classe, etnia/ ou de países diferentes através da

repartição

reprodutivas.

das

A promoção

tarefas

social

destas

mulheres

familiares

são

e

seus

grupos

profundamente

desiguais.

Família Moderna:

Fenômeno recente Unidade doméstica centrada nos indivíduos Fruto de 3 grandes transformações

1- Separação entre casa e trabalho 2- Expansão da ingerência do Estado 3- Revolução da Afetividade/Privatização da intimidade

Individuo como Valor \Amor conjugal\ Centralidade das Crianças

Família Classes Médias

FORMA FAMILIAR

Casamento Lar, doce lar

Criança é o pivô da família

CONTEXTO

Estado consolidado

Vantagens Econômicas Escola

Família Popular Brasileira

FORMA FAMILIAR

União consensual (MCF)

Rede extensa de parentes

Circulação de crianças

CONTEXTO Estado fraco Precariedade econômica Trabalho infantil

FASES SUCESSIVAS NO CICLO DOMÉSTICO

TEORIA DO GARFO INVERTIDO (por Cláudia Fonseca)

Interdependência do Grupo Doméstico

Interdependência do Grupo Doméstico

Circulação de Crianças

Circulação de Crianças Edilene = = Unidade Doméstica Norberto Claudinha = Tonho Beatriz Clodoaldo Eltinho Edinha

Edilene

=

= Unidade Doméstica Norberto Claudinha = Tonho Beatriz Clodoaldo Eltinho Edinha Gilnei Giovane Giordano Michele
=
Unidade
Doméstica
Norberto
Claudinha
=
Tonho
Beatriz
Clodoaldo
Eltinho
Edinha
Gilnei
Giovane
Giordano
Michele

=

Circulação de Crianças Edilene = = Unidade Doméstica Norberto Claudinha = Tonho Beatriz Clodoaldo Eltinho Edinha
Circulação de Crianças Edilene = = Unidade Doméstica Norberto Claudinha = Tonho Beatriz Clodoaldo Eltinho Edinha

Helena

Vinícius

- - - - Circulação de criança

- - -

1. Modelo A:

Vida Adulta

 

dos filhos

 

Primeira

 

infância

dos filhos

1. Modelo A: Vida Adulta dos filhos Primeira infância dos filhos Dispersão dos filhos Fase II

Dispersão dos filhos Fase II

Família conjugal Fase I

2. Modelo B:

Vida adulta

dos filhos

2. Modelo B: Vida adulta dos filhos Primeira infância O sangue puxa Fase II Circulação das

Primeira

 

infância

2. Modelo B: Vida adulta dos filhos Primeira infância O sangue puxa Fase II Circulação das

O sangue puxa Fase II

Circulação das crianças Fase I