Você está na página 1de 14

 Substâncias psicoactivas são todas aquelas que, consumidas de

determinada forma, produzem efeitos , no funcionamento da


mente, alterando (mais ou menos) as sensações, os
pensamentos, a percepção.

 São muitas as substâncias químicas ou naturais com efeitos


psicoactivos. Existem substâncias psicoactivas legais (café,
cacau, açúcar), substâncias legais com proibição de venda
a menores (álcool, tabaco), substâncias ilegais excepto sob
receita médica (calmantes, soníferos, anti-depressivos) e
substâncias ilegais (derivados do cannabis, da coca e dos
cogumelos mágicos.
 A duração, a intensidade, o tipo de efeitos e os riscos do
consumo de uma substância psicoativa dependem também do
local pela qual é consumida (oral, fumada, snifada, injectada).

 Tomar substâncias por vias erradas não produz efeitos


psicoactivos mas pode até ser letal.

 Os efeitos dependem também da dose consumida. A dose


varia de pessoa para pessoa, consoante o peso, o grau de
tolerância ou habituação aos efeitos. No entanto, há limites:
algumas substâncias podem ser fatais por overdose.
Tem como principal componente o etanol. É um depressor do
Sistema Nervoso e resulta do processo de fermentação de matérias
açucaradas.

O álcool é uma substância enraizada na cultura ocidental e o seu


consumo é socialmente aceite. O que não quer dizer que não tenha
riscos.

Os efeitos do álcool dependem…


- não só da substância (dose, pureza, misturas…)
- mas também de quem consome (estado de espírito, expectativas,
habituação)

Os efeitos do álcool podem passar por…


- visão turva, reacções mais lentas
- facilidade de comunicação e desinibição social
- bem-estar, euforia, redução da ansiedade, relaxamento
- movimentos descoordenados, desidratação
É uma planta com mais de 60 substâncias psicoactivas
(cannabinóides). De todas estas substâncias, a mais importante a
nível psicoactivo é o THC (Tetrahidrocannabinol).
Há várias espécies que variam no tipo e concentração de princípios
activos.

Do Cannabis pode-se obter Marijuana ”erva” (flores da planta) e


Haxixe (resina da planta).
Pode ser fumada (charro, cachimbo, cachimbo de água…), ingerida
(space-cookies, space-cake, iogurte…) ou tomada com vaporizador

Os efeitos do cannabis dependem…


- não só da substância (dose, pureza, misturas, via de
administração).
- mas também de quem consome (estado de espírito, expectativas,
habituação).
os efeitos da cannabis podem passar por…
-aumento da sensibilidade aos estímulos visuais, auditivos;
-mudanças subtis de pensamento e de expressão; atenção dispersa
(facilidade de abstracção e dificuldade de concentração);
criatividade …bem-estar, riso fácil, sensação de relaxamento; …boca
seca, olhos vermelhos, aumento do apetite, alteração do ritmo
cardíaco.

Os efeitos também variam se:


Fumada: os efeitos sentem-se quase de imediato e têm o seu pico
cerca de 20 minutos depois, durando a experiência 1 a 4 horas.
Ingerida: os efeitos demoram mais a sentir-se (1 a 2 horas), são
mais intensos e duram mais tempo (3 a 10h).

Em doses altas, os efeitos acentuam-se e pode surgir:


-alteração da noção do tempo;
-nervosismo, ansiedade, pânico e paranoía;
-confusão, cansaço mental.
É um estimulante de acção rápida e intensa, obtida da planta de
coca. Tem também acção como anestésico local.
Pó branco cristalino, de sabor amargo, insolúvel na água e que não
resiste a altas temperaturas.
Pode ser snifada ou injectada.
Da cocaína pode ser obtida a base (crack), própria para fumar.
A dose activa de cocaína (mínima para produzir efeitos psicoactivos)
é de 20 a 30 mg.

Os efeitos da cocaína dependem…


- não só da substância (dose, pureza, misturas, via de
administração…)
- mas também de quem consome (estado de espírito, expectativas,
habituação…)
Pela via nasal (snifada), os efeitos surgem em 2 a 5 minutos após o
consumo e duram cerca de 30 a 60 minutos.
Os efeitos podem passar por:
-sensação de energia e resistência ao esforço; bem-estar e euforia;
confiança e segurança nas capacidades pessoais
-desinibição e facilidade nos contactos sociais; pensamento
acelerado
-subida da temperatura corporal e suores; aumento do ritmo
cardíaco e da tensão arterial; aumento do desejo sexual e
dificuldades de ejaculação; menor sensibilidade à dor; falta de
apetite.

Com doses altas os efeitos intensificam-se e pode surgir:


- menor percepção do perigo
- dificuldade de concentração
- ansiedade, agitação, insónias
- humor instável, agressividade
- alucinações
- problemas cardíacos; hipotermia (temperatura corporal
demasiado alta)
- temores, convulsões, coma ou morte (por alteração cardíaca ou
hemorragia cerebral).
Existem inúmeras espécies de cogumelos psicoactivos, com efeitos
psicadélicos e mais ou menos alucinogénicos.
Os cogumelos psilocibos podem ser ingeridos frescos ou secos.
Podem ser comidos, absorvidos na boca por alguns minutos (sub-
lingual) ou bebidos numa infusão (chá). Também podem ser fumados.

Os efeitos dos cogumelos dependem:


- da substância (dose, pureza, misturas, via de administração...)
- Mas também de quem consome (estado de espírito, expectativa,
habituação...)
Como outras substâncias psicadélicas, os efeitos dos cogumelos
podem variar entre o sublime e o assustador.
Os primeiros efeitos podem demorar 1 ou 2 horas a surgir, se os
cogumelos forem engolidos ou tomados em chá com o
estômago cheio. Com o estômago vazio meia hora pode ser
suficiente. Absorvidos debaixo da língua provocam efeito mais
rapidamente, em cerca de 15 minutos.
A subida é gradual e atinge o seu pico cerca de 1 hora depois. A
duração da experiência pode variar entre 6 a 8 horas.

Os efeitos dos cogumelos podem passar por ….


- maior sensibilidade aos estímulos; alteração da percepção da
realidade e da noção de tempo; visões de olhos abertos e de
olhos fechados; alucinações.
- Sentimentos invulgares e mais intensos que habitualmente;
criação de laços emocionais facilitada; sensação de fusão com o
mundo e diluição das fronteiras do corpo; sensação de
comunicação com o outro e com o mundo.
– Náuseas; vómitos; aumento da temperatura corporal; pressão
sanguínea e ritmo cardíaco; dilatação das pupilas; arrepios.