Você está na página 1de 16

÷

  
  

Y Y  Y    

 Y  

ï 
 
Bolsista PIBIC/CNPq Unesp
j j j 

     
V ientado a
 !

M Avanços proporcionados pelas Tecnologias da
Informação e Comunicação (TICs)
M Novos ambientes informacionais
M Novos tipos de recursos
M Novos conteúdos
M Novos suportes
M Novas formas de acesso

M A Catalogação descritiva necessita de instrumentos
de descrição compatíveis com este novo cenário

M A proposta: Y      

(RDA)

Y  
jj  
j      

   

     

j    

j 


M Analisar o desenvolvimento, os objetivos e as
características do padrão RDA

M Apresentar os objetivos do padrão
M As características que a estrutura do RDA apresenta
M O relacionamento do RDA com outros padrões
(AACR2, ISBD e MARC 21) e com os modelos
conceituais para dados bibliográficos (FRBR) e de
autoridade (FRAD)

Y  
jj  
j      

   

     

j    

j 
Ú"

M Ñevantamentos bibliográficos

M Ñeitura de textos e relatórios sobre o
desenvolvimento do padrão

M Exercícios práticos de descrição utilizando o
rascunho do RDA

Y  
jj  
j      

   

     

j    

j 
Y

M Fornecer diretrizes e instruções para o registro
de atributos e relacionamentos das entidades
definidas nos modelos conceituais FRBR e FRAD

V a Pessoa
Exp essão Família
Manifestação Entidade Coletiva
Item Luga

M Substituir o      
Y 
(AACR)

Y  
jj  
j      

   

     

j    

j 
Y #Y$Y#Y 

M O alinhamento com os modelos conceituais
M FRBR ± Requisitos Funcionais para Registros Bibliográficos
M FRAD ± Requisitos Funcionais para Dados de Autoridade

M Cobertura de todo tipo de conteúdo e mídia

M Flexibilidade e extensibilidade (acomodar as
características de novos recursos)

M Adaptabilidade (aplicação dos dados produzidos
em vários ambientes)

Y  
jj  
j      

   

     

j    

j 
Y %
" !

M Acordo com a Declaração Internacional dos
Princípios de Catalogação
M 1961 e 2003-2007: Documento que apresenta os
objetivos que devem direcionar a construção de
códigos de catalogação

Conveniência do usuá io / Uso Comum / Rep esentação
P ecisão / Suficiência e necessidade / Significância
Economia / Consistência e pad onização / Integ ação

Y  
jj  
j      

   

     

j    

j 
Y $

M RDA: padrão de conteúdo, não de apresentação

M Independência de norma de apresentação
M ISBD ± Descrição Bibliográfica Internacional
Normalizada
M Estrutura de apresentação
M Pontuação = : [ ] / , ; . ± ( )

M O RDA é independente, mas compatível

Y  
jj  
j      

   

     

j    

j 
Y Ú Y&' Y&

M Compatibilidade com os formatos MARC21
M MARC - Ú  Y    

M Formatos para intercâmbio de dados

M Compatibilidade com os registros já
existentes (criados de acordo com o AACR2 e
padrões similares)

Y  
jj  
j      

   

     

j    

j 
Y

M 37 capítulos, 10 seções, 2 partes:
M Registro dos atributos das entidades (1-4)

M Registro dos relacionamentos entre as entidades
(5-10)

V a / Exp essão / Manifestação / Item
Pessoa / Família / Entidade Coletiva
Conceito / Veto / Evento / Luga

M 13 apêndices

Y  
jj  
j      

   

     

j    

j 


M Responsáveis pelo RDA
M     
(AÑA)
M    

   
(ACOC)
M   
(BÑ)
M   

   
(CCC)
M  
    

     

  (CIÑIP)
M     (ÑC)

M Ñançamento: Junho de 2010

M Ferramenta online

Y  
jj  
j      

   

     

j    

j 
 )

Y (

M Novo padrão para a descrição de recursos e acesso

M Voltado para o mundo digital

M Proposta de uma cobertura de todo tipo de conteúdo e mídia
M Flexibilidade necessária para que os dados produzidos
através de sua utilização sejam aplicáveis em vários
ambientes tecnológicos

Y  
jj  
j      

   

     

j    

j 
 )

M ´rande influência do FRBR e do FRAD
M Será necessário que o utilizador do RDA conheça os
modelos conceituais

M Acordo com os Princípios de Catalogação
M Faz com que o RDA procure alcançar os interesses da
comunidade internacional

M Compatibilidade com padrões existentes
M AACR2 e MARC21 ± menores ajustes retrospectivos

M Independência da ISBD

Y  
jj  
j      

   

     

j    

j 
 )

M A promessa de um padrão para descrição de recursos e
acesso voltado para o mundo digital, com cobertura de todo
tipo de conteúdo e mídia, alinhamento com princípios,
padrões e modelos internacionalmente aceitos, conferem ao
RDA grande possibilidade de sucesso.

M No entanto, a eficiência e aceitação do novo padrão só
poderão ser devidamente avaliadas após sua divulgação.

Y  
jj  
j      

   

     

j    

j 
Y./
AMERICAN ÑIBRARY ASSOCIATION; CANADIAN ÑIBRARY ASSOCIATION;
CHARTERED INSTITUTE OF ÑIBRARY AND INFORMATION PROFESSIONAÑS.
. [S.l], 2008. Disponível em:
<http://www.rdaonline.org/constituencyreview/Phase1Chp0_10_22_08.pdf>.
Acesso em: 11 mar. 2010.
JOINT STEERIN´ COMMITTEE FOR DEVEÑOPMENT OF RDA. #*+,
*. [S.l.], 2010. Disponível em: <http://www.rda-jsc.org/rdafaq.html>.
Acesso em: 11 mar. 2010.
JOINT STEERIN´ COMMITTEE FOR DEVEÑOPMENT OF RDA. %. [S.l.],
2009. Disponível em: <http://www.rda-jsc.org/docs/5rda-prospectusrev7.pdf>.
Acesso em: 11 mar. 2010.
RESOURCE DESCRIPTION AND ACCESS. +-. [S.l.], 2008.
Disponível em: <http://www.rdaonline.org/constituencyreview>. Acesso em: 11
mar. 2010.
TIÑÑETT, B. B. Y% : the development of a new
international cataloging code. Modena, Italy: 2007. Disponível em:
<http://www.rda-jsc.org/docs/btmodena-20071213.pdf>. Acesso em: 11 mar.
2010.

Y  
jj  
j      

   

     

j    

j 
÷
  
  
  !"#  $%"%

"0

Y Y  Y    

 Y 

ï 
 
Bolsista PIBIC/CNPq Unesp
j j j 

     
V ientado a