Você está na página 1de 32

EXPRESSÃO GÊNICA

O termo expressão gênica refere-se ao


processo em que a informação codificada
por um determinado gene é decodificada
em uma proteína. Teoricamente, a
regulação em qualquer uma das etapas
desse processo pode levar a uma
expressão gênica diferencial.

Expressão gênica 1
Objetivos da regulação da expressão gênica em
bactérias e em organismos multicelulares

• Nas bactérias o controle da expressão gênica


serve principalmente para permitir que as
células se ajustem às mudanças nutricionais no
ambiente, de forma que o seu crescimento e
divisão sejam otimizados.
• Em organismos multicelulares a expressão
gênica controlada regula um programa genético
fundamental para o desenvolvimento
embrionário e a diferenciação.
Expressão gênica 2
Como uma célula pode controlar as
proteínas que ela faz?
• Controlando quando e como um determinado
gene é transcrito;
• Controlando como um transcrito primário de
RNA sofre o “splicing” ou é processado;
• Selecionando quais mRNAs são traduzidos;
• Ativando ou inativando seletivamente as
proteínas depois da sua síntese.

Expressão gênica 3
Estrutura Gênica e Definição de Termos

• Gene: toda a seqüência de ácido nucléico que é


necessária para a síntese de um polipeptídeo
funcional ou molécula de RNA.
• Unidade de Transcrição : segmento de DNA que
codifica a seqüência no transcrito primário.
• Promotor: a seqüência mínima necessária para
que a transcrição se inicie corretamente.
• Elementos Regulatórios em Cis: elementos que
regulam a iniciação da transcrição.
Expressão gênica 4
Expressão gênica 5
Diferenças na Iniciação da Transcrição
em Eucariotos e Bactérias
• Enquanto as bactérias contêm um único tipo de
RNA-polimerase, as células eucarióticas
apresentam três: RNA-polimerase I, RNA-
polimerase II e RNA-polimerase III.
• A RNA-polimerase bacteriana é capaz de iniciar a
transcrição sem o auxílio de proteínas adicionais.
As RNA-polimerases eucarióticas requerem a
ajuda de um grande conjunto de proteínas
chamadas fatores gerais de transcrição.

Expressão gênica 6
Diferenças na Iniciação da Transcrição
em Eucariotos e Bactérias
• Em eucariotos as proteínas reguladoras da expressão
gênica (repressores e ativadores) podem influenciar a
iniciação da transcrição, mesmo quando estão ligadas ao
DNA a milhares de pares de nucleotídeos distante do
promotor. Em bactérias os genes são freqüentemente
controlados por uma única seqüência regulatória,
tipicamente localizada próxima ao promotor.
• A iniciação da transcrição em eucariotos deve levar em
consideração a compactação do DNA nos nucleossomos
e as formas mais compactas da estrutura da cromatina.

Expressão gênica 7
As Três RNA-Polimerases das
Células Eucarióticas
• RNA-polimerase I - transcreve os genes para rRNA.
• RNA-polimerase II - transcreve todos os genes que
codificam proteínas, mais alguns genes que
codificam pequenos RNAs (p.ex., aqueles presentes
nos “spliceosomes”).
• RNA-polimerase III – transcreve os genes de tRNAs,
rRNA 5S e genes para pequenos RNAs estruturais.

Expressão gênica 8
Fatores Gerais de Transcrição

Os fatores gerais de transcrição são


responsáveis pelo posicionamento correto
da RNA-polimerase no promotor, ajudam na
separação das fitas de DNA para permitir o
início da transcrição, e liberam a RNA-
polimerase do promotor quando a
transcrição se inicia.

Expressão gênica 9
Formação do Complexo de Iniciação
da Transcrição
• TFIID liga-se a região TATA, possibilitando a
ligação de TFIIB.
• Isso é seguido pela ligação de TFIIF e RNA-
polimerase II.
• TFIIE, TFIIH e TFIIJ então se juntam ao
complexo.
• TFIIH usa ATP para fosforilar a RNA-
polimerase II, mudando a sua conformação de
forma que a RNA-polimerase é liberada do
complexo e é capaz de iniciar a transcrição.
Expressão gênica 10
Etapas na formação do complexo de
iniciação da transcrição em eucariotos
Estrutura tridimensional da Proteína que se liga
a TATA (TATA-Binding Protein TBP)

Expressão gênica 12
Complexo TBP-DNA

Expressão gênica 13
Complexo TBP-TFIIA-DNA

Expressão gênica 14
Complexo TBP-TFIIA-TFIIB-DNA

Expressão gênica 15
Os Fatores Transcricionais Seletivos
Aumentam a Atividade do Promotor
• Os promotores isoladamente são geralmente ineficientes.
Fatores de transcrição seletivos que se ligam à região
“upstream” e a “enhancers” aumentam a iniciação.
• Em alguns casos, proteínas adicionais (mediadores,
coativadores) são requeridos para estimular a transcrição.
• Proteínas que se ligam a seqüências de “enhancer” devem
atuar de forma semehante àquelas que se ligam próximas
ao promotor. O DNA entre o “enhancer” e o promotor forma
uma alça para permitir que as proteínas ativadoras ligadas
ao “enhancer” façam contato com as proteínas ligadas ao
promotor.
Expressão gênica 16
Domínios Funcionais dos Fatores
Transcricionais Seletivos
• Domínio de ligação ao DNA - liga a proteína no sítio de
ligação do DNA.
• Seqüências de localização nuclear – requeridas para
transporte para dentro do núcleo.
• Domínio de ativação transcricional - realiza o contato
com os fatores gerais de transcrição.
• Região de dimerização – requerido para formar homo- ou
heterodímeros com outras proteínas.
• Domínio de ligação de ligante – necessário para ligação
de composto que pode funcionar como ativador do fator.
Expressão gênica 17
Motivos de Ligação a DNA nos Fatores de Transcrição

• Homeodomínio – consiste de três α-hélices adjacentes. A maior parte


do contato com as bases do DNA é feita pela hélice 3. Exemplos:
proteínas Hox e outras proteínas reguladoras do desenvolvimento.
• Dedo de zinco (Zinc finger) - Esse motivo é constituido de uma α-
hélice e uma folha β pregueada unidas por um íon zinco. Exemplos:
receptores de hormônioo esteróides, Sp1.
• Região básica e zíper de leucina (ou bZip) – A região básica serve
para o contato com o DNA e o zíper de leucina serve para a formação
do dímero. Exemplos: Fos, Jun (complexos Fos-Jun teriam função
central na mediação de resposta nuclear a sinais na superfície celular)
• Hélice-alça-hélice – Contém um motivo estrutural muito semelhante a
b-zip, exceto que uma alça não helicoidal separa as duas α-hélices em
cada monômero. Exemplo: MyoD (fator regulatório importante na
determinação e diferenciação de músculo).
Expressão gênica 18
Genes Eucarióticos São Regulados por
Combinação de Proteínas
• A maioria das proteínas reguladoras de genes
atuam como parte de um “comitê” de proteínas
reguladoras, todas essenciais para a expressão de
um determinado gene na célula correta, em
reposta a uma dada condição, no tempo certo e
no nível requerido.
• O termo controle combinatorial refere-se a forma
como grupos de proteínas trabalham juntas para
determinar a expressão de um único gene.
Expressão gênica 19
Uma Única Proteína Pode Coordenar a
Expressão de Diferentes Genes
Embora o controle da expressão gênica em eucariotos seja
combinatorial, o efeito de uma única proteína reguladora
pode ser decisiva para ligar e desligar, simplesmente
completando a combinaçção necessária para ativar ou
reprimir um gene.

Um exemplo disso em humanos é o caso do receptor de


glicocorticóide. Para se ligar aos sítos no DNA o receptor
precisa formar um complexo com uma molécula de um
hormônio esteróide (p.ex. cortisol). Em resposta aos
hormônios glicocorticóides, as células do fígado aumentam a
expressão de vários genes.
Expressão gênica 20
Efeito de uma Única Proteína Reguladora na
Diferenciação
• Estudos com células musculares em diferenciação,
em cultura, possibilitaram a identificação de proteínas
reguladoras importantes, expressadas somente em
céleulas musculares, que coordenam a expressão
gênica.
• Quando o gene que codifica uma dessas proteínas
reguladoras, MyoD, é introduzido em fibroblastos,
eles passam a se comportar como mioblastos e
fundem-se para formar células semelhantes às
musculares.
Expressão gênica 21
Um Único Gene que Codifica uma Proteína Reguladora
Pode Estimular a Formação de um Órgão Inteiro

Estudos sobre o desenvolvimento de olho em Drosophila,


camundongo e humanos mostraram que um único gene que
codifica uma proteína reguladora (Ey em moscas flies e
Pax6 em vertebrados) é crucial para o desenvolvimento do
olho. Quando expressado num tipo celular apropriado, Ey
pode desencadear a formação de um órgão inteiro (olho),
composto de diferentes tipos de células, todas corretamente
organizadas no espaço tridimensional.

Expressão gênica 22
Os processos de iniciação, alongamento,
processamento e terminação da transcrição são
acoplados em eucariotos

Maniatis & Reed


NATURE |VOL 416 | 4 APRIL 2002

Expressão gênica 23
Acoplamento das
maquinarias envolvidas
na transcrição, capping,
splicing e poliadenilação

Maniatis & Reed


NATURE |VOL 416 | 4 APRIL
2002
Expressão gênica 24
Modelo de
acoplamento de
splicing a
exportaçao do
mRNA e
decaimento
mediado por
nonsense (NMD)

Maniatis & Reed


NATURE |VOL 416 | 4 APRIL 2002

Expressão gênica 25
Influência da Estrutura da Cromatina na
Transcrição em Eucariotos
• A maior parte do DNA em uma célula eucariótica está
complexada nos nucleossomos e a estrutura espiralada
dificulta o acesso de fatores de transcrição e RNA-
polimerase.
• A iniciação da transcrição depende da remoção dos
nucleossomos da região promotora do gene.
– Durante a síntese de DNA, quando os nucleossomos são
substituídos, poderia haver competição entre as histonas e os
fatores de transcrição (p.ex. TFIID) pelos sítos promotores.
– A ligação e dirupção dos nucleossomos por ativadores.

Expressão gênica 26
Disrupção e Reorganização do Nucleossomo

• Complexos poderiam estar envolvidos na disrupção dos


nucleossomos:
– Participação de fator GAGA e fator de remodelamento de
nucleossomo (nucleosome-remodeling factor, NURF)
– Participação de complexo SW1/SNF
– Existe uma boa correlação entre acetilação de histona e a
atividade transcricional da cromatina.
• Competição entre histonas e fatores de transcrição
poderia estar envolvida no controle da expressão genica.

Expressão gênica 27
Regiões Controladoras de Lócus (Locus
Control Regions, LCRs)
• Regiões controladoras de lócus (LCRs) são seqüências de
DNA essenciais para o estabelecimento de uma
configuração “aberta” da cromatina.
• Elas são capazes de inibir a repressão normal da transcrição
sobre áreas relativamente grandes contendo vários genes.
Um dos mais bem estudados é o LCR que controla a
expressão tecido- específica da família de β-globin.

Expressão gênica 28
Expressão gênica 29
Expressão gênica 30
Correlações entre a Metilação do Promotor
e Inatividade Gênica
• Em células sangüíneas vermelhas de humanos e galinhas, o
DNA envolvido na síntese de globina está completamente
(ou quase completamente) não-metilado.
• O gene de ovalbumina de galinha ñão está metilado nas
células do oviduto, mas metilado nos outros tecidos.
• Nos somitos de camundongo, a demetilação de um
“enhancer” de MyoD precede a transcrição de MyoD e é
essencial para a especificação dessas células como
precursoras de músculo.

Expressão gênica 32