Você está na página 1de 47

LENTES ESFÉRICAS

DELGADAS
DEFINIÇÃO
Lente esférica é o sistema óptico
constituído por dois meios
homogêneos e transparentes
(dioptros), sendo uma face do raio
incidente e outra do raio emergente.
Sendo considerado uma lente
esférica quando pelo menos uma
das faces for esférica e é dita
delgada quando forem finas.
LENTES CONVERGENTES:

Apresentam as extremidades
mais finas do que a parte central;
BICONVEXA PLANO-CONVEXA CÔNCAVA-CONVEXA
LENTES CONVERGENTES:
Transformam um feixe paralelo
em um feixe convergente.
F

f(+)
ELEMENTOS DAS LENTES
CONVERGENTES

Centro Óptico

E.P. C1 O C2

R
LENTES DIVERGENTES

Apresentam as extremidades
mais espessas do que a parte
central.
BICÔNCAVA PLANO-CÔNCAVA CONVEXA-CÔNCAVA
LENTES DIVERGENTES

Transformam um feixe paralelo


em um feixe divergente.
f(-)
ELEMENTOS DAS LENTES
DIVERGENTES

Centro Óptico
E.P. C1 C2

R
PROPRIEDADES DAS LENTES

LENTES CONVERGENTES

1ª ) Todo raio luminoso incidente paralelo


ao eixo principal refrata-se passando
pelo FOCO.
E.P.
FOCO

É o encontro dos
raios refratados.
PROPRIEDADES DAS LENTES

LENTES CONVERGENTES
2ª ) Todo raio luminoso incidente que
passa pelo FOCO refrata-se
paralelamente ao eixo principal.
E.P. F
PROPRIEDADES DAS LENTES

LENTES CONVERGENTES
3ª ) Todo raio luminoso incidente que
passa pelo CENTRO óptico não sofre
desvio.
E.P. O
PROPRIEDADES DAS LENTES

LENTES DIVERGENTES

1ª ) Todo raio luminoso incidente paralelo


ao eixo principal refrata-se com o
prolongamento passando pelo FOCO.
E.P. FOCO O

É o encontro dos prolongamentos


dos raios refratados.
PROPRIEDADES DAS LENTES

LENTES DIVERGENTES

2ª ) Todo raio luminoso incidente que tem


a direção do FOCO refrata-se
paralelamente ao eixo principal.
E.P. O F
PROPRIEDADES DAS LENTES

LENTES DIVERGENTES

3ª ) Todo raio luminoso incidente no


CENTRO óptico não sofre desvio.
desvio
E.P. O
CONSTRUÇÃO GEOMÉTRICA DE
IMAGENS

LENTES DIVERGENTES

(CASO ÚNICO)

EX: OLHO MÁGICO


Imagem:
Virtual
Direta
Objeto
Menor

2F1 O F2
F1
➥ Imagem VIRTUAL é o encontro dos
prolongamentos dos raios REFRATADOS.
CONSTRUÇÃO GEOMÉTRICA DE
IMAGENS

LENTES CONVERGENTES

1º CASO

EX: MÁQUINA FOTOGRAFICA E OLHO HUMANO


Imagem:
Real
Objeto
Invertida
Menor
2F1 O F2 2F2

F1

➥ Nas lentes
2f imagem REAL é2fo
encontro dos raios REFRATADOS.
CONSTRUÇÃO GEOMÉTRICA DE
IMAGENS
LENTES CONVERGENTES

2º CASO

EX: COPIADORA
Imagem:
Objeto Real
Invertida
Mesmo Tamanho
O F2 2F2

2F1 F1

2f 2f
CONSTRUÇÃO GEOMÉTRICA DE
IMAGENS

LENTES CONVERGENTES

3º CASO

EX: PROJETOR DE SLIDES


Imagem:
Objeto Real
Invertida
Maior
O F2 2F2
2F1 F1
CONSTRUÇÃO GEOMÉTRICA DE
IMAGENS

LENTES CONVERGENTES

4º CASO

EX: FAROL
Objeto

2F1 O F2 2F1

F1

Imagem:
Imprópria
Se forma
no infinito
CONSTRUÇÃO GEOMÉTRICA DE
IMAGENS

LENTES CONVERGENTES

5º CASO

EX: LUPA
Imagem:
Virtual
Objeto
Direta
Maior

O F2 2F1
2F1 F1
➥ Imagem VIRTUAL é o encontro dos
prolongamentos dos raios REFRATADOS.
FORMAÇÃO DA IMAGEM NO
OLHO HUMANO

RETINA

CRISTALINO
Funciona como
Como uma lente NERVO ÓTICO um anteparo
biconvexa no sensível à luz,
globo ocular. Leva as sensações recebendo as
luminosas ao sensações
cérebro. luminosas.
FORMAÇÃO DA IMAGEM
NO OLHO HUMANO
OLHO NORMAL

I
FORMAÇÃO DA IMAGEM
NO OLHO HUMANO
OLHO MÍOPE

A imagem se forma antes da retina


FORMAÇÃO DA IMAGEM
NO OLHO HUMANO

COREÇÃO DA MÍOPIA
FORMAÇÃO DA IMAGEM
NO OLHO HUMANO

A miopia é corrigida com lente


divergente.
A convergência é negativa.
I
FORMAÇÃO DA IMAGEM
NO OLHO HUMANO
OLHO HIPERMÉTROPE

A imagem se forma depois da retina


FORMAÇÃO DA IMAGEM
NO OLHO HUMANO

COREÇÃO DA HIPERMETROPIA

A hipermetropia é corrigida com


lente convergente.
A convergência é positiva.
I
FORMAÇÃO DA IMAGEM
NO OLHO HUMANO

ASTIGMATISMO

É um defeito na esferidade
da córnea.

É corrigido com lente


cilíndrica.
OBRIGADO