Você está na página 1de 11

Gimnospermas

Filos Cycadophyta
Cinkgophyta
Conipherophyta
Gnetophyta
Filo Conipherophyta

- 50 gêneros e 550 espécies


- Sequoia sempervirens- 117m de altura e 11m de diâmetro de
tronco
- Vantagem ecológica- folhas resistentes à seca
- Pinheiros- arranjo foliar espiral
- Nas plântulas as folhas são semelhantes a agulhas.
- Aos 2 anos, as acículas (folhas) estão arranjadas em forma de
feixe ou fascículos. Suportam estresse hídrico.
Sequoia semprevirens
Ciclo de vida do Pinus

- Estende-se por 2 anos.


- Os microsporófilos distribuídos espiraladamente contêm os
microsporócitos que sofrem meiose, na primavera, e originam
4 micrósporos haplóides, alados, que flutuam até a oosfera.
- Os estróbilos femininos contêm megasporócitos que sofrem
meiose e produzem 4 megásporos, dos quais 1 será funcional.
- Na época da polinização, as escamas do estróbilos femininos
estão separadas e recebem os grãos de pólen, que se aderem
as gotas que exsudam das extremidades do óvulo (canais
micropilares).
Ciclo de vida do Pinus

- Após a polinização as escamas compactam-se, protegendo o


desenvolvimento do óvulo. O megagametófito pode demorar
6 meses para se desenvolver e após 1 ano é que o grão de
pólen emite o tubo polínico, sofre divisão e torna-se maduro.
- As sementes são liberadas do estróbilo durante o outono do
segundo ano, após a polinização.

- Em Pinus contorta as escamas só se separam quando o


estróbilo é submetido a um intenso calor.
- Sementes não aladas são transportadas por pássaros, em
Pinus flexilis, P. albicaulis, P. edulis
Ciclo vida
Pinus
Partes do pinhão, a semente do pinheiro-do-paraná:
Tegumento ou casca (2n) : importante para proteção
Endosperma ou albume (n) : material de reserva alimentar para nutrição
do embrião. O endosperma origina-se do desenvolvimento do
megaprótalo.
Embrião (2n) : é originada a partir do zigoto (2n)

Características:
As flores das giminospermas são unissexuadas, ou seja, ou
masculinas ou femininas. As flores são reunidas em cones ou estróbilos
(inflorescências compactas)
As araucárias ou pinheiros-do-paraná são dióicas, isto é,
apresentam plantas de sexos separados: as masculinas formam cones
pequenos (produtores de grãos de pólen) e as femininas flores muito
maiores que contém os óvulos.
O pinheiro-europeu (Pinus sylvestris) tem folhas aciculares (com
aparência de agulhas que facilitam o escoamento da neve nas regiões de
clima temperado). O pinheiro-europeu é monóico, pois na mesma planta
são encontradas flores masculinas (de tamanho menor) e flores femininas
(de maior tamanho), onde são produzidos os óvulos. As flores femininas
se situam em ramos mais altos, dificultando a autopolinização. Assim, o
vento transporta grãos de pólen de uma planta até as flores femininas de
outra. O grão de pólen em contato com o óvulo forma o tubo polínico
permitindo a fecundação sem a participação da água. O óvulo se
transforma em uma semente parecida com o pinhão que contém casca,
embrião e material de reserva. O vento transporta a semente que ao cair
em solo adequado germina originando nova planta (esporófito 2n) .
O pinheiro europeu é bastante utilizado em reflorestamentos
porque cresce mais rápido que o pinheiro-do-paraná . As sementes
também podem ser dispersadas por pássaros.
Em muitas coníferas, Abies, Larix, Juniperus, Tsuga
Pseudotsuga o ciclo reprodutivo é de um ano -
as sementes são produzidas na mesma estação em que os
óvulos são polinizados. A fecundação leva de 3 dias a 4
semanas, deferente de Pinus que leva 15 meses.
Na família Taxaceae, os óvulos estão em estróbilos
envoltos por estrutura carnosa e em forma de taça, o arilo,
que tem função na polinização e dispersão.
Família Araucariaceae
Agathis
Araucaria angustifolia
Araucaria araucana
Araucaria heterophylla

Família Taxodiaceae
Sequoia sempervirens
Sequoiadendron giganteum
Taxodium
Metasequoia
Larix decidua

Abies koreana
Juniperus horizontalis

Juniperus phoenicia

Juniperus chinensis